Aeroporto Internacional de Fortaleza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde maio de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fortaleza
Aeroporto
Aeroporto Internacional Pinto Martins
IATA: FOR - ICAO: SBFZ
Características
Tipo Público / Militar
Administração Fraport AG
Serve Região Metropolitana de Fortaleza
Localização Fortaleza, CE Brasil Brasil
Inauguração 1966 (51 anos)
Coordenadas 3° 46' 33" S 38° 31' 56" O
Altitude 25 m (82 ft)
Passageiros 5.706.489 passageiros (2016)
Carga 25 750 735 Kg
Aéreo 24 930 decolagens
Capacidade anual 6 200 000 passageiros[1]
Mapa
SBFZ está localizado em: Brasil
SBFZ
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície

1

13 / 31 2 545 m (8 350 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[2] e da ANAC[3]

O Aeroporto Internacional de Fortaleza - Pinto Martins (IATA: FORICAO: SBFZ) é um aeroporto internacional no município de Fortaleza, no Ceará. É o principal aeroporto do estado do Ceará. É internacionalmente considerado pequeno tanto em área quanto em movimento. De acordo com a lista dos mais movimentados aeroportos do Brasil, está no décimo segundo lugar do país, além de ser o terceiro da região Nordeste em passageiros domésticos e internacionais. Está localizado a 11 km do centro de Fortaleza.

O aeroporto teve suas origens na pista do Alto da Balança, construída na década de 1930 e utilizada até 2000 pelo Aeroclube do Ceará. Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu de base aérea de apoio às Forças Aliadas, época em que foi construída a segunda pista de pousos e decolagens (Base do Cocorote)[4], a atual pista de uso do Aeroporto de Fortaleza. A segunda pista do Alto da Balança foi ampliada de 1.500 m para 2.545 m em 1963. O primeiro terminal de passageiros e o pátio de aeronaves foram construídos em 1966. A administração do Aeroporto foi transferida à INFRAERO – Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária, em 7 de janeiro de 1974 (Portaria nº 120/GM5, de 3 de dezembro de 1973), quando deu início a uma série de obras de ampliação do complexo aeroportuário, entre elas a do pátio e a do terminal de passageiros.

Em 13 de maio de 1952, o aeroporto ganhou o nome de Pinto Martins, em homenagem ao cearense Euclides Pinto Martins que realizou o primeiro voo sobre o Oceano Atlântico entre Nova Iorque e o Rio de Janeiro, no início da década de 1920, a bordo do hidroavião Sampaio Correia.

Através de uma parceria entre a Infraero, governo federal e governo estadual, foi-se construído o terminal de passageiros com 35.000 metros quadrados na área sul, inaugurado em fevereiro de 1998, pelo governador Tasso Jereissati, cuja capacidade é 3.8 milhões de passageiros ao ano, 14 posições de estacionamento de aeronaves e com sistemas de automação, sendo classificado como Internacional em 1997 (Portaria 393 GM5, de 9 de junho de 1997). Foi leiloado em 16 de Março de 2017 ao consórcio Fraport AG de Frankfurt, Alemanha por R$ 425 milhões para uso por 30 anos. Dentre o estabelecido no contrato está a reforma do atual terminal e término da obra adjunta, abandonada pela Infraero, bem como aumento da única pista. De Junho de 2017 até 2018 ambas empresas administram todo o aeroporto. Em 2018 100 % fica à empresa subsidiada no Brasil.

O antigo terminal de passageiros do aeroporto de Fortaleza funciona como Terminal de Aviação Geral (TAG), onde opera a aviação de pequeno porte geral, executiva e táxi aéreo.

Desde 2009 são 7 aviões abandonados, entre eles B727, B737 da TAF Linhas Aéreas, um Piper e um EMB110 Bandeirante da Funceme com esses Registros: PT-WTH, PT-MTA, PT-MTC, PT-MTF, PT-SCY, PR-MTD & PR-MTH.

O aeroporto é um ímã constante de pessoas observando como entusiastas o movimento das aeronaves, formando grupos e organizações como SBFZ Spotting.

Latam Airlines Group

Em 2015, a Latam, fusão da brasileira TAM com a chilena Lan, anunciou o aeroporto de Fortaleza, como um dos candidatos ao seu novo hub regional, concorrendo com os aeroportos de Recife e Natal pelo investimento. O anúncio da cidade escolhida deveria ter ocorrido no final de 2015, mas depois de adiados por várias vezes, segue com prazo indefinido. Segundo a empresa, a queda da demanda causada pela crise financeira, inviabilizou a implantação do hub conforme inicialmente previsto. Em março de 2017, a Latam informou a retomada dos estudos de viabilidade para implantação do hub, mas sem definir uma data para conclusão.

