StarOne C2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
StarOne C2
StarOne C2
Localização orbital 70° W
Lançamento 18 de abril de 2008 (8 anos)[1]
Veículo Ariane 5 ECA[2]
Operador BrasilEmbratel Star One
Vida útil 15 anos[3]
Design Alcatel-Lucent[4]
Cobertura Brasil, América do Sul, México, Flórida (EUA)[3]
Carga Ku 12 x 36 MHz, 2 x 72 MHz[4]
Carga Banda C 28 x 36 MHz[4]
Órbita geoestacionária
Peso 4100 kg[3]
Designação COSPAR 2008-018B

O StarOne C2 é um satélite artificial de comunicação geoestacionário brasileiro que foi construído pela Alcatel Alenia Space, ele está localizado na posição orbital de 70 graus de longitude oeste e opera em Banda C e Banda Ku, e que pertence a empresa Embratel Star One, subsidiária da Embratel. O satélite foi baseado na plataforma Spacebus-3000B3 e sua expectativa de vida útil é de 15 anos.[5] A posição orbital onde o StarOne C2 está implantado é considerada a hot position brasileira por transmitir os sinais das maiores emissoras de televisão do país e ainda possuir um parque de 24 a 30 milhões de antenas parabólicas apontadas.[6][7]

O satélite possui polarização linear e a capacidade de 28 transponders em Banda C[8] (receptores e transmissores de sinais) em Banda C, 16 em Banda Ku e um Banda X.[1]

A Banda C garante a oferta de sinais de voz, TV, rádio e dados, incluindo internet.[1] A Banda Ku possibilita serviços de transmissão de vídeo diretamente aos usuários, além de internet e telefonia em localidades remotas.[1] A Banda X é uma frequência exclusiva para uso militar.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2005 a Alcatel Alenia Space assinou um contrato com a Star One, uma empresa operadora de satélites de telecomunicações subsidiária da Embratel, para a construção do satélite StarOne C2. O satélite carrega 45 transponders: 28 de banda C, 16 em banda Ku e um banda X.

O satélite que está localizado na posição orbital de 70 graus de longitude oeste, onde ele substitui em junho de 2008 o satélite Brasilsat B4, vindo da posição de 92 graus oeste, que havia substituído o Brasilsat B1 em fevereiro de 2007, que estava em final de vida útil, na banda C, atualmente o StarOne C2 oferece cobertura para a América do Sul, México e Flórida para as transmissões de televisão e telefonia. A Alcatel divulgou que o contrato foi avaliado em US $ 150 milhões.[5]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O satélite foi lançado com sucesso ao espaço no dia 18 de abril de 2008,[1][9] às 22:17 UTC, por meio de um veículo Ariane 5 ECA a partir do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, juntamente com o satélite Vinasat-1. Ele tinha uma massa de lançamento de 4100 kg.[8][5]

Capacidade e cobertura[editar | editar código-fonte]

O StarOne C2 é equipado com 28 transponders em banda C, 16 em banda Ku, e um em banda X para fornecer serviços de telecomunicações como; Internet, TV, rádio, serviços digitais e telefonia para o Brasil, América do Sul e México.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f «Embratel lança com sucesso o satélite Star One C2». StarOne. 18 de abril de 2008. Consultado em 30-06-2010. 
  2. «Launch program activity» (em inglês). Ver na página a seção "Arianespace launch review (2004-2013)". Arianespace. Consultado em 18 de fevereiro de 2013. 
  3. a b c «Sobre o satélite Star One C2». Star One. Consultado em 18 de fevereiro de 2013. 
  4. a b c «Dados técnicos do Star One C2» (PDF). Star One. Consultado em 18 de fevereiro de 2013. 
  5. a b c «Star One C1, C2» (em inglês). Gunter's Space Page. Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  6. «24 milhões de parabólicas estão apontadas para o StarOne C2». Consultado em 4 de janeiro de 2016. 
  7. «Nordeste tem cinco milhões de parabólicas instaladas». Consultado em 12 de outubro de 2015. 
  8. a b «Star One C2 no Portal BSD». Portal BSD. Consultado em 18 de fevereiro de 2013. 
  9. «STAR ONE C2» (em inglês). Satellite details 2008-018B NORAD 32768. Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  10. «Star One C2» (em inglês). SatBeams - Satellite Details. Consultado em 23 de janeiro de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]