Lenin (Quebra-gelo nuclear)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lenin (Ленин)
Lenin ancorado em Murmansk
Carreira
Proprietário Flag of the Soviet Union.svg União Soviética
Fabricante Baltic Shipbuilding, Leningrado União Soviética[1]
Homônimo Vladimir Lenin
Lançamento 1957
Comissionamento 1959
Período de serviço 1959–1989
Estado Convertido em um navio museu
Características gerais
Deslocamento 16,000 tonnes
Altura 16,1 m (100 ft)
Comprimento 134 m (0 ft)[1]
Boca 27,6 m (100 ft)[1]
Calado 10,5 m (0 ft)[1]
Propulsão Três reatores nuclear OK-150 (até 1970)
Dois reatores nuclear OK-900 (após 1970)
Quatro turbinas a vapor
Velocidade 18´nós[1]
Equipamentos especializados Heliporto
Tripulação 243

Lenin (em russo: Ленин) é um quebra-gelo nuclear soviético, atualmente descomissionado. Lançado em 1957, foi o primeiro navio nuclear e a primeira embarcação civil nuclear do mundo. O Lenin entrou em operação em 1959 e trabalhou abrindo as rotas marítimas para os navios de carga ao longo do litoral note da Rússia. A embarcação foi oficialmente descomissionada em 1989.[1] Mais tarde ele foi convertido em um navio museu e agora permanecem em Murmansk.

Propulsão[editar | editar código-fonte]

Sua última configuração (dois reatores nucleares), os reatores forneciam vapor para quatro turbinas, que eram conectadas a geradores com três conjuntos de motores elétricos que forneciam energia as suas três hélices

Acidentes nucleares[editar | editar código-fonte]

Quando lançado em 1957, o Lenin possuia três reatores OK-150

Em fevereiro de 1965, houve um acidente que levou a perda do líquido refrigerante dos reatores. Depois de ter sido desligado para reabastecimento, o líquido refrigerante foi retirado do reator número 2 antes da remoção do combustível nuclear usado. Como resultado, alguns dos elementos do combustível fundiram e deformaram o interior do reator. Isso foi descoberto quando os elementos usados foram descarregados para armazenagem e eliminação. 124 elementos de combustível (cerca de 60% do total) ficaram presos no núcleo do reator. Foi decidido que deveriam ser removidos o combustível, a grade de controle e as Hastes de controle para eliminação. Eles foram acondicionados em um barril especial, armazenado por dois anos e depois jogados na Tsivolki Bay (próximo ao arquipélago de Novaya Zemlya) em 1967.

O segundo acidente aconteceu devido a um vazamento no sistema de refrigeração em 1967, pouco após o reabastecimento. A procura pelo vazamento exigiu quebrar o concreto e o escudo biológico com o uso de marretas. Após descoberto o vazamento, ficou comprovado que os danos feitos pelos golpes de marreta eram irreparáveis e então foram removidos os três reatores e substituídos por dois reatores OK-900. O serviço foi finalizado em 1970.[2]

Selo postal com o quebra-gelos "Lenin"

Descomissionamento[editar | editar código-fonte]

Lenin foi descomissionado em 1989 devido o desgaste do casco junto a fricção do gelo. Ele foi ancorado em Atomflot, uma base para quebra-gelos nucleares em Murmansk e de acordo com o Pravda foi reparado e sua conversão em um navio museu foi terminada em 2005.

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lenin (Quebra-gelo nuclear)
  1. a b c d e f Paine, Lincoln P. Ships of the World. [S.l.]: Houghton-Mifflin, 1997. 298 pp. ISBN 0-395-71556-3
  2. Nuclear icebreaker Lenin Russian nuclear icebreaker fleet www.bellona.org. Visitado em 2013-03-07.