Curtiss NC-4

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.

Curtiss NC-4 é a designação oficial de um celebrizado voo operado por uma aeronave Curtiss NC, fabricada pela entretanto extinta Curtiss Aeroplane and Motor Company, que sobrevoou pela primeira vez, o Oceano Atlântico entre Nova Iorque e Lisboa, com paragens nos Açores, logrando assim também a denominação de primeiro voo transatlântico da história da aviação.[1]

Não obstante o feito histórico, alguns meses após e no mesmo ano de 1919 realizou-se o voo de Alcock e Brown que, ao contrario do voo Curtiss NC-4, operou-se na versão non-stop ou seja sem paragens, pelo que é considerado menos controversamente na história da aviação, como o primeiro voo transatlântico.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

No período da Primeira Guerra Mundial uma verdadeira corrida pela travessia aérea do Atlântico teve lugar, graças ao incentivo de periódicos como o londrino Daily Mail, que promoveu um concurso com um prémio de dez mil libras esterlinas ao aviador que conseguisse fazer o primeiro voo sem escalas, em menos de 72 horas, entre os Estados Unidos, o Canadá, ou a Terra Nova e as Ilhas Britânicas.

Nesse contexto, uma esquadrilha de três hidroaviões quadrimotor da Marinha dos Estados Unidos da América intentou a primeira travessia do Atlântico Norte, por etapas. Para esse fim partiu de Nova Iorque para a Terra Nova, de 16 para 17 de maio de 1919. Duas das aeronaves (NC-1 e NC-2) necessitaram fazer uma amaragem de emergência na altura na ilha das Flores. A NC-1 acabou por ficar completamente danificada e a NC-2 logrou alcançar o porto de Ponta Delgada, a 19 de maio, mas estava incapacitada para prosseguir o voo. Apenas a NC-4, batizada como "Liberty", sob o comando do capitão-tenente Albert Cushing Read, conseguiu completar o percurso, tendo feito escala na baía da Horta a 17 de maio, seguindo para Ponta Delgada, onde fez escala a 20. Após uma semana de repouso, partiu na madrugada do dia 27 em direção a Lisboa, tendo fundeado nessa noite nas águas do rio Tejo.[4]

Especificações (NC-4)

Descrições gerais
Motorização
Performance
Armamentos

Galeria[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nevin, David. The Pathfinders (The Epic of Flight series). Alexandria, Virgínia: Time Life Books, 1980. ISBN 978-1-84447-032-7.
  • Smith, Richard K. First Across: The U.S. Navy's Transatlantic Fight of 1919. Annapolis, Maryland: Naval Institute Press, 1973. ISBN 978-0-87021-184-3.
  • Turnbull, Archibald D., Captain, USNR and Clifford L. Lord, Lt. Commander, USNR. History of United States Naval Aviation. New Haven, Connecticut: Yale University Press, 1949.
  • Vance, Jonathan. High Flight. Toronto, Ontário: Penguin of Canada, 2002. ISBN 978-0-14-301345-7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Curtiss NC-4

Referências

  1. Boletim do primeiro voo transatlântico História da Aviação CFPortugal
  2. Primeiro voo transatlântico Pintor Lopes Blog
  3. Alcock, Homens do Ar, Aviation History
  4. ENES, Carlos (coord.). A República: Figuras e Factos. Presidência do Governo Regional dos Açores; Direcção Regional da Cultura, 2010. p. 22-23.
  5. Smith, Richard K. First Across: The U.S. Navy's Transatlantic Fight of 1919. Annapolis, Maryland: Naval Institute Press, 1973. ISBN 978-0-87021-184-3.