Riviera Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Riviera Portuguesa é a região costeira a oeste de Lisboa, capital de Portugal, dividida entre os municípios de Cascais, Oeiras e Sintra.[1] Os três municípios englobavam cerca de 765 mil habitantes em 2015.[2] Também conhecida como Costa do Estoril e ocasionalmente como Costa do Sol, trata-se de uma das regiões mais valorizadas da Europa, onde o custo da maioria das propriedades chegam a milhões de euros. A região conta com dezenas de resorts de luxo e é conhecida na cultura popular por ser frequentada por multimilionários e famosos do mundo todo.[3]

Enquanto Cascais e Sintra estão entre os municípios mais ricos da Península Ibérica, Oeiras é conhecida como "Vale do Silício da Europa", tendo no seu território instaladas muitas multinacionais e cerca de 30% da capacidade científica do país, sendo um dos principais polos de pesquisa e desenvolvimento do mundo.[4] Por causa de seus inúmeros resorts, propriedades, lojas de luxo e natureza costeira, a área tem recebido muitos investimentos nos últimos anos.[5]

A história de Cascais como um centro cosmopolita tem origem na década de 1870, quando o rei Luís I de Portugal e a família real portuguesa construíram à beira-mar sua residência de verão, atraindo assim membros da aristocracia europeia. Durante a Segunda Guerra Mundial, a vinda de famílias reais intensificaram-se, como muitos chefes das casas reais europeias e monarcas depostos, como Eduardo VIII do Reino Unido (na época, Duque de Windsor) e Juan Carlos da Espanha (na época, Infante de Espanha), que constituíram propriedades em Cascais e Estoril, respectivamente, encontrando refúgio na neutralidade de Portugal na guerra ou em situações de tensão política em seus próprios países.[6]

Sintra recebia a nobreza portuguesa desde o século XV, mas a partir do século XIX tornou-se um dos principais centros do Romantismo europeu. A belle époque de Sintra resultou na construção de inúmeras vilas, jardins, quintas e palácios que caracterizam a região.[7]

História[editar | editar código-fonte]

2ª Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Jardins do Casino Estoril, o maior da Europa

Durante a Segunda Guerra Mundial, espiões e diplomatas de todo o mundo se concentravam na região, o que a proporcionou uma atmosfera sofisticada e cosmopolita. Devido à visão de Fausto Cardoso de Figueiredo e seu parceiro de negócios Augusto Carreira de Sousa, a região tornou-se um destino turístico internacional durante e após a Segunda Guerra Mundial.

Em julho de 1940, Eduardo VIII do Reino Unido e Wallis, Duquesa de Windsor se mudaram para o Estoril, onde viveram na mansão de Ricardo Espírito Santo, um banqueiro português, até comprarem uma residência em Cascais. Durante esse tempo, vários nobres dignitários e exilados se mudaram para a região.

Publicidade sobre o turismo em Estoril na década de 1950

O ex-ditador português António de Oliveira Salazar também tinha uma casa de verão na região. Foi Salazar que ordenou a construção da auto-estrada E.N.6, conhecida como a Avenida Marginal, para ele viajar rapidamente de carro entre Cascais e Lisboa.

Complementando a comunidade jet-set que prosperou na região, o maior casino da Europa, Casino Estoril, foi fundado em 1958.

Dias atuais[editar | editar código-fonte]

Atualmente as cidades da Riviera Portuguesa continuam a servir a elite portuguesa e viajantes do mundo todo. A Riviera desempenha um papel importante no turismo em Portugal, com 3,6 milhões de turistas em 2014, que gastaram 12,4 mil milhões de dólares em visitas a palácios, praias, restaurantes e museus.[8]

Cascais ainda é considerada uma cidade cosmopolita e conta com uma importante comunidade internacional, levando a maioria das escolas internacionais da região de Lisboa a se instalarem na Riviera, como a Carlucci American International School of Lisbon, Saint Julian's School, Saint Dominic's International School e a Oeiras International School.

A cada ano a região recebe mais festivais internacionais, sejam de desportos ou cultura.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

A região tem um clima mediterrânico, influenciado pelo oceano Atlântico e caracteriza-se por temperaturas moderadas e invernos chuvosos. Embora o clima na zona do Cabo da Roca seja semi-árido, a Serra de Sintra é considerados moderadamente úmida, tendo precipitações nas montanhas em grande parte do outono e inverno.

Municípios e vilas[editar | editar código-fonte]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Residência Sol Estoril, construído em 2009, onde apartamentos custam a partir de 2 milhões de euros

Cinema[editar | editar código-fonte]

Desporto[editar | editar código-fonte]

Grande Prémio de Portugal, 1996

Residentes e filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Nobreza[editar | editar código-fonte]

Eduardo VIII do Reino Unido e Wallis, Duquesa de Windsor na residência em Cascais, 1940
Palácio dos Duques de Palmela

Celebridades[editar | editar código-fonte]

Praia do Tamariz, Estoril
Câmara Municipal de Sintra

Políticos[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «Karen Brown's Portugal: Exceptional Places to Stay and Itineraries». Karen Brown. Consultado em 13 de abril de 2016 
  2. «População residente: total e por grandes grupos etários». Pordata. Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  3. «The Routledge Handbook of Cultural Tourism». Melanie K. Smith, Greg Richards. Consultado em 13 de abril de 2016 
  4. «Oeiras constrói primeira residência para cientistas». Ciência Portugal. Consultado em 13 de abril de 2016 
  5. «The Portuguese Riviera». Michel Cruz. Consultado em 13 de abril de 2016 
  6. «Holiday like royalty in Cascais – a gem on the Portuguese Riviera». Michel Cruz. Consultado em 13 de abril de 2016 
  7. «Lisbon Coast: Portuguese Riviera». Boots n All. Consultado em 13 de abril de 2016 
  8. Lisboa é o 14º destino turístico europeu mais procurado pelos estrangeiros