Grace Elliott

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grace Elliott
Nascimento 1754
Edimburgo
Morte 16 de maio de 1823 (69 anos)
Ville-d'Avray
Residência Paris
Sepultamento cemitério do Père-Lachaise
Cidadania Reino da Grã-Bretanha, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Ocupação autobiógrafo, escritora

Grace Dalrymple Elliott (Edimburgo, 1754Ville-d'Avray, 1823) foi uma cortesã inglesa que residiu na França durante os eventos da Revolução Francesa, dos quais foi testemunha ocular.[1] Foi amante de Luís Filipe II, Duque d'Orleães ("Filipe Igualdade"), que era primo do rei Luís XVI. Elliott foi detida com a queda deste; estava na prisão esperando a execução na guilhotina, mas foi libertada após a morte de Robespierre. Escreveu sua autobiografia, narrando as experiências no período, intitulada "Ma Vie Sous La Révolution" publicada postumamente, em 1859.

Referências

  1. «During the Reign of Terror: Journal of My Life During the French Revolution» (em inglês)  Texto completo da autobiografia de Grace Dalrymple Elliott, edição de 1910

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.