Califórnias do Chico Pedro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Califórnias do Chico Pedro
Data 1849 a 1850
Local Uruguai e Império do Brasil
Desfecho Vitória brasileira
Beligerantes
Flag of Brazil (1822–1870).svg Império do Brasil Flag of Uruguay (Oribe).svg Uruguai
Blancos

Apoiados por:

Bandera argentina buenos aires argentina 1852.png Confederação Argentina
Comandantes
Flag of Brazil (1822–1870).svg Francisco Pedro Buarque de Abreu
Flag of Brazil (1822–1870).svg Francisco José de Sousa Soares de Andrea
Flag of Uruguay (Oribe).svg Manuel Oribe
Flag of Uruguay (Oribe).svg Servando Gómez
Flag of Uruguay (Oribe).svg Diego Eugenio Lamas
Flag of Uruguay (Oribe).svg Dionisio Trillo
   

Califórnias do Chico Pedro foi o nome dado a guerra de guerrilhas travada pela tropa de Francisco Pedro Buarque de Abreu, o Chico Pedro, também barão do Jacuí, no Uruguai, entre 1849 e 1850, defendendo os interesses dos fazendeiros brasileiros.

Após o exército, formado por tropas argentinas e uruguaias sob o comando de Manuel Oribe,[1] ter invadido o Uruguai e derrotarem as forças de Rivera, conquistando quase totalidade do território uruguaio, Oribe permitiu que seus aliados invadissem o sul do Brasil, roubando gado, assaltando estâncias e assassinando cidadãos brasileiros.[2] Mais de 188 fazendas brasileiras foram atacadas, enquanto 814 000 cabeças de gado e 16 950 cavalos foram roubados.[3]

Francisco Pedro de Abreu, o barão de Jacuí, decidiu por conta própria realizar represálias contra o Uruguai organizando investidas para roubo de gado que se tornaram conhecidas como "Califórnias", em referência à corrida do ouro no oeste dos Estados Unidos, e eram um lucrativo negócio, considerado na Argentina e Uruguai como atos de bandidagem.[4] Contaram com a colaboração de opositores de Juan Manuel Rosas, como os irmãos Madariaga da província de Corrientes.[4] A primeira invasão ocorreu em 26 de dezembro de 1849 e finalmente reprimida pelo administração do Império no Rio Grande do Sul a partir de 6 de março de 1850.[5]

Invadiram o norte do rio Negro para roubar gado, sendo combatidos pelo coronel Diego Eugenio Lamas e pelo comandante Dionisio Trillo, parte da divisão de Servando Gómez. .[6]

Referências

  1. Furtado, Joaci Pereira. A Guerra do Paraguai (1864-1870). São Paulo: Saraiva, 2000. ISBN 85-02-03102-3
  2. Vianna, Hélio. História do Brasil: período colonial, monarquia e república, 15. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1994.
  3. Costa, Virgílio Pereira da Silva. Duque de Caxias. São Paulo: Editora Três, 2003.
  4. a b Las relaciones entre el Imperio del Brasil y el gobierno de Rosas hasta 1850, Los obstáculos entre Río de Janeiro y Buenos Aires. Historia General de las Relaciones Exteriores de la Argentina (1806 - 1989)
  5. WIEDERSPAHN, Henrique Oscar. Das guerras Cisplatinas às guerras contra Rózas e contra o Paraguai, in: Enciclopédia Rio-grandense, Editora Regional, Canoas, 1956.
  6. La Conclusión de la Guerra Grande. Memorias de D.Ordoñana – Revista del Inst. J.M. de Rosas nº 19 año 1959.
  • Franco, Sérgio da Costa. As califórnias do Chico Pedro. Porto Alegre: Editora Evangraf , 2006.