Aston Villa Football Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aston Villa
Aston Villa.svg
Nome Aston Villa Football Club
Alcunhas The Villans
Mascote Hercules the Lion
Fundação 1874 (140 anos)
Estádio Villa Park
Capacidade 43.300
Localização Birmingham, Inglaterra
Presidente Estados Unidos Randy Lerner
Treinador Escócia Paul Lambert
Patrocinador Filipinas Dafabet
Material esportivo Itália Macron
Competição Inglaterra Premier League
Inglaterra Copa da Inglaterra
Inglaterra Copa da Liga Inglesa
PL 2014–15
CI 2014–15
CL 2014–15
em disputa
a disputar
a disputar
Website Site oficial
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Aston Villa Football Club (também conhecido como Villa, The Villa, The Villans e The Lions) é um clube de futebol inglês sediado na cidade de Birmingham. O clube foi fundado em 1874 por membros de um time de críquete e manda seus jogos em seu estádio, o Villa Park, desde 1897.

Introdução[editar | editar código-fonte]

O Aston Villa é o segundo clube com maior número de participações na primeira divisão de seu país e foi o principal fundador da primeira liga de futebol do mundo, a Football League, em 1888. Também fundou a Premier League em 1992, sendo um dos sete clubes a participarem de todas as edições da competição.

O Villa é o quinto com maior número total de grandes títulos ganhos por um clube de seu país,[1] tendo conquistado ainda vinte títulos nacionais: sete Campeonatos ingleses, sete FA Cup, cinco Copas da Liga e uma Supercopa.

Internacionalmente, o Aston Villa ganhou a Taça dos Campeões Europeus 1981-82, a Supercopa Europeia de 1982 e a Intertoto de 2001.

Possui uma longa rivalidade com seus rivais locais do Birmingham City. O derby de Birmingham, entre Villa e Birmingham acontece desde 1879.

O uniforme tradicional reúne na camisa as cores vinho e azul celeste. Seu brasão, é representado por um leão dourado, em um fundo azul claro. Uma versão moderna, com o lema prepared ("preparados"), foi adotada em 2007. Desde 2006 é controlado pelo empresário Randy Lerner.

Um ilustre torcedor do Aston Villa Football Club é Geezer Butler, baixista do Black Sabbath. Ele já foi visto enrolado com uma echarpe do clube de coração após o termino dos shows de sua banda. Outro ilustre torcedor do Aston Villa é o Príncipe William, membro da realeza britânica e segundo na linha de sucessão real.

História[editar | editar código-fonte]

A sepia photograph with a large old structure in the background obscured by trees. In the foreground there is a large shield surrounded by five trophies. On either side of the shield stands 8 people.
Time do Aston Villa na década de 1890.

O Aston Villa Football Club foi fundado em 1874 por membros do time de críquete Villa Cross Wesleyan Chapel que estavam à procura de algo para mantê-los ocupados durante o inverno. Os quatro fundadores foram Jack Hughes, Frederick Matthews, Walter Price e Willian Scattergood. [2]

O primeiro jogo do Aston Villa foi contra a equipe local de rugby Aston Brook St Mary.[3] Como condição da partida, o time do Villa teve que concordar em jogar o primeiro tempo com regras do rugby e o segundo com regras de futebol. O jogo terminou empatado sem gols no primeiro tempo, mas Jack Hughes marcou um gol no segundo, garantindo a vitória do Villa em seu primeiro jogo.[4]

A primeira sede do Aston foi o Perry Barr HQ, que foi alugado por três anos, por £7,10 xelins no primeiro ano, subindo para £15 e £ 20 nos anos seguintes. Em 1880 conquistou seu primeiro título, a Birmingham Senior Cup, comandado pelo escocês George Ramsay.[5]

Na temporada 1886/1987, o clube conquistou sua primeira Copa da Inglaterra, tendo como capitão Archie Hunter, que se tornou um dos maiores ídolos do clube. O Villa derrotou o rival West Bromwich por 2 a 0, na final realizada no The Oval.[4]

Até 1885, o futebol era amador. Ele se tornou profissional em 1885, quando a FA legalizou o futebol profissional, mas com um limite salarial nacional. No entanto, o diretor escocês do Aston Villa, William McGregor, estava frustrado por ver jogos do seu time serem cancelados e as partidas terem pouco público. Ele viu que, para as pessoas terem interesse no esporte, as equipes de ponta precisariam jogar entre si em um campeonato, assim como os times americanos de beisebol faziam. McGregor escreveu para os doze principais clubes da Inglaterra propondo a formação de uma liga.

