Participantes da Primeira Guerra Mundial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os governantes da Alemanha, França, Rússia, Áustria-Hungria e do Reino Unido a tentar manter a tampa do caldeirão fervente das tensões imperialistas e nacionalista nos Balcãs para evitar uma guerra geral europeia. Eles foram bem sucedidos em 1912 e 1913, mas não tiveram sucesso em 1914.

A Primeira Guerra Mundial, conflito iniciado em julho de 1914 e terminado em novembro de 1918, envolveu principalmente países da Europa e da Ásia.[1] .

A causa imediata da guerra foi a disputa entre o Império Austro-Húngaro e a Sérvia acerca das investigações do atentado, ocorrido em Sarajevo, na Bósnia e Herzegovina,[2] no qual foram mortos o arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono Austro-Húngaro, e sua esposa, Sofia.

A Bósnia e Herzegovina encontrava-se, desde 1878, sob domínio da Áustria-Hungria, mas era ligada étnica e culturalmente ao reino independente da Sérvia, que almejava restabelecer as fronteiras do antigo Império Sérvio do século XIV. Já o arquiduque pretendia reorganizar o Império Austro-Húngaro, federalizando o estado, e conter os ideais expansionistas da monarquia sérvia.

O atentado, planejado por militares sérvios, gerou uma crise entre a Áustria-Hungria e a Sérvia, culminando em 23 de julho de 1914, quando a Áustria-Hungria envia à Sérvia um ultimato, fazendo várias exigências concernentes às investigações sobre o atentado e à repressão de atividades antiaustríacas. Tais exigências feriam a soberania da Sérvia, que, no entanto, acatou-as, com exceção de uma: a de que autoridades austríacas fizessem investigações em território sérvio. Essa recusa foi o casus belli. Em 28 de julho, os austro-húngaros declaram guerra à Sérvia e, em 29 de julho, Belgrado, capital do Reino da Sérvia, é bombardeada. Imediatamente são acionadas as alianças de cada um dos contendores. O Império Alemão alinha-se ao lado do Império Austro-Húngaro, enquanto o Império Russo sai em defesa da Sérvia. Começava assim a Primeira Grande Guerra.[3]

Participantes[editar | editar código-fonte]

As alianças[editar | editar código-fonte]

A Grande Guerra, como era conhecida antes da Segunda Guerra Mundial, foi travada entre dois grandes blocos: de um lado, a Tríplice Entente (Reino Unido, França e Império Russo) e, do outro, os Impérios Centrais, (Alemanha e Austro-Hungria).[5] No final da guerra, a Tríplice Entente sai vitoriosa, e as Potências Centrais foram derrotados e tiveram de pagar por todos os prejuízos da guerra, na chamada "Paz dos Vencedores". Na Conferência de Paz de Paris, foi firmado o Tratado de Versalhes, que obrigou as nações derrotadas, principalmente a recém formada República de Weimar, a arcar pesadas indenizações, o que provocaria uma séria crise econômica e política interna.[6] .

Os Participantes
Nação Entrada na guerra Lado Causas da participação Fim da participação Causas da participação Após a guerra
Alemanha julho de 1914 Potências Centrais
Bélgica julho de 1914 Potências Centrais Obrigada pela Alemanha
Brasil 1917 Tríplice Entente
Áustria-Hungria Potências Centrais
Cuba
Espanha
Estados Unidos 1917 Tríplice Entente
França agosto de 1914 Tríplice Entente
Grécia Tríplice Entente
Império Britânico Tríplice Entente
Império Turco-Otomano Potências Centrais
África fim da guerra Potências Centrais
Itália Tríplice Entente
Japão Tríplice Entente
Luxemburgo
Países Baixos
Portugal março de 1916 Tríplice Entente
Reino da Romênia Tríplice Entente
Reino da Sérvia Tríplice Entente
Rússia Tríplice Entente 1917/1918
Fonte: Países envolvidos na Primeira Guerra Mundial. Sua Pesquisa. Página visitada em 23 de março de 2016.

Referências

  1. «O início da Primeira Guerra». R7 - Guerras. Consultado em 30 de junho de 2012. 
  2. Lucas Martins (23 de fevereiro de 2007). «Causas da Primeira Guerra Mundial». InfoEscola. Consultado em 30 de junho de 2012. 
  3. Assassinato de Francisco Ferdinando. Infoescola.
  4. Forgotten voices from the Great War: the Chinese Labour Corps The Asia-Pacific Journal, Bao Qiaoni e Alex Calvo, 21 de dezembro de 2015, Volume 13, Edição 49, Número 1
  5. José Jobson Arruda; Aquino, Denize e Oscar. «Primeira Guerra Mundial». Cultura Brasi. Consultado em 10 de julho de 2012. 
  6. Fernando Rebouças (2 de março de 2009). «Consequências da Primeira Guerra Mundial». InfoEscola. Consultado em 30 de junho de 2012.