Filipe Catto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Filipe Catto‎
Filipe Catto, 2013 (foto: Thuany Santana/Flickr)
Informação geral
Nascimento 26 de setembro de 1987 (28 anos)
Origem Lajeado, RS
 Brasil
Gênero(s) MPB
Samba
Samba-canção
Tango
Ocupação(ões) Cantor, Compositor, Instrumentista, Designer
Instrumento(s) Vocal
Violão
Piano
Extensão vocal Contratenor
Período em atividade 2006 — presente
Gravadora(s) Universal Music Group (2011 — presente)
Influência(s) Cássia Eller, Elis Regina, Janis Joplin, Maria Bethânia, P.J. Harvey, Maysa e Chico Buarque
Página oficial Site Oficial
Página no Facebook

Filipe Catto Alves, (Lajeado, 26 de setembro de 1987) é um cantor, compositor, pianista e violonista brasileiro de MPB[1] [2] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Apesar de nascido em Lajeado, cresceu e foi criado na capital gaúcha Porto Alegre. Ainda menino, cantava em bailes e festas com o pai e, numa de suas primeiras experiências, enfrentou uma plateia de três mil pessoas. Na adolescência, participou de algumas bandas com influências de rock. Em 2006 iniciou sua carreira solo e começou a se apresentar em bares e divulgar seu trabalho pela internet. Em 2008 montou com o diretor João Pedro Madureira o show "Ouro e Pétala", composto de voz, violão e palmas e se apresentou em teatros. Quando se viu pronto, lançou pela internet o EP "Saga" em 2009 para download gratuito, o que marcou o início sua carreira profissional[3] .

Formou-se em design pela ESPM-Sul. Em 2010 mudou-se para São Paulo e seu trabalho começou a ganhar mais visibilidade. Em 2011 a música "Saga" entrou para a trilha sonora da novela Cordel Encantado. Filipe Catto assinou contrato com a gravadora Universal Music e gravou o seu primeiro álbum: "Fôlego". Em novembro de 2011 estreou a turnê "Fôlego" no Theatro São Pedro (Porto Alegre)[4] . Dois dias antes do lançamento do seu segundo álbum, Catto se apresentou com a Orquestra Sinfônica e o Coro Lírico de Minas Gerais no Palácio das Artes em Belo Horizonte, onde foram executadas suas próprias músicas com arranjos compostos especialmente para essa apresentação. No dia 8 de setembro de 2015, foi lançado Tomada, seu segundo álbum de estúdio de forma independente pela Agência de Música e distribuído pela Radar Records[5] .

Em 2015, participou da canção "Trono de Estudar", composta por Dani Black em apoio aos estudantes que se articularam contra o projeto de reorganização escolar do governo estadual de São Paulo. A faixa teve a participação de outros 17 artistas brasileiros: Chico Buarque, Arnaldo Antunes (ex-Titãs), Tiê, Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), Paulo Miklos (Titãs), Tiago Iorc, Lucas Silveira (Fresno), Zélia Duncan, Pedro Luís (Pedro Luís & A Parede), Fernando Anitelli (O Teatro Mágico), André Whoong, Lucas Santtana, Miranda Kassin, Tetê Espíndola, Helio Flanders (Vanguart), Felipe Roseno e Xuxa Levy.[6]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
2009 Saga (EP)[7]
2011 Fôlego
2013 Entre Cabelos, Olhos e Furacões (ao vivo)
2015 Tomada

Participação em trilhas sonoras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Filipe Catto comenta influências e disco de estreia; ouça podcast. Folha.com, 11 de dezembro de 2011
  2. Filipe Catto. Estadão, 19 de junho de 2011
  3. Qualquer tango vira samba, e vice-versa, diz revelação Filipe Catto. Jornal do Brasil, 8 de agosto de 2009
  4. Cultura RS, novembro/2011 Theatro São Pedro recebe Filipe Catto
  5. Filipe Catto se desvenda em álbum confessional O Tempo (15 de setembro de 2015). Visitado em 20 de setembro 2015.
  6. Chico Buarque e outros 18 artistas gravam faixa e clipe em apoio aos estudantes de SP Rolling Stone Brasil Spring (23 de dezembro de 2015). Visitado em 3 de janeiro de 2016.
  7. Com apenas 21 anos, Filipe Catto traz novo fôlego para a MPB. Colherada Cultural, 5 de dezembro de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.