Bruce Greyson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bruce Greyson
Nascimento outubro de 1946 (72 anos)
Cidadania Estados Unidos
Ocupação psiquiatra, professor universitário, pesquisador, cientista
Empregador Universidade de Virgínia

Charles) Bruce Greyson (nascido em outubro de 1946), M.D., é um cientista e professor de psiquiatria da Universidade da Virgínia. Ele é co-autor de Irreducible Mind (2007) e co-editor de The Handbook of Near-Death Experiences (2009). Greyson é o mais destacado pesquisador norte-americano em experiências de quase-morte[1], tema ao qual tem escrito vários artigos em periódicos acadêmicos e comumente concedido entrevistas à imprensa.

Em sua posição em relação as EQMs, Greyson defende que elas desafiam o materialismo e busca compreender como "...uma consciência tão complexa, incluindo atividade mental, percepção sensorial e memória podem ocorrer sob condições nas quais os modelos fisiológicos atuais da mente consideram isso impossível."; segundo ele, "esse conflito entre um modelo materialista da identidade mente-cérebro e a ocorrência das experiências de quase morte sob condições de anestesia geral ou parada cardíaca é profundo e inevitável."[2]

Cargos acadêmicos[editar | editar código-fonte]

Bruce Greyson é professor de Psiquiatria e o diretor da The Division of Perceptual Studies (DOPS),[3] antes chamada Division of Personality Studies, da Universidade da Virgínia. Ele também é professor de Medicina psiquiátrica do Departamento de Medicina Psiquiátrica, divisão de Psiquiatria ambulatorial, da Universidade de Virgínia.

Trabalhos de pesquisa[editar | editar código-fonte]

Bruce Greyson é um pesquisador no campo de estudos das experiências de quase-morte e tem sido chamado de o pai da pesquisa em experiências de quase-morte.[4] Greyson, junto com Kenneth Ring, Michael Sabom e outros, basearam suas pesquisas em Raymond Moody, Russell Noyes Jr e Elisabeth Kübler-Ross, e fundaram em 1981 a International Association for Near-Death Studies (Associação Internacional de Estudos do Quase-Morte). A escala desenvolvida em 1983 por Greyson para medir os aspectos de experiências de quase-morte tem sido amplamente utilizada na literatura científica.[5][6] Ele também inventou uma escala de 19 itens para avaliar a experiência do Kundalini, chamada de Escala de Physio-Kundalini. [7]

Greyson escreveu o artigo sobre as experiências de quase-morte para a Enciclopédia Britânica e foi o editor-chefe do Journal of Near-Death Studies (anteriormente conhecido como Anabiosis) de 1982 a 2007. Greyson foi entrevistado ou consultado várias vezes pela imprensa sobre o tema de experiências de quase-morte.[8][9][10][11][12][13][14]

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

Greyson é co-autor de Irreducible Mind: Toward a Psychology for the 21st Century (Rowman and Littlefield, 2007)[15] e co-editor de The Handbook of Near-Death Experiences: Thirty Years of Investigation (Praeger, 2009).[16] Ele tem escrito vários artigos científicos sobre o tema experiências de quase-morte, esses incluem[17]:

  • Greyson, B (2005). «"False positive" claims of near-death experiences and "false negative" denials of near-death experiences». Death studies. 29 (2): 145–55. PMID 15822242. doi:10.1080/07481180590906156 
  • Greyson, B, Ring, K. (2004). «The Life Changes Inventory-Revised». Journal of Near-Death Studies. 23: 41–54 
  • Greyson, B, Liester, MB. (2004). «Internal voices following near-death experiences». Journal of Humanistic Psychology. 44 (3): 320–336. doi:10.1177/0022167804266281 
  • Lange, R; Greyson, B; Houran, J (2004). «A Rasch scaling validation of a 'core' near-death experience». British journal of psychology (London, England : 1953). 95 (Pt 2): 161–77. PMID 15142300. doi:10.1348/000712604773952403 

Referências

  1. Alexander Moreira-Almeida. Espiritualidade e saúde: passado e futuro de uma relação controversa e desafiadora. Rev. psiquiatr. clín. vol.34 suppl.1 São Paulo 2007.
  2. Alvarado, Carlos S.. Fenômenos psíquicos e o problema mente-corpo: notas históricas sobre uma tradição conceitual negligenciada. Rev. psiquiatr. clín. vol.40 no.4 São Paulo 2013.
  3. «The Division of Perceptual Studies». Universidade da Virgínia. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  4. [Greyson] é chamado de 'o pai das pesquisas de experiências de quase-morte' para alguns.... «Edwardsville Woman has Near-death Experience». Belleville News-Democrat 21 de janeiro de 2003. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  5. Serralta, Fernanda Barcellos, Cony, Fernanda, Cembranel, Zelia, Greyson, Bruce, & Szobot, Cláudia Maciel. (2010). Equivalência semântica da versão em português da Escala de Experiência de Quase-Morte. Psico-USF, 15(1), 35-46. Retrieved November 26, 2014, from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-82712010000100005&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S1413-82712010000100005.
  6. Greyson, Bruce (1983). The near-death experience scale: Construction, reliability, and validity. Journal of Nervous and Mental Disease, Jun;171(6):369-75.
  7. Bruce Greyson (1993). «Near-death experiences and the physio-kundalini syndrome». Journal of Religion and Health. 32 (4): 277–290. doi:10.1007/BF00990954 
  8. «Near-death experience is debated». The Tuscaloosa News citando do Los Angeles Times. 23 de maio de 1982. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  9. Jane E. Brody (17 de novembro de 1988). «HEALTH; Personal Health». The New York Times. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  10. Anne Longley (1 de agosto de 1994). «A Glimpse Beyond: A Psychiatrist Plumbs the Near-Death Experience». People. 42 (5). Consultado em 9 de outubro de 2012 
  11. Douglas Fox (17 de outubro de 2006). «Light at the end of the tunnel». New Scientist. 2573. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  12. Benedict Carey (17 de janeiro de 2009). «The Afterlife of Near-Death». The New York Times. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  13. Daniel Williams (31 de agosto de 2007). «At the Hour Of Our Death». Time. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  14. «Science Notebook». The Washington Post. 7 de fevereiro de 2000. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  15. Irreducible Mind
  16. Information about the Division of Perceptual Studies. Visitado em 13/12/2014.
  17. Biografia de Bruce Greyson, University of Virginia. Visitado em 13/12/2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]