Grande Prêmio da Austrália de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio da Austrália de F-1 2017
Albert Lake Park Street Circuit in Melbourne, Australia.svg
Grande Prêmio da Austrália de 2017.
Detalhes da corrida
Data 26 de março de 2017
Nome oficial 2017 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix
Local Circuito de Albert Park, Melbourne, Austrália
Percurso 5,303 km
Total 58 voltas / 307,574 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:22.188
Volta mais rápida
Piloto
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari
Tempo 1:26.538 (na volta 56)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Segundo
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Terceiro
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes

O Grande Prêmio da Austrália de 2017 (formalmente denominado 2017 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix) foi a primeira etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Disputada em 26 de março de 2017 no Circuito de Albert Park em Melbourne, Austrália[1]. Primeira corrida do ano foi vencida pelo alemão Sebastian Vettel. Completam o pódio o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O alemão Pascal Wehrlein feriu-se nas costas em um acidente na Corrida dos Campeões em janeiro e viu-se forçado a perder a primeira semana dos testes de pré-temporada em Barcelona. Apesar de ter completado a segunda semana e realizar os treinos livres na sexta-feira em Melbourne, ele informou à equipe, já na manhã de sábado na Austrália, que estava preocupado com suas aptidões para realizar a prova e preferiu não continuar. Ele foi substituído pelo terceiro piloto da Ferrari, Antonio Giovinazzi. A diretora da Sauber, Monisha Kaltenborn, disse que estava confiante de que Wehrlein estaria totalmente apto para o Grande Prêmio da China.[2]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Hamilton foi o pole position da corrida
Q1

Ao início da sessão, enquanto todas as equipes iniciaram com pneus ultra macios, a Ferrari optou pelos super macios e fez o melhor tempo, com Sebastian Vettel. Porém, logo em seguida, Lewis Hamilton c bateu seu tempo, seguido pelo companheiro de equipe, Valtteri Bottas. Apesar de a Williams ter conseguido consertar o carro de Lance Stroll a tempo do classificatório, a melhor volta do piloto não foi suficiente para que ele avançasse ao Q2 — apesar de ter ficado em 19º, o canadense largará em último, já que foi punido com cinco posições no grid pela troca da caixa de câmbio do seu carro. O brasileiro Felipe Massa fez o 8º melhor tempo e avançou para a etapa seguinte. [3]

Fora eliminados Antonio Giovinazzi (Sauber), Kevin Magnussen (Haas), Stoffel Vandoorne (McLaren), Lance Stroll (Williams) e Jolyon Palmer (Renault).[3]

Q2

As duplas de Mercedes e Ferrari foram foram as primeiras a sair para a pista logo que a bandeira verde foi dada. E foram esses os quatro mais velozes, com Bottas e Hamilton nas duas primeiras colocações, seguidos diretamente por Räikkönen e Vettel. A RBR veio logo atrás, com Ricciardo e Verstappen. Felipe Massa foi o sétimo mais veloz, tendo Grosjean e a dupla da STR ao seu logo em seguida como a surpresa deste início de temporada. A Force India, quarta nos construtores em 2016, não passou para o Q3.[3]

Foram eliminados Sergio Perez (Force India), Nico Hulkenberg (Renault), Fernando Alonso (McLaren), Esteban Ocon (Force India) e Marcus Ericsson (Sauber).[3]

Q3

Mais uma vez, as equipes de ponta foram as primeiras a sair dos boxes. Os tempos ficaram na mesma media conforme os pilotos realizaram suas voltas rápidas, com Hamilton, Vettel, Bottas se revezando na primeira colocação. Mas quem terminou na liderança foi o britânico da Mercedes, marcando um novo recorde da pista. Momentos depois de Lewis anotar aquela que seria a primeira pole do ano, o treino foi interrompido com bandeira vermelha em função de uma pancada de Ricciardo na saída da curva 14. Como o piloto não havia anotado tempo, largará automaticamente em 10º. Com a bandeira verde, Romain Grosjean completou uma boa volta e colocou a Haas no sexto lugar. Felipe Massa não conseguiu superar o francês e ficou com o sétimo melhor tempo.[3]

