Roger Caillois

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Roger Caillois (Reims, 3 de março de 1913Paris, 21 de dezembro de 1978) foi um sociólogo, crítico literário e ensaísta francês.

História[editar | editar código-fonte]

Frequentou a Escola Normal Superior, dedicando-se desde cedo ao ensaio sobre temas sociológicos e literários. Num tom austero e polêmico, depois de fixar os termos da crítica literária, foi responsável por um regresso a um classicismo pautado pela razão e pelas regras, e combateu a falta de originalidade em poesia. Foi eleito para a Academia Francesa em 1971, na qual ocupou a cadeira 3.

Obras Principais[editar | editar código-fonte]

  • Le Mythe et l’Homme (1938),
  • L’Homme et le Sacré (1939);
  • Puissances du roman (1942),
  • Le Rocher de Sysiphe (1945),
  • Vocabulaire Esthétique (1947),
  • Babel (1948),
  • Les Impostures de la Poésie (1954),
  • Poétique de Sant-John Perse (1954),
  • Les Jeux et les Hommes (1957)
  • Art Poétique (1958),
  • Au Coeur du fantastique (1965),
  • Cases d’un échiquier (1970),
  • La Pieuvre, essai sur la logique de l’imaginaire (1973)
  • Obliques (1975)


Precedido por
André Malraux
Lorbeerkranz.png Correspondente da ABL - cadeira 13
19771978
Sucedido por
Jean d'Ormesson
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.