Rosa Maria Weber

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rosa Maria Weber Candiota da Rosa
Rosa Maria Weber Candiota da Rosa
Ministra do Supremo Tribunal Federal do  Brasil
Mandato: 19 de dezembro de 2011
até atualidade
Nomeado por: Dilma Rousseff
Precedido por: Ellen Gracie
Ministra do Tribunal Superior do Trabalho do  Brasil
Mandato: De 21 de fevereiro de 2006
até 19 de dezembro de 2011
Nomeado por: Luiz Inácio Lula da Silva
Nascimento: 2 de outubro de 1948 (66 anos)
Porto Alegre, (RS)
Cônjuge: Telmo Candiota da Rosa Filho
Alma mater: Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rosa Maria Weber Candiota da Rosa (Porto Alegre, 2 de outubro de 1948) é uma jurista brasileira, inicialmente juíza do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª região, depois juíza do Tribunal Superior do Trabalho indicada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e atualmente ministra do Supremo Tribunal Federal indicada pela Presidente Dilma Rousseff.

Casada com Telmo Candiota da Rosa Filho, com quem teve dois filhos, graduou-se em Direito na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1971. Foi professora na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul entre 1989 e 1990.[1]

Magistratura[editar | editar código-fonte]

TST[editar | editar código-fonte]

Ingressou na magistratura em 1976 por concurso para Juiz do Trabalho Substituto do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª região.[1] Ocupou diversos cargos administrativos até alcançar a presidência deste tribunal, exercida entre 2001 e 2003.[1]

Em 2005 foi indicada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ocupar vaga de ministra do Tribunal Superior do Trabalho, em mensagem ao Senado Federal feita pela Casa Civil, na época ocupada pela ministra-chefe Dilma Rousseff.[1] Após sabatina, seu nome foi aprovado no plenário do Senado por 44 votos a favor contra 7.[2] Foi empossada no TST em 21 de fevereiro de 2006.

STF[editar | editar código-fonte]

Em 8 de novembro de 2011 foi indicada formalmente[3] pela presidente Dilma Rousseff para a vaga deixada por Ellen Gracie no Supremo Tribunal Federal.[4]

Após sabatina na Comissão de Constituição e Justiça, teve seu nome aprovado por 19 votos favoráveis e 3 contrários.[5] Em 13 de dezembro o plenário do Senado ratificou a aprovação por 57 votos favoráveis, 14 contrários e uma abstenção.[6] Durante esta votação, dois senadores se manifestaram contra sua indicação, Demóstenes Torres (que acabou sendo cassado do Senado em 11 de julho de 2012) e Pedro Taques. Afirmaram que Rosa Weber não demonstrou ter a exigência constitucional de "notório saber jurídico" durante a sabatina.[7]

Empossada na manhã de 19 de dezembro de 2011,[8] é a terceira mulher a integrar a Suprema Corte, tendo sido as primeiras Ellen Gracie, a quem Rosa Maria substituiu, e Carmen Lúcia, que ainda exerce mandato.

Referências

Precedido por
Ellen Gracie
Ministro do Supremo Tribunal Federal
19 de dezembro de 2011atualidade
Sucedido por