Air France-KLM / GOL

Em Junho de 2017 o Grupo Air France-KLM iniciou estudos para, em parceria com o GOL, escolher um aeroporto da região Nordeste para concentrar dois voos internacionais, até então, com destino a Paris e Amsterdã. Executivos da empresa visitaram os aeroportos do Fortaleza, Recife e Salvador, numa clara indicação que essas são as concorrentes a sediar os voos. Apesar de não representar um novo hub, dado o pequeno número de voos, o impacto estimado é alto, visto que a GOL irá incrementar a conectividade da cidade escolhida com a inclusão de novos voos e frequências. A expectativa é que os voos para Paris sejam iniciados a partir de setembro de 2017, enquanto que os voos para Amsterdã iniciem em abril de 2018.

Terminal de logística de carga[editar | editar código-fonte]

Existe um Terminal de Logística de Cargas (Teca) com foco nas operações de importação e exportação e demandou investimentos de cerca de R$ 39 milhões da Infraero. O prédio tem aproximadamente nove mil metros quadrados de área construída e capacidade de armazenamento para até cinco mil toneladas, entre cargas domésticas e internacionais. O pátio de manobras tem capacidade para até nove aeronaves estacionadas.

Em 2011, o aeroporto movimentou mais de 50 mil toneladas de carga aérea, de acordo com a Infraero. Dentre os principais produtos, destacam-se a importação de peças para reposição de máquinas, tecidos, malhas, ligas de aço, bobinas, molas, conversores eletrônicos e motores hidráulicos. A maior parte da carga veio dos Estados Unidos, China, Suíça, Itália e Alemanha. No setor de exportação, os produtos mais relevantes foram couros, flores, frutas, redes, peixes ornamentais e calçados, que seguiram com destino aos Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, Portugal, França, China e Japão.

Torre de controle[editar | editar código-fonte]

A Torre de Controle teve um investimento de aproximadamente R$ 23 milhões iniciada em março de 2005, possuindo 40m de altura – a antiga possuía 18m – para segurança às operações de pouso e decolagem. Entre os equipamentos que funcionam, está o Star 2000, radar que auxilia nos procedimento das aeronaves, e apoio ao radar LP-23, que monitora o espaço aéreo da região.

Pista[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Fortaleza possui uma única pista principal (13/31), medindo 2.545 x 45 metros com mais 7,5 metros de acostamento de cada lado para uso comercial, com pavimento asfáltico e equipada com balizamento luminoso para operações noturnas. Uma antiga pista pequena se encontra ainda na base aérea, porém sem uso de pousos e decolagens, na áérea norte.

Pátios de estacionamento[editar | editar código-fonte]

  • TPS (Terminal de Passageiros): possui 14 posições (metade em pontes) para aeronaves de pequeno e médio porte, sendo eventualmente possível docar um Boeing 747). Tem 22 equipamentos para abastecimento de querosene, 14 torres de iluminação e vias internas de serviço.
  • TAG (Terminal de Aviação Geral): possui 07 hangares, 29 posições de estacionamento de aeronaves de pequeno porte, 3 pontos de estacionamento de helicópteros e vias de serviço.

Números e serviços[editar | editar código-fonte]

  • Área total do sítio aeroportuário: 1.218.799,30 m²;
  • Área total do TPS: 38.500m², constando de quatro pavimentos (subsolo, térreo, primeiro andar e terraço panorâmico);
  • Desembarque doméstico: 800m²;
  • Desembarque internacional: 400m²;
  • Área do TAG: 8.279,68 m², constando de dois pavimentos (térreo e 1 andar);
  • Estacionamento: 900 vagas;
  • Esteiras de bagagem e despacho:
  • 08 escadas-rolantes;
  • 10 elevadores;
  • Serviços de informações turísticas;
  • Agências de turismo;
  • Táxis (comum e especial);
  • Locadoras de veículos;
  • Ônibus (urbano, executivo e para embarque/desembarque remotos);
  • Praça de alimentação;
  • Free-shop;
  • Posto de primeiros socorros;
  • Sala VIP;
  • Aeroshop com 40 lojas.

Frequências[editar | editar código-fonte]

Obs.: As informações abaixo possuem caráter meramente informativo. Sempre verifique as informações em publicações oficiais[5] antes de utilizá-las em voos reais.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Rádio-navegação[editar | editar código-fonte]

  • ILS pista 13 (IFZ): 109.3 mHz
  • VOR/DME (FLZ): 114.1 mHz 03° 46' 20"S/038° 31' 39"W (MAPA)
  • NDB (FLZ) 260 kHz 03° 46' 11"S/038° 31" 39"W (MAPA)[5][6]
  • NDB (PCI) 210 kHz 03° 45' 06"S/038° 37' 30"W (MAPA)

Companhias Aéreas e Destinos[editar | editar código-fonte]

Destinos Nacionais[editar | editar código-fonte]

