Aeroporto Internacional de Maceió

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aeroporto Internacional de Maceió[1]
Aeroporto
Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares[1]
IATA: MCZ - ICAO: SBMO
Características
Tipo Público
Administração Aena Internacional[2]
Serve Região Metropolitana de Maceió
Localização Rio Largo, AL, Brasil[1]
Inauguração 15 de setembro de 2005 (14 anos)
Coordenadas 9° 31' 02" S 35° 47' 01" O
Altitude 118 m (387 ft)
Movimento de 2018
Passageiros 2 179 230 passageiros
Carga 203 458 Kg (2017)
Aéreo 18 548 aeronaves
Capacidade anual 5 300 000 passageiros
Website oficial Página oficial
Mapa
SBMO está localizado em: Brasil
SBMO
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
12 / 30 2 602  m (8 537 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1][3] e da ANAC[4]

O Aeroporto Internacional de Maceió - Zumbi dos Palmares (IATA: MCZICAO: SBMO) é um aeroporto internacional no município de Rio Largo, em Alagoas, a 22 km do centro de Maceió. É o quinto aeroporto mais movimentado da Região Nordeste e também quinto aeroporto da região no que se refere ao tamanho do terminal de passageiros, atrás dos aeroportos de Salvador, Natal, Recife e Fortaleza. Sua pista de 2.200m foi reformada, com a nova pista de 2.602m[1] tendo sido inaugurada em 16 de setembro de 2005, assim como um novo terminal de passageiros. Este terminal (22.000 m²) segue a tendência contemporânea de assemelhar os terminais aeroportuários a shopping centers. Possui quatro pontes de embarque com acesso direto às aeronaves (fingers), sendo duas com capacidade para acoplagem de grandes aeronaves (inclusive as de categoria NLA - New Large Aircraft) e o novo sistema de pátio das aeronaves pode receber, simultaneamente, até 19 aviões de grande porte.

O aeroporto conta com 24 balcões de check-in, 7 escadas rolantes, quase 600 vagas de estacionamento e 67 áreas para atividades comerciais.

É o primeiro Aeroporto do Brasil projetado com a tecnologia de eficiência energética de Cogeração. Em sua Central de Água Gelada existem 2 grupos geradores movidos a gás natural, que fornecem energia elétrica para todo o aeroporto. Através do processo da co-geração, a água quente, utilizada para o arrefecimento dos geradores, assim como seus gases exaustos, são re-aproveitados, gerando água gelada por meio de um Chiller de Absorção.

História[editar | editar código-fonte]

A Lagoa do Norte, em Maceió, foi o primeiro aeroporto marítimo da cidade. Ali pousaram os hidroaviões da Pan American Airways, da Panair do Brasil S.A. e do Sindicato Condor Ltda. Este era um dos melhores planos d’água do litoral de Alagoas, por sua extensão, condições naturais e meteorológicas.

Para atender às necessidades do avião DC3, então empregado pelas empresas nacionais, foi construído o primeiro campo de pouso de Maceió.

O Decreto Estadual 1.209 de 30 de junho de 1927 concedeu uma área de 100 hectares de terras devolutas, no Tabuleiro do Pinto, à Societé Franco Sud Americaine de Travang Publics para a construção de um campo de pouso para aeronaves, com a inauguração prevista para janeiro de 1929.

Antes mesmo da conclusão de seu campo de pouso, a Compagnie Générale Aeropostale, sucessora da Latéssère, começou o serviço de aeropostal nacional e internacional, este último com o Uruguai e a Argentina.

A inauguração da Aeropostale ocorreu em 14 de outubro de 1928, com capacidade para seis aeronaves. Contava com estação de rádio, oficina mecânica, além de outras dependências com o nome de Costa Rêgo, em homenagem ao governador alagoano.

O Aeroporto de Maceió já foi chamado Campo dos Palmares em homenagem ao mais famoso dos quilombos, o Quilombo de Palmares, situado na Serra da Barriga, em Alagoas, onde negros escravos fugidos dos engenhos organizavam-se em grupos de resistência às investidas de senhores portugueses. A denominação atual (Lei 9.911, de 15 de dezembro de 1999), é em referência ao considerado "herói" dos Quilombos, por alguns grupos de cunho racial, Zumbi dos Palmares.

Atualmente, com o crescimento da atividade turística no Estado de Alagoas, o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares vem apresentando forte tendência de crescimento, não só no número de passageiros, mas também no número de pousos e decolagens. Especialmente nos fins de semana, o "Zumbi dos Palmares" chega a receber voos sem escalas de 15 destinos domésticos e internacionais.

Concessão à iniciativa privada[editar | editar código-fonte]

Em 15 março de 2019, foi concedido para a empresa espanhola Aena Internacional juntamente com outros cinco aeroportos da região por 30 anos.[2] Os investimentos estimados no Zumbi dos Palmares é de de R$ 411 milhões.

Números do aeroporto[editar | editar código-fonte]

Números

  • Área total do sítio aeroportuário: 4.873.714,14 m²
  • Área total do TPS-1: 22.000 m2
  • Pista principal: 2.602m x 45m Taxiway paralela: 2.720m x 45m
  • Pátio de aeronaves: 19 posições (sendo 4 em pontes de embarque com acesso direto do terminal)
  • Estacionamento: 583 vagas

Acesso - transporte público[editar | editar código-fonte]

Acesso

O acesso ao terminal de passageiros por intermédio do transporte público é feito pela empresa de transporte intermunicipal Veleiro que faz a linha Aeroporto - Ponta Verde, via Farol e Aeroporto - Rodoviária pela Via Expressa. A tarifa do transporte varia entre R$4,50 e R$4,75 a depender de até que local o transporte será utilizado. O tempo de espera de cada uma das linhas pode chegar a 45 minutos, sendo, portanto, bastante deficiente.

