Religião OVNI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arrows-move.svg
Em julho de 2014 foi proposta a renomeação deste artigo para Religião UFO. Se não concorda, use a página de discussão.

Religião OVNI é um termo informal dado às "religiões" que defendem a possibilidade de casos de contatos extraterrestre. Por extensão, os termos seita ufológica e culto OVNI é usado para se referir a suas comunidades religiosas.

Embora as crenças desses grupos são muito diferentes, as religiões ufológica em geral acreditam na existência de seres extraterrestres que tiveram ou ainda estão tendo um papel fundamental na história da humanidade e que o futuro da humanidade será parte de uma comunidade galáctica. Argumentam que a chegada ou renascimento da civilização, da tecnologia e espiritualidade extraterestre permitim que os seres humanos superarem os problemas ambientais, espirituais e mudanças sociais. Chegando a supor que questões como o ódio, guerra, intolerância e a pobreza será solucionado com o uso de tecnologia superior e capacidades espirituais dos extraterestres.[1] [2]

Tais crenças têm sido descritas como milenaristas em sua perspectiva. Essas religiões geralmente introduzem crenças cristãs dando-lhes uma nova interpretação, como Jesus ou Deus, são de origem extraterrestre. Também acreditam que há uma conspiração organizada para esconder os governos extraterestres, porque estes não querem perder o controle global.

As religiões OVNI estão presentes em sociedades tecnologicamente avançadas, especialmente nos Estados Unidos, Canadá, França e Reino Unido. A maioria nasceram nas década de 1950 (Cientologia, Chen Tao, Sociedade Etérea, Unarius Academy of Science), embora outros surgiram na década de 1970 (Movimento Raeliano, Igreja do Subgênio, Industrial Church of the New World Comforter, Heaven's Gate). Na década de 1990, houve um renovado interesse neste tema (Porta do Céu, Vesmírní Lide).

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. (Partridge 2003, p. 274)
  2. When We Enter Into My Father's Spacecraft. Andreas Grünschloß. Marburg Journal of Religion, Vol. 3, No. 2 (December 1998),pp. 1-24

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]