Grande Prêmio do Canadá de 2012 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 de 2012
Circuit Montreal.png
Grande Prêmio do Canadá de 2012 (Fórmula 1).
Detalhes da corrida
Data 10 de junho de 2012
Nome oficial Grand Prix du Canada
Local Circuito Gilles Villeneuve
Percurso 4,361 km
Total 70 voltas / 305,270 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault
Tempo 1:13.784
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault
Tempo 1:15.752 (na volta 70)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes
Segundo
França Romain Grosjean Lotus-Renault
Terceiro
México Sergio Pérez Sauber-Ferrari


O Grande Prêmio do Canadá de 2012 foi a sétima corrida da temporada de 2012 da Fórmula 1.[1] A prova foi disputada no dia 10 de junho no Circuito Gilles Villeneuve, na cidade de Montreal.

Jenson Button foi o vencedor da edição anterior, que por causa da chuva foi o mais longo Grande Prêmio na história da Fórmula 1, com uma duração de 4 horas.[2] Completaram o pódio Sebastian Vettel e Mark Webber. Os seguintes pilotos ativos ganharam esta competição: Fernando Alonso, Lewis Hamilton, Jenson Button, e Michael Schumacher.

Lewis Hamilton foi o vencedor da prova de 2012 na 43ª edição do Grande Prêmio do Canadá, Hamilton venceu também em 2007 e 2010.

Relatório[editar | editar código-fonte]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1 — primeira parte

O treino classificatório teve inicio no horário previsto sob sol. Já no inicio, quase todos os pilotos foram para a pista. Hamilton foi o primeiro a fazer volta rápida, com 1m16s232mil, sendo batido em seguida por Perez, Kobayashi e Alonso. Massa abortou uma volta rápida em que tinha as melhores parciais e na seguinte cometeu um erro, que fez com que perdesse a passagem seguinte também. Com oito minutos de treino apenas Vettel ainda não tinha ido para a pista. Hamilton e Massa fizeram bons tempor e ficaram com o segundo e o terceiro tempos. Faltando oito minutos para o fim Schumacher fez o melhor tempo, sendo batido por Vettel em seguida. Senna, com pneus super macios, conseguiu a sétima posição. Button, também com supermacio foi o segundo. Com cronômetro zerado, Vergne e Ricciardo, os dois companheiros na Toro Rosso, disputavam a passagem para o Q2. Vergne levou a pior. O melhor tempo ficou com o alemão Vettel com 1m14s661mil e os eliminados foram Kovalainen, Petrov, Vergne, De la Rosa, Glock, Pic e Karthikeyan.[3]

Q2 — segunda parte
Vetel foi o pole position.

Após três minutos do início todos os carros estavam na pista congestionando a sessão. O primeiro a marcar a melhor volta foi Rosberg, que, em seguida, foi batido por Hamilton, porém logo Vettel bateu os dois com 1m14s187mil, o melhor tempo do final de semana. Em suas primeiras tentativas Massa foi o sétimo, Senna o nono e Alonso o décimo quinto. Alonso, por sua vez, foi o primeiro piloto a fazer uma segunda tentativa no Q2, já usando o pneu super macio, marcando o segundo tempo, dois décimos mais lento que Vettel, o líder. Alguns pilotos, como Hamilton, Rosberg e Schumacher sequer tentaram novamente, pois já estavam entre os primeiros. Massa estava fora da terceira parte no final da sessão e era um dos que tentava melhorar. Em sua primeira tentativa a volta não foi boa e na segunda conseguiu apenas a décima posição. Atrás dele ainda restavam Grosjean, Raikkonen e Hulkenberg, que o superaram. Na última tentativa, a terceira do pneu super macio, ele conseguiu o oitavo tempo.[4] Em seguida ele foi superado mais uma vez por Grosjean e seria superado também por Maldonado, entretanto o venezuelano bateu no “muro dos campeões” com a roda traseira direita e perdeu a volta.[4] Com isso passaram para o Q3 Vettel, Alonso, Hamilton, Webber, Schumacher, Rosberg, Grosjean, Di Resta, Massa e Button. Os eliminados, pela ordem de largada, foram Kobayashi, Raikkonen, Hulkenberg, Ricciardo, Perez, Senna e Maldonado.[3]

