Battletoads

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Battletoads
Battletoads
Produtora Rare
Editora(s) Tradewest
Plataforma(s) Nintendo Entertainment System, Sega Mega Drive/Genesis, Sega Game Gear, Game Boy, Amiga CD32, Arcade, Super Nintendo Entertainment System
Data(s) de lançamento Junho, 1991
Gênero(s) Ação 2D
Modos de jogo Single player e Multiplayer
Média Cartucho 2 Mb
Controles Joystick

Battletoads é uma franquia de videogame. O primeiro jogo, intitulado simplesmente Battletoads, é um Jogo de luta/ Ação da Rare para Sega Mega Drive/Genesis, Sega Game Gear, Game Boy, Amiga CD32 e NES. Foi lançado em 1991. É provavelmente o videogame com gráficos mais avançados para o NES, na época em que o mercado já se voltava para o Sega Genesis e SNES.

Uma versão deste videogame foi lançada para arcade em 1994 pela Rare, e desenvolvida pela Electronic Arts.

A música da série Battletoads foi composta por David Wise.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Dois sapos mutantes adolescentes, Rash e Zitz, devem salvar seu irmão Pimple e a Princesa Angelica da malvada Dark Queen, líder do planeta Ragnarok, com a ajuda do Professor T. Bird e sua nave espacial, The Vulture.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Heróis[editar | editar código-fonte]

Rash - O mais conhecido dos Battletoads. Ele é verde e usa óculos escuros. Também é visto em outros jogos da série com uma bandana em seu braço. Considerado o mais rápido e maluco dos sapos. Seu nome real é Dave Shar.

Zitz - Zitz é o líder e mais inteligente dos Battletoads.Ele tende a usar ataques com máquinas (Serra-elétrica e Furadeira no Arcade). Seu nome real é Morgan Ziegler.

Pimple - O musculoso Pimple mais parece o "tanque" dos Battletoads. Ele adora usar objetos pesados para detonar seus inimigos (bigornas, martelos etc). Seu nome real é George Pie.

Professor T. Bird - Este velho abutre é o mentor e guia dos Battletoads em suas missões.

Vilões[editar | editar código-fonte]

Dark Queen - A misteriosa vilã. Suas ambições incluem destruir os Battletoads e dominar o universo com a ajuda de seus malvados aliados.

Robo-Manus - Este perigoso ciborgue lutou com os Battletoads várias vezes e foi derrotado em todas. Ainda assim ele é um dos mais inteligentes e perigosos inimigos dos Battletoads.

Big Blag - Big Blag é um morbidamente obeso rato que usa seu peso como forma de ataque, tentando esmagar os sapos. Big Blag também luta com uma bola de espinhos no final de sua cauda.

Silas Volkmire - Um dos mais misteriosos aliados da Dark Queen, Silas Volkmire é responsável pela criação dos Battletoads! Volkmire é encontrado no jogo Battletoads in Battlemaniacs como um chefe semifinal. Parece que morre quando sua nave é atingida, mas seu corpo não é encontrado. Volkmire também é rapidamente mencionado no primeiro Battletoads, já que uma das fases tem seu nome. Considerado humano, aparece deformado no Battletoads in Battlemaniacs. Ele era originalmente um cientista da Terra.

Outros personagens[editar | editar código-fonte]

Scuzz - Membros da gangue mutante liderada por Big Blag. Estes vilões são os principais soldados do exército de Dark Queen. Eles aparecem de várias formas e usam vários tipos de armas. Também são chamados Giblets e Gonads.

  • nota: há um rato chamado Scuzz, que parece ser o braço direito de Big Blag. Ele é encontrado na versão do Gameboy de Battletoads, assim como em Super Battletoads, na qual ele dirige o Robo-Rat, o chefe da terceira fase.

General Slaughter - Um touro comandante das forças de Dark Queen. Além de sua aparição original no primeiro Battletoads, ele serve como chefe de primeira fase ou meio-de-jogo. Ataca com seus punhos e chifres.

Psyko Pigs - Outro grupo de soldados da Dark Queen, liderados por General Slaughter. Seu nome já diz, Psyko Pigs são porcos humanóides com tendência a usar armas grandes, especialmente machados e maças (algumas eletrificadas), ou usam o peso de seu próprio corpo. São maiores e mais pesados que os Rat Pack, mas claro que mais lentos.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Cada fase do jogo tem uma jogabilidade diferente.Há vários níveis em 3D e também o tradicional 2D "beat-em-up" em que o jogador avança derrotando inimigos e obstáculos. Os mais difíceis são as fases de corrida, quando devem ser memorizadas as sequências em que obstáculos surgem, podendo matar o personagem instantaneamente. Parte do apelo da série são as exageradas maneiras de destruir um inimigo, com os toads dando engraçados golpes finais.

Dificuldade[editar | editar código-fonte]

Nível 3 da versão do jogo para NES

Battletoads é desafiante; em fato, é conhecido entre os jogos de NES pela sua brutal dificuldade e mortes rápidas. Pela combinação de níveis de corrida de alta velocidade, com perigosos obstáculos e monstros que podem matar instantaneamente, ele requer uma grande dose de habilidade, prática e memória, e quase nada de sorte. Os monstros que o jogador enfrenta são muito menos desafiantes que os obstáculos e armadilhas que o jogador enfrenta.

Duas coisas podem reduzir a dificuldade do jogo: Na segunda fase, o jogador pode ganhar várias vidas atingindo repetidamente inimigos já derrotados antes que eles "caiam" da tela, podendo acumular mais de dez vidas para serem usadas nas próximas fases. E há várias warp points espalhadas pelo jogo que permitem "pular" duas fases. Um jogador experiente pode evitar quase metade do jogo com bom uso desses warp points.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Devido à sua inovativa jogabilidade e gráficos superiores (para o NES), o "Battletoads" original foi universalmente bem recebido pela crítica especializada.