O Aston Villa foi um dos doze clubes fundadores da Football League em 1888 e o seu primeiro jogo na competição foi contra o Wolverhampton Wanderers, confronto que acabou empatado por 1 a 1. O clube terminou como vice campeão inglês ao final da primeira temporada.[6]

Harry Hampton marcou um dos dois gols do Aston na final da FA Cup de 1905.

Não demorou muito para os The Lions levantarem seu primeiro troféu da Liga, e isso foi conseguido em 1893-1894. O clube se tornou o mais bem sucedido da era vitoriana, ganhando mais quatro títulos de campeão da liga (1896, 1897, 1899 e 1900) e mais duas FA Cups (1895 e 1897).[7] Em 1897, ano em que o Villa ganhou a dobradinha, se mudaram para sua atual casa, o Aston Lower Grounds, mais conhecido como Villa Park.[8] [9]

O Aston Villa começou o século 20 como campeão, mas a diferença que os distinguia de seus concorrentes foi diminuindo. O futebol na Inglaterra foi se tornando mais competitivo, com mais equipes sendo formadas.

O Aston Villa conquistou a copa inglesa de 1905, enquanto que na temporada de 1909-1910 foi campeão inglês após onze anos, nela tendo goleado o Manchester United por 7 a 1. Na temporada seguinte, o Villa terminou em sexto, mas em 1913, conquistou a FA Cup.[10]

Depois de vencer sua sexta Copa da Inglaterra em 1920, o clube entrou em declínio que o levou a ser rebaixado pela primeira vez, caindo para segunda divisão em 1936. Isto foi em grande parte resultado de um péssimo desempenho defensivo: 110 gols em 42 jogos, 7 deles vindo de Ted Drake na famosa derrota de 7 a 1 frente ao Arsenal no Villa Park.[11]

Com a Segunda Guerra, o Aston Villa e todos os clubes da Inglaterra perderam sete temporadas, e muitas carreiras futebolísticas haviam sido interrompidas em decorrência dos conflitos.[12] Depois da guerra, a equipe foi reconstruída sob a orientação do ex-jogador Alex Massie para o restante da década de 1940.

Após 37 anos sem títulos, na temporada de 1956-1957, outro ex-jogador do Villa, Eric Houghton levou o clube a uma grande conquista ao vencer a FA Cup em uma final contra o Manchester United.[13] [14] Embora a equipe tivesse lutado na liga, foi rebaixada duas temporadas mais tarde. No entanto, sob o comando de Joe Mercer o Villa voltou ao topo em 1960 como campeão da segunda divisão. Nesta temporada, o clube se tornou o primeiro time a vencer a Copa da Liga.[15]

Torcida do Aston Villa

A saída forçada de Mercer em 1964 assinalou um período de profunda agitação. De repente, um dos clubes mais bem sucedidos da Inglaterra estava lutando para manter o ritmo com as mudanças no futebol moderno e em 1967, sob o comando do técnico Dick Taylor, a equipe acabou novamente rebaixada.

Na temporada seguinte terminaram em décimo sexto na tabela da Segunda Divisão, e os fãs pediram ao conselho que renunciassem. Inicialmente, o conselho decidiu demitir Cummings (treinador contratado para substituir Taylor), mas era apenas uma questão de semanas para que todo o conselho renunciasse devido à pressão dos torcedores.[16]

Depois de muita especulação, o controle do clube foi comprado pelo financista de Londres Pat Matthews, que também trouxe Doug Ellis como presidente.[16] O novo proprietário não pôde impedir o declínio do seu clube recém-adquirido, de modo que pela primeira vez em sua história, o Villa chegou à Terceira Divisão na temporada de 1969-1970.

No entanto, o Aston gradualmente começou a se recuperar sob a gestão do ex-capitão do clube, Vic Crowe. Na temporada 1971-1972 voltou para a segunda divisão como campeão da terceira, com um recorde de setenta pontos.[17]

Em 1974, Ron Saunders assumiu a direção da equipe, comprovando sua eficácia ao vencer a Copa da Liga na temporada seguinte, e em 1975, ao levá-los de volta à primeira divisão.[18]

The Villans estavam de volta à elite, enquanto Saunders continuou a moldar uma equipe vencedora. Isso culminou na conquista do sétimo título da liga em 1981, após um jejum de mais de setenta anos. Apesar dessa hegemonia, e para a surpresa dos torcedores, Saunders é removido do cargo no meio da temporada de 1981-1982, após uma discussão com o presidente do clube, deixando o Aston nas quartas de finais da Copa Europeia.

