Diego Alexsander Garcia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Diego Garcia
Deputado Federal pelo Paraná
Período 1º de fevereiro de 2015
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 10 de outubro de 1984 (34 anos)
Bandeirantes, PR
Alma mater Universidade Norte do Paraná
Partido PODE
Profissão Administrador
Website https://www.diegogarciapr.com.br/
linkWP:PPO#Brasil

Diego Alexsander Gonçalo Paula Garcia (Bandeirantes, 10 de outubro de 1984) é um administrador e político brasileiro, atualmente deputado federal pelo Podemos (PODE).[1]

Vida pública[editar | editar código-fonte]

Nascido em Bandeirantes, interior do Paraná, e atualmente residindo em Londrina, Diego é casado e possui dois filhos. Ele é integrante da Renovação Carismática Católica (RCC), onde foi Presidente do Conselho Diocesano na Diocese de Jacarezinho.

Foi eleito nas eleições de 2014 deputado federal, com 61.063 votos, em 373 municípios do Paraná, pela coligação Educação e Trabalho com Sustentabilidade (PSDC / PEN / PTB / PHS / PMN / PROS).[2]

Diego Garcia tomou posse no dia 1º de fevereiro de 2015 para o seu primeiro mandato como deputado federal.

Em aproximadamente três anos de mandato, despontando como um dos parlamentares mais atuantes desta legislatura, Diego Garcia já acumula uma produção legislativa significativa: 47 Projetos de Lei apresentados e mais de 60 relatorias de PLs, dentre eles os importantes Estatuto da Família e Estatuto do Nascituro.

Dentre os 30 deputados do Paraná, Diego Garcia é, atualmente, o parlamentar com mais projetos sancionados, ou seja, que viraram leis federais. Os PLs 3170/2015, 4639/2016 e 4580/2016, de autoria de Garcia, foram aprovados na Câmara dos Deputados, no Senado Federal e sancionados pelo Presidente da República. O primeiro, que se tornou a lei nº 13.436/2017, garante às mães a assistência na amamentação nas unidades de saúde, que devem prestar orientações quanto à técnica adequada. Já o PL 4639/2016, agora lei nº 13.269/2016, autorizou o uso da fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com neoplasia maligna. A terceira proposta, PL 4580/2016 (lei nº 13.611/2018) institui o Dia Nacional do Exportador, matéria essa que homenageia os que se dedicam à atividade exportadora e contribui para o fortalecimento do comércio exterior brasileiro.

O foco do mandato do deputado é a proteção da vida e da família. Hoje, o parlamentar é o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família e da Frente Parlamentar de Doenças Raras da Câmara . Diego Garcia tem atuado à frente de ações que garantem o direito à vida do nascituro, o respeito dos valores familiares na educação moral, sexual e religiosa, e que protegem a família enquanto base da sociedade. Atualmente faz parte das Comissões de Seguridade Social e Família, Educação, Cultura de Paz, Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e as Especiais do Estatuto da Família, da Reforma Política, da Reforma Tributária, da Subcomissão de Fármacos Experimentais e Doenças Graves ou Raras, e das 10 medidas de Combate à Corrupção.

Ligado às questões de sustentabilidade, Diego Garcia inovou ao se tornar o primeiro deputado a aderir ao projeto de Gabinete Sustentável, o que implica o cumprimento de metas que incluem a redução de papel, desmaterialização de documentos, redução no consumo de material de escritório, e otimização no uso de energia e água.

Certamente, o Estatuto da Família foi um marco em seu primeiro ano de mandato. O Projeto de Lei nº 6.583/2013, de autoria do dep. Anderson Ferreira, foi aprovado na Comissão Especial com o parecer do deputado Diego Garcia, depois de várias audiências públicas e encontros regionais. Agora, continua a luta pela aprovação final desse tão importante Projeto de Lei, que busca valorizar a família base da sociedade e que merece especial proteção do Estado.

Propostas de combate à corrupção foram as primeiras preocupações do deputado Diego Garcia na abertura do ano de 2016 no Congresso Nacional. Atendendo aos anseios da população e levando em conta a situação de crise em que vive o Brasil, o parlamentar apresentou, no primeiro dia de trabalho, 10 Projetos de Lei que visam combater a corrupção e garantir uma maior eficiência do Poder Judiciário. As propostas estão em consonância com a campanha “10 Medidas Contra a Corrupção” do Ministério Público Federal. Além desses, Garcia também é um dos autores do PL 4850/2016, a proposta foi apresentada pela sociedade civil e apadrinhada por quatro deputados federais.

O MPF criou, em 2015, dez medidas para aprimorar a prevenção e o combate à corrupção e à impunidade. As propostas objetivam transparência, prevenção, eficiência e efetividade. Para concretizar a campanha, foram criados 20 anteprojetos de lei para serem apresentados ao Congresso Nacional. A sociedade foi chamada a apoiar e defender as medidas por meio de uma lista de apoiamento para a criação de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular, que hoje já conta com mais de 2,5 milhões de assinaturas.

Diego Garcia também foi um dos poucos deputados federais paranaenses a ter coerência nas votações pelo Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[2] , pela cassação do ex-deputado federal Eduardo Cunha e pelo acolhimento das duas denúncias contra o presidente Michel Temer.

Em janeiro de 2017 foi escolhido líder da bancada do PHS, na Câmara dos Deputados. [3]

Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.[2][4] Ainda em novembro deste mesmo ano, votou pela aprovação da PEC da Vida (181/15), que estende a licença maternidade às mães de bebês prematuros e protege a vida desde a concepção.

O parlamentar também já se manifestou contra a Reforma da Previdência e a favor do Fim do Foro Privilegiado. Trocou o PHS pelo PODE em março de 2018.

No dia 09/05/2018 foi eleito o Presidente da Comissão Especial destinada a analisar a PEC 333/2017 e apensados, que dispõem sobre o Fim do Foro Privilegiado para autoridades e políticos.

Em 09/05/2019 após ter chamado o presidente da Câmara dos Deputados de "desleal", Rodrigo Maia imputou a Diego Garcia a responsabilidade da derrubada da MP 870, enfraquecendo o Ministro Sérgio Moro [5]

  1. «Perfil de Diego Garcia no portal da Câmara». Consultado em 5 de fevereiro de 2015 
  2. a b G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  3. Deputado Diego Garcia é eleito novo líder do PHS. Site do PHS
  4. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. «Câmara adia votação da MP que reestrutura ministérios do governo Bolsonaro». noticias.uol.com.br. Consultado em 9 de maio de 2019 

Referências