Inês Pedrosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Inês Pedrosa
Nome completo Inês Margarida Pereira Pedrosa
Nascimento 15 de agosto de 1962 (54 anos)
Coimbra, Sé Nova
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Escritora e tradutora
Principais trabalhos Fazes-me Falta
Fica Comigo Esta Noite
Prémios Prémio Máxima de Literatura (1997, 2011)
Página oficial
http://www.inespedrosa.com/

Inês Margarida Pereira Pedrosa (Coimbra, Sé Nova, 15 de agosto de 1962) é uma escritora e tradutora portuguesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Publicou o seu primeiro texto na revista Crónica Feminina, tinha apenas 12 anos.[carece de fontes?] Aos 22 licenciou-se em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa.[1]

Estreou-se como jornalista profissional em 1983, ao ingressar na redação de O Jornal (atual revista Visão). No ano seguinte mudou-se para o Jornal de Letras, Artes e Ideias, que abandonou para integrar a equipa fundadora do semanário O Independente, então dirigido por Miguel Esteves Cardoso e Paulo Portas, em 1988. Foi ainda redatora da LER e do semanário Expresso, em cuja revista Única manteve uma coluna semanal, a Crónica Feminina, assim chamada em homenagem à revista na qual publicara o seu primeiro texto. Em fevereiro de 2011 encerrou a sua colaboração com o Expresso e passou a assinar a coluna Fora de Órbita, no Sol. Foi ainda diretora da revista Marie Claire em Portugal, de 1993]] a 1996.

Estreou-se na literatura em 1991, com o livro infantil Mais Ninguém Tem, seguindo-se o seu primeiro romance, A Instrução dos Amantes, em 1992. Nas Tuas Mãos, livro de 1997 que, divido em três partes, contava a historia de três gerações de mulheres da mesma família, valeu-lhe o Prémio Máxima de Literatura.[2] Fazes-me Falta, em 2003, consolidou-a como uma principais romancistas da actualidade.[carece de fontes?] Em 2005, a partir de Nas Tuas Mãos e Fica Comigo Esta Noite, assinou a sua primeira peça de teatro, 12 mulheres e 1 cadela, dirigida por São José Lapa. Ganhou novamente o Prémio Máxima de Literatura, com "Os Íntimos" em 2010.[3]

Teve intervenção pública nas causas da despenalização da interrupção voluntária da gravidez e do casamento entre pessoas do mesmo sexo, a qual chegou a ser considerada madrinha da Marcha do Orgulho de 2005.[4], além de ter sido porta-voz oficial e mandatária por Lisboa da candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República, em 2006.[5] Ainda no campo da intervenção pública em regime de total voluntariado, prestou serviço ao Estado Português na Comissão de Projectos para a Comemoração do Centenário da República (2005-2006).[6]

Por nomeação da Câmara Municipal de Lisboa, era presidente António Costa, e tendo essa nomeação sido reconfirmada dois anos depois por unanimidade em votação na Assembleia Municipal de Lisboa, Inês Pedrosa dirigiu a Casa Fernando Pessoa, de fevereiro de 2008 até que se demitiu do cargo em abril de 2014, onde sucedeu a Francisco José Viegas.[7]

Em dezembro de 2016 foi acusada de abuso de poder enquanto diretora da Casa Fernando Pessoa. Ao receber a intimação judicial, declarou: "É um absurdo, uma aberração, uma vergonha e de que me defenderei em devido tempo em tribunal".[8]

Prémios e distinções[editar | editar código-fonte]

  • Prémio Revelação do Clube dos Jornalistas, 1985.
  • Prémio de Jornalismo da revista Mulheres, 1985.
  • Prémio Sampaio Bruno de Jornalismo Cultural, 1989.
  • Prémio Máxima de Literatura por "Nas Tuas Mãos", 1998.
  • Prémio Paridade da Comissão de Igualdade e Cidadania, 2005.
  • Prémio Máxima de Literatura por "Os Íntimos", 2012.[carece de fontes?]

