Tattoo You

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tattoo You
Álbum de estúdio de The Rolling Stones
Lançamento 30 de agosto de 1981[1]
Gravação 1979
Gênero(s) Rock And Roll, Blues Rock
Duração 44:19[1]
Idioma(s) inglês
Gravadora(s) Rolling Stones/Virgin
Produção The Glimmer Twins
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de The Rolling Stones
Último
Último
Emotional Rescue
(1980)
Undercover
(1983)
Próximo
Próximo

Tattoo You é o décimo sexto álbum de estúdio da banda britânica de rock The Rolling Stones, lançado a 30 de agosto de 1981. Foi o último da sequência de álbuns iniciada com Some Girls em 1978, e prosseguida com Emotional Rescue de 1980, que levou o grupo de volta ao auge no mundo da música.

O álbum é majoritariamente composto por sobras de estúdio gravados durante a Década de 1970, e contém uma das mais conhecidas canções da banda, "Start Me Up", a qual atingiu o segundo lugar nas paradas de singles da Billboard.

O álbum provou ser um sucesso comercial e de crítica após o lançamento, alcançando o topo das paradas da Billboard, vendendo mais de quatro milhões de cópias nos Estados Unidos. Foi também o último álbum dos Rolling Stones a alcançar a primeira posição das paradas dos EUA até o momento, concluindo assim a seqüência iniciada em 1971 com Sticky Fingers, na qual todos os álbuns de estúdio não-coletâneas lançados pela banda atingiram a primeira posição de vendas nos EUA.

O título do álbum foi originalmente planejado para se chamar simplesmente "Tattoo". Jagger afirma até hoje que não tem idéia de como o "You" foi incluído no título. Essa mudança causou atrito entre ele e Richards, pois Keith suspeitava que Mick tinha mudado o título sem consultá-lo.

Origem[editar | editar código-fonte]

Tattoo You é um álbum composto principalmente de sobras de sessões de gravação anteriores, preteridas nas seleções para montagem dos repertórios dos álbuns anteriores. Alguns takes datavam já de praticamente uma década e receberam vocais e overdubs. Apenas duas novas músicas - Neighbours e Heaven - foram compostas e gravadas, a fim de, juntos com esta coleção, ter um novo álbum para promover em todo o mundo por sua American Tour 1981 / European Tour 1982 , as quais começariam em setembro.

O Guitarrista Keith Richards comentou em 1993: "A coisa com Tattoo You não era que tínhamos parado de escrever coisas novas, era uma questão de tempo. Nós concordamos que estávamos pegando a estrada e queríamos viajar apenas depois de gravar. Não houve tempo para fazer um álbum completamente novo e fazer o início da turnê "

Produção[editar | editar código-fonte]

O produtor do álbum, Chris Kimsey, disse sobre Tattoo You: "... surgiu porque Jagger e Keith estavam passando por um período sem tempo. Havia uma necessidade de ter um álbum, e eu disse a todos que eu poderia fazer um álbum, que eu sabia o material que ainda estava lá." Kimsey começou a peneirar o material da banda:. "Passei três meses passando pelo material excedente dos últimos quatro, cinco álbuns, até encontrar material que tinha sido ou esquecido ou rejeitado. E então eu apresentei para a banda e disse, ' Ei, olha caras, vocês têm todo esse material parado e é um grande material, façam alguma coisa com ele. "

Muitas das canções consistiam em faixas instrumentais em que os vocais não haviam sido gravados. Jagger disse em uma entrevista de 1995 que: "Nem tudo eram sobras, algumas eram velhas canções ... Eu tive que escrever letras e melodias. Muitas delas não tinham nada, e é por isso que não foram utilizadas no momento - porque não estavam completas. Elas eram apenas pedaços, ou eram gravações antigas." Apesar da natureza eclética do álbum, os Rolling Stones foram capazes de dividir Tattoo You em duas metades distintas: a do rock and roll e as baladas.

As primeiras canções escolhidas para Tattoo You foram "Tops" e "Waiting on a Friend". As faixas instrumentais de ambas as canções foram gravadas e cortadas no final de 1972, durante as sessões de Goats Head Soap e apresentam Mick Taylor e não Ronnie Wood, na guitarra; Taylor depois exigiu e recebeu uma parte dos royalties do álbum.

