Discussão:Governo Jair Bolsonaro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Erros gramaticais e falta de critério na formatação dos números presentes no artigo[editar código-fonte]

Agora a pouco fiz algumas alterações no artigo corrigindo alguns erros gramaticais existentes, excluindo algumas informações que ao meu ver detêm certa parcialidade e formatando os números presentes no mesmo - que hora estão escritos por extenso e outrora estão escritos alfa-numericamente, porém acabo de ser ameaçado de bloqueio por um determinado administrador. Peço ao sensato usuário Pórokhov e ao sensato usuário DanteCan que apenas olhem a edição que fiz e digam-me se a mesma pode ser considerada vandalismo realmente e se serei bloqueado caso continue fazendo correções desse tipo na Wikipédia.--Editorsolidario (discussão) 22h07min de 3 de fevereiro de 2019 (UTC)

Eu vi a edição e creio que o único ponto controverso possível é a citação da "promessa de número de ministros" (não consegui encontrar no corpo do artigo algo que faça referência no que está escrito na introdução). O único problema foi a sua troca intencional de "ditadura militar" para "Regime Militar", quando também apagou a ligação de Ditadura militar no Brasil (1964–1985). Jardel.[5.250] d 22h20min de 3 de fevereiro de 2019 (UTC)
@Editorsolidario: E ainda vem querer pagar de vítima. Volte a modificar conteúdo referenciado para praticar WP:POV e sofrerá as consequências disto. Chronus (discussão) 22h30min de 3 de fevereiro de 2019 (UTC)

Essa correção gramatical foi um subterfúgio para vilar o princípio da imparcialidade. Leandro LV (discussão) 17h39min de 4 de fevereiro de 2019 (UTC)

Falando nisso, é necessário expandir a introdução. O que poderia ser escrito em um eventual terceiro parágrafo? Desde que não seja controvérsias. --Bageense(fala) 21h55min de 4 de fevereiro de 2019 (UTC)
Calma, o governo só tem um mês. A introdução é um resumo de 4 anos. Leandro LV (discussão) 00h29min de 5 de fevereiro de 2019 (UTC)

Flickr[editar código-fonte]

O governo Bolsonaro alterou, novamente, a licença do Flickr oficial do Planalto do Planalto (https://www.flickr.com/photos/palaciodoplanalto/). Agora, a licença escolhida, CC BY 2.0, permite que usemos as imagens. Não são todas as imagens: por exemplo, a foto oficial permanece com a licença antiga, que não permite o carregamento no Commons. Érico (disc.) 01h13min de 21 de março de 2019 (UTC)

Essa é uma ótima notícia. Seria ótimo se tivessem feito isso na época do desastre de Brumadinho.--SirEdimon (discussão) 02h24min de 21 de março de 2019 (UTC)
@Érico: Triste essas últimas imagens do Bolsonaro com o Villas Bôas doente :/ Mas que bom que a licensa mudou. Acharia interessante que você ou alguém carregasse essa imagem que mostra o momento da assinatura do Decreto da Nova Regulamentação do Uso de Armas e Munições. --Bageense(fala) 19h47min de 12 de maio de 2019 (UTC)

Dívida pública[editar código-fonte]

Vocês consideram satisfatório o artigo Dívida pública do Brasil? Esse assunto é talvez o maior problema do Brasil e o maior desafio do atual governo, não seria necessário produzir um artigo mais refinado? Leandro LV (discussão) 22h20min de 5 de abril de 2019 (UTC)

@Leandro LV: O que tu sugere? Se quiser escrever sobre isso, escreva. Eu, pessoalmente, não me lembro de ter visto nada sobre isso na mídia... --Bageense(fala) 19h38min de 12 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense:Eu sinceramente não sei. A dívida pública é um problema de tamanha complexidade política e econômica que nós precisamos de especialistas para explicar todos os seus desdobramentos. Mas estou certo de que esse é o cerne de todo governo que seja eleito, e fico surpreso com a falta de um artigo de qualidade. Leandro LV (discussão) 18h05min de 16 de maio de 2019 (UTC)

Ideologia de Gênero[editar código-fonte]

