David Harvey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
David Harvey
Nascimento 7 de Dezembro de 1935 (78 anos)
Gillingham
Nacionalidade  Reino Unido
Ocupação Professor

David Harvey (Gillingham, Kent, 7 de dezembro de 1935) é um geógrafo marxista britânico, formado na Universidade de Cambridge. É professor da City University of New York e trabalha com diversas questões ligadas à geografia urbana.

Seu primeiro livro, Explanation in Geography, publicado em 1969, versa sobre a epistemologia da geografia, ainda no paradigma da chamada geografia quantitativa. Posteriormente, Harvey muda o foco de sua atenção para a problemática urbana, a partir de uma perspectiva materialista-dialética. Publica então Social Justice and the City no início da década de 1970, onde confronta o paradigma liberal e o paradigma marxista na análise dos problemas urbanos. Seu livro seguinte, The Limits to Capital, é um denso estudo do pensamento econômico de Marx. Com algumas posições heterodoxas em relação a alguns aspectos da teoria marxiana tradicional, como a teoria das crises, o livro não foi tão bem aceito quando da sua publicação inicial. Posteriormente, principalmente após a apreciação de Fredric Jameson nos anos 90[1] , o livro ganhou novo interesse, em especial pela sua compreensão renovada do problema do capital financeiro e da renda fundiária.

Mais recentemente, Harvey tem defendido a tese do crescimento zero para a economia global.[2] Durante o Fórum Social Mundial de 2010, afirmou: "Três por cento de crescimento composto (geralmente considerada a taxa de crescimento mínima satisfatória para uma economia capitalista saudável) está se tornando cada vez menos viável de se sustentar sem recorrer a toda sorte de ficções (como aquelas que têm caracterizado os mercados de ativos financeiros e o mundo dos negócios ao longo das últimas duas décadas). Há boas razões para acreditar que não há alternativa senão uma nova ordem mundial de governança que afinal deverá gerir a transição para uma economia de crescimento zero."[3] [4]

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Explanation in Geography. London: Edward Arnold, 1969.
  • A Justiça Social e a Cidade. (Título original: Social Justice and the City) Tradução: Armando Corrêa da Silva, São Paulo: Hucitec, 1980.
  • The Limits to Capital. Chicago, 1980. Verso, 2007.
  • Condição Pós-moderna. (Título original: The Condition of Postmodernity: An Enquiry into the Origins of Cultural Change) Tradução: Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves, São Paulo: edições Loyola, 1993.
  • Espaços de Esperança. (Título original: Spaces of Hope) Tradução: Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves, São Paulo: edições Loyola, 2004.
  • O Novo Imperialismo. (Título original: The New Imperialism)Tradução: Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves, São Paulo: edições Loyola, 2004.
  • A produção capitalista do espaço. (Título original: Spaces of capital: Towards a critical geography). Tradução: Carlos Szlak, São Paulo: Annablume, 2005.
  • O enigma do capital: e as crises do capitalismo. (Título original: The enigma of capital: and the crises of capitalism). Tradução: João Alexandre Peschanski, São Paulo: Boitempo, 2011.
  • Para entender O capital: Livro I. (Título original: A Companion to Marx's Capital, Volume I). Tradução: Rubens Enderle, São Paulo: Boitempo, 2013.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sobre um geógrafo, integrado ao Projeto Geografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.