Diego Alexsander Garcia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diego Garcia
Deputado Federal pelo Paraná
Período 1º de fevereiro de 2015
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 10 de outubro de 1984 (35 anos)
Bandeirantes, PR
Alma mater Universidade Norte do Paraná
Partido PODE
Profissão Administrador
Website https://www.diegogarciapr.com.br/
linkWP:PPO#Brasil

Diego Alexsander Gonçalo Paula Garcia (Bandeirantes, 10 de outubro de 1984) é um administrador e político brasileiro, atualmente deputado federal pelo Podemos (PODE).[1]


Nascido em Bandeirantes, interior do Paraná, e atualmente[quando?] residindo em Londrina, Diego é casado e possui dois filhos. Ele é integrante da Renovação Carismática Católica (RCC), onde foi Presidente do Conselho Diocesano na Diocese de Jacarezinho.

Vida pública[editar | editar código-fonte]

Foi eleito nas eleições de 2014 deputado federal, com 61.063 votos, em 373 municípios do Paraná, pela coligação Educação e Trabalho com Sustentabilidade (PSDC / PEN / PTB / PHS / PMN / PROS), tomando posse no dia 1º de fevereiro de 2015 para o seu primeiro mandato como deputado federal.


Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[2] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[2], e também a favor da cassação do ex-deputado federal Eduardo Cunha. [3]

Em janeiro de 2017 foi escolhido líder da bancada do PHS, na Câmara dos Deputados.[4]

Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.[2][5] Ainda em novembro deste mesmo ano, votou pela aprovação da PEC da Vida (181/15), que estende a licença maternidade às mães de bebês prematuros e protege a vida desde a concepção.

O parlamentar também já se manifestou contra a Reforma da Previdência e a favor do Fim do Foro Privilegiado. Trocou o PHS pelo PODE em março de 2018.

No dia 09/05/2018 foi eleito o Presidente da Comissão Especial destinada a analisar a PEC 333/2017 e apensados, que dispõem sobre o Fim do Foro Privilegiado para autoridades e políticos.[6]

Em 09/05/2019 após ter chamado o presidente da Câmara dos Deputados de "desleal", Rodrigo Maia imputou a Diego Garcia a responsabilidade da derrubada da MP 870, enfraquecendo o Ministro Sérgio Moro [7]

Referências

  1. «Perfil de Diego Garcia no portal da Câmara». Consultado em 5 de fevereiro de 2015 
  2. a b c G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  3. [1]
  4. Deputado Diego Garcia é eleito novo líder do PHS. Site do PHS
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  6. [2]
  7. «Câmara adia votação da MP que reestrutura ministérios do governo Bolsonaro». noticias.uol.com.br. Consultado em 9 de maio de 2019