Companhias Aéreas Destinos Aeronave
Brasil Avianca Brasil Brasília, Juazeiro do Norte, Rio de Janeiro-Galeão, São Paulo-Congonhas, São Paulo-Guarulhos, Salvador. Airbus A318, Airbus A319, Airbus A320
Brasil Azul Linhas Aéreas Brasileiras Belém (Inicia em 10/12/17), Belo Horizonte, Campinas, Manaus, Recife, São Luís, Teresina. ATR-72, Airbus A320neo, Embraer 190, Embraer 195
Brasil Gol Linhas Aéreas Inteligentes Belém, Brasília, Recife, Rio de Janeiro-Galeão, Salvador, São Paulo-Congonhas, São Paulo-Guarulhos. Boeing 737-700, Boeing 737-800
Brasil LATAM Airlines Brasil Belém, Belo Horizonte, Brasília, Natal, Recife, Rio de Janeiro-Galeão, Salvador, São Luís, São Paulo-Guarulhos, Teresina, Manaus. Airbus A319, Airbus A320, Airbus A321 e Boeing 767-300ER

Destinos Internacionais[editar | editar código-fonte]

Companhias aéreas Destinos[7] Aeronaves Quantidade Semanal
Brasil Avianca Brasil Bogotá Airbus A319 1
Brasil Azul Linhas Aéreas Brasileiras Caiena Embraer 195 1
Alemanha Condor Frankfurt am Main Boeing 767-300ER 1
Brasil Gol Linhas Aéreas Buenos Aires-Ezeiza Boeing 737-800 1
Países com atuação da LATAM Airlines LATAM Airlines Brasil Miami Boeing 767-300ER 1
Itália Meridiana Milão-Malpensa Boeing 767-300ER, Boeing 767-200ER 1
Cabo Verde TACV Praia Boeing 757-200 1
Portugal TAP Portugal Lisboa-Portela Airbus A330-200 Airbus A330-300 A340-300 7

Destinos Cargueiros[editar | editar código-fonte]

Companhias Aéreas Destinos Aeronave
Brasil ABSA Cargo Cidade do Panamá, Guayaquil, Manaus, Medellín, Miami, Quito, Recife e São Paulo Boeing 767-300F
Brasil Total Cargo Aeroporto Internacional Tancredo Neves, Manaus, Salvador e São Paulo Boeing 727-200F
Brasil Colt Cargo Brasília, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, São Paulo, Salvador Boeing 737-400F
Brasil Sideral Air Cargo São Paulo Boeing 737-400F

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Internacional Pinto Martins
Ano Total de Passageiros  % diferença Movimento de aeronaves  % diferença Passageiros Internacionais Rank Brasil
2003[8] 1.868.699 Estável 36.486 Estável 156.366 11
2004[9] 2.317.869 Aumento 24.0% 39.618 Aumento 8.5% 252.895 11
2005[10] 2.774.240 Aumento 19.6% 42.537 Aumento 7.3% 249.634 11
2006[11] 3.282.979 Aumento 18.3% 46.567 Aumento 9.4% 268.281 11
2007[12] 3.614.439 Aumento 10.0% 47.226 Aumento 1.4% 267.881 11
2008[13] 3.465.791 Baixa 4.1% 47.703 Aumento 1.0% 242.908 11
2009[14] 4.211.651 Aumento 21.5% 51.861 Aumento 8.7% 223.899 11
2010[15] 5.072.786 Aumento 20.4% 62.570 Aumento 20.6% 229.463 12
2011[16] 5.649.604 Aumento 11.4% 65.853 Aumento 5.2% 232.550 12
2012[17] 5.964.223 Aumento 5.6% 65.388 Baixa 0.7% 199.965 12
2013[18] 5.952.535 Baixa 0.20% 66.819 Aumento 2.6% 207.207 12
2014 6.501.822 Aumento 9,2 % 68.695 Aumento 2,8 % 222.420 12
  1. «Aeroporto Internacional de Fortaleza - Pinto Martins — Características». Infraero. Consultado em 17 de março de 2017 
  2. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2016 
  3. «Dados Estatísticos» (XLSB). Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Consultado em 2 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2016 
  4. «Pici e Cocorote: as Bases Americanas no Ceará at Blog do Igor». Consultado em 29 de dezembro de 2010 
  5. a b Instituto de Cartografia Aéronáutica. «ROTAER Brasil - Manual Auxiliar de Rotas Aéreas». Comando da Aeronáutica/Decea Cap.3 p.187 (3F9). Consultado em 21 de abril de 2013 
  6. CRN Recife. «NOTAM - NOtice To Air Man NOTAMR SBRF B0383/2012». Comando da Aeronáutica/Decea 10/03/2012. Consultado em 21 de abril de 2013 
  7. ANAC. «Voos autorizados vigentes». HOTRAN. Consultado em 12 de junho de 2013 
  8. [1]
  9. [2]
  10. [3]
  11. [4]
  12. [5]
  13. [6]
  14. [7]
  15. [8]
  16. [9]
  17. [10]
  18. [11]
  19. «Anuário do Transporte Aéreo 2009» 
  20. «Anuário Estatístico 2011 - Ano Base 2011» (PDF) 
  21. http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/export/sites/default/dadosefatos/anuario/downloads_anuario/Anuario_Estatistico_de_Turismo_-_2014_-_Ano_base_2013.pdf
  22. «Relatório de Tráfego Aéreo Lisboa 2011»