Circuito de Yas Marina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Circuito de Yas Marina
Mapa do circuito.
Informação geral
Localização Yas Island, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos
Fuso horário UTC+4
Coordenadas 24° 28' 02" N 54° 36' 11" E
Capacidade 60 000
Licença FIA Grau 1
Proprietário Governo de Abu Dhabi
Operador Abu Dhabi Motorsports Management
Inauguração Maio de 2007
Abertura Outubro de 2009
Custo da construção £ 800 milhões[1]
$ 1,322 bilhão
893 milhões
AED 3,792 bilhões
Arquiteto Hermann Tilke
Eventos principais Fórmula 1
GP de Abu Dhabi
(2009–presente)

GP2 Asia Series
(2009–2011)

International V8 Supercars
(2010–2012)

GP2 Series
(2013–2016)

Fórmula 2 FIA
(2017–presente)

GP3 Series
(2013–2018)

Circuito Grand Prix (2009-2020)
Superfície Asfalto
Comprimento do circuito 5,554 km (3,451 mi)
Curvas 21
Volta mais rápida 1:39.283 (Lewis Hamilton, Mercedes, 2019, Fórmula 1)
Circuito curto
Superfície Asfalto
Comprimento do circuito 4,700 km (2,920 mi)
Curvas 19
Volta mais rápida 1:37.656 (Charles Pic, Addax Team, 2011, GP2 Asia)
Circuito Grand Prix (2021-)
Superfície Asfalto
Comprimento do circuito 5,281 km (3,281 mi)
Curvas 16
Volta mais rápida 1:26.103 (Max Verstappen, Red Bull Racing, 2021, Fórmula 1)

O Circuito de Yas Marina (em árabe: حلبة مرسى ياس; halbat marsaa yas) é um autódromo localizado na Ilha de Yas, a cerca de 30 minutos da capital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi. É conhecido por ser o circuito com as melhores infraestruturas, sendo um dos mais modernos.[2] Abriga anualmente a Fórmula 1 desde 2009, sendo o segundo circuito do Médio Oriente a abrigar um Grande Prémio, após Barém.

Pista[editar | editar código-fonte]

Esta pista foi desenhada pelo conceituado arquiteto alemão Hermann Tilke, responsável pela maioria dos novos projetos da década antecedente da estreia do circuito, os quais são Sepang, Barém, Shanghai, Istambul, Valência e Marina Bay, incluindo ainda a atualização realizada entre as temporadas de 2001 e 2002 em Hockenheimring.

Traçado[editar | editar código-fonte]

O circuito caracteriza-se por ser técnico, possuindo um primeiro setor médio rápido, um segundo setor rápido (uma vez que possui as duas maiores retas do circuito) e um terceiro setor lento.

Apesar de se esperar que o circuito permitisse facilmente oportunidades de ultrapassagem, o circuito caracteriza-se por ser um dos mais difíceis para ultrapassar, mesmo tendo travagens fortes no final das duas grandes retas consecutivas.

A pista ainda possui uma saída do pit lane diferente do normal, uma vez que a saída passa por baixo da pista. Suzuka, até agora, era o único circuito da Fórmula 1 que possuía um ponto onde os carros passassem duas vezes.

Estrutura da Pista[editar | editar código-fonte]

O circuito pode ser visto com uma versão árabe do Montecarlo devido à sua envolvência, embora tecnicamente tenham características bastante distintas. A pista situa-se no porto, podendo-se ver o mar durante as provas.

Possui grandes escapatórias, sempre em asfalto, enfeitadas com riscas azuis, fazendo com que o circuito seja um dos mais seguros do mundo. As infraestruturas do circuito são das mais modernas do mundo, tendo dois paddocks bastante qualitativos (o que a Fórmula 1 utiliza e outro com uma grelha de partida alternativa na segunda maior reta do circuito). O circuito ainda passa por baixo de um dos hotéis com maior luxo do mundo, o Hotel Yas Viceroy, desenhado e concebido pelas arquitetas de referência de Nova Iorque Hani Rashid e Lise Anne Couture.

O circuito tem um sistema de iluminação muito semelhante ao do circuito vizinho do Qatar, o Losail International Circuit, permitindo a utilização do circuito à noite.

Para entretenimento, na marina existe o parque temático Ferrari World e um parque aquático.

O Circuito de Yas Marina caracteriza-se também por ter sido o mais caro da Fórmula 1.

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Visão do circuito.

As condições nas quais ocorrem o Grande Prêmio de Abu Dhabi somente se repetem no Barém, onde ambas as corridas caracterizam-se por começarem de dia e terminarem quando já é de noite.

