Transportes Aéreos da Bacia Amazônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Transportes Aéreos da Bacia Amazônica
IATA TT
ICAO TAB
Fundada em 1976
Encerrou atividades em 2002
Sede , Brasil


A Transportes Aéreos da Bacia Amazônica, mais conhecida pela abreviatura TABA, foi uma companhia aérea brasileira, fundada em 1976 e encerrada em 1999.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1976 o coronel Marcílio Gibson Jacques vendeu para a VASP o Lóide Aéreo Nacional[carece de fontes?]. Com o dinheiro comprou uma pequena empresa de táxi aéreo, chamada NOTA.

Com a vigência do SITAR (Sistema de Transporte Aéreo Regional), o coronel fundou então a TABA (Transportes Aereas Bacia Amazonica) e encomendou 15 EMB-110 Bandeirante junto à Embraer, além de modelos Fairchild FH-227 e Curtiss C-46 Commando, que operavam em outra companhia da região.

Em 1983 trouxe 2 British Aerospace BAe 146, que por falta de manutenção e pagamento, foram retomados pelos arrendatários.

Numa tentativa de desenvolver a companhia, novas aeronaves, como o holandês Fokker F-100 e o De-Havilland Dash-8 foram incorporadas à frota, em meados de 1994 a 1995 a taba , operou dois Boeing 727 na versão super 200 (PP-AIV e PP-AIW) que era mais alongado, em parceria com a Air Vias, mas após vários erros administrativo, desvalorização da moeda nacional, e crise monetária no país, a empresa foi tendo suas aeronaves retomadas por seus donos, até ao ponto de não ter mais condição de voar, devido a falta de aeronaves, lhe restando apenas 1 Embraer EMB-110 Bandeirantes. A TABA encerrou suas atividades em 1999 após ter sido solicitado a falência da empresa. Uma curiosidade, é que a tava, mantinha na deriva dos seus dash-8 , o dizer "De- Havilland dash-8, o Boeing, canadense", talvez em uma esperança de operar, aeronaves Boeing, ou talvez em respeito ao fato a De-Havilland, ter sido uma subsidiária da Boeing.

Aeronaves[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma companhia aérea é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.