Julgamento de Scopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O julgamento de Scopes, formalmente conhecido como The State of Tennessee v. John Thomas Scopes, foi um marco na história jurídica norte-americana ocorrido em 1925. No caso, Scopes, professor ensino médio, foi acusado de violar uma lei do Tennessee que proibia o ensino do evolucionismo em escolas públicas estaduais por esta teoria contrariar a visão bíblica da origem do homem[1] .

O caso repercutiu nacionalmente, sendo muito divulgado pelos jornais e dividiu os norte-americanos entre aqueles que defendiam o evolucionismo, os evolucionistas, e aqueles que criam que a palavra de Deus, como revelada na Bíblia, estava acima de qualquer conhecimento humano, os criacionistas. Isso forçou uma grande revisão no sistema educacional americano, possibilitando maior abertura e uma visão mais democrática sobre a prática de ensino, descolando-a do fundamentalismo religioso.

Scopes foi condenado, porém o veredito foi revisto e ele saiu livre. No anos que se seguiram ao julgamento, o ensino do evolucionismo ganhou força nos Estados Unidos. O episódio é retratado nos seguintes filmes: Inherit the Wind (filme de 1960), Inherit the Wind (filme de 1965), Inherit the Wind (filme de 1988) e Inherit the Wind (filme de 1999).

Referências

  1. "The Trial of John T. Scopes", Olson, Steven P., ISBN: 9780823939749