Circuito Internacional de Bahrein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bahrein Grande Prêmio do Bahrein
Circuito Internacional de Bahrein
Bahrain International Circuit--Grand Prix Layout.svg
Mapa do circuito.
Informações da corrida
Localização Sakhir, Bahrein
Voltas 57
Percurso 5.412 km (3.362 mi)
Total 308.238 km (191.530 mi)
Curvas 15
Pole Reino Unido Lewis Hamilton
Mercedes V6 Turbo
1min 29s 493
2016
Volta mais rápida
na prova
Alemanha Michael Schumacher
Ferrari V10
1min 30s 252
2004
Anos disputados 12
Primeira disputa 2004
Última disputa 2016
Maior vencedor (pilotos) Espanha Fernando Alonso (3)
Maior vencedor (equipe) Itália Ferrari (4)
Última corrida (2016):
Pole Position
Piloto Reino Unido Lewis Hamilton
Mercedes V6 Turbo
Tempo 1min 29s 493
Volta mais rápida
Piloto Alemanha Nico Rosberg
Mercedes V6 Turbo
Tempo 1min 34s 482
Pódio
Primeiro Alemanha Nico Rosberg
Mercedes V6 Turbo
1h 33min 34s 696
Segundo Finlândia Kimi Raikkonen
Ferrari V6 Turbo
+10s 282
Terceiro Reino Unido Lewis Hamilton
Mercedes V6 Turbo
+30s 148

O Circuito Internacional do Bahrein é um autódromo localizado perto de Manama, no Bahrein. É conhecido por ser um dos circuitos mais modernizados da atualidade e por receber anualmente a Fórmula 1 desde 2004, com interrupção em 2011. O circuito tem um comprimento total de 5.412 metros, cada corrida de Fórmula 1 tem 57 voltas, totalizando 308,232 km.

História[editar | editar código-fonte]

Primeira curva do Circuito de Bahrein.
Reta oposta (possuí uma grelha de partida alternativa).

A construção de um circuito no Bahrein era um objetivo nacional. Em 2002, o circuito começou a ser construído, no meio do deserto, 30 km a sul da capital, Manama

Previa-se que a construção durasse dois anos, no entanto, Bernie Ecclestone pediu que a construção durasse menos seis meses.

Em apenas 16 meses e com um cursto de 150 milhões de dólares, o circuito estava pronto, embora, durante este período tivesse havido muitas especulações de que a pista não estaria pronta a tempo do grande prémio.

O circuito não estava totalmente terminado quando estreou-se com a Fórmula 1, mas tinha as condições necessárias para receber a Fórmula 1.

Assim, em 2004, a Ferrari foi a primeira equipa vencedora com o alemão Michael Schumacher a subir ao degrau mais alto do pódio.

Em 2006 e em 2010, o circuito abriu as temporadas (desde 1996, Melbourne recebeu as outras aberturas de temporada). Em 2010, usou-se um traçado 887 metros mais longo, algo proporcionado pelo aumento de carros no grid da Fórmula 1.

No entanto, logo depois decidiu-se que em 2011 se voltaria a usar o traçado mais curto, pois os pilotos reclamaram da secção nova, pois tornava o circuito desnecessáriamente grande e menos interessante, uma vez que a secção nova não possuia curvas realmente interessantes e não proporcionava tentativas de ultrapassagem.

A Temporada de Fórmula 1 de 2011 tinha o Bahrein novamente na abertura da época, prevista para 13 de março de 2011. No entanto, a prova teve que ser suspensa devido a problemas civís. A prova chegou a ser recalendariazada para 30 de outubro, adiando os grandes prémios posteriores. Mas assim a temporada terminaria a 11 de dezembro, o que traria muitos inconvenientes para equipas e engenheiros. Dois dias depois, a prova foi oficilamente cancelada, estando programada apenas para a temporada de 2012, a 22 de abril, sendo a quarta etapa da época.

A Pista[editar | editar código-fonte]

Panorama do circuito de Shakir em 2010.

Esta é uma pista desenhada pelo arquiteto alemão Hermann Tilke, que também desenhara o circuito de Kuala Lumpur e projetara as atualizações feitas no Red Bull Ring em 1997 e para Hockenheimring para 2002.

Inicialmente, temia-se que o facto do circuito se localizar no deserto traria problemas por causa da areia que se poderia depositar na pista, no entanto, as característias do circuito e a utilização de um adesivo ao arredor evitam que tal ocorra.

A pista caracteriza-se por ter bastantes escapatórias, o que ajuda a evitar a invasão de areia. No entanto, estas são criticadas por não punir os pilotos que saem da pista.

Tecnicamente, é um circuito difícil para os travões, já que possui enumeras retas seguidas por fortes travagens.

Nas celebrações no pódio não é utilizado champanhe, embora bebidas alcoólicas sejam legais no Bahrein, ao contrário do que ocorre na Arábia Saudita e no Qatar. Em vez disso, eles usam uma bebida não-alcoólica feita com água de rosas conhecida como Waard.

Traçados[editar | editar código-fonte]

Assim como vários outros circuitos no mundo, esta pista permite que se utilize diferentes configurações.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Grande Prêmio do Bahrain

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Ano Piloto Equipa Detalhes
2016 Alemanha Nico Rosberg Mercedes Detalhes
2015 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2014 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2013 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Detalhes
2012 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Detalhes
2011 prova cancelada[1]
2010 Espanha Fernando Alonso Ferrari Detalhes
2009 Reino Unido Jenson Button Brawn-Mercedes Detalhes
2008 Brasil Felipe Massa Ferrari Detalhes
2007 Brasil Felipe Massa Ferrari Detalhes
2006 Espanha Fernando Alonso Renault Detalhes
2005 Espanha Fernando Alonso Renault Detalhes
2004 Alemanha Michael Schumacher Ferrari Detalhes

Pilotos, equipes e países que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.