Em 2009 e 2010, o circuito abrigou o final de ambas as temporadas, tendo sido palco da consagração de Sebastian Vettel como campeão do mundo. Nas temporadas seguintes, o final de temporada regressou ao circuito de Interlagos, mas Abu Dhabi continuou a ser visitado na fase final da temporada.

Após os primeiros treinos livres, realizados em 2009, os pilotos elogiaram o circuito. Nico Rosberg considerou cada curva do circuito como única. Já Adrian Sutil salientou a qualidade da iluminação, considerando-a melhor que aquela preparada em Singapura, a qual ele classificou como demasiado luminosa.

Giancarlo Fisichella não se viu muito satisfeito, considerando o pit exit perigoso.

No entanto, após duas corridas e principalmente em 2010, os elogios perderam significância e a pista passou a ser muito criticada por não permitir criar oportunidades de ultrapassagem. Um dos principais prejudicados foi Fernando Alonso, que passou mais de metade da corrida a pressionar Vitaly Petrov sem sucesso, o que lhe fez perder o título para Sebastian Vettel.

Os organizadores tinham decidido remodelar o circuito para 2011 com a intenção de criar mais oportunidades de ultrapassagem, mas tal não chegou a avançar, uma fez que nesse ano houve um regresso do sistema KERS à categoria e surgiu um novo mecanismo de auxílio às ultrapassagens, o DRS, para não falar do novo sistema de estratégia de pneus proporcionado pelos novos pneus Pirelli. Os organizadores decidiram esperar mais um ano e ver se as novidades do regulamento substituiriam a necessidade de remodelar o circuito.

Como em 2011 o circuito recebeu uma corrida muito mais movimentada que nos dois anos anteriores, o traçado não foi alterado, permanecendo como o original até 2021.

Mudanças no traçado em 2021[editar | editar código-fonte]

Diagrama do Circuito de Yas Marina; em branco o circuito original. Em vermelho, o novo traçado a partir de 2021.

Em junho de 2021, a organização do Grande Prêmio de Abu Dhabi anunciou mudanças no traçado com o intuito de facilitar as ultrapassagens e promover corridas mais disputadas.

As principais mudanças passaram pela remoção da chicane nas curvas 5 e 6, criando um novo "gancho" na anterior curva 7, mais rápido, e também eliminaram a chicane nas curvas 11, 12, 13 e 14, criando uma curva de raio mais aberto. Além disso, 3 curvas da seção do hotel também foram alargadas. [3]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Ano Piloto Construtor Resumo
2021 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-Honda Detalhes
2020 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-Honda Detalhes
2019 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2018 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2017 Finlândia Valtteri Bottas Mercedes Detalhes
2016 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2015 Alemanha Nico Rosberg Mercedes Detalhes
2014 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes Detalhes
2013 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Detalhes
2012 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault Detalhes
2011 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes Detalhes
2010 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Detalhes
2009 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault Detalhes

Por pilotos que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Vitórias Pilotos Edições
5 Reino Unido Lewis Hamilton 2011, 2014, 2016, 2018, 2019
3 Alemanha Sebastian Vettel 2009, 2010, 2013
2 Países Baixos Max Verstappen 2020, 2021
1 Finlândia Kimi Räikkönen 2012
Alemanha Nico Rosberg 2015
Finlândia Valtteri Bottas 2017

Por equipes que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Vitórias Construtor Edições
6 Alemanha Mercedes 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019
5 Áustria Red Bull 2009, 2010, 2013, 2020, 2021
1 Reino Unido McLaren 2011
Reino Unido Lotus 2012

Por países que mais venceram[editar | editar código-fonte]

Vitórias País Edições
5  Reino Unido 2011, 2014, 2016, 2018, 2019
4  Alemanha 2009, 2010, 2013, 2015
2  Finlândia 2012, 2017
 Países Baixos 2020, 2021

(Última atualização: GP de Abu Dhabi de 2021)

Recordes em Yas Marina[editar | editar código-fonte]

Piloto Chassi/Motor Tempo Extensão Ano
Circuito Grande Prémio (desde 2021): 5.281 km
Pole Position Países Baixos Max Verstappen Red Bull RB16B Honda V6 1min 22s 109 5.281 km 2021
Melhor Volta na Prova Países Baixos Max Verstappen Red Bull RB16B Honda V6 1min 26s 103 5.281 km 2021
Circuito Grande Prémio (2009–2020): 5.554 km
Pole Position Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes-AMG F1 W10 EQ Power+ 1min 34s 779 5.554 km 2019
Melhor Volta na Prova Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes-AMG F1 W10 EQ Power+ 1min 39s 283 5.554 km 2019

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Circuito de Yas Marina