Q3 — terceira parte

Button e Hamilton foram os primeiros a marcar volta, entretanto foram muito lentos e, logo em seguida, foram batidos por Rosberg. Massa fez o melhor tempo na primeira tentativa. Na segunda tentativa de Hamilton ele bateu o tempo de Felipe e Vettel, mais uma vez, bateu os dois, com 1m13s905mil, o primeiro a baixar de 1m14s. Alonso foi o segundo e Webber o quinto. Di Resta não saiu dos boxes. Button, na nona posição, foi o único piloto a não usar o pneu super macio na classificação, por não esperar um grande resultado ele pensou na estratégia de corrida. Com dois minutos para o fim do Q3 os pilotos voltaram para a pista para mais uma tentativa. Nela Vettel fez o melhor tempo em 1m13s784mil, tempo que lhe garantiu a pole position. Hamilton marcou 1m14s087mil e foi o segundo, Alonso garantiu a terceira posição. Webber fez boa volta e assegurou o quarto lugar em sua última tentativa, fazendo Rosberg cair para quinto e Massa para sexto no final.[3]

Grid de largada.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Hamilton venceu a prova.

A corrida teve início no horário previsto sob forte calor e com temperaturas altíssimas na pista. Na largad, Vettel manteve tranquilamente a liderança. Hamilton e Alonso o seguiam com alguma distância. O brasileiro Massa rodou e escapou da pista na curva 1 e caiu de quinto para 12º lugar. Ele também iniciou a 1ª rodada de pit stops, na 13ª volta, quando passou a usar os pneus macios. Logo depois Di Resta e Schumacher fizeram o mesmo, com Button parando na passagem seguinte mesmo sendo o único piloto entre os primeiros que não estava usando o pneu super macio. Com Hamilton bem próximo de Vettel, o alemão parou na 16ª volta, sendo que Hamilton faz o mesmo na 17ª quando Alonso estava seguindo-o de perto, com possibilidades de ultrapassagem.[5]

Hamilton voltou do boxes na frente de Vettel, porém perdeu a posição para Alonso, que também fez sua parada na 19ª volta. Sem perder muito tempo, e aproveitando que os pneus de Alonso estavam frios, Hamilton usou a asa móvel e sua boa velocidade de reta para recuperar posição em cima do piloto da Ferrari. Com o pit stop de Grosjean na 21ª volta ele assumiu a liderança. E abriu vantagem com muita tranquilidade para administrar a prova.[5]

Raikkonen, Perez e Kobayashi adotaram estratégia diferente e retardaram suas paradas o quanto puderam para que conseguissem fazer apenas uma troca de pneus. Raikkonen era o quarto colocado e Perez o quinto, sendo que, na metade da prova eles estavam apenas cerca de 4 segundos atrás de Vettel, o terceiro. Nas voltas 40, 41 e 42, os três pilotos fizeram suas paradas únicas, com vantagem para Perez, que ganhou muito tempo com isso.[5]

Hamilton, Alonso e Vettel tinham diferença de cerca de 3 segundos entre eles. O alemão Schumacher saiu dos boxes com a asa traseira aberta e teve de abandonar. Na volta 50 Hamilton fez seu último pit stop quando começava a perder rendimento dos pneus. Um leve atraso por parte da McLaren chegou a aumentar o risco dele perder uma vitória que estava destinada ao inglês. Mesmo assim ele voltou mais rápido que Alonso e em duas voltas ele já era cerca de um segundo mais rápido que o espanhol, que liderava a prova. Quando faltavam apenas 15 voltas para o final da corrida a McLaren avisou Hamilton que Alonso não deveria mais parar nos boxes. Hamilton estava 9 segundos atrás e teria de apertar o ritmo para conseguir vencer. Com isso ele passou a ser cerca de 1 segundo mais rápido que Vettel e 1 segundo e meio mais rápido que Alonso por volta. Vettel, Alonso e também Massa, que vinha mais atrás, optaram por não parar mais e passaram e ter ritmo muito lento. Massa chegou a ser superado por Perez, Rosberg e Webber e acabou fazendo uma troca tardia na 59ª volta, o que o jogou para a décima posição.[5]

Diminuindo drasticamente a diferença, Hamilton chegou em Vettel na 61ª volta, ainda sem espaço para passar no final da reta. Usando a asa móvel ele ganhou a segunda posição do alemão na passagem seguinte e com isso já cruzou a linha a 2 segundos de Alonso, em quem ele chegou no final da volta. Na 64ª volta Hamilton passou Alonso. Vettel resolveu trocar seus pneus, mas Alonso permaneceu na pista e perdeu posições ainda para Grosjean, que terminou em segundo, Perez, o terceiro e para Vettel novamente, de tão lento que estava. Hamilton administrou tranquilamente a vantagem para se tornar o sétimo piloto diferente a vencer em sete corridas,a lém de passar a ser o novo líder do mundial.[5]