No momento, o artigo cita o termo "Ideologia de Gênero", conectando este termo por hiperlink com o artigo sobre Teoria queer. Entretanto, a conexão é falsa, pois são dois conceitos distintos. A Teoria queer é um termo "guarda-chuva" que abrange diversos estudos na área científica (ciências humanas) relacionadas aos estudos de gênero. Ideologia de gênero, por outro lado, não é um conceito/termo reconhecido pela comunidade científica, sendo utilizado de forma leiga para se referir ao que se acredita ser (pelos usuários do termo) os objetivos da comunidade LGBT+ em relação à educação, embora existam discussões acirradas no campo político em relação a quais objetivos seriam estes, afinal. Seja como for, são duas ideias diferentes (uma científica, a teoria queer, e a outra de uso leigo, a ideologia de gênero), de modo que sua conexão neste artigo representa um erro.comentário não assinado de Exylem (discussão • contrib) -- Chronus (discussão) 09h10min de 8 de abril de 2019 (UTC) (UTC)

@Exylem: De toda forma, "Ideologia do género" redireciona para este artigo. Ele mesmo poderia citar a questão da "ideologia de gênero" para contextualizar a ligação no artigo do Governo Bolsonaro. Jardel.[5.250] d 10h50min de 8 de abril de 2019 (UTC)

Ações positivas[editar código-fonte]

Estou colocando à disposição uma planilha atualizada diariamente com os feitos/ações do Governo Bolsonaro, pois o artigo está bastante incompleto neste sentido. Conforme mencionei na discussão da página pessoal do presidente, sinto que a grande preocupação dos editores tem sido somente apontar conteúdos negativos. Muitos deles ganham espaços consideráveis no corpo do artigo, que poderiam ser ocupados com outras informações.

Planilha com as ações/fatos do governo atualizada diariamente:

https://docs.google.com/spreadsheets/d/1ppMFeaNAxYfzF2ye6OvITJkHfdLCvrWEas-MOKMcx8Q/edit#gid=1029770841

Andrécomentário não assinado de 179.215.125.214 (discussão • contrib) 05h37min de 20 de abril de 2019‎ (UTC)

E você quer que coloquemos todas essas opiniões no artigo? Não tem como. Por exemplo, você escreveu que o "presidente ordena que se mantenha investigação", mas na verdade quem investiga o ministro é o MP. Nada a ver com as atribuições presidenciais... No máximo, pode-se dizer que o presidente apoiou a investigação. Érico (disc.) 06h00min de 20 de abril de 2019 (UTC)
PS: essa tabela, com as opiniões escritas, mais atrapalha do que ajuda, pois se objetivo é diminuir uma suposta parcialidade, uma tabela que contém frases como "campo da esquerda se consternam" não é nenhum exemplo de imparcialidade, IMHO.
PS II: "STF vota contra a Lava Jato" = "esquerda comemora", "ministro é ovacionado"... é, difícil.

Atente-se aos itens da tabela. Bastante coisa tem sido feita, quase nenhuma tem sido contada aqui. Por enquanto, o foco principal do artigo tem sido somente desconstruir e apontar questões negativas, muitas delas que não tiveram qualquer impacto direto no governo. Uma pessoa que entrar aqui pensará que o tal “laranjal do PSL” teve a mesma relevância do escândalo do Mensalão no governo Lula. E que o presidente esteve diretamente envolvido nisso, quando sequer respingou. Isso sem falar em outras questões que nada tem a ver com o governo em si, como “Nazismo de Esquerda” que é mera questão de opinião, mas ganhou um espaço enorme. Este artigo deveria ser recomeçado do zero. Falha miseravelmente em tentar ser imparcial, o que deveria ser o seu intuito principal. André comentário não assinado de 179.215.125.214 (discussão • contrib) -- Chronus (discussão) 23h08min de 23 de abril de 2019 (UTC) (UTC)

Citação: Isso sem falar em outras questões que nada tem a ver com o governo em si, como “Nazismo de Esquerda” que é mera questão de opinião, mas ganhou um espaço enorme. "Nada tem a ver com o governo em si"?! Membros do alto escalão do governo, como o ex-minsitro da educação e o chanceler, defenderam publicamente este tipo de posicionamento e isto nada tem a ver com o governo? O verbete está excelente, descritivo e completamente referenciado. Não há nada para ser "recomeçado do zero" aqui e quem "falha miseravelmente em tentar ser imparcial" é quem tenta fazer uso da Wikipédia para provar um ponto de vista. Chronus (discussão) 01h15min de 24 de abril de 2019 (UTC)

Atualização da intro/resumos das seções[editar código-fonte]

