Rodoferroviária de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rodoferroviária de Curitiba
Plataformas de embarque
Uso atual Terminal Rodoferroviário
Localização Avenida Presidente Affonso Camargo, 330 (Jardim Botânico) - Curitiba, PR
Linhas Rodoviárias
-Nacionais
Paraná
Santa Catarina
Rio Grande do Sul
Região Sudeste, Centro-Oeste e Norte
-Internacionais
Argentina
Chile
Paraguai
Uruguai.
Administração URBS
Inauguração 13 de novembro de 1972
900 mil/dia
Serviços TáxiRestauranteEstacionamentoAcesso à deficiente físicoBiblioteca ou banca de livrosFarmácia

A Rodoferroviária de Curitiba é o terminal, unificado, do transporte rodoviário intermunicipal e interestadual, bem como, do transporte ferroviário da capital paranaense.

A Rodoferroviária esta localizada no bairro do Jardim Botânico, em frente à Avenida Presidente Affonso Camargo, sendo o único terminal de Curitiba disponibilizado para atender rotas de transporte rodoviário entre vários estados e municípios brasileiros, incluindo algumas localidades internacionais para o Paraguai e a Argentina e a estação de embarque ferroviário de viagens turísticas entre Curitiba e o litoral do estado (Morretes e Paranaguá).

Com 50 plataformas de embarque e desembarque rodoviário e uma para composições ferroviárias, a Rodoferroviária é administrada pela URBS, enquanto o setor de viagens turísticas ferroviárias é terceirizada e atualmente explorado pela empresa Serra Verde Express. A empresa ALL, operadora do transporte de cargas ferroviárias, utiliza o local para administrar suas composições que transitam do interior do estado para os terminais de embarque no Porto de Paranaguá.

Com números do ano de 2009, a Rodoferroviária de Curitiba é um dos locais mais movimentados da cidade. Em seus 63.000 m², ocorre, mensalmente, um trânsito de 900 mil pessoas que se utilizam dos serviços de 35 empresas de transporte intermunicipal, interestadual e internacional. Estas empresas operam os 27.500 embarque e desembarques mensais no transporte de aproximadamente 680 mil passageiros neste período. O local funciona 24 horas diárias em 365 dias no ano, possuindo uma infraestrutura que conta com: estacionamentos, guarda volumes (convencional) e guarda volumes automático (Malex), serviços de achados e perdidos, central de avisos, posto da polícia militar, fiscalização de ANTT, posto telefônico, posto do correio, Diretran e do FAS (Fundação de Assistência Social).

História[editar | editar código-fonte]

O atual terreno onde se encontra a Rodoferroviária de Curitiba já teve destacados empreendimentos em outros tempos. No início de século XX era uma usina termoelétrica que os curitibanos chamavam de Usina Elétrica do Capanema, pois seu edifício fora construído nas antigas terras do Barão de Capanema e a rua, de terra batida, que passava em frente era a Avenida Capanema (Atual Avenida Pres. Affonso Camargo). Este empreendimento foi do alemão José Hauer.[1] Estas instalações foram vendidas, em 1910, para uma empresa francesa que inaugurou, em 1913, os serviços de bondes na capital e dali saiam os vagões elétricos que operavam algumas linhas recém instaladas na cidade.[2] [3]

Usina Elétrico do Capanema (Curitiba) no início do séc. XX.

Em meados do século XX o terreno foi adquirido pela União, que ali instalou as oficinas da RFFSA e o local onde hoje estão as plataformas de embarque interestadual da Rodoferroviária, existiam, nesta época, casas que serviam de moradias dos funcionários da Rede Ferroviária.[4]

No início da década de 1970 a União repassou este terreno para a Prefeitura Municipal de Curitiba que iniciou a construção da rodoviária. Com projeto do arquiteto Rubens Meister o prédio foi inaugurado em 13 de novembro de 1972 e assim entrou, em operação conjunta, a Rodoferroviária de Curitiba, atendendo as necessidades de embarque rodoviário da cidade, já que a antiga rodoviária, no centro de Curitiba, estava no seu limite máximo e o embarque ferroviário, pois existia ali os serviços de transporte de passageiros dos trens que saiam da cidade, dirigindo-se, principalmente, para o litoral do Paraná (serviços que funcionou até meados da década de 1990).

Atualmente o terreno da Rodoferroviária continua a pertencer ao goveno federal, que em junho de 2011 assinou um termo de cessão do terreno para a prefeitura de Curitiba e assim, o local poderá receber investimentos do PAC para uma grande reforma, objetivando a Copa de 2014.[5]

Notas e referências

  1. Foi assim... Nostalgia - Portal RPC - acessado em 12 de setembro de 2010
  2. CARDOSO, 2004, p18.
  3. DESTEFANI, Cid. Rebuscando velhas imagens. Gazeta do Povo, Curitiba, 9 ago. 2009
  4. HOERNER, 2002, p89.
  5. Rodoferroviária será reformada; Ducci prevê criação de binário para novo acesso Portal Banda B - acessado em 21 de junho de 2011
  • Redação. Rodoferroviária de Curitiba completa 37 anos nesta sexta-feira. Gazeta do Povo, Curitiba, 13 nov. 2009
  • Histórico Rodoferroviária de Curitiba – acessado em 19 de maio de 2010
  • Rodoferroviária de Curitiba – 37 anos Curitiba – Prefeitura da Cidade – acessado em 19 de maio de 2010

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CARDOSO, Francisco. Árvores de Curitiba. Curitiba: Ed. do Autor, 2004. 96p
  • HOERNER Jr., Valério. Ruas e Histórias de Curitiba. 2° ed. Curitiba: Artes & Textos, 2002. 183p