Aldo Moro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aldo Moro
Aldo Moro
Primeiro ministro da Itália
Período 1º - 4 de dezembro de 1963
até 24 de junho de 1968

4º - 23 de novembro de 1974
até 29 de julho de 1976

Antecessor 1º - Giovanni Leone

2º - Mariano Rumor

Sucessor 1º - Giovanni Leone

2º - Giulio Andreotti

Dados pessoais
Nascimento 23 de setembro de 1916
Maglie
Morte 9 de maio de 1978 (61 anos)
Roma
Profissão professor universitário de Direito Penal na Universidade de Bari e, depois, de Roma

Aldo Moro (Maglie, 23 de setembro de 1916Roma, 9 de maio de 1978) foi um jurista, professor e político italiano.

Foi primeiro-ministro da Itália de 1963 até 1968 e de 1974 até 1976. Membro ativo da Igreja Católica, foi um dos líderes mais destacados da democracia cristã na Itália.

Sequestrado em 16 de março de 1978 pelo grupo terrorista Brigadas Vermelhas, foi assassinado depois de 55 dias de cativeiro.

Há várias teorias acerca os motivos da recusa do governo italiano em negociar a libertação de Aldo Moro com os sequestradores e sobre os interesses envolvidos no seu sequestro e morte. Segundo o historiador Sergio Flamigni, as Brigadas Vermelhas foram usadas pela Gladio, rede dirigida pela OTAN, de modo a justificar a manutenção da estratégia da tensão.[1] O filósofo Antonio Negri chegou a ser preso, acusado de ser o inspirador da ação das Brigadas Vermelhas e do assassinato de Aldo Moro. [2]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Il caso Moro». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2009 
  2. TARPLEY, W. G. La terreur fabriquée. Made in USA
Precedido por
Giovanni Leone
Primeiros-ministros da Itália
1963 - 1968
Sucedido por
Giovanni Leone
Precedido por
Mariano Rumor
Primeiros-ministros da Itália
1974 - 1976
Sucedido por
Giulio Andreotti
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.