Lendo esse artigo em busca de conteúdo para atualizar Jair Bolsonaro#Presidência da República (2019-2022) percebi que a introdução parece ter "parado no tempo", resumindo apenas o quadro ministerial, quando o artigo fala muito sobre outros fatos mais recentes. Não participei nem pretendo participar da edição desse artigo antes do fim do governo biografado, então não venho aqui exigir nada também, mas deixo a dica de que a introdução e o resumo das seções se beneficiariam de uma atualização. Saturnalia0 (discussão) 01h00min de 23 de abril de 2019 (UTC)

@Saturnalia0: Concordo. Eu havia escrito o segundo parágrafo, que acabou sendo dividido em dois depois, não sei por que razão. Procurei expandir a introdução. Falta ainda o quarto parágrafo para completar. Quem sabe ele deva tratar dos antecedentes? Saudações.
PS: Acredito que seria interessante um parágrafo interpretativo na introdução. Não apenas um parágrafo que descreva fatos, mas que diga o que é o governo Bolsonaro, o que representou a eleição de Bolsonaro.--Bageense(fala) 00h08min de 12 de maio de 2019 (UTC)

Relações internacionais e controvérsias[editar código-fonte]

@Chronus: Quando transformei "Relações internacionais" em tópico principal, foi intencional. A seção ficou tão grande que acabou ficando desproporcional. Sem falar que não se trata de "atos de governo". Portanto, proponho dois tópicos independentes: "Atos de governo" vira "Política interna", ou algo do tipo, e "Relações internacionais" pode ou ficar assim ou se chamar "Política externa". O que acha.

E quanto às controvérsias, não vejo como o homeschooling é uma controvérsia. Se é assim, absolutamente tudo é controvérsia. Até mesmo propostas de reforma da previdência de qualquer governo. Aliáis, olá, é bom estar de volta editanto.... :) --Bageense(fala) 12h14min de 13 de maio de 2019 (UTC)

Sem falar que se "relações internacionais" for um tópico, ele poderá ser fatiado em subseções, o que tornaria a navegação mais confortável. --Bageense(fala) 15h17min de 13 de maio de 2019 (UTC)
Por se tratar de algo não controverso, irei fazer as mudanças e criarei novas subseções. Eu sei que é chato insistir nisso, mas acho que aquele parágrafo que começa com "Ao longo do período de transição, Bolsonaro recebeu diplomatas..." vai ter de ser movido para o período de transição... --Bageense(fala) 11h30min de 14 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Três meses de bloqueio não foram suficientes para você aprender a conviver em uma comunidade? A mudança do conteúdo sobre "relações internacionais" para o tópico "período de transição" já foi rejeitada em discussões anteriores (vide acima) e você sabe muito bem disto. Será preciso abrir um novo pedido de bloqueio contra a sua conta? Entenda: você não é e nunca vai ser dono deste verbete. Chronus (discussão) 19h10min de 14 de maio de 2019 (UTC)

@Chronus: Mas eu não fiz essa mudança. Mas fora isso, alguma outra razão para você ter revertido todo meu trabalho até o momento? Eu não quero ser dono de verbete nenhum, pelo contrário. Gostaria que mais pessoas estivessem expandindo o artigo, assim como fizeram com os artigos de outros governos (Temer, por exemplo).--Bageense(fala) 19h20min de 14 de maio de 2019 (UTC)
Realmente, relendo o que eu escrevi, deu a entender que eu ia fazer aquela edição. Mas eu não fiz. --Bageense(fala) 19h33min de 14 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense: Pensei que você tivesse feito a alteração pela forma como você escreveu a mensagem acima e porque, geralmente, este é o seu modus operandi: vem na discussão avisar que vai fazer e faz logo em seguida, sem sequer dar uma oportunidade do interlocutor dar uma resposta. No entanto, a grande maioria do seu trabalho era válida de fato e foi reinserida no verbete por mim, com algumas pequenas alterações. A propósito, a controvérsia a respeito do ensino domicilar está expressa no própria frase que menciona o homeschooling. Portanto, acredito que é lá (na seção "Controvérsias") que este material deve permanecer. No mais, bom trabalho. Cumprimentos. Chronus (discussão) 20h31min de 14 de maio de 2019 (UTC)