Ele foi substituído por seu assistente, Tony Barton, que orientou o clube na vitória de 1 a 0 sobre o Bayern de Munique na final da Taça dos Campeões Europeus em Rotterdam, com gol de Peter Withe. Na temporada seguinte foi campeão da Supercopa Europeia, vencendo o Barcelona.[19] Mesmo sendo este um ponto alto na história do clube, o clube foi rebaixado poucos anos depois, em 1987. O Aston Villa subiu na temporada seguinte, sob comando de Graham Taylor, que também chegou ao vice campeonato da primeira Divisão na temporada 1989-1990.[20]

In the foreground is two men holding a large cup, they have claret scarves and a medal around their necks. Around them are ten old players in suits with medals and scarves around their necks
O time campeão da Liga dos Campeões de 1982 celebrando os 25 anos do título.

Em 1992, o Aston Villa foi um dos membros fundadores da Premier League e terminou a temporada inaugural da competição como vice campeão, atrás apenas do Manchester United. No resto dos anos noventa, no entanto, o Villa teve três técnicos diferentes e suas posições no campeonato eram inconsistentes, apesar de ter ganho duas Copas da Liga e regularmente alcançando classificação para a Copa UEFA.

Em 2000, chegou à final da FA Cup, mas acabou perdendo para o Chelsea por 1 a 0, realizado no antigo Estádio Wembley.[21] [22] O clube foi um dos três campeões da Copa Intertoto da UEFA de 2001 ao vencer o suiço Basel por 5 a 2 no placar agregado.[23]

Nas temporadas seguintes, o clube alternou seus resultados e treinadores, terminando em posições medianas na tabela, mas se estabilizando na primeira divisão. Em 2006, após 23 anos como presidente e maior acionista individual (aproximadamente 38%), Ellis finalmente decidiu vender sua participação no Aston Villa devido a problemas de saúde. Depois de muita especulação, foi anunciado que o clube estava sendo comprado pelo empresário norte-americano Randy Lerner, dono de um clube da NFL, Cleveland Browns.[24]

A chegada de um novo proprietário e o treinador Martin O'Neill marcou o início de um período de grandes mudanças ocorridas ao longo no clube, incluindo um novo emblema, um novo patrocinador e mudanças da equipe no verão de 2007.[25] [26] A primeira final da Era Lerner veio em 2010, quando Villa foi batido por 2 a 1 na Copa da Liga.[27] Villa fez uma segunda viagem de Wembley, mas perdeu de 3 a 0 para o Chelsea na semifinal da FA Cup. Apenas cinco dias antes do dia de abertura da temporada 2010-2011, O'Neill renunciou.[28]

O treinador do time B assumiu o clube antes de Gérard Houllier ser contratado em setembro de 2010. Houllier deixou o cargo em 1º de junho de 2011,[29] e foi substituído por Alex McLeish, do Birmingham, apesar de inúmeros protestos de torcedores contra a sua nomeação. Esta foi a primeira vez que um técnico havia se transferido diretamente de Birmingham para o Villa.[30] McLeish ficou apenas onze meses no cargo, e seu contrato foi encerrado no final da temporada 2011-2012, na qual o Villa ficou apenas em 16º lugar, apenas duas posições acima da zona de rebaixamento.[31] Ele foi substituido pelo então técnico do Norwich City, Paul Lambert.[32]

Uniforme e Cores[editar | editar código-fonte]

Camisa do clube.

Suas cores são camisa vermelha escura com as mangas azuis claro, shorts brancos com vermelho vinho e guarnição azul, meiões azuis com detalhes de vermelho escuro e branco.

As cores do Aston Villa ao princípio eram as camisas claras (brancas, cinza ou um tom de azul), com shorts brancos ou pretos. Por alguns anos depois (1877-79) a equipe usava uniformes diferentes, de todo branco, azul e preto, vermelho e azul ao verde claro. Em 1880, a camisa preta com um leão vermelho bordado no peito foi introduzida por William McGregor. Esta permaneceu como primeiro uniforme por seis anos.

Um novo escudo foi lançado em 2 de maio de 2007, para a temporada 2007-2008 e além. Ele inclui uma estrela para representar a conquista europeia em 1982, e tem uma luz de fundo azul atrás do "leão feroz". O lema tradicional "Preparado" permanece no emblema e o nome Aston Villa foi encurtado para AVFC, FC tem sido omitido do uniforme anterior. O leão está agora unificado em oposição aos leões fragmentadas do passado. Randy Lerner pediu os fãs para ajudarem com o projeto do novo uniforme.[25]

Em 2 de junho de 2008 foi anunciado que o Aston Villa iria renunciar o patrocínio principal para a temporada 2008-2009, em vez disso, iria anunciar uma instituição de caridade infantil, o primeiro negócio do género na história da Premiership.[33] A parceria continuou até 2010, quando um patrocinador comercial substituiu a caridade, que se tornou o Parceiro Oficial de caridade do clube.[34]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • Primeiro uniforme : Camisa grená com mangas azuis, calção branco e meias grenás;
  • Segundo uniforme : Camisa grená e branca, calção grená e meias brancas e grená.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2013-14
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme


  • 2012-13
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
  • 2011-12
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme
  • 2010-11
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme
  • 2009-10
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme
  • 2008-09
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Estádio[editar | editar código-fonte]

O CT Bodymoor Heath.