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pouco antes do início da prova, Ricciardo teve problemas em seu carro na volta de apresentação, obrigando o australiano largar dos boxes e com duas voltas de atraso. Por conta disso, na formação do grid aconteceu um erro de posicionamento dos carros e a primeira largada fora abortada.[4]

As posições permaneceram as mesmas após a largada. O único incidente da primeira volta foi na curva 3, entre Marcus Ericsson e Kevin Magnussen. Os cinco primeiros eram Hamilton, Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen. Massa ganhou o lugar de Grosjean e foi para sexto. Nas primeiras voltas, corrida não teve ação. Os carros continuaram nas mesmas posições com pouquíssimas alterações.[5] Duas voltas depois da largada, Ricciardo finalmente saiu dos boxes para participar da corrida, entretanto a prova do piloto da casa já estava comprometida.[4]

Com 10 voltas completas, Vandoorne parava nos boxes, pois reclamava de falta de potência no motor. O belga ficou parado um bom tempo nos boxes e retornou para a pista. Palmer reclamava de problemas de freio. Grosjean era o sétimo quando acabou abandonando a prova na volta 15 com problemas de motor após parar nos boxes.[4][5]

Na 18.ª volta, quando ocupava a liderança, Hamilton parou nos boxes para trocar os pneus ultramacios para os compostos macios, porém voltou em quinto lugar, preso atrás da Red Bull de Max Verstappen. Vettel, então, aproveitou-se para atrasar o pit stop e abriu a vantagem necessária para manter-se na ponta depois da parada.[6] O alemão parou na volta 23 e retornou à frente da briga entre Hamilton e Verstappen. O erro estratégico da Mercedes deu a liderança a Vettel, que com as paradas de Bottas e Räikkönen, assumiu o primeiro lugar. Hamilton foi ficando para trás com o passar das voltas. Com distanciamento de Vettel, Bottas foi se aproximando do inglês. No entanto, o finlandês não chegou perto para atacar o parceiro.[5]

Palmer abandonou a corrida na volta 17. Na volta 29, Ricciardo também abandonou a prova.[4] Ocupando o décimo lugar até a parte final da prova, Alonso foi obrigado a abandonar no fim com problemas de suspensão.[5] No giro 43, Lance Stroll, que vinha na 13a colocação, errou sozinho e foi para a área de escape, danificando muito o assoalho de seu Williams, obrigando-o a abandonar a prova.[4]

O vencedor da corrida foi Sebastian Vettel, seguido de Lewis Hamilton e Valteri Bottas. Vettel concluiu a corrida em 1:24.11,670 horas, com uma vantagem 9,975 segundos à frente de Hamilton.[7]

Não concluíram a prova o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull), o francês Romain Grosjean (Haas), o britânico Jolyon Palmer (Renault), o sueco Marcus Ericsson (Sauber), o canadiano Lance Stroll (Williams), o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas) e o espanhol Fernando Alonso (McLaren).[7]

Resultado da corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[8]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio Neumático F1 Ultra blando.png Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Mais aderência Menos durável
Super Macio Neumático F1 Súper blando.png Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio Neumático F1 Blando.png Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:24.191 1:23.251 1:22.188 1
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:25.210 1:23.401 1:22.456 2
3 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 1:24.514 1:23.215 1:22.481 3
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:24.352 1:23.376 1:23.033 4
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:24.482 1:24.092 1:23.485 5
6 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:25.419 1:24.718 1:24.074 6
7 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:25.099 1:24.597 1:24.443 7
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:25.542 1:24.997 1:24.487 8
9 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 1:25.970 1:24.864 1:24.512 9
10 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:25.383 1:23.989 S/Tempo 15 2
11 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:25.064 1:25.081 10
12 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 1:24.975 1:25.091 11
13 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:25.872 1:25.425 12
14 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:26.009 1:25.568 13
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:26.236 1:26.465 14
16 36 Itália Antonio Giovinazzi Sauber-Ferrari 1:26.419 16
17 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:26.847 17
18 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:26.858 18
19 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 1:27.243 20 1
20 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:28.244 19
Tempo dos 107%: 1:30.084
Fonte: [9]
Notas

↑1 - Lance Stroll (Williams) perdeu cinco posições no grid por conta de uma troca não programada da caixa de câmbio.[10]