Chronus Qual seria a razão para remover o trecho sobre a crise humanitária na Venezuela e a atitude do governo perante a isso? O envio de ajuda humanitária é uma ato de política externa. Se quiser eu mesmo adiciono denovo o trecho. --Bageense(fala) 19h47min de 14 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Foi um acidente. Reinseri o conteúdo e coloquei uma imagem do Mourão com o Guaidó. Cumprimentos. Chronus (discussão) 20h31min de 14 de maio de 2019 (UTC)
@Chronus: Tudo certo. Quanto a seu comentário anterior, realmente eu dei a entender que tinha feito a mudança, então foi compreensível você ter me revertido. Cumprimentos. Espero que todos tenhamos boas edições e mais importante, boa convivência. --Bageense(fala) 20h58min de 14 de maio de 2019 (UTC)

Tempos verbais[editar código-fonte]

Que eu saiba, deve-se usar o tempo pretérito, pois senão fica jornalístico. Foi o que o Conde Edmond Dantès (se não me engano foi ele) disse uma vez, na EAD de um artigo que eu editei, que se deve usar o tempo pretérito. Gostaria de saber se é correto proceder dessa forma. Acabo de realizar duas edições fazendo isso.--Bageense(fala) 19h18min de 22 de maio de 2019 (UTC)

Bageense é o dono do artigo?[editar código-fonte]

O usuário “Bageense” ganhou liberdade artística para criar e moldar o artigo do Governo Bolsonaro como bem entender? Nada é questionado ou revertido, tendo sido o mesmo responsável por 28 das últimas 50 edições. Mais da metade. Obviamente as edições são praticamente todas negativas, o que me faz questionar se seria esta a razão de sua total liberdade. Não precisa citar fontes, pode alterar títulos, criar e alterar seções, etc. Um belo dia ele acorda e decide vir aqui criar, sem que isso sequer passe pelo crivo e pela atenção dos revisões cujo interesse parecer ser o mesmo.

Repito, 28 das últimas 50 edições.

Andrebcastro (discussão) 18h25min de 24 de maio de 2019 (UTC)

@Andrebcastro: Olá, André. A Wikipédia é uma enciclopédia livre, que todos podem editar. Mas evidentemente, nem sempre há pessoas suficientes para editar os artigos. Que culpa eu tenho que poucos estão editando o artigo? Eu bem que gostaria que mais pessoas estivessem trabalhando nele, pois afinal, trata-se de parte da história do Brasil. Aproveito para corrigir alguns equívocos seus, André. Todas as informações que eu inseri no artigo possuem fontes e são verificáveis. Segundo, elas não são contra o Bolsonaro e seu governo e nem a favor, elas são descritivas, e não opinativas. Saiba que fui eu que escrevi sozinho a seção "Política interna", pois ninguém tinha escrito nada sobre os atos de governo ainda. Terceiro equívoco: eu muitas vezes sou questionado sim, por outros editores. Veja as edições mais antigas, pois eu tenho muito mais que 28 edições neste artigo. Enfim, se você quiser se juntar ao time de editores, seja bem vindo. Lembre-se de citar fontes e de respeitar o princípio da imparcialidade. Abraço. --Bageense(fala) 18h32min de 24 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense: Tudo bem, Bageense. Obrigado pela explicação. Eu sinto que a pressa pela edição e criação de conteúdos negativos em geral é sempre muito maior aqui. Espero que você realmente tenha o mesmo engajamento com os conteúdos positivos daqui pra frente, como por exemplo, criar uma página para as gigantescas manifestações de 26/05, assim como você fez com a do protesto da educação. E que coloque aqui no artigo também, dando o mesmo espaço para um ato de apoio ao presidente que deverá ser o maior dos últimos anos. Desta forma, garantiremos sempre a imparcialidade do artigo.

Andrebcastro (discussão) 23h34min de 25 de maio de 2019 (UTC)

@Andrebcastro: Por que não faz isso você mesmo? O projeto é feito por voluntários. Você tem a mesma responsabilidade pela criação de artigos do que eu. --Bageense(fala) 01h42min de 26 de maio de 2019 (UTC)

Controvérsias que são, antes de tudo, medidas reais[editar código-fonte]

@Chronus: Bom início de semana. Este caso dos agrotóxicos, me parece, deveria estar na seção "política interna" em uma nova subseção chamada, talvez, "Meio ambiente" ou até mesmo (infelizmente) "Saúde". O caso do homeschooling de que falamos anteriormente, de fato, não foi levado adiante. Foi um recuo; portanto, uma controvérsia. Mas essa liberação dos agrotóxicos foi uma medida real e já está em prática. Se gerou controvérsia, isso é secundário, pois ora, o governo Bolsonaro é uma controvérsia. Outros governos também foram, como o do Temer e da Dilma, apesar de terem sido menos controversos.