O álbum abre com "Start Me Up". Foi originalmente ensaiada sob influência reggae, com o título de trabalho "Never Stop",ainda em 1975, durante as sessões de Black and Blue. O balanço dela foi registrado durante essas sessões , mas foi durante as sessões de 1978 para Some Girls, onde a levada mais rock foi infundida. Também data destas sessões as gravações básicas para "Slave" e "Worried About You". Elas apresentam Billy Preston nos teclados e Ollie E. Brown na percussão. Wayne Perkins toca guitarra em "Worried About You".

"Hang Fire" e "Black Limousine" também foram trabalhadas durante as sessões de 1978 no Pathe Marconi, Paris, para Some Girls.

As faixas básicas de "No Use in Crying", "Little T & A", "Start Me Up", e as regravações de "Black Limousine" e "Hang Fire" vieram das sessões de Emotional Rescue, tendo ficado de fora do álbum.

"Neighbours" e "Heaven" foram gravadas durante sessões em outubro e novembro de 1980, após o lançamento deEmotional Rescue. "Heaven" teve para sua gravação uma formação fora do comum, consistindo de apenas Charlie Watts na bateria, Bill Wyman no sintetizador e baixo, Mick Jagger na guitarra, e o produtor Chris Kimsey no piano .

Muitas das partes vocais para as músicas de Tattoo You foram gravadas durante as sessões em Outubro e Novembro de 1980 e Abril a Junho de 1981, sendo que as partes de saxofone em "Slave" e "Waiting on a Friend", também foram adicionados durante elas. Mick Jagger foi o único membro da banda presente em algumas dessas sessões. A maior parte do álbum foi mixado neste momento também.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O single de "Start Me Up" foi lançado em agosto de 1981, apenas uma semana antes do álbum Tattoo You, tendo uma resposta muito forte, alcançando o top 10 nos Estados Unidos e Reino Unido, e número 1 na Austrália. Amplamente considerado uma de suas canções mais clássicas e contagiantes , foi o suficiente para levar Tattoo You para o 1º lugar entre os álbuns mais vendidos nos Estados Unidos por nove semanas, enquanto alcançava # 2 no Reino Unido, com vendas sólidas. Foi disco de platina 4x nos Estados Unidos. "Waiting on a Friend" e "Hang Fire" tornaram-se Top 20 hits dos EUA também.

Outra demonstração do sucesso instantâneo de Start Me Up foi o fato de que, pouco tempo após ser lançada e divulgada entre os fãs, a música já era tão adorada que passou a ser a penúltima a ser executada nos shows ainda naquela turnê - a canção que fechava os shows ainda era (I Can't Get No) Satisfaction.

A reação da crítica foi positiva, com muitos conceituando Tattoo You como uma melhoria sobre Emotional Rescue, ou uma versão de mais alta qualidade. Irônico, sabendo que o álbum foi montado com pouca participação e atenção dos Stones, a partir de sobras e takes menosprezados, principalmente sobras do próprio Emotional Rescue.

"Start Me Up" viria a ser último single dos Rolling Stones a chegar, até o momento, tão alto quanto # 2 nos EUA, enquanto Tattoo You foi o último álbum da banda a alcançar o N º 1 de vendas nos EUA, até essa data.

Em 1994,Tattoo You foi remasterizado e reeditado por Virgin Records, e ganhou nova re-edição em 2009 pela Universal Music, sendo ainda lançado em SHM-SACD em 2011 pela Universal Music do Japão.


Stones entram na era dos Clipes musicais[editar | editar código-fonte]

Apesar de haver clips para algumas de suas músicas anteriores, como Simpathy For The Devil e Respectable por exemplo, foi só a partir do surgimento da MTV em 1981, que os clipes musicais para apresentação das músicas, passaram a ser praticamente obrigatórios para qualquer canção que objetivasse ser um Hit.

Foram produzidos vários clips dirigidos por Michael Lindsay-Hogg para este álbum, incluindo "Start Me Up", "Hang Fire" e "Worried About You". O clip de "Neighbours" foi uma homenagem ao clássico filme de Hitchcock Janela Indiscreta, apresentando a banda tocando em um apartamento de um prédio de apartamentos com vários acontecimentos vistos em janelas da outros apartamentos: um casal da classe trabalhadora relaxando e fazendo amor, um praticante de Tai Chi Chuan, e mais notoriamente, um homem colocando partes sangrentas de um corpo em uma mala. Este vídeo foi fortemente censurado quando apresentado na televisão.