O atual centro de treinamento está localizado em Bodymoor Heath, no norte de Warwickshire, um sitio comprado pelo ex-presidente Doug Ellis na década de 1970 de um fazendeiro local. Embora Bodymoor Heath fosse moderno na época, ele ficou defasado no final da década de 1990.

Em novembro de 2005, Ellis e o Aston Villa anunciaram um investimento de £13 milhões para o redesenvolvimento de Bodymoor em duas fases. No entanto, o trabalho em Bodymoor foi suspenso por Ellis devido a problemas financeiros, e ficou inacabado, até o novo proprietário, Randy Lerner, fazê-lo uma de suas prioridades, que era tornar o CT um dos melhores do futebol mundial.

O novo campo de treinamento foi apresentado oficialmente em 6 de maio de 2007, pelo então treinador Martin O'Neill, o então capitão Gareth Barry e o capitão campeão da Liga dos Campeões de 1982, Dennis Mortimer.[35]

O primeiro estádio do clube foi o Perry Barr, e tinha vários problemas, como o acesso e um alto valor de aluguel. Como resultado, em 1894, o comitê Villa começou as negociações com os proprietários de terras do Aston Lower, "o melhor solo de esportes do distrito."

O Villa Park foi então inaugurado em 17 de abril de 1897 em um amistoso contra o Blackburn Rovers. O estádio, que passou por várias fases de renovação e desenvolvimento ao longo de sua história, é o maior em Midlands e o oitavo maior da Inglaterra. Ele já recebeu 16 jogos da seleção inglesa, o primeiro em 1899 e o mais recente em 2005, o que o fez ser o primeiro estádio inglês a organizar jogos internacionais em três séculos diferentes.

O Villa Park já recebeu mais semifinais da FA Cup do que qualquer outro estádio, 55 até à data. Além do futebol, o estádio tem visto vários concertos, juntamente com outros eventos desportivos, incluindo lutas de boxe e jogos de rúgbi. Em 1999, a última final da Taça dos Clubes Vencedores de Taças aconteceu no Villa Park e a FA Community Shield de 2012 também foi realizada no estadio. Também já sediou a Copa de 1966 e a UEFA Euro 1996.[36]

Panorama do Villa Park da bancada Trinity Road, mostrando, da esquerda para direita, a North Stand, a Doug Ellis Stand e a the Holte End

Proprietários e finanças[editar | editar código-fonte]

As primeiras ações do clube foram emitidas no final do século XIX devido à legislação que pretendia sistematizar o crescente número de equipes profissionais e jogadores de futebol na Inglaterra. As equipes da FA eram obrigadas a distribuir ações aos investidores como forma de facilitar a negociação entre os clubes. Este comércio continuou durante a maior parte do século XX até Doug Ellis começar a comprar muitas das ações na década de 1960. Ele foi o presidente e acionista substancial do "Aston Villa FC" de 1968-1975 e acionista majoritário de 1982-2006. O clube foi lançado na Bolsa de Londres em 1996, e o preço das ações oscilou nos dez anos após a emissão.[37] Em 2006 foi anunciado que consórcios e indivíduos estavam considerando propostas no Aston Villa.[38]

Em 14 de agosto de 2006, foi confirmado que Randy Lerner, dono do Cleveland Browns chegou a um acordo de £62.600.000 para a aquisição do clube. Um comunicado divulgado em 25 de agosto para a LSE anunciou que Lerner tinha garantido 59,69% das ações do Villa, tornando-se o acionista majoritário.[39] No último ano de Ellis no comando o Villa perdeu £8,2 milhões de impostos, em comparação com um lucro de £3m do ano anterior, e a renda tinha caído de £ 51.6m para £49m.[38] Lerner assumiu o controle total em 18 de setembro, ao ter 89,69% das ações. Em 19 de setembro de 2006, Ellis e sua diretoria renunciaram para serem substituídos por uma nova diretoria encabeçada por Lerner.[38] Lerner colocou Charles Krulak como um diretor não-executivo e Ellis foi premiado com o cargo honorário de Presidente Emérito.