O corte na educação, por ainda não estar em vigor (que eu saiba não foi feito o "contingenciamento" ainda), pode ficar como uma controvérsia por enquanto.

Estamos fazendo um bom trabalho neste artigo importante. Importante não por ser o governo do Bolsonaro, mas por ser a história do Brasil sendo contada em tempo real, digamos. Saudações. --Bageense(fala) 11h45min de 27 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Você acredita mesmo que estão fazendo um bom trabalho aqui? Sendo que praticamente 90% das edições são negativas e parciais? Só se for no sentido de total desconstrução do governo e de passar uma única visão sobre o mesmo, a da oposição. Cerca de metade do artigo (ou mais) já está ocupado por controvérsias editadas em tempo real. Na verdade este artigo só se chama “Governo Bolsonaro” por mera questão de nomenclatura, pois praticamente todas as edições tem intuito claro de passar uma visão negativa e de procurar defeitos a qualquer custo. Veremos quanto tempo vão demorar para criar uma seção honesta e imparcial sobre as manifestações gigantescas de domingo em todo Brasil, com fotos e tudo mais. Nos protestos estudantis organizados pelos partidos de esquerda foi instantâneo. Andrebcastro (discussão) 14h16min de 27 de maio de 2019 (UTC)

Se uma medida do governo causa polêmica entre setores da sociedade, a controvérsia já está criada, independentemente de qualquer "recuo" do governo. No caso dos agrotóxicos, a controvérsia gerada já está devidamente exposta. O conteúdo deve ficar onde está (na seção "Controvérsias"). Chronus (discussão) 12h10min de 27 de maio de 2019 (UTC)

───────────────────────── @Chronus: Eu não vi nada que fala de controvérsia no conteúdo inserido. Apenas se houver uma controversia implícia no texto (isso é, se liberar agrotóxicos é automaticamnete controverso e dispensa maiores explicações). Transcrevo aqui o parágrafo ao qual me refiro:

Citação: Em 21 de maio de 2019, o Ministério da Agricultura divulgou a liberação de 31 novos agrotóxicos para serem usados em lavouras brasileiras, sendo que nunca tantas permissões foram concedidas de uma só vez no Brasil. Dos novos agrotóxicos, 26% não são permitidos na União Europeia e três deles usam como base o glifosato, substância classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como potencial provocadora de câncer, como o linfoma não Hodgkin. Segundo levantamento feito pelo jornal O Globo, realizado com base em dados do Ministério da Saúde, as notificações por intoxicação por agrotóxico dobraram desde 2009, passando de 7.001 para 14.664 no ano passado. No entanto, segundo a OMS, estima-se que este índice pode ser até 50 vezes maior. Ambientalistas acusam o governo federal de aumentar o poder do Ministério da Agricultura na liberação de registros de agrotóxicos, em detrimento das outras entidades. Neste ano, o Ministério do Meio Ambiente também cortou 24% do orçamento do Ibama, o que pode prejudicar a análise de novos químicos no instituto. A Anvisa, por sua vez, reduziu a frequência de seus relatórios de resíduos em alimentos.[152]

