Parque Nacional da Amazônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Parque Nacional da Amazônia situa-se no município de Itaituba, na região Sudoeste do estado do Pará, Brasil. Possui uma área de 945.851,00 (ha). O perímetro do parque é de 508.366,413 metros. É administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Preservar vários ecossistemas amazônicos naturais, com a finalidade científica, educativa e recreativa e social.

Atrativos[editar | editar código-fonte]

A melhor época para visitação ao Parque Nacional da Amazônia é entre os meses de julho e dezembro, quando as chuvas diminuem. Durante a visitação é possível observar uma grande diversidade de espécies animais e vegetais.

Os próprios habitantes do local constróem trilhas, no relevo suavemente ondulado, que levam a cachoeiras, praias e serras do Rio Tapajós. O turista também passa por outras cidades, no passeio pelo rio, que inclui aventura entre corredeiras, afloramentos, praias, bancos de areia e igarapés.

Na cidade de Santarém acontece o encontro entre os rios Tapajós e Amazonas. Santarém dispõe de inúmeras atrações, destacando-se a magnífica praia de Alter do Chão. Ao longo da BR 163 (asfaltada pelo Exército até o km 160 e sendo continuado pelo 8º BEC até Rurópolis), pode-se encontrar, no km 43, a cidade de Belterra, construída por americanos ligados ao Grupo Ford para exploração de seringueiras, na época da 2ª Guerra Mundial. A cidade mantém até hoje as características das congêneres dos EUA, sendo preocupação dos moradores e da Prefeitura, manter as construções em madeira, os jardins, as calçadas com grama, a igreja, o sino da liberdade e os hidrantes de incêndio, sempre pintados e limpos.

Como o Parque Nacional da Amazônia não tem estrutura para abrigar os visitantes, uma das alternativas é hospedar-se em barcos próximos ao parque. Outra curiosidade é que a existência de índios impossibilitou a criação de mais reservas. O número de funcionários é pequeno, se comparado com o tamanho do lugar: são 11, sendo que três são do ICMBio e oito que cuidam da vigilância e limpeza. A infra-estrutura conta com 1 Toyota (1989); 1 Pampa (1989); 1 barco de alumínio; 1 motor de popa (3 Hp); sistema de comunicação (telefax e 8 rádios transmissores - 5 móveis e 3 fixos). 75% da área total é regularizada.

O visitante tem três maneiras de chegar ao Parque. De avião, via Belém/Manaus/Itaituba, fluvial, pelo Rio Tapajós partindo de Santarém até Itaituba. Ou rodoviária indo pela Transamazônica (BR - 230).

Antecedentes legais[editar | editar código-fonte]

A criação desta unidade surgiu através do Programa de Integração Nacional iniciado pelo Governo em 1970. Em 1971 uma área de 6 milhões de hectares, designada "Polígono de Altamira", foi desapropriada pelo INCRA. O Grupo de Operações da Amazônia (GOA) propôs que um milhão de hectares do Polígono deveria ser reservado sob a categoria de Parque Nacional.

Aspectos culturais e históricos[editar | editar código-fonte]

A Floresta Amazônica é e sempre foi um dos grandes patrimônios do Brasil. A grandiosidade da floresta Amazônica, com uma quantidade infindável de espécies animais e vegetais fez com que ela fosse conhecida como a região mais biodiversa do planeta. Para preservar a região, freqüente vítima crimes ambientais, foi criado em 1974, o Parque Nacional da Amazônia.

Aspectos físicos e biológicos[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é quente úmido, com um a dois meses secos. A temperatura média anual é de 26 a 28 °C, com a máxima de 38 a 40°C e a mínima de 20 a 22 °C.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Suavemente ondulado.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Há Predominância da Floresta Tropical Úmida, com grande diversidade de espécies e formas, sendo que as maiores árvores possuem a altura média de 50 metros; e, devido a luminosidade, os estratos inferiores apresentam grande número de plantas trepadeiras, musgos, líquens, orquídeas, entre outras.

Fauna[editar | editar código-fonte]

Rica em espécies, porém, com pequeno número de indivíduos, normalmente de hábitos noturnos. Encontra-se também espécies ameaçadas de extinção como a ariranha, o peixe-boi e o tamanduá-bandeira, além dos répteis e uma notável fauna aquática.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.