Jardim Zoológico de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.


Jardim Zoológico de Curitiba
Girafas do Zoológico
Localização Curitiba, Paraná,  Brasil
Área 530 mil m²
Inauguração 1981

O Jardim Zoológico de Curitiba ocupa uma área de 530 mil e possui exemplares da fauna de todas as partes do mundo. São leões, tigres, chimpanzés, hipopótamos, girafas, zebras, camelos, grous, ariranhas e dezenas de outras espécies, que representam aproximadamente 1.400 animais[1] . As condições ideais de tratamento possibilitam a reprodução em cativeiro de animais como a lontra, o bisão, o lobo-guará, a arara-de-colar e a ararajuba. Na Casa do Acantonamento acontecem aulas de educação ambiental para crianças. Lanchonetes, banheiros, abrigos e um mirante de 40 metros de altura completam a infra-estrutura.

O Zoológico está situado dentro do Parque Regional do Iguaçú, o maior parque urbano do país, com 8 milhões de metros quadrados, um santuário ecológico para muitas espécies. A infra-estrutura oferece estacionamento, sanitários e lanchonetes. O Parque é cortado pelo rio Iguaçu que forma campos inundados e matas ciliares em suas margens. Bosques naturais completam a paisagem.

No final de 2006, três filhotes de leão nasceram no Jardim Zoológico e a RPC TV propôs uma campanha para escolher o nome deles.

Imperatriz, a fêmea chimpanzé, é a mais velha habitante do Zôo, fez 44 anos em 2010, nascida num circo em 1966, ela foi adotada pelo município.

A rara ave migratória mergulhão-de-orelha, todos os anos visita o Zoológico de Curitiba para buscar alimentos nas cavas do Rio Iguaçu. Ela vem da Patagônia.

No final de 2010 o zoo recebeu novos moradores. Dois filhotes de lontra e um de babuíno que nasceram dentro do zoológico. As lontra longicaudis (machos batizados de Adolfo e Astolfinho) e uma espécie ameaçada de extinção e é muito raro o nascimento em cativeiro. O Zoológico de Curitiba foi um dos primeiros no país a ter sucesso na reprodução de lontras. O primeiro nascimento da espécie aconteceu no começo da década de 1990. Quanto ao filhote de babuíno que nasceu no mesmo mês que as lontras, tem como pai um babuino que foi incorporado ao zoológico em 2008, quanto foi entregue pelo IBAMA vindo de um circo de Foz do Iguaçú, onde o animal sofria maus tratos[2] .

No dia 16 de agosto de 2011 faleceu a moradora mais antiga do zoológico até então. A chimpanzé Imperatriz (1964-2011) faleceu de causas naturais e morava no zoo desde 1981[3] .

Referências

  1. O dragão invade o zoológico Gazeta do Povo - domingo, 5 de dezembro de 2010
  2. Lontras e babuíno, novos moradores do Zoo Paraná - Online - terça, 7 de dezembro de 2010
  3. Morre animal mais antigo do Zoológico de Curitiba Portal de Notícias GRPcom (Gazeta do Povo) - consultado em 19 de agosto de 2011
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.