O itinerário da linha Aeroporto - Ponta Verde é: 1. BR 104, sentido Universidade Federal de Alagoas; 2. Polícia Rodoviária Federal; 3. Av. Durval de Góes Monteiro; 4. Av. Fernandes Lima; 5. Praça do Centenário; 6.Poço/Jaraguá; 7. R. Jangadeiros Alagoanos (Pajuçara); 8. Av. Álvaro Otacílio (Ponta Verde); 9. Jatiúca; 10. Shopping Iguatemi; 11. Poço; 12. Av. Fernandes Lima; 13. Av. Durval de Góes Monteiro; 13. BR 104; 15. Aeroporto.

O itinerário da linha Aeroporto - Rodoviária é: Conjunto Cruzeiro do Sul (Rio Largo) 2. BR 104, sentido Universidade Federal de Alagoas; 3. Polícia Rodoviária Federal; 4. Via Expressa; 5. Shopping Pátio; 6. Serraria e Barro Duro (Av. Menino Marcelo); 7. Feitosa; 8. Rodoviária. Para o retorno, o caminho inverso.

*A linha Rio Largo - Centro (via Gustavo Paiva) também acessa o terminal de passageiros do Aeroporto.

Para mais informações, ligue para: (82) 3354-2043

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

12 de julho de 1951: a Lóide Aéreo Nacional Douglas DC-3/C-47 registro PP-GLP, ainda registado sob o LAP , voando a partir de Maceió para Aracaju , depois de abortar uma aterragem em condições adversas em Aracaju sobrevoou a pista e iniciou uma volta em baixa altitude para a direita. A aeronave caiu durante este turno. Todos os 33 passageiros e tripulantes morreram. [ 5 ]

26 de julho de 2007: Um avião modelo Piper Seneca II, prefixo PT-REX, da Empresa Omar Cayan Táxi Aéreo, e pilotado pelo próprio Omar Cayan, que fazia transporte de malotes bancários para a Febraban, de Recife para Maceió, se chocou contra dois cabos da subestação da Chesf, em Rio Largo. O bimotor estava sublocado para a empresa Tok Táxi Aéro, caiu por volta das 07:00 horas, com uma vítima fatal.[5]

19 de Julho de 2012: Um Embraer 195 da Empresa Aérea AZUL cumprindo o voo 4101 procedente de Campinas, com escala em Aracaju, teve um pequeno incêndio em uma das turbinas por conta de um vazamento de óleo no motor e o mesmo realiza um pouso em Segurança no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. Não houve feridos. Horas depois a Aeronave retornou a Campinas.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Movimento de passageiros [6]
Ano Movimento (Passageiros) %
2004 656.104 + 22,3%
2005 765.582 + 16,6%
2006 870.993 + 13,7%
2007 937.305 + 7,6%
2008 957.741 + 2,1%
2009 1.115.686 + 16,4%
2010 1.425.340 +27%
2011 1.543.149 +8,3%
2012 1.711.820 + 10,93%
2013 1.893.488 + 13%
2014 1.891.444 - 1,5%
2015 1.982.393 + 1.572%
2016 1.995.069 + 0,6%
2017 2.068.245 + 3,63%
2018 2.155.946* +7%

*2018 - Dados ANAC

Maiores rotas domésticas saindo de Maceió (Dados defasados - 2009)[7]
Rank Cidade Passageiros Companhias*
1 São Paulo São Paulo, SP (GRU) 214.791 GOL, LATAM, AVIANCA
2 Bahia Salvador, BA 125.466 AZUL, GOL, LATAM, AVIANCA
3 Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF 69.345 GOL, LATAM, AVIANCA
3 Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ (GIG) 65.968 GOL, TAM , AZUL
4 São Paulo Campinas, SP 25.657 Azul, GOL, Passaredo
5 Sergipe Aracaju, SE 13.840 AZUL, GOL, LATAM
6 Minas Gerais Belo Horizonte, MG 9.307 AZUL
7 São Paulo São Paulo, SP (CGH) 7.543 GOL
8 Pernambuco Recife, PE 6.744 AZUL
9 Rio Grande do Sul Porto Alegre, RS 2.561 AZUL
10 São Paulo Ribeirão Preto, SP 1.484 Passaredo, AZUL

* Companhias com voos regulares

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «ZUMBI DOS PALMARES (SBMO)». Departamento de Controle do Espaço Aéreo - DECEA. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  2. a b «Aena adquiere el grupo aeroportuario del Nordeste de Brasil» (em espanhol). www.aena.es. 15 de março de 2019. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  3. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2016 
  4. «Dados Estatísticos» (XLSB). Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Consultado em 2 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2016 
  5. Avião bate e cai na subestação da Chesf em Rio Largo - Alagoas 24 Horas: Líder em Notícias On-line de Alagoas
  6. «Movimento dos aeroportos brasileiros». Arquivado do original em 10 de junho de 2010 
  7. «Anuário do Transporte Aéreo 2009». Arquivado do original em 31 de agosto de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional de Maceió
Ícone de esboço Este artigo sobre um aeroporto, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.