Império Srivijaia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Srivijaya)
Ir para: navegação, pesquisa
Império Srivijaia
Sailendra King and Queen, Borobudur.jpg
Blank.png
c. 650 — 1377 
Blank.png
Singapore in its region (zoom).svg
Srivijaya Empire-pt.svg
Império Srivijaia em sua maior extensão
Região Sumatra
Capitais Palimbão
Chaia
Java Central
Jambi
Países atuais  Brunei
Indonésia
 Malásia
 Singapura
 Tailândia
Camboja
Filipinas

Língua oficial sânscrito
malaio
Religião animismo
hinduísmo
maaiana

Forma de governo monarquia
marajá
•  c. 683   Dapunta Hiangue Sri Jaianasa

História  
•  c. 650   Fundação
•  1377   Rebelião srivijaiana

Srivijaia[1] (em sânscrito: श्रीविजय; transl.: Srivijaya/Sriwijaya, de sri, "brilhante" ou "radiante", e vijaya, "vitória" ou "excelência" [2]) foi um antigo império malaio da ilha de Sumatra, no sudeste asiático, com larga influência sobre o Arquipélago Malaio,[2] com período de maior extensão durante os séculos X e XI.

A prova mais antiga e sólida de sua existência data do século VII; um monge chinês, I-Tsing, escreveu que visitara Srivijaya em 671 por seis meses.[3][4] A mais antiga inscrição que usa o nome Srivijaia foi datada do século VII, chamada de Inscrição Kedukan Bukit, próxima de Palembangue, em Sumatra, estimada como do ano de 683.[5]

O reino deixou de existir entre 1200 e 1300 devido a vários fatores, incluindo a expansão do Império de Majapait. Após sua queda, ficou por longo tempo esquecido e os historiadores não consideravam que um reino unido tão grande pudesse ter existido no sudeste da Ásia. Sua existência somente foi suspeitada em 1918, quando o historiador francês George Coedès, da Escola Francesa do Extremo Oriente postulou a existência do império. Entre 1992 e 1993, Pierre-Yves Manguin provou que o centro de Srivijaia estava localizado ao longo do rio Musi, entre Buquite Seguntangue e Saboquinquingue (situada onde hoje é a província de Sumatra do Sul, na Indonésia).[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Enciclopédia brasileira mérito. 11. São Paulo e Rio de Janeiro: Editôra Mérito S. A. 1967. p. 474 
  2. a b c MUNOZ, Paul Michel (2006). Early Kingdoms of the Indonesian Archipelago and the Malay Peninsula (em inglês). Singapura: Editions Didier Millet. 171 páginas. ISBN 981-4155-67-5 
  3. Munoz. Early Kingdoms. [S.l.: s.n.] 122 páginas 
  4. Sabri Zain. «Sejarah Melayu, Buddhist Empires» (em inglês). Consultado em 2009  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Peter Bellwood, James J. Fox, Darrell Tryon (1995). «The Austronesians: Historical and Comparative Perspectives» (em inglês) 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.