Cabo Verde (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Cabo Verde
"Cidade do Café"
Bandeira desconhecida
Brasão de Cabo Verde
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 30 de outubro de 1862
Gentílico cabo-verdense
Prefeito(a) Claudio Augusto Siqueira (PSDB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Cabo Verde
Localização de Cabo Verde em Minas Gerais
Cabo Verde está localizado em: Brasil
Cabo Verde
Localização de Cabo Verde no Brasil
21° 28' 19" S 46° 23' 45" O21° 28' 19" S 46° 23' 45" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião São Sebastião do Paraíso IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Monte Belo, Areado, Divisa Nova, Botelhos, Caconde (SP) e Muzambinho
Distância até a capital 475 km
Características geográficas
Área 367,470 km² [2]
População 13 823 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 37,62 hab./km²
Altitude 927 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,674 médio PNUD/2013[4]
PIB R$ 206 898,315 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 14 753,16 IBGE/2008[5]
Página oficial

Cabo Verde é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na microrregião de São Sebastião do Paraíso.

História[editar | editar código-fonte]

Curiosa é a história do nome do município, no sul do Minas Gerais, com a sede a 950 metros acima do nível do mar. Tem como maior produção e fonte de renda econômica o Café.

O povoado surgiu ao redor da capela erguida em honra a Nossa Senhora do Rosário do Cabo Verde, em 1766.

Em outubro de 1866, elevou-se a município e em 1877 adquiriu foro de município.

Cabo Verde teve um de seus filhos ilustres, o Tte. Cel. Luís Antônio de Morais Navarro, que militando na politca foi Chefe do Partido Liberal local, titulado por S.M.I. Dom Pedro II o segundo barão de Cabo Verde, em 3 de agosto de 1889, decreto registrado no Livro XII, pag. 120, Seção Histórica do Arquivo Nacional.

Barão de Cabo Verde – Luiz Antonio de Moraes Navarro

Já em 25 de abril de 1868 havia recebido o grau Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa, pelos relevantes serviços prestados a cidade, inclusive, na qual a sua família possuía a fazenda Anhumas com um engenho de açúcar, (e ainda seria presidente de sua Câmara Municipal, em dois períodos: de 15 de janeiro de 1881 a 6 de abril de 1881 e de 7 de março de 1892 a 6 de novembro de 1894) e ao município vizinho, Muzambinho/MG.

Aos 9 de janeiro de 1881, o futuro barão de Cabo Verde empossou outro cabo-verdense ilustre, Cesário Cecílio de Assis Coimbra - avô materno do futuro 19º Presidente do Brasil, em 1955, Carlos Coimbra da Luz - como o primeiro presidente da Câmara Municipal de Muzambinho/MG.

Em 18 de junho de 1881, teve o seu grau, na Imperial Ordem da Rosa, elevado para Comendador em reconhecimento a sua atuação política administrativa em prol da região.

Um de seus filhos, também cabo-verdense, o Cel. Francisco Navarro de Moraes Salles - que era casado com Delminda America Pereira de Magalhães Navarro, filha do Professor Major Joaquim Leonel Pereira de Magalhães e de Ana Custodio de Moraes Navarro de Magalhães, irmã do Barão de Cabo Verde - dirigiu por mais de 20 anos os destinos políticos de Muzambinho, como presidente da Câmara Municipal, por várias legislaturas (de 1894 a 1904 - de 1912 a 1913 - de 1925 a 1930), estreitando ainda mais os laços que já eram existentes entre as duas cidades.

Baronesa de Cabo Verde – Josefa Amelia dos Santos Bueno de Moraes Navarro

O segundo barão de Cabo Verde foi casado com Josefa Amelia dos Santos Bueno de Moraes Navarro, Baronesa de Cabo Verde. Faleceu o barão em 6 de janeiro de 1901, aos 71 anos, no mesmo solo em que nasceu e onde, também, foi sepultado - Cabo Verde.

Duas versões explicam a origem do nome do município. A primeira conta que ele teria sido dado pelos irmãos Veríssimo de Carvalho, desbravadores da região, porque o local se assemelhava à Ilha de Cabo Verde, terra natal deles. A versão mais aceita, porém, conta que o lugar, rico em jazidas minerais, atraiu um grande número de garimpeiros em busca de ouro e pedras preciosas. Um dia,surpreendidos por uma tempestade às margens do ribeirão Assunção, eles deixaram suas ferramentas ao fugir em busca de abrigo. Ao retornarem, vários dias depois, encontraram uma das enxadas com o cabo cheio de brotos. Daí o nome Cabo Verde.

Com festas regionalmente conhecidas, como o Baile à Fantasia, o Carnaval, e a Festa do Peão, Cabo Verde atrai sempre visitantes.

Economia[editar | editar código-fonte]

Cabo Verde, além da excelente produção de Café, possui também outras produções agropecuárias, como Confinamentos de Bovinos e Suínos. Possuía, outrora, uma excelente produção de polvilho, hoje extinta. Também conta com a presença da produção têxtil e de laticínios.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 21º28'19" sul e a uma longitude 46º23'46" oeste, estando a uma altitude de 927 metros. De acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2010, sua população é de 13.823 habitantes.[3]

Possui uma área de 368,52 km². A densidade demográfica é de 39,34 hab/km².

Os municípios limítrofes são Monte Belo a norte, Areado a nordeste, Divisa Nova a leste, Botelhos a sul, Caconde (SP) a oeste e Muzambinho (MG) a noroeste.

Possui os distritos de Serra dos Lemes e São Bartolomeu de Minas.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Há vários rios e arroios, dentre eles, os principais são: Rio Cabo Verde, e o Córrego Nossa Senhora do Assunção.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de Guaxupé.

Figuras ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Veja aqui o IDHM do seu município. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2013). Página visitada em 29 de julho de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Lago de Furnas
Aguanil | Alfenas | Alpinópolis | Alterosa | Areado | Boa Esperança | Cabo Verde | Camacho | Campo Belo | Campo do Meio | Campos Gerais | Cana Verde | Candeias | Capitólio | Carmo do Rio Claro | Coqueiral | Cristais | Divisa Nova | Elói Mendes | Fama | Formiga | Guapé | Ilicínea | Itapecerica | Lavras | Nepomuceno | Paraguaçu | Perdões | Pimenta | Ribeirão Vermelho | São João Batista do Glória | São José da Barra | Três Pontas | Varginha