Na temporada 2009–2010 o Aston Villa foi o vigésimo clube de futebol do mundo com maior receita, cerca de €109 milhões segundo um estudo da Deloitte. A maior parte dessa receita foi em parte devido a alta média de público em seu estádio, cerca de 38.600 ou 90% de ocupação.[40] Na temporada seguinte, o clube teve suas receitas diminuídas para €99,3 milhões, ocupando a vigésima quarta posição do ranking.[41] Nessa mesma temporada o clube anunciou um prejuízo de 54 milhões de libras, o maior da história do clube em uma única temporada.[42]

O atual uniforme do clube é fabricado pela Macron desde a temporada 2012-2013 com o contrato válido até maio de 2016, com um valor total de 15 milhões de libras, que substituiu a Nike (2007-2012).[42] O atual patrocinador principal do clube é o Genting Group, em um acordo de £8 milhões por temporada.[43] O clube também tem uma série de outros parceiros, que inclui EA Sports, FIAT, Heineken, Viagogo, MBNA, Coca Cola, Harvey Nichols e Crescent Express.[42]

Torcedores e rivalidades[editar | editar código-fonte]

Como muitos clubes ingleses de futebol, o Aston Villa teve vários grupos de hooligans associados: Villa Youth, Steamers, Villa Hardcore e a C-Crew, essa última foi a mais ativa nos anos 1970 e 1980. Em 2004, tordedores do Villa estavam envolvidos em uma briga com fãs do QPR fora do Villa Park, resultando em uma morte. Apesar disso, como pode ser visto em todo o futebol Inglês, os grupos de hooligans já foram marginalizados.[44]

Atualmente, um bom número de torcedores é organizado em clubes. A principal delas é o Oficial Aston Villa Supporters Club, que possui muitas seções regionais e internacionais. Durante o mandato de Doug Ellis havia vários outros clubes de fãs, mas a maioria desses foram dissolvidos depois de sua aposentadoria. O grupo My Old Man Said foi criado por David Michael, um jornalista e escritor, para defender os torcedores do Villa, e protestar contra a escolha de Alex McLeish como treinador.[45] Os torcedores do clube também publicar fanzines como Heroes e Villains and The Holy Trinity.

O clube criou um regime com o objetivo de aumentar sua torcida entre as minorias étnicas. Uma série de organizações foram criadas para o apoio da comunidade local, incluindo Aston Pride.[46] O programa Villa in the Community também foi criado para incentivar o apoio entre os jovens da região.[47] Os novos proprietários também iniciaram várias pesquisas que visam ganhar as opiniões dos fãs do Villa e envolvê-los no processo de decisão. As reuniões também ocorrem a cada três meses, onde os apoiantes são convidados por voto e são convidados a fazerem perguntas ao Conselho.[48]

O arqui rival do Aston Villa é o Birmingham City, com os jogos entre os dois clubes sendo conhecidos como o Second City Derby.[49] O Villa também tem outros rivais locais, como West Bromwich Albion, Wolverhampton Wanderers e o Coventry City. Historicamente, o West Brom tem sido um dos maiores rivais do clube. As duas equipes decidiram três finais da FA Cup no século 19.[50]

Na temporada de 2010-11, o West Bromwich Albion foi promovido e se juntou a Aston Villa, Wolverhampton Wanderers, e Birmingham City na Premier League. Isto marcou a primeira vez que os "quatro grandes de West Midlands" estavam juntos na primeira divisão inglesa desde a temporada 1983-1984. No entanto, o Birmingham foi novamente rebaixado no final da temporada 2010-11, enquanto Wolverhampton e Coventry foram rebaixados na temporada seguinte.[51]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

O jogador com maior número de partidas pelo clube é Charlie Aitken, que fez 660 jogos entre 1959 e 1976. Ele é seguido por Billy Walker, com 531 jogos entre 1919–1933. Walker também é o maior artilheiro da história do clube, com 244 gols, dois a mais que Harry Hampton, maior goleador do clube na Liga nacional (215 gols). Os outros que marcaram mais de 150 gols foram: John Devey (1891–1902), Joe Bache (1900–1914), Eric Houghton (1927–1946) e Tom 'Pongo' Waring (1928–1935).[52] Pongo é o maior goleador do clube em uma única temporada, tendo marcado 50 gols em 1930–31.[53]

O jogador do clube que mais serviu sua seleção foi o irlandês Steve Staunton, com 102 aparições (64 enquanto estava no clube).[54] Já pela Inglaterra foi Gareth Southgate, com 57 (42 enquanto estava no clube).[53] [54] O Aston Villa tem fornecido mais jogadores para seleção inglesa do que qualquer outro clube, 71 até à data.[55]

