Batalha do Monte Saint-Quentin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha do Monte Saint-Quentin
Parte da(o) Frente Ocidental da Primeira Guerra Mundial
MountStQuentinByArthurStreeton.jpg
Pintura do Mount St Quentin por Arthur Streeton (1918).
Data 31 de Agosto a 3 de Setembro de 1918
Local Monte Saint-Quentin, Péronne, Picardie, França
Desfecho Vitória australiana
Combatentes
Austrália Austrália Império Alemão Império Alemão
Principais líderes
Austrália John Monash Império Alemão Max von Boehn
Vítimas
20% das forças em combate foram registadas como baixas.[1]

A Batalha do Monte Saint-Quentin foi uma batalha da Frente Ocidental ocorrida durante a Primeira Guerra Mundial. Como parte da contra-ofensiva Aliada na Frente Ocidental no final de 1918, o Corpo Australiano atravessou o rio Somme na noite de 31 de agosto e quebrou as linhas alemãs no Monte Saint-Quentin e Péronne. O comandante do 4.º Exército britânico, general Henry Rawlinson, descreveu o avanço australiano de 31 de agosto a 4 de setembro como a melhor conquista alcançada na guerra.[2] Durante a batalha, as tropas australianas atacaram, cercaram e controlaram o Monte Saint-Quentin, um ponto-chave da defensiva alemã na linha do Somme.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Os Aliados estavam atrás dos alemães e o grande obstáculo para atravessarem o rio Somme era o Monte Saint-Quentin que, situado numa curva do rio, dominava toda a posição. O monte tinha apenas 100 metros de altura mas era um ponto-chave da defesa alemã da linha do Somme, e a última posição forte alemã. Ficava virado para o rio Somme a um quilômetro e meio a norte de Péronne. A sua localização fazia dele um ponto ideal para observação e, em termos estratégicos, era uma zona de defesa das aproximações por norte e oeste à cidade.[3]

As forças australianas tinham pela frente o LI Corpo alemão, parte do 2º Exército, liderado pelo general Max von Boehn. De acordo com o historiador oficial australiano, Charles Bean, os arquivos alemães apontam "que o LI Corpo tinha antecipado a ofensiva... As divisões de linha receberam ordens para aumentar a sua profundidade e as divisões de contra-ataque para estarem prontas."[4] Bean afirma que o LI Corpo controlava a 5ª Divisão Real Bávara, a 1ª Divisão de Reserva alemã e a 119ª Divisão de Infantaria alemã. O 94ª Regimento de Infantaria (unidade do IV Corpo de Reserva alemão) também estava envolvido na batalha.

Batalha[editar | editar código-fonte]

Captura do Monte Saint Quentin pintado por Fred Leist (1920).

A ofensiva foi planeada pelo general John Monash; Monash planeou um assalto frontal de alto-risco que previa que a 2ª Divisão australiana atravessasse uma série de pântanos para atacar o monte. O plano fracassou quando as tropas de assalto não conseguiram atravessar os pântanos. Após este revés inicial, Monash mobilizou as suas divisões naquela que foi a única batalha em que se pode movimentar sem qualquer baixa sofrida pelos australianos na Frente Ocidental.[5]

Soldados da 2ª Divisão atravessaram a margem norte do rio Somme na tarde de 30 de agosto. Às cinco horas da manhã de 31 de agosto de 1918, apoiados pela artilharia, dois batalhões australianos subiram o Monte Saint-Quentin. A rendição alemã foi quase imediata e os australianos continuaram para a principal linha de trincheiras alemã. Entretanto, na retaguarda, outros soldados australianos atravessaram o Somme por uma ponte que os engenheiros repararam. As forças australianas não conseguiram manter o controlo do Monte Sait-Quentin e as reservas alemãs reconquistaram o cume. Porém, os australianos ficaram mais abaixo do cume do monte e, no dia seguinte, recapturaram o monte. Nesse dia, 1º de setembro de 1918, as forças australianas entraram em Péronne e tomaram grande parte da cidade. No dia seguinte, ficou totalmente nas mãos dos australianos. Em três dias, as forças australianas sofreram 3 000 baixas mas conseguiram forçar uma retirada geral dos alemães para leste, de volta à Linha Hindenburg.[6]

Rescaldo[editar | editar código-fonte]

Revendo a batalha, Monash relatou que o sucesso se deveu à bravura dos homens, à rapidez com que o plano foi cumprido e à ousadia da tentativa. No seu livro Australian Victories in France, Monash homenageia o comandante da 2ª Divisão, major-general Charles Rosenthal, que tinha a responsabilidade das operações. Monash, e o seu pessoal, responsável pela concepção do projecto e pelo bom cumprimento dos planos.[7]

A vitória Aliada na Batalha do Monte Saint-Quentin provocou um forte abalo a cinco divisões alemãs, incluindo a 2ª Divisão de Guardas de Infantaria, uma unidade de elite. Como a posição era muito importante para controlo do terreno a leste do Monte Saint-Quentin, garantia que os alemães não seriam capazes de bloquear os Aliados a oeste da Linha Hindenburg (a mesma posição de onde os alemães lançaram a ofensiva na Primavera). Foram feitos 2 600 prisioneiros e 3 000 baixas, entre mortos e feridos.[1]

Os seguintes militares receberam a Cruz Vitória:

  • Albert David Lowerson, 21º Batalhão australiano, natural de Myrtleford, Vitória
  • Robert MacTier, 23º Batalhão australiano, natural de Tatura, Vitória
  • Edgar Thomas Towner, 2º Batalhão de Metralhadoras,de Blackall, Queensland

Todos eles faziam parte da 2ª Divisão australiana.

Notas

Referências

  1. a b "Mont St Quentin". Western Front. www.diggerhistory.info. Arquivado desde o original em 30 September 2007. Consult. 2007-08-31. 
  2. "Mont Saint Quentin and Péronne". Australian Victories: 1918 Australians in France. Australian War Memorial. Arquivado desde o original em 7 de Agosto de 2007. Consult. 2007-08-31. 
  3. "The Battle for Mont St Quentin: 31 August 1918 – 3 September 1918". Penrith City Council Library Service, Penrith City Council. 2005. Arquivado desde o original em 8 de Setembro de 2007. Consult. 2007-08-31. 
  4. C. E. W. Bean, 1942, Official History of Australia in the War of 1914–1918 - Volume VI – The Australian Imperial Force in France during the Allied Offensive, 1918, Sydney, Angus and Robertson, pp916–7.
  5. Fidge, AC. 2003. Sir John Monash – An effective and competent commander?. Australian Defence College, Geddes Papers
  6. "Mont St Quentin – Péronne 31 August – 2 September 1918". Australians on the Western Front 1914–1918. Australian Government: Department of Veterans' Affairs together with Board of Studies NSW. 12 de Fevereiro de 2008. Arquivado desde o original em 25 de Julho de 2008. Consult. 18 de Agosto de 2008. 
  7. Serle, Percival (1949). "Monash, John". Dictionary of Australian Biography. Sydney: Angus e Robertson.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha do Monte Saint-Quentin
Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.