↑2 - Daniel Ricciardo (Red Bull) perdeu cinco posições no grid por conta de uma troca não programada da caixa de câmbio.[11]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 57 1:24:11.672 2 25
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 57 +9.975 1 18
3 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 57 +11.250 3 15
4 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 57 +22.393 4 12
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 57 +28.827 5 10
6 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 57 +1:23.386 7 8
7 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 56 +1 Volta 11 6
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 56 +1 Volta 8 4
9 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso 56 +1 Volta 9 2
10 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 56 +1 Volta 13 1
11 27 Alemanha Nico Hülkenberg Renault 56 +1 Volta 11
12 36 Itália Antonio Giovinazzi Sauber-Ferrari 55 +2 Voltas 16
13 2 Bélgica Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 55 +2 Voltas 18
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 50 Suspensão 12
Ret 20 Dinamarca Kevin Magnussen Haas-Ferrari 46 Suspensão 17
Ret 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 40 Freios 20
Ret 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 25 Unidade de Potência 15
Ret 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 21 Colisão 14
Ret 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 15 Freios 19
Ret 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 13 Vazamento de Agua 6
Fonte:[12][13][14]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Voltas na Liderança[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Nº de Voltas Piloto Voltas
38 Alemanha Sebastian Vettel (17-22) - (26-57)
16 Reino Unido Lewis Hamilton (1-16)
2 Finlândia Valtteri Bottas (23-24)
1 Finlândia Kimi Räikkönen (25)

2017 DHL Fastest Pit Stop Award[editar | editar código-fonte]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 2.34 25
2 77 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes 2.47 18
3 18 Canadá Lance Stroll Williams-Mercedes 2.65 15
4 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 2.95 12
5 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 2.98 10
6 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 3.03 8
7 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 3.14 6
8 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 3.15 4
9 31 França Esteban Ocon Force India-Mercedes 3.19 2
10 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 3.23 1
Fonte: [15]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2017 Formula 1 Rolex Australian Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com .
  2. Jonathan Noble (24 de março de 2017). «Wehrlein é substituído por Giovinazzi no GP da Austrália». Motorsport. Consultado em 25 de março de 2017 
  3. a b c d e «Hamilton conquista primeira pole da F1 em 2017 e iguala ídolo Senna na Austrália» (html). globo.com. 25 de março de 2017. Consultado em 25 de março de 2017 
  4. a b c d e Vinícius Alves (26 de março de 2017). «Vettel desbanca Hamilton e vence o GP da Austrália». F1 Mania. Consultado em 27 de março de 2017 
  5. a b c d «Mercedes erra no box e Vettel vence na Austrália; Massa é 6º». Jornal do Brasil. 26 de março de 2017. Consultado em 27 de março de 2017 
  6. «Hamilton diz que pediu pit stop que o tirou da briga pela vitória na Austrália». Isto É. 26 de março de 2017. Consultado em 27 de março de 2017 
  7. a b «Sebastian Vettel vence Grande Prémio da Austrália» (html). Diário de Notícias. 26 de março de 2017. Consultado em 27 de março de 2017 
  8. «Pirelli announce tyre choices for 2017 openers» (em inglês). Formula1.com. 22 de dezembro de 2016 
  9. «2017 FORMULA 1 ROLEX AUSTRALIAN GRAND PRIX - QUALIFYING» (em inglês). Formula1.com. 25 de março de 2016 
  10. «Williams to change Stroll's gearbox after practice crash» (em inglês). Formula 1. Consultado em 25 de março de 2017 
  11. «Gearbox change to drop Ricciardo five places» (em inglês). Formula 1. Consultado em 26 de março de 2017 
  12. «Race - Vettel stuns Mercedes with Melbourne win» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017. Consultado em 26 de março de 2017 
  13. «2017 FORMULA 1 ROLEX AUSTRALIAN GRAND PRIX - RACE RESULT» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017. Consultado em 26 de março de 2017 
  14. «F1 Australian Grand Prix: Vettel jumps Hamilton for first 2017 win» (em inglês). Autosport. 26 de março de 2017. Consultado em 26 de março de 2017 
  15. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017. Consultado em 26 de março de 2017 
Prova Anterior:
GP de Abu Dhabi de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP da China de 2017

Prova Anterior:
GP da Austrália de 2016
Grande Prêmio da Austrália Próxima Prova:
GP da Austrália de 2018