Quando digo isso, não estou dizendo: "você deveria escrever sobre a controvérsia que isso gerou para que o parágrafo fique ali". Quero dizer: "coloquemos isso como política interna adotada pelo governo, pois a seção não é para coisas 'boas' apenas, e críticas podem ser inseridas lá de igual modo." O que eu quis dizer com o título da discussão é isso... isso é uma política interna real antes de ser uma "controvérsia" (ora, se é assim, a flexibilização do porte de armas também é controverso, etc, etc.) --Bageense(fala) 22h42min de 27 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Como você não vê controvérsia? O texto cita que parte dos agrotóxicos liberados são proibidos pela UE e são classificados pela OMS como causadores de câncer. O resto do parágrafo consiste basicamente de uma descrição de como o governo diminuiu o poder dos órgãos reguladores e aumentou a força do Ministério da Agricultura. Portanto, repito: como você não vê controvérsia? Aliás, já que mencionou, o conteúdo sobre o porte de armas deveria sim ser transferido também para a seção sobre controvérsias, visto que o decreto, além de ser amplamente criticado por vários setores da sociedade, foi declarado inconstitucional diversas vezes (tanto o novo, quanto o primeiro). A culpa não é do projeto se este governo não publicou, até o momento, qualquer tipo de medida concreta e que não envolva polêmicas de campanha. Chronus (discussão) 06h51min de 28 de maio de 2019 (UTC)
Não é que eu não veja. Não houve controvérsia. A repercussão foi pequena e mesmo isso não consta no parágrafo. Ora, se houve pouca reação a uma medida ruim adotada, como pode a medida por si só ser controversa? Controversa foi a PEC do teto do Temer, que gerou um bafafá. Se for seguir tua lógica, os artigos dos governos seriam compostos em sua maior parte de controvérsias.--Bageense(fala) 15h29min de 28 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense: A repercussão foi "pequena" na opinião de quem? Na sua? Ora, por favor. Uma rápida pesquisa no Google evidencia a ampla repercussão da política de agrotóxicos do governo. Me poupe deste tipo de "argumentação". Chronus (discussão) 16h23min de 28 de maio de 2019 (UTC)
Tudo bem, espero que futuramente você mude de opinião e veja que se trata de ato de governo. Boa terça. --Bageense(fala) 18h18min de 28 de maio de 2019 (UTC)

───────────────────────── @Bageense: Não mudo minha opinião com base nas vontades alheias. Mudo de opinião com base na apresentação de argumentos concretos e plausíveis. Tente isto ao invés de negar a óbvia repercussão negativa do caso dos agrotóxicos. Chronus (discussão) 00h56min de 29 de maio de 2019 (UTC)

Revisionismo histórico[editar código-fonte]

Chronus Se tivesse prestado mais atenção no meu sumário de edição, veria que o conteúdo que eu eliminei é repetido. --Bageense(fala) 16h24min de 28 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Não só "prestei atenção", como discordei de imediato. Não é "conteúdo repetido", o nome daquilo é texto introdutório para o conteúdo que será apresentado nas duas subseções seguintes. Não é você quem determina quais são as seções "necessárias" e quais são as "desnecessárias". Você não detém a propriedade deste verbete. Chronus (discussão) 16h27min de 28 de maio de 2019 (UTC)
Chronus Não. Trata-se do mesmo texto contido no parágrafo seguinte, letra por letra e com as mesmas referências. --Bageense(fala) 16h39min de 28 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense: Resolvido. Você havia criado esta duplicidade quando apagou indevidamente a seção e copiou a frase para a seção de baixo. Chronus (discussão) 16h41min de 28 de maio de 2019 (UTC)
Aham. Eu dupliquei ao colar o conteúdo para outro local e apagar o antigo. Mas esquece--Bageense(fala) 18h15min de 28 de maio de 2019 (UTC)

Ah, eu sabia que a proposta de reforma da previdência iria eventualmente ser colocada como sub-subseção, como parte das medidas econômicas. Aconteceu o que eu já vinha vendo que era o inevitável. Enfim, boas edições, Chronus. Amanhã vou dar uma olhada melhor. A imagem do logotipo do governo era útil e descritiva... acho que podemos ainda encaixá-la em algum lugar.

PS: Eu encrenco com as sub-subseções porque elas fazem o índice parecer um penduricalho (como nos artigos dos outros governos, que já foram piores, mas estão um pouco melhores). Também porque deixa o artigo visualmente confuso. Novamente, veja o que aconteceu com os artigos dos governos anteriores. Uma bagunça. --Bageense(fala) 21h50min de 28 de maio de 2019 (UTC)