O Aston Villa atualmente detêm o número recorde de gols marcados por uma equipe da primeira divisão no futebol inglês; 128 na temporada 1930-31.[56] Archie Hunter se tornou o primeiro jogador a marcar em todas rodadas de uma edição da FA Cup, na campanha em que o Villa saiu vitorioso, em 1887. O Villa tem a maior invencibilidade em casa nessa competição, que durou 13 anos ou 19 jogos entre 1888-1901.[57] Também tem mais vitórias (133) e gols (452) do que qualquer outra equipe na história da Copa da Liga, sendo também seu o segundo maior campeão, com cinco títulos.[58] [59]

No final da temporada 2011-2012 o Aston Villa completou 101 temporadas no primeiro escalão do futebol Inglês, sendo superado apenas pelo Everton, com 109.[60] Aston Villa é um dos sete clubes que jogaram em todas as edições da Premier League, os outros seis são Arsenal, Chelsea, Everton, Liverpool, Manchester United e Tottenham Hotspur.

O Villa está em quinto na tabela geral de toda as edições da Liga nacional, e também é o quinto com maior número de títulos da primeira divisão, com sete conquistas,[59] sendo um dos cinco times ingleses que ganharam a Liga dos Campeões, conquistada em 1982, em Roterdã, ao bater o Bayern por 1 a 0, graças ao gol de Peter Withe.[61]

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Notaveis jogadores[editar | editar código-fonte]

Houve muitos jogadores que podem ser chamados de notáveis ​​ao longo da história do Aston Villa. Estes podem ser classificados em diversas formas. Os Halls of Fame e prêmios de jogadores do ano são indicadas abaixo. Até fevereiro de 2011, Aston Villa tinha fornecido internacionais mais do que Inglaterra qualquer outro clube, com 71 convocados.[62]

O Villa teve vários jogadores que jogaram toda sua carreira somente pelo clube. Em 1998, para comemorar a temporada número 100 da Football League, a Liga divulgou uma lista intitulada "Football League 100 Legends", que consistiram de "100 lendários jogadores de futebol." Sete jogadores que haviam jogado pelo Villa foram nela incluídos: Danny Blanchflower, Trevor Ford, Archie Hunter, Sam Hardy, Paul McGrath, Peter Schmeichel e Clem Stephenson.[63]

Três jogadores do Aston Villa venceram o prêmio Futebolista Inglês do Ano pela PFA. No final de cada temporada do futebol Inglês, os membros da Associação de Futebolistas Profissionais votam no qual dos seus membros tem jogado o melhor futebol no ano anterior. Em 1977, Andy Gray ganhou o prêmio. Em 1990, foi atribuído a David Platt, enquanto Paul McGrath venceu em 1993.

O prêmio de Jovem Jogador do Ano, que é concedido aos jogadores com menos de 23 anos, foi atribuído a quatro jogadores do Aston Villa: Andy Gray em 1977; Gary Shaw em 1981; Ashley Young em 2009 e James Milner em 2010. O Museu de Futebol Inglês, em Preston, Lancashire administra o Hall da Fama do Futebol Inglês, que atualmente contém duas equipes do Villa, dois jogadores e um treinador.

As equipes de 1890 e de 1982 foram introduzidas no Hall da Fama em julho de 2009. Joe Mercer foi introduzido no Hall of Fame como gestor. Os dois únicos jogadores do Villa no "Hall of Fame" são Danny Blanchflower e Peter Schmeichel.[64]

Em 2006, Aston Villa anunciou a criação de um "Hall da Fama do Aston Villa". Foi feita uma votação pelos fãs e houve a indicação de 12 jogadores em 2006, sendo que Ron Saunders foi indicado como técnico.[65]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 15 de Setembro de 2014.[66]
Legenda
  • Capitão: Capitão
  • PenalizadoExpulso: Jogador suspenso
  • Lesionado: Jogador lesionado


Goleiros
Jogador
1 Estados Unidos Brad Guzan
31 República da Irlanda Shay Given
Defensores
Jogador Pos.
2 Inglaterra Nathan Baker Z
4 Países Baixos Ron Vlaar Capitão Z
5 Costa do Marfim Dinamarca Jores Okore Z
6 Inglaterra República da Irlanda Ciaran Clark Z
14 Suíça Philippe Senderos Z
32 Santa Lúcia Janoi Donacien Z
21 Escócia Alan Hutton LD
34 Inglaterra Matthew Lowton LD
3 Inglaterra Joe Bennett LE
35 República da Irlanda Enda Stevens LE
18 Inglaterra Richardson LE
- França Aly Cissokho LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
17 Austrália Chris Herd V
8 Países Baixos Marrocos Karim El Ahmadi V
22 Inglaterra Gary Gardner V
- Inglaterra Tom Cleverley V
7 Países Baixos Leandro Bacuna M
12 Inglaterra Joe Cole M
15 Inglaterra Ashley Westwood M
16 Inglaterra Fabian Delph M
24 Bulgária Aleksandar Tonev M
28 França Charles N'Zogbia M
36 Jamaica Daniel Johnson M
40 Inglaterra Jack Grealish M
Atacantes
Jogador
10 Áustria Andreas Weimann
11 Inglaterra Gabriel Agbonlahor
19 Inglaterra Darren Bent
20 Bélgica Christian Benteke
27 República Checa Libor Kozák
37 Inglaterra Callum Robinson
38 República da Irlanda Graham Burke
Comissão técnica
Nome Pos.
Escócia Paul Lambert T

