Jason X

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jason X
Jason X (PT/BR)
 Estados Unidos
2001 • cor • 90 min. min 
Direção Jim Isaac
Roteiro Todd Farmer, baseado nos personagens criados por Victor Miller
Elenco Kane Hodder
Lexa Doig
Lisa Ryder
Jonathan Potts
Melyssa Ade
Peter Mensah
Dov Tiefenbach
Todd Farmeriee
Chuck Campbell
David Cronenberg
Género terror
Idioma inglês
Cronologia
Último
Último
Sexta-Feira 13 -
Parte IX
Freddy vs. Jason
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Jason X (também conhecido como Sexta-Feira 13 Parte 10 - Jason X) é um filme de terror lançado em 2001, sendo o décimo da série Sexta-Feira 13, conhecido como Jason "X" não "Jason dez", embora o X também indique o número do filme dentro da série. Estrelado por Kane Hodder como o assassino morto-vivo Jason Voorhees. O filme arrecadou 16.951.798 de dólares em todo o mundo com um orçamento de 14 milhões de dólares.[1] Até o momento, é a última aparição de Kane Hodder no papel de Jason Voorhees, e teve direção de James Isaac.

O filme foi concebido por Todd Farmer, que sugeriu ao estúdio a ideia de enviar Jason ao espaço como forma de avançar a franquia, enquanto Freddy vs. Jason ainda estava em desenvolvimento, e é definido no futuro, de modo a não confundir a continuidade da série.[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O tempo é o futuro próximo. Uma equipe de cientistas do governo que trabalha no Centro de Pesquisa Crystal Lake, onde finalmente é capturado o notório e aparentemente indestrutível assassino Jason Voorhees, tenta, a fim de conter Jason, colocá-lo em suspensão criogênica, mas, como sempre, as coisas dão terrivelmente errado. Jason quebra o gelo e fica novamente livre para retomar seu caminho assassino. A única sobrevivente desta última matança, Rowan, consegue atrair Jason para uma câmara criogênica, mas antes que ela possa concluir o processo e escapar, é mortalmente ferida e congelada no tempo, juntamente com Jason.

Avançam-se mais de 455 anos para 2455.

O cenário é a Velha Terra, agora um planeta contaminado abandonado por séculos, um mundo de tempestades violentas, massas de terra tóxicas e mares envenenados. No entanto, os seres humanos voltam ao lugar mortal de onde fugiram um dia, não para reabitá-lo, mas para pesquisar os artefatos das civilizações perdidas que causaram este enorme desastre ambiental. Assim, o mais recente grupo de exploradores interplanetários, ao se depararem com uma câmara criogênica incomum de uma primitiva era tecnológica, percebem o destino que os espera.

Os exploradores, liderados pelo Professor de Arqueologia Lowe e seu tech-droid KAY-EM 14, encontram entre os restos antigos da caverna subterrânea do Centro de Pesquisa Crystal Lake dois ancestrais congelados: uma bela jovem e um grande homem vestindo uma máscara estranha. Há apenas um problema: o processo de auto-regeneração de alguma forma tinha sido disparado, estando à ponto de quase despertarem. Com o tempo se esgotando, os jovens levam os indivíduos para sua nave em direção à Terra II, onde eles são surpreendentemente capazes de reviver Rowan. Muito em breve, contudo, estes alunos vão ficar face-a-face com uma forma chocante e totalmente nova do mal, com Jason de volta à vida. Tão logo o assassino começa a vigiá-los em silêncio pelos corredores da nave.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Com Freddy vs. Jason em desenvolvimento, o produtor Sean S. Cunningham ficou tão frustrado que decidiu fazer outro filme Sexta-Feira 13. Todd Farmer, que era um aspirante a escritor de Hollywood, se reuniu com Cunningham para escrever um roteiro para esta proposta de décimo filme, que eventualmente tornou-se este projeto.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens começaram em 6 de março de 2001 e terminaram em 30 de abril de 2001, em Toronto, Ontário. As filmagens ocorreram em uma base militar abandonada nos arredores de Toronto. Os efeitos especiais foram feitos por Toybox Canadá.

Música[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora foi composta e conduzida por Harry Manfredini. Foi lançado em Varèse Sarabande.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme fez R$16.951.798 dólares internamente, tornando-o o filme de menor bilheteria em segundo lugar na série. Ganhou R$3.830.243 dólares estrangeiros para uma arrecadação bruta mundial de R$16.951.798 dólares.[3]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Jason X teve recepção geralmente desfavorável por parte da crítica especializada. Com base de 23 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 25% no Metacritic. Por votos dos usuários do site, atinge uma nota de 5.1, usada para avaliar a recepção do público.[4]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Em 2005, a Black Flame, uma subsidiária da Games Workshop, começou a publicar uma série de livros de bolso com base em Jason X e dirigido para jovens adultos. Enquanto o primeiro livro adapta o filme, os seguintes apresentam novas histórias baseado no personagem na configuração estabelecida pelo filme Jason x. Os cinco livros da série são Jason X por Pat Cadigan , Jason X: The Experiment por Pat Cadigan, Jason X: Planet of the Beast por Nancy Kilpatrick, Jason X: Lua Morte por Alex Johnson e Jason X: à terceira potência por Nancy Kilpatrick.

Avatar Press produziu dois títulos de quadrinhos baseada no filme: Jason X, uma one-shot por Brian Pulido, concebida como uma sequência do filme, e Sexta-Feira 13: Jason Vs Jason X, duas mini-séries por Mike Wolfer que coloca as duas versões de Jason (original clássico Jason vs Jason Uber) uns contra os outros.

A cena em que Jason congela cabeça de Adrienne em nitrogênio líquido antes de quebrá-la em pedaços foi o tema de um episódio de MythBusters. A equipe construiu várias cabeças falsas, mergulhou-as em nitrogênio líquido e tentou esmagá-las com um braço robótico. O mito foi declarado "quebrado" depois que nenhuma das cabeças apareceu para replicar o efeito visto no filme.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • O filme já estava pronto desde 2001, só que os ataques aos EUA fizeram com que a New Line adiasse a estreia diversas vezes, empurrando-a para março de 2002. A fita acabou chegando primeiro no Brasil e em alguns países da Europa, em 2001.
  • O roteirista Todd Farmer disse que se inspirou muito em Aliens (br: Alien, O Oitavo Passageiro) para criar Jason X.
  • O nome da personagem Adrienne é uma homenagem a Adrienne King, protagonista de Sexta-Feira 13, o primeiro filme da série.
  • Esse foi o filme de sexta feira 13 que teve a menor censura em DVD de todos os seus outros antescessores: 16 anos.

Referências

  1. Bracke, Peter. Crystal Lake Memories. United Kingdom: Titan Books, October 11, 2006. p. 314. ISBN 1-84576-343-2.
  2. Bryan Cairns. An Interview with Jason X Writer Todd Farmer IGN.
  3. Box Office Mojo: Jason X
  4. Jason X (em inglês) Metacritic. Visitado em 23 de setembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]