Carlos Freitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos Freitas

Carlos Freitas (São Paulo, 26 de Março de 1965), é um engenheiro de som brasileiro, especializado em masterização de áudio e fundador do estúdio de masterização Classic Master.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A história de Carlos Freitas no cenário musical iniciou em 1983, quando começou a trabalhar nos Estúdios Transamérica, localizado na cidade de São Paulo, na época um dos estúdios mais bem equipados e requisitados do Brasil, como assistente de gravação e a partir de 1985, teve a oportunidade de gravar e mixar importantes discos de artistas brasileiros, tais como RPM, Toquinho e Titãs. Em 1988, foi convidado por Roberto Marques a montar a primeira unidade de gravação móvel do Brasil, a ARP, realizando gravações ao vivo de artistas nacionais, como Caetano Veloso, Marisa Monte, João Gilberto e Tom Jobim, Lobão, Família Caymmi, Ed Motta, Lulu Santos, como também de importantes astros internacionais como o grupo de rock Bon Jovi, Seal, Alice in Chains, Guns and Roses, Brian May, Billy Idol, Nirvana, Extreme, Simply Red e o cantor pop George Michael.

De 1994 até 2000 trabalhou também como engenheiro de PA em concertos da Filarmônica de Nova York, Filarmônica de Saint Petersburg, Filarmônica de Moscou , Filarmônica de Israel, OSESP e também no FreeJazz e Heineken Festival.

Em 1994, após 10 anos de experiência em estúdios de gravação e concertos, Carlos entrou para o mundo da masterização fundando o Companhia de Áudio com Ricardo Carvalheira, onde Restaurou o disco Tecnicolor dos Mutantes, os boxes de Orlando Silva, Carmem Miranda Francisco Alves, Luiz Gonzaga e a Sinfonia do Rio de Janeiro, composta por Tom Jobim. Masterizou trabalhos relevantes no cenário nacional e internacional como os discos "Afrociberdelia" do Chico Science & Nação Zumbi, "Acústico MTV Paralamas do Sucesso" e Lenine "Na pressão"

Em 2000, fundou o Estúdio de Masterização Classic Master que se tornou referência de masterização no Brasil e na América Latina recebendo vários prêmios como melhor estúdio de Masterização ( Prêmio Profissionais do Áudio - “Melhor estúdio de Masterização” nos anos 2002 e 2011[1]” e Prêmio Profissionais da Música - “Melhor estúdio de Masterização” nos anos 2016 e 2017” )

Formado em produção musical pela Berklee School of Music, é engenheiro renomado e referência em trabalhos de alta qualidade em masterização e remasterização de áudio de discos antigos no Brasil. Ao longo dos 34 anos de carreira, acompanhou a evolução e a transformação das mídias do LP ao CD, do CD ao áudio digital, do DVD ao Blu-Ray e atualmente com a trasnsmissão de áudio pela Internet por stream e televisão digital.

Dedica-se constantemente ao estudo, aperfeiçoamento e desenvolvimento de técnicas para novas mídias e audio digital. Em 2012, foi o pioneiro, no Brasil, ao receber a certificação da Apple para oferecer o serviço de masterização "Mastered for iTunes"[2][3].

É o responsável pela finalização de importantes trabalhos [4] [5][6] com a masterização de projetos de grandes nomes da música no mercado nacional e internacional [7] como, Ed Motta, Caetano Veloso, Roberto Carlos, Carlinhos Brown, Marisa Monte, Jota Quest, Paralamas do Sucesso, Max de Castro, Simoninha, Jair de Oliveira, Luciana Melo, Luciana Souza, Marina Lima, Djavan, Cidade Negra, Jorge Vercilo, Céu , Ivete Sangalo , Lulu Santos, Zelia Duncan, Paula Fernandes, Maria Rita, Aline Barros, Lenine, Os Tribalistas, Arnaldo Antunes, Claudia Leite, Padre Marcelo Rossi ,e artistas internacionais como a cubana Omara Portuondo, Angela Cervantes, Santiago Cruz, Mireia Villar, Alvaro Bunedia dentre outros, remasterizou também importantes artistas como Jacob do Bandolim, Edu Lobo, Itamar Assumpção e séries 100 anos de RCA e 25 anos de Warner e gravou a artista de Jazz Brasileira radicada nos EUA Luciana Souza (Brazilian Duos II e III).