@Bageense: Sim, a previdência vai ficar em uma subseção. E daí? O Livro de Estilo não impede a criação de subseções, desde que exista conteúdo suficiente que justifique a existência delas, o que claramente é o caso deste artigo. A reforma da previdência, aliás, sequer era citada no texto. Como um editor como você, que se diz tão preocupado com a construção deste verbete, não percebeu isto? A propósito, a imagem do logotipo é repetida (já está na infobox) e contava com uma legenda óbvia e redundante. Em suma, não acrescentava nada para a ilustração do verbete e sequer estava contextualizada com a seção onde estava localizada. E se os artigos sobre os governos anteriores estão "um pouco melhores", foi porque eu resolvi fazer uma faxina neles nos últimos dias. Repito, este verbete não é de sua propriedade. Chronus (discussão) 00h54min de 29 de maio de 2019 (UTC)
É lógico que eu sabia da proposta de reforma da previdência. Não escrevi sobre ela porque eu achava que a seção "políticas internas" era, principalmente, para medidas já adotadas, e não para propostas. Mas amanhã escreverei mais sobre a reforma.
Não estou preocupado com "este artigo", mas sim, com a história do Brasil. Minha PU explica meus objetivos na WP. Saudações. --Bageense(fala) 01h34min de 29 de maio de 2019 (UTC)
@Bageense: Citação: Bageense escreveu: «Não escrevi sobre ela porque eu achava que a seção "políticas internas" era, principalmente, para medidas já adotadas, e não para propostas.» Se pensa assim, porque então você criou uma seção inteira sobre o projeto anticrime do Moro? Me poupe, por favor. A propósito, se você realmente está "preocupado com a história do Brasil", por que então sua gama de artigos editados não vai muito além de verbetes relacionados ao governo brasileiro atual? A história brasileira é muito, mas muito mais ampla do que isto. Chronus (discussão) 01h42min de 29 de maio de 2019 (UTC)
Bem observado. Ter escrito sobre o pacote anticrime do Moro foi um equívoco. Mas fora isso, só escrevi sobre decisões já tomadas... não me recordo agora o que me levou a escrever sobre o pacote anticrime.
Eu me interesso pela história que está sendo escrita neste momento. Só por acaso o governo é do Bolsonaro. Minha primeira edição na WP foi em no artigo do governo Temer e esse artigo permanece entre os artigos que eu mais editei. --Bageense(fala) 02h22min de 29 de maio de 2019 (UTC)
Resumindo: esquece meu passado. Eu não sou nem nunca vou ser bolsonarista. Não te preocupa com isso, eu nunca vou fazer "propaganda" do governo. Meu interesse nisso é zero. Só quero registrar fatos. --Bageense(fala) 02h26min de 29 de maio de 2019 (UTC)

Manifestações pró-Bolsonaro em 26/05[editar código-fonte]

Criei a seção sobre os atos pró-governo do último domingo. Procurei ser o mais breve e sucinto possível, já que é minha primeira edição neste artigo e para que possa ser complementada aos poucos. Coloquei o pequeno texto dentro da seção "popularidade", mas se acharem que há um lugar melhor, fiquem a vontade para mover. André Andrebcastro (discussão) 14h50min de 29 de maio de 2019 (UTC)

É preciso dar às coisas a devida proporção. Ora, nem os protestos a favor do governo tem seção própria. Como as manifestações foram menores, o texto deve ser mais ou menos menor.
PS: Falar que foram 4 quarteirões da Paulista soa bem mais impressionante do que dizer que foram 20 mil pessoas bem espalhadas, rsrs. --Bageense(fala) 16h34min de 29 de maio de 2019 (UTC)
As manifestações pró-governo apenas foram marcadas como uma resposta aos vários protestos estudantis. Não tem nada a ver com a "popularidade" deste governo, que, inclusive, não apoiou as manifestações oficialmente. Portanto, faz total sentido que o conteúdo esteja presente ao lado do material sobre os protestos contra o governo. Por fim, sugiro que pare imediatamente de promover ataques pessoais contra outros editores e de tentar usar o projeto para provar um ponto de vista. Seu padrão de edições, aliás, indica um caso de conta de propósito único. Esteja avisado. Chronus (discussão) 21h34min de 1 de junho de 2019 (UTC)

internação involuntária de usuário de drogas[editar código-fonte]

O projeto foi aprovado pela Câmara, Senado, e segue para a sanção presidencial. Ficou 10 anos no Congresso por ser controverso. Osmar Terra, que fez essa proposta lá atrás, e que agora é ministro da Cidadania, inventou que existe uma epidemia de drogas quando na verdade nenhuma existe. Pesquisa da Fio Cruz já mostrou que não há epidemia alguma. O paciente pode ser internado involuntariamente e só poderá sair com alta média, mesmo que a família queira que ele saia. Muitos desses centros terapêuticos que receberão verbas do governo têm vinculação com grupos religiosos e foram registrados casos de violência, trabalho escravo, etc, nesses centros.