Transferências para 2014-15[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 02 de Setembro de 2014.[67]
Legenda
  • Empréstimo Jogadores que chegaram por empréstimo;
  • Retornaram após empréstimo Jogadores que retornaram de empréstimo;
  • Saindo por empréstimo Jogadores emprestados;
  • Fim de contrato Jogadores que saíram após o fim do contrato.


Técnicos Notaveis[editar | editar código-fonte]

Nome Nacionalidade Período Jogos Vitória Empates Derrotas
Começo Fim
George Ramsay Escócia 1884 1926 - - - -
Jimmy Hogan  Inglaterra 1936 1939 124 57 41 26
Eric Houghton  Inglaterra 1953 1958 250 88 97 65
Joe Mercer  Inglaterra 1958 1964 282 120 99 63
Ron Saunders  Inglaterra 1974 1982 353 157 98 98
Tony Barton  Inglaterra 1982 1984 130 58 48 24
Jozef Venglos  Tchecoslováquia 1990 1991 49 16 18 15
Ron Atkinson  Inglaterra 1991 1994 178 77 56 45
Brian Little  Inglaterra 1994 1998 164 68 51 45
John Gregory  Inglaterra 1998 2002 190 82 56 52

Títulos oficiais[editar | editar código-fonte]

Para mais informações, ver Títulos de Aston Villa
Continentais
Competição Títulos Temporadas
Coppacampioni.png Liga dos Campeões da UEFA 1 1982
Supercup.png Supercopa Europeia 1 1983
Coppa Intertoto.svg Copa Intertoto 1 2001
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Premier league trophy icon.png Football League da primeira divisão 7 1894, 1896, 1897, 1899, 1900, 1910, 1981
FA Cup.png Copa da Inglaterra 7 1887, 1895, 1897, 1905, 1913, 1920, 1957
Carling.png Copa da Liga Inglesa 5 1961, 1975, 1977, 1994, 1996
CommunityShield.png Supercopa da Inglaterra 1 1981*
Football League War Cup 1 1944*
Liga.png Football League da segunda divisão 2 1938, 1960
Liga.png Football League da terceira divisão 1 1972

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aston Villa F.C.

