Fly Linhas Aéreas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fly Linhas Aéreas
IATA 4H
ICAO FLB
Indicativo de chamada AEREAFLY
Fundada em 1995
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro
Aeroporto Internacional de Guarulhos
Frota 4
Sede Rio de Janeiro, Brasil
Sítio oficial www.voefly.com.br
Fly Linhas Aéreas Boeing 727-200, Recife, 1998

Fly Linhas Aéreas foi uma Companhia aérea de baixo custo (inglês: low cost / low fare) com sede no Rio de Janeiro, cujos destinos eram Natal, Recife, Fortaleza e Guarulhos e diversos voos charters em todo o nordeste e caribe.

Suspendeu suas operações em dezembro de 2005.

História[editar | editar código-fonte]

Nasceu como uma empresa charter, mas com o passar do tempo começou a realizar voos regulares. Embora tivesse sido uma empresa de baixo custo, oferecia um serviço diferenciado e de alta qualidade em seus voos.

A empresa durou cerca de 11 anos, e nos primeiros anos desfrutou de um bom crescimento e uma grande ocupação. Mas sua sorte começou a mudar em 1999 devido à crise cambial, quando a ocupação caiu e os custos dos Boeing 727, que tinham sido escolhidos por ser o melhor tipo de avião para o modelo de negócios da empresa, subiram vertiginosamente. Assim, a empresa iniciou o ano 2000 com excelente aproveitamento de sua única aeronave (avião arrendado da Royal Air Maroc), o que gerou receita suficiente para a compra de uma segunda aeronave Boeing 727-200 (comprada no mercado americano), inclusive com o que seria denominado de FLY-CLASS (espécie de primeira classe).

Os voos da empresa já chegavam a Recife e João Pessoa), além de São Paulo, Rio de Janeiro, Natal e Fortaleza (e previsão de alcançar Belém e Brasília). O sucesso da FLY era tão grande que a própria VARIG chegou a fazer uma oferta de compra da empresa, imediatamente recusada por seus donos. Quase que no mesmo horário em que decolava do Rio de Janeiro em direção ao nordeste, a FLY era acompanhada pela VARIG para os mesmos destinos e, enquanto a FLY saia totalmente lotada de passageiros, a VARIG decolava com um aproveitamento abaixo da metade da capacidade de sua aeronave.

A situação chegou ao extremo depois da crise que a aviação enfrentou após os atentados de 11 de setembro de 2001 e posteriormente devido ao avanço da novata Gol Linhas Aéreas, que bem capitalizada e com uma frota de Boeing 737 bem mais moderna, avançada e econômica, além das tarifas inferiores praticadas pela mesma, a Fly não encontrou mais espaço e acabou encerrando suas operações. . Após isso, ainda chegou a realizar voos fretados, mas durou pouco tempo.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

A pintura, que no início era a mesma da antiga operadora dos aviões, com o avião branco com uma listra vermelha e outra verde e o nome Fly no lugar do antigo nome. Posteriormente as listras se tornaram azuis e amarelas. Depois disso, a empresa criou sua própria pintura verde e azul que foi sua marca durante a maior parte de sua breve existência.

Uma quinta aeronave chegou a ser encomendada (PP-SAB), mas nunca chegou a ser entregue

Frota[editar | editar código-fonte]

A Fly Linhas Aéreas operava aeronaves Boeing 727-200 com capacidade para 162 passageiros, distribuídos em filas de 3 a 3 poltronas com um corredor.

Aeronaves
Prefixo Aeronave Serial
PP-LBF B727-2B6 20705
PP-JUB B727-227 21242
PP-BLS B727-224 20655
PP-BLR B727-243 21661

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fly Linhas Aéreas
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.