Isso vai dar o que falar ainda. Deixo aqui como lembrete para quem achar interessante escrever sobre isso.

https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/05/15/senado-aprova-projeto-que-preve-internacao-involuntaria-de-dependentes-quimicos.ghtml

--Bageense(fala) 22h47min de 2 de junho de 2019 (UTC)

Um projeto de lei é um ato legislativo, logo não deve constar neste artigo. Além disso, o projeto foi elaborado por um deputado do PMDB. Leandro LV (discussão) 21h09min de 3 de junho de 2019 (UTC)
@Leandro LV: É lógico que o Bolsonaro vai sancionar essa lei. Quando ele o fizer, alguém poderá escrever sobre isso em "controvérsias" ou "política interna", dependendo...

Não entendi, o que tem a ver o pertido de quem elaborou o projeto? O que interessa é que quem elaborou o projeto agora é ministro do governo--Bageense(fala) 23h47min de 3 de junho de 2019 (UTC)
Governo tirou do ar portal que reunia pesquisas e dados oficiais sobre o uso de drogas no Brasil. Segundo especialistas, Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (Obid) era único a compilar levantamentos nacionais e não pode ser acessado desde janeiro. --Bageense(fala) 15h38min de 4 de junho de 2019 (UTC)
O próprio documento censurado. Resumidamente, o governo quer esconder isso pois isso vai contra a narrativa de que há uma epidemia de drogas. --Bageense(fala) 15h42min de 5 de junho de 2019 (UTC)

Popularidade em artigo separado[editar código-fonte]

O que acham de levarmos a tabela da popularidade para um artigo próprio, mantendo apenas o texto (ou o texto e o gráfico)? A razão para isso é que a tabela apenas apresenta dados brutos... não traz muito significado, digamos. Quando eu criei o gráfico e o inseri na seção, não fiz nada mais que tentar dar uma interpretação para aqueles dados.

As propostas que tenho em mente são:

  1. Mover tabela para artigo próprio
  2. Mover tabela e gráfico
  3. Mover tudo (texto também)

Eu fico com a opção 1.

@Chronus e MKBRA: Chamo alguns que editaram recentemente o artigo bem como o editor que faz o importante trabalho de atualizar a tabela, o MayTheForce. --Bageense(fala) 20h00min de 6 de junho de 2019 (UTC)

Não vejo problemas. Chronus (discussão) 20h04min de 6 de junho de 2019 (UTC)
PS: Sem falar que a tabela deve ficar 8 vezes maior no final do mandato do Bolsonaro. --Bageense(fala) 20h05min de 6 de junho de 2019 (UTC)
Bom, como parece ser só você e eu mesmo que editamos o artigo, fiz a mudança após uma semana. Vou avisar o editor que atualiza a tabela. --Bageense(fala) 14h00min de 12 de junho de 2019 (UTC)
Sem problemas. MayTheForce (discussão) 16h36min de 13 de junho de 2019 (UTC)

Greve Geral no Brasil em 2019[editar código-fonte]

É bom já pensarmos em criar um artigo em relação ao assunto, assim como existe para Greve geral no Brasil em 2017 e Greve Geral no Brasil em 1917. Pedro Jorge (discussão)

Depende. Qual o tamanho dessa greve em relação às outras? Dependendo, a greve pode merecer um parágrafo na seção sobre a reforma da previdência. --Bageense(fala) 13h36min de 14 de junho de 2019 (UTC)
Eu tirei algumas fotos. Como estou no momento morando em cidade pequena, a greve aqui não é lá grande coisa. Se alguém quiser, carregue no Commons. --Bageense(fala) 14h13min de 14 de junho de 2019 (UTC)
@Bageense: Veja a minha página de testes. Já dei início ao conteúdo do artigo. Se você quiser me ajudar a expandir. Pedro Jorge (discussão) 14h39min de 14 de junho de 2019 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Artigo criado: Greve geral no Brasil em 2019. Pedro Jorge (discussão) 00h42min de 15 de junho de 2019 (UTC)

Novo ato em 30 de junho[editar código-fonte]

Os movimentos Vem Pra Rua e MBL (Movimento Brasil Livre) estão convocando ato para o dia 30 de junho em defesa do ex-juiz Sergio Moro, do pacote anticrime e da reforma da Previdência. Vamos ficar atentos. Pedro Jorge (discussão) 21h02min de 16 de junho de 2019 (UTC)