Foi galardoada com a Medalha de Honra do Município de Tomar, a 1 de março de 2016.[9]

Obras[editar | editar código-fonte]

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • 1991 Mais Ninguém Tem (história infantil), com ilustrações de Jorge Colombo
  • 1992 A Instrução dos Amantes
  • 1997 Nas tuas Mãos
  • 2002 Fazes-me Falta
  • 2002 A Menina que Roubava Gargalhadas
  • 2003 Fica Comigo Esta Noite (Contos)
  • 2004 O milagre do cão azul (infantil), ilustrações de Danuta Wojciechowska
  • 2005 Carta a uma Amiga, com fotografias de Maria Irene Crespo
  • 2006 Do Grande e do Pequeno Amor, com fotografias de Jorge Colombo
  • 2007 A Eternidade e o Desejo
  • 2010 Os Íntimos
  • 2012 Dentro de Ti Ver o Mar
  • 2015 Desamparo
  • 2016 Desnorte, com ilustrações de Gilson Lopes

Não ficção[editar | editar código-fonte]

  • 1999 José Cardoso Pires: Fotobiografia
  • 2000 20 Mulheres para o Século XX
  • 2002 Poemas de Amor - Antologia de Poesia Portuguesa (colectânea)
  • 2004 Anos Luz: Trinta Conversas para Celebrar o 25 de Abril
  • 2005 Crónica Feminina
  • 2006 Os Melhores Amigos - Contos Sobre a Amizade (antologia)
  • 2008 No Coração do Brasil-seis cartas de viagem ao padre António Vieira, com ilustrações de João Queiroz
  • 2009 Dentro em meu coração faz dor (antologia de poesia)
  • 2015 No infinito mar do meu desejo (antologia de poesia)
  • 2016 As Lições de Vida de William Shakespeare, com ilustrações de Gilson Lopes (coletânea de citações)

Referências

  1. «Autores e Realizadores. Inês Pedrosa». Wook. Consultado em 24 de agosto de 2011 
  2. Brandão, Vera (Abril de 2013). «Resenha: Nas tuas mãos, de Inês Pedrosa». São Paulo. Revista Portal e Divulgação (31): 76-80. ISSN 2178-­3454 Verifique |issn= (ajuda). Consultado em 23 de dezembro de 2016. [...] Três mulheres de gerações diferentes que, em partes distintas desse sensível romance, nos falam de sentimentos íntimos, secretos, sobre as diferentes formas de amar, tendo como panorama as mudanças na sociedade portuguesa nos últimos 60 anos. [...]  soft hyphen character character in |ISSN= at position 6 (ajuda)
  3. «Inês Pedrosa vence Prémio Máxima de Literatura 2010». O Público. 23 de setembro de 2011. Consultado em 23 de dezembro de 2016 
  4. Santos, Ana Cristina. Social Movements and Sexual Citizenship in Southern Europe (em en). [S.l.]: Springer. p. 206. ISBN 1137296402 Página visitada em 23 de dezembro de 2016.
  5. «Escritora Inês Pedrosa porta-voz de Manuel Alegre». RTP Notícias. 24 de outubro de 2005. Consultado em 22 de dezembro de 2016 
  6. «Governo lança comemoração do centenário da República» (PDF, recorte). Diário de Notícias. 5 de outubro de 2005. Consultado em 23 de dezembro de 2016 – via Associação República e Laicidade 
  7. Joana Emídio Marques (25 de abril de 2014). «Inês Pedrosa deixa a Casa Fernando Pessoa». Diário de Notícias. Consultado em 22 de dezembro de 2016. Na sessão desta noite dos Espaços em Volta da Casa Fernando Pessoa a diretora da instituição, Inês Pedrosa, enviou uma mensagem em que comunica a sua saída do cargo. 
  8. «Inês Pedrosa acusada de abuso de poder enquanto diretora da Casa Fernando Pessoa». Observador. 16 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de dezembro de 2016 
  9. José Lagiosa (24 de Fevereiro de 2016). «Inês Pedrosa recebe medalha de honra do Município de Tomar». Beiranews. Consultado em 22 de dezembro de 2016. A escritora Inês Pedrosa vai ser galardoada com a medalha de honra do Município de Tomar, no âmbito das comemorações do feriado municipal, que vão decorrer no próximo dia 1 de março [...] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]