Referências

  1. [Site RSSSF Ranking Histórico do Campeonato Inglês da Primeira Divisão]
  2. Cup presented to Aston Villa founder member Jack Hughes is back with his family Birmingham Mail (26 de novembro de 2007). Visitado em 11 de julho de 2012.
  3. Hayes p. 183.
  4. a b Villa History 1874 – 1887 AVFC.co.uk. Visitado em 2007-06-26. Cópia arquivada em 2006-04-05.
  5. Aston Villa Hall of Fame
  6. Club History 1888 – 1899 (em inglês) AVFC.co.uk. Visitado em 03 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 24-08-2006.
  7. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 192.
  8. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; pp. 33–36.
  9. Hayes, Dean; p. 170.
  10. Club History 1900 - 1939 (em inglês) AVFC.co.uk. Visitado em 03 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 24-08-2006.
  11. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 71.
  12. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 75.
  13. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; pp. 86–87.
  14. Villa History 1946 – 1949 (em inglês) AVFC.co.uk. Visitado em 3 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 24-08-06.
  15. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 93.
  16. a b Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 100.
  17. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 106.
  18. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 111.
  19. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 148.
  20. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; p. 155.
  21. Aston Villa (em inglês) Football Club History Database Richard Rundle. Visitado em 03 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 2012-08-04.
  22. Título não preenchido, favor adicionar (em inglês) BBC Sport (20 de maio de 2000). Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  23. Ward, Adam, p.184
  24. Lerner set to complete Villa deal (em inglês) BBC Sport (27 de setembro de 2006). Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  25. a b The Aston Villa Hit: The Current Crest Aston Villa F.C. Visitado em 19 March 2012.
  26. Villa secure new kit deal with Nike (em inglês) ESPNsoccernet (7 de fevereiro de 2007). Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  27. McNulty, Phil (28 de fevereiro de 2010). Aston Villa 1–2 Man Utd (em inglês) BBC Sport. Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  28. Club Statement: Martin O'Neill (em inglês) (9 de agosto de 2010). Visitado em 03 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2010.
  29. Gerard Houllier leaves role as Aston Villa manager BBC Sport (1 de junho de 2011). Visitado em 11 de julho de 2012.
  30. Título não preenchido, favor adicionar (em inglês) BBC Sport (17 de junho de 2011). Visitado em 03 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 17 de junho de 2011.
  31. [1] BBC Sport - Alex McLeish sacked as Aston Villa manager
  32. Aston Villa appoint Paul Lambert from Norwich as new manager (em inglês) BBC Sport (2 de junho de 2012). Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  33. Gardner, Alan. "Aston Villa to promote charity in place of shirt sponsor", The Guardian, 3 June 2008. Página visitada em 3 June 2008.
  34. "Villains pen sponsorship deal", ITV Sport, 11 June 2011. Página visitada em 13 March 2012.
  35. Gaffer On BMH
  36. The stadium guide
  37. Company Histories & Profiles: Aston Villa plc (em inglês) FundingUniverse.com. Visitado em 11 de julho de 2012.
  38. a b c Austin, Simon. "End of Ellis era", BBC Sport, 19 September 2006. Página visitada em 15 September 2008.
  39. Conn, David. "Ellis rolls away from his nice Villa earner", 23 August 2006. Página visitada em 19 March 2012.
  40. Top 20 clubs Deloitte Football Money League 2011 (PDF) (em inglês). Visitado em 04 de janeiro de 2013.
  41. Top 20 clubs Deloitte Football Money League 2012 (PDF) (em inglês). Visitado em 04 de janeiro de 2013.
  42. a b c Aston Villa announce £53.9m loss for 2010–11 financial year (em inglês) BBC. Visitado em 03 de janeiro de 2013.
  43. Alex Miller e Nick Harris. Premier League shirt deals hit £147m record high thanks to north-east boom (em inglês) sportingintelligence.com. Visitado em 10 de novembro de 2012.
  44. Brown, Danny; Brittle, Milo; p. 1.
  45. James, Stuart. Aston Villa supporters pay for advert urging Alex McLeish to go The Guardian. Visitado em 5 May 2012.
  46. Aston Villa Supporters' Trust
  47. Villa in the Community
  48. Aston Villa Supporters Survey Website Aston Villa F.C. Visitado em 15 September 2008.
  49. Matthews, Tony. The Encyclopedia of Birmingham City Football Club 1875–2000. Cradley Heath: Britespot, 2000. p. 17. ISBN 978-0-9539288-0-4.
  50. Club rivalries uncovered (PDF) The Football Fans Census. Visitado em 15 September 2008. Cópia arquivada em 10 September 2008.
  51. Dawkes, Phil. "Tottenham 2–1 Birmingham", BBC Sport, 22 May 2011. Página visitada em 19 March 2012.
  52. História do Aston Villa (em inglês) Aston Villa Player Database. Visitado em 19 de julho de 2012.
  53. a b AVFC Hall of Fame (em inglês) Aston Villa F.C.. Visitado em 16 de julho de 2012.
  54. a b Aston Villa Football Club (em inglês) eu-football. Visitado em 16 de julho de 2012.
  55. England Players Supplied by Aston Villa (em inglês) lerwill-life.org.uk.com. Visitado em 16 de julho de 2012.
  56. League Records: Goals (em inglês) The Football League. Visitado em 10 de agosto de 2012.
  57. Goodyear, David; Matthews, Tony; p. 168.
  58. English League Cup : All Time Table (em inglês) statto.com. Visitado em 14 de julho de 2012.
  59. a b All-time English Honours Table KryssTal. Visitado em 02 de agosto de 2012.
  60. Pietarinen, Heikki (15 de julho de 2011). England – First Level All-Time Tables 1888/89–2011/12 (em inglês) Rec.Sport.Soccer Statistics Federation. Visitado em 9 de janeiro de 2013.
  61. Ward, Adam; Griffin, Jeremy; pp. 130–135.
  62. "Head of the class", Sky Sports online, 17 de novembro de 2009. Página visitada em 10 de agosto de 2012.
  63. "Sport: Football Legends list in full", BBC News, 5 August 1998. Página visitada em 19 March 2012.
  64. Latest news – Hall of Fame National Football Museum. Visitado em 10 de agosto de 2012.
  65. Hall Of Fame
  66. Elenco Atual
  67. Transfermarkt Aston Villa FC