Adoração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A adoração exige amor, devoção, honra e respeito fazendo com que a pessoa seja levada a prestar culto a uma divindade. Este amor pode ser às vezes extremo, excessivo. O termo adoração geralmente se refere a atos específicos de religiosos, direcionados a um ser sobrenatural podendo ser uma divindade ou algo natural como o dinheiro, o estudo destas práticas ou tradições corresponde à teologia.

A adoração religiosa pode ser feita individualmente, em grupos informais ou como parte de um serviço organizado com um líder designado (como em uma igreja, sinagoga, templo ou mosteiro). Em termos naturais, alguns usam a adoração como apoio ou respeito, quando direcionada a membros de classes sociais mais elevadas (tais como reis, imperadores ou monarcas) ou para uma pessoa estimada (tal como um amante).

Segundo a Igreja Católica, o culto cristão de adoração (a latria) só deve e pode ser prestado a Deus, ou seja, à Santíssima Trindade. Os Santos e a Virgem Maria merecem somente um culto de veneração, que é a dulia (a hiperdulia no caso da Virgem Maria).

Diferente no caso de Cristãos Protestantes que consideram o culto deve ser somente a Deus (

Soli_Deo_gloria Soli Deo gloria[1] ).

Os atos típicos de adoração incluem:


Ver também[editar | editar código-fonte]

  1. José Maurício Passos Nepomuceno (28/12/2014). Soli_Deo_gloria Felipe Sabino de Araújo Neto. Visitado em 28/12/2014.