José Lázaro Robles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pinga
Informações pessoais
Nome completo José Lázaro Robles
Data de nasc. 11 de fevereiro de 1924
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Falecido em 8 de maio de 1996 (72 anos)
Local da morte Campinas (SP),  Brasil
Canhoto
Apelido Pinga
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1944-1963 (19 anos)
Como Treinador: 1969
Posição ex-Treinador, Meia-esquerda e Ponta-esquerda
Clubes de juventude
19431944 Brasil Juventus
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19441952
19531961
19621963
Brasil Portuguesa
Brasil Vasco da Gama
Brasil Juventus
00236 0(168)
00466 0(256)
00013 000(5)
Seleção nacional
19501954 Brasil Brasil 00019 00(10)[1]
Times que treinou
1969 Brasil Vasco da Gama

José Lázaro Robles, mais conhecido como Pinga (São Paulo, 11 de fevereiro de 1924Campinas, 8 de maio de 1996), foi um futebolista brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Pinga estreou no time profissional da Portuguesa em 16 de março de 1944,[2] derrota para o Juventus por 2x0.[3] Seu irmão mais velho, Arnaldo Robles, defendia o Juventus e, quando foi para a Portuguesa, alguns anos mais tarde, formou com Pinga a única dupla de irmãos a atuar juntos na história do clube.[3]

Em 1950, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, embora fosse uma seleção reserva, convocada para a disputa da Taça Oswaldo Cruz, contra o Paraguai.[2] Pinga marcou três dos cinco gols do Brasil (vitória por 2x0 e empate em 3x3).[2] Muitos dos jogadores dessa seleção acabaram convocados pelo técnico Flávio Costa para disputar a Copa do Mundo de 1950, mas Pinga ficou de fora.

Ele seria convocado quatro anos depois, para a Copa do Mundo de 1954, na Suíça, e marcou dois gols contra o México na estréia. Jogou ainda a partida seguinte, contra a Iugoslávia, mas foi substituído por Humberto no jogo seguinte, em que o Brasil foi eliminado pela Hungria. Foi sua última partida pela Seleção. Com ela, conquistou apenas o Pan-Americano de 1952.[1]

Entre as duas Copas, conquistou seu único título com a Portuguesa, o Torneio Rio-São Paulo de 1952, de que foi artilheiro, com 11 gols. Dois anos antes, foi ainda artilheiro do Campeonato Paulista, com 22 gols. No começo de 1953, foi vendido ao Vasco da Gama,[2] onde passou para a ponta esquerda[4] e seguiu marcando muitos gols — só em Campeonatos Cariocas, foram mais de cem.[2] Pelo Vasco, ganhou dois Campeonatos Cariocas (1956 e 1958) e um Rio São Paulo (1958).

Entrou em declínio no início dos anos 1960, e, em 1961, marcou apenas um gol durante o ano todo, no Rio–São Paulo.[2] No ano seguinte, transferiu-se para o Juventus, onde encerraria a carreira em 1963.

É até hoje o maior artilheiro da história da Associação Portuguesa de Desportos, com 190 gols, sendo 132 no Campeonato Paulista, 18 no Rio-São Paulo, 16 em partidas internacionais e 24 em amistosos.[3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Vasco[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Marca histórica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Aret.C3.A9_Editorial_2001
  2. a b c d e f "Pinga, o craque do luso-brasileiro", Placar número 386, 16/09/1977, Editora Abril, pág. 26
  3. a b c Sitedalusa.com - Craques - Pinga. Página visitada em 28 de Outubro de 2009.
  4. "Pinga", Placar número 1.063, setembro/1991, Editora Abril, pág. 59

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Danilo
Camisa 10 da Seleção em Copas
1954
Sucedido por
Pelé


Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.