Há ainda o clip de "Waiting on a Friend" no qual Jagger aparece sentado na frente da mesma casa usada na capa de Physical Graffiti do Led Zeppelin, e que conta com a participação de Peter Tosh.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica pelos Stones[editar | editar código-fonte]

Na entrevista à revista Rolling Stone em 1995, durante a qual editor Jann Wenner classificou Tattoo You dos Stones como seu "álbum mais subestimado", Jagger disse: "Eu acho que ele é excelente. Mas todas as coisas que eu normalmente gosto, ele não têm. Ele não tem qualquer unidade de propósito ou lugar ou tempo."

Reação crítica[editar | editar código-fonte]

As opiniões sobre Tattoo You foram geralmente bastante positivas, proclamando o álbum como um retorno à velha boa forma e classificado entre os melhores trabalhos do Rolling Stones. Debra Rae Cohen comentou na revista Rolling Stone: "Quando poderíamos finalmente ter perdido a paciência, o novo trabalho dança (e não se pavoneia), sacode (não acalma) a cena, e os Rolling Stones estão de volta outra vez, com uma matéria-de-fato que mostra que eles continuam existindo - assim como sua eventual mortalidade ... "

Apesar de Robert Christgau ter dado ao álbum uma boa revisão, criticou, no entanto, "Start Me Up" em seu ensaio em 1981: "... o seu conceito central - Mick, como máquina sexual, completo com um botão de ligar - explica por que quando botamos pra funcionar (starts up) o álbum, ele não transcende a excelência de sua manufatura, exceto quando Sonny Rollins, que não foi creditado, invade o espaço dos Stones. Embora ele seja tão bom em seu estilo quanto "Street Fighting Man", o quanto voce valoriza ele depende do quanto voce valoriza as dificuldades técnicas vividas pelos Stones.

Reconhecimentos e premiações[editar | editar código-fonte]

Em 1989, a revista Rolling Stone classificou o álbum na posição 34 na lista dos 100 melhores álbuns da década de 1980. A mesma revista, em 2003, classificou-o na posição número 211 na lista da revista As 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos

A capa do álbum foi desenhada pelo artista Peter Corriston, que ganhou um Grammy na categoria de Melhor embalagem de álbum pelo projeto. A fotografia foi feita por Hubert Kretzschmar e a ilustração por Christian Piper.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas por Mick Jagger e Keith Richards, exceto onde anotado.

Lado 1[editar | editar código-fonte]

  1. "Start Me Up" – 3:31
  2. "Hang Fire" – 2:20
  3. "Slave" – 4:59
  4. "Little T&A" – 3:23
  5. "Black Limousine" (Mick Jagger/Keith Richards/Ronnie Wood) – 3:31
  6. "Neighbours" – 3:31

Lado 2[editar | editar código-fonte]

  1. "Worried About You" – 5:16
  2. "Tops" – 3:45
  3. "Heaven" – 4:21
  4. "No Use in Crying" (Mick Jagger/Keith Richards/Ronnie Wood) – 3:24
  5. "Waiting on a Friend" – 4:34

Paradas[editar | editar código-fonte]

Ano Parada Posição[6]
1981 Billboard 200 1

Créditos[editar | editar código-fonte]

  • Mick Jagger – Vocal, vocal de apoio, guitarra elétrica em "Heaven", harmónica em "Black Limousine"
  • Keith Richards – Guitarra elétrica, vocal de apoio, vocal em "Little T&A", baixo
  • Charlie Watts – Bateria
  • Ronnie Wood – Guitarra elétrica, vocal de apoio
  • Bill Wyman – Baixo, guitarra elétrica, sintetizador em "Heaven"

Referências

  1. a b Lançamento e género Allmusic. Visitado em 5 de abril de 2010.
  2. Blender Review
  3. Allmusic Review
  4. Rolling Stone Review
  5. Robert Christgau Review
  6. Paradas - Álbum Allmusic. Visitado em 5 de abril de 2010.