O jogo é difícil; até na primeira fase há várias maneiras de "morte rápida" simplesmente "caindo fora da tela", por caminhar perto demais da parte superior ou inferior da tela (ao contrário da maioria dos jogos, não existe barreira artificial prevenindo a queda).

Em contraste com muitos jogos, que se tornam gradualmente mais difíceis, a terceira fase de "Battletoads" apresenta um grande aumento de dificuldade. A primeira das fases de corrida, dirigindo um carrinho em alta velocidade e desviando de obstáculos, é um desafio gigantesco, mesmo para jogadores experientes. Para agravar este problema, "Battletoads" dá ao jogador limitados continues ao ser derrotado (muitos outros jogos deste porte dão ilimitadas chances), e não tem password ou bateria no cartucho para salvar a posição do jogador. Apenas os mais dedicados jogadores chegam até a metade deste jogo.

Dois jogadores cooperando um com o outro geralmente terminam um jogo mais facilmente, mas "Battletoads" se torna mais difícil desta maneira, principalmente nas fases de corrida. Se um dos jogadores colidir com um obstáculo durante a corrida, ambos voltam ao início da fase, reiniciando tudo.

O jogo tem algumas falhas que sugerem uma Versão beta pouco testada. A pior falha ocorre na fase 11, chamada "Clinger Winger". Durante uma partida para dois jogadores, o segundo não consegue mover seu personagem nesta fase, e deve perder todas suas vidas para que o primeiro jogador possa prosseguir. Isto torna o jogo ainda mais difícil para o segundo jogador, já que ele terá um continue a menos e nenhuma vida extra acumulada ao seu dispor.

Jogos[editar | editar código-fonte]

Há vários jogos na franquia, principalmente para os consoles Sega e Nintendo:

  • Battletoads (NES): O jogo original foi lançado para o NES e posteriormente portado para diversos consoles.
  • Battletoads (Game Boy): Cronologicamente se passa antes do primeiro "Battletoads", e possui fases e personagens não vistos em outros jogos "Battletoads";
  • Battletoads (Mega Drive/Genesis): Uma cópia quase exata do original do NES em termos de jogabilidade, mas com um pouco menos de dificuldade, gráficos melhores e música superior (ainda que sem a clássica música escutada no original quando o pause é acionado);
  • Battletoads (Amiga CD32): Muito parecido ao original do NES, mas com os gráficos do Mega Drive;
  • Battletoads & Double Dragon: Similar ao primeiro jogo, um crossover semi-oficial com os personagens da série "Double Dragon" com várias liberdades tomadas. Lançado em 1993 para NES, Game Boy, sega Genesis e SNES;
  • Battletoads in Battlemaniacs: jogo para SNES e Master System (este último lançado oficialmente apenas no Brasil pela TecToy, porém uma versão inacabada e cheia de bugs). Os personagens são maiores e os gráficos melhores. Lançado em 1993;
  • Super Battletoads: versão para arcades lançada em 1994. Super Battletoads possui vozes e vários outros detalhes que o diferenciam dos outros jogos, como mais violência (jogadores podem decapitar alguns inimigos com ataques específicos). Também, durante as fases com veículos é enfatizado mais que memorizar e desviar de obstáculos;
  • Battletoads in Ragnarok's World: versão para Game Boy do jogo original. Lançado em 1993.

Retorno?[editar | editar código-fonte]

Em 2004 o designer-chefe do time Game Boy Advance da Rare disse que "um jogo Battletoads para GBA seria muito bom - não há confirmações no momento, mas espero que façamos um no futuro."[1] em resposta se um novo jogo Battletoads estava em desenvolvimento,a algum tempo atrás no site da rare tinha uma página sobre Battletoads falando que seria lançado um jogo para Xbox One mais a produtora deve ter desistido pois não existe mais a tal pagina.

Outros produtos[editar | editar código-fonte]

HQ[editar | editar código-fonte]

A história de fundo de Battletoads foi mostrada em quadrinhos na revista Nintendo Power. Os toads eram originariamente três garotos que jogavam um videogame de realidade virtual chamado Battletoads diante de espectadores para as Indústrias Psicone. O técnico Silas Volkmire recebe ordens de fazer o jogo mais difícil para aumentar o espetáculo, mas Silas, por não compartilhar o sucesso dos três, modifica o jogo. Quando os garotos iniciam o jogo novamente, são transformados nos personagens e presos no jogo. Depois de escapar de uma emboscada da Dark Queen com a ajuda do Professor T. Bird, os 'toads unem forças com ele para salvar o universo da tirana.

Desenho Animado[editar | editar código-fonte]

Battletoads estreou um desenho animado especial de meia hora produzido pela DIC Entertainment, transmitido pela FOX em 1991, sobre surfistas que se transformam em sapos humanóides para resgatarem uma princesa. Entreatanto, somente este episódio piloto foi lançado; nunca foi feita uma série, apesar das propagandas em estilo quadrinhos veiculadas na revista Gamepro afirmarem o contrário.

Passado em Oxnard, Califórnia, o show estrela três surfistas, estudantes da Ensino Secundário (diferente da história do jogo que mostra três técnicos do vídeo-game). O trio recebe a habilidade de se transformarem em sapos antropomórficos com força sobrehumana com a capacidade de tornarem seus braços e pernas em armas nas técnicas chamadas "Smash Hits". Eles devem proteger o Professor T. Bird e a Princesa Angélica da Dark Queen, que planeja roubar o amuleto mágico da Princesa para seus planos de dominar o universo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.