Resultado da prova.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Equipe Q1 Q2 Q3 Largada
1 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 1:14.661 1:14.187 1:13.784 1
2 4 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 1:14.891 1:14.371 1:14.087 2
3 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 1:14.916 1:14.314 1:14.151 3
4 2 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 1:14.956 1:14.479 1:14.346 4
5 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:15.098 1:14.568 1:14.411 5
6 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 1:15.194 1:14.641 1:14.465 6
7 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 1:15.163 1:14.627 1:14.645 7
8 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 1:15.019 1:14.639 1:14.705 8
9 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 1:14.892 1:14.480 1:14.812 9
10 3 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 1:14.799 1:14.680 1:15.182 10
11 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 1:15.101 1:14.688 11
12 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 1:14.995 1:14.734 12
13 12 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 1:15.107 1:14.748 13
14 16 Austrália Daniel Ricciardo Toro Rosso-Ferrari 1:15.552 1:15.078 14
15 15 México Sergio Pérez Sauber-Ferrari 1:15.326 1:15.156 15
16 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 1:14.995 1:15.170 16
17 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 1:14.979 1:15.231 17
18 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 1:16.263 18
19 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 1:16.482 19
20 17 França Jean-Éric Vergne Toro Rosso-Ferrari 1:16.602 20
21 22 Espanha Pedro de la Rosa Hispania-Cosworth 1:17.492 21
22 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth 1:17.901 22
23 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 1:18.255 23
24 23 Índia Narain Karthikeyan Hispania-Cosworth 1:18.330 24
107% tempo: 1:19.887
Fonte:[6]

Corrida[editar | editar código-fonte]

# Piloto Equipe Voltas Tempo Grid Pontos
1 4 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 70 1:32:29.586 2 25
2 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 70 +2.513 7 18
3 15 México Sergio Pérez Sauber-Ferrari 70 +5.260 15 15
4 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 70 +7.295 1 12
5 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 70 +13.411 3 10
6 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 70 +13.842 5 8
7 2 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 70 +15.085 4 6
8 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 70 +15.567 12 4
9 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 70 +24.432 11 2
10 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 70 +25.272 6 1
11 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 70 +37.693 8
12 12 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 70 +46.236 13
13 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 70 +47.052 22
14 16 Austrália Daniel Ricciardo Toro Rosso-Ferrari 70 +1:04.475 14
15 17 França Jean-Éric Vergne Toro Rosso-Ferrari 69 +1 Volta 19
16 3 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 69 +1 Volta 10
17 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 69 +1 Volta 16
18 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 69 +1 Volta 17
19 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 69 +1 Volta 18
20 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 67 +3 Volta 23
Ret 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth 56 Sistema de freios 21
Ret 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 43 DRS 9
Ret 22 Espanha Pedro de la Rosa Hispania-Cosworth 24 Sistema de freios 20
Ret 23 Índia Narain Karthikeyan Hispania-Cosworth 22 Sistema de freios 24
Fonte:[7]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.

Referências

  1. Calendário da F1 de 2012 confirmado. Autosport (31 de agosto de 2011). Página visitada em 20 de março de 2012.
  2. Gobo Esporte.com (13 de junho de 2011). Em cinco capítulos, o caótico GP do Canadá, vencido pelo heroico Button. Página visitada em 20 de março de 2012.
  3. a b c Carlos Eduardo Garcia (9 de junho de 2012). Sebastian Vettel garante segunda pole do ano no Canadá (shtml) (em português). Quatro Rodas. Página visitada em 9 de junho de 2012.
  4. a b Sebastian Vettel crava a pole no Canadá (php) (em português). F1 Mania (9 de junho de 2012). Página visitada em 9 de junho de 2012.
  5. a b c d e Carlos Eduardo Garcia (10 de junho de 2012). Hamilton é o 7º vencedor diferente de 2012; Grosjean e Perez fecham pódio (shtml) (em português). Quatro Rodas. Página visitada em 11 de junho de 2012.
  6. Formula 1 Grand Prix du Canada 2012 - Qualyfing (em inglês). Formula 1™ - The Official F1™ Website (8 de junho de 2012). Página visitada em 8 de junho de 2012.
  7. Results — Formula 1 Grand Prix du Canada 2012 (em inglês). Formula 1™ - The Official F1™ Website. Página visitada em 13 de junho de 2012.
  8. a b Canada 2012 (em francês). Stats F1 (11 de junho de 2012).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Grande Prêmio do Canadá de 2012 (Fórmula 1)
Precedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 2012
Mundial de Fórmula 1 da FIA
Temporada de 2012
Sucedido por
Grande Prêmio da Europa de 2012
Precedido por
Grande Prêmio do Canadá de 2011
Grande Prêmio do Canadá
43ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio do Canadá de 2013