Em 2007 masterizou todo o áudio utilizado na cerimónia de abertura e encerramento para a transmissão em televisão dos Jogos Panamericanos Rio 2007, em 2014, masterizou os CDs oficiais da Copa do Mundo Fifa 2014 e em 2016, participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016 masterizando todo o áudio utilizado na cerimónia de encerramento para a transmissão em televisão e também para a apresentação no Maracanã.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio Profissional do Áudio[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu os Prêmios de “Melhor Profissional de Masterização” nos anos 2000[8], 2002 e 2011[1]”.

Prêmio Profissionais da Música[9][editar | editar código-fonte]

  • Recebeu os Prêmio de “Melhor Profissional de Masterização” no anos 2016[10] e 2017[11].

Grammy Latino[editar | editar código-fonte]

Foi indicado por 7 vezes ao Grammy Latino[12] na categoria "Engenharia de áudio".

Trabalhos Indicados e Ganhadores do Grammy, Grammy Latino e outros prêmios[editar | editar código-fonte]

Possui 1 trabalho indicado ao Grammy 2013 (Duos III de Luciana Souza) [21], 106 projetos indicados e 26 vencedores do Grammy Latino [22], e vários indicados ao Prêmio da Música Brasileira, ao Prêmio Multishow, dentre outros.

Entrevistas[editar | editar código-fonte]

Artistas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Lazaro (23 de maio de 2011). «Resultado prêmio de áudio 2011». Gigplace. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  2. Classic Master (12 de dezembro de 2012). «Mastered for iTunes». Classic Master. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  3. Kristian (30 de Julho de 2011). «SCARTARIS em SP tendo aula com o Mestre!!!». Studio Scartaris. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  4. Rovi (Dezembro de 2012). «Carlos Freitas Credits». All Music. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  5. Discogs (Dezembro de 2012). «Compilação: Carlos Freitas Discography at Discogs». Discogs. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  6. Artist Direct (Dezembro de 2012). «Compilação: Carlos Freitas Discography». Artist Direct. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  7. Classic Master (Dezembro de 2012). «Carlos Freitas Discografia». Classic Master. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  8. AES Brasil (15 de abril de 2012). «A masterização no século 21. O desafio de um mundo sem mídias!». AES Brasil. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  9. «PPM – Prêmio profissionais da música». www.ppm.art.br. Consultado em 30 de abril de 2017 
  10. «Os Vencedores da edição 2016 – PPM». PPM. Consultado em 5 de abril de 2016 
  11. «Os Campeões de 2017 – PPM». www.ppm.art.br. Consultado em 10 de maio de 2017 
  12. Classic Master (06 de abril de 2012). «Indicações ao Grammy Latino Carlos Freitas». Flickr. Consultado em 16 de Janeiro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  13. Folha de S.Paulo (26 de outubro de 2006). «Veja os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Folha Ilustrada. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  14. Redação Terra (19 de setembro de 2009). «Confira a lista de brasileiros indicados ao Grammy Latino». Terra. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  15. Redação UOL (09 de novembro de 2011). «Paula Fernandes e Carlinhos Brown entre os indicados ao Grammy Latino». Uol Música. Consultado em 16 de Janeiro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  16. Redação UOL (25 de setembro de 2012). «Especial "Ivete, Gil e Caetano" é indicado em três categorias principais do Grammy Latino 2012». Uol Música. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  17. Lenine (26 de setembro de 2012). «Grammy 2011». Lenine. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  18. Grammy (26 de setembro de 2012). «Latin Grammy Winners». Grammy. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  19. http://reporteralagoas.com.br/novo/djavan-e-indicado-ao-grammy-latino-2013/
  20. «17a Entrega Anual del Latin GRAMMY». Latin GRAMMYs. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  21. Grammy (26 de setembro de 2012). «Grammy Nominees». Grammy. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 
  22. Grammy (26 de setembro de 2012). «Latin Grammy Winners». Grammy. Consultado em 16 de Janeiro de 2013 


Links externos[editar | editar código-fonte]