InterTV Cabugi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
InterTV Cabugi
Televisão Cabugi Ltda.
Natal, Rio Grande do Norte
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 34 UHF
Virtual: 11 PSIP
Outros canais 24 (Claro TV DTH)
4 / 404 HD (Sky)
11 / 518 HD (Claro TV Fibra)
19 (Cabo Telecom)
9 (TCM)
ver mais
Analógico:
3 VHF (1987)
11 VHF (1987-2018)
Sede Bandeira de Natal.svg Natal, RN
Slogan Siga em frente, siga com a gente
Rede Rede InterTV (Globo)
Fundador(es) Aluízio Alves
Pertence a Rede InterTV
Sistema Tribuna de Comunicação
Proprietário(s) Fernando Aboudib Camargo (50%)
Henrique Eduardo Alves (50%)
Antigo(s) proprietário(s) Aluízio Alves (1987-2006)
Administração Dirceu Simabucuru
Acionista(s) Fernando Aboudib Camargo (50%)
Henrique Eduardo Alves (50%)
Presidente Aluízio Alves Neto
Fundação 1 de setembro de 1987 (34 anos)
Prefixo ZYP 299
Prefixo(s) anterior(es) ZYB 562 (1987-2018)
Nome(s) anterior(es) TV Cabugi (1987-2006)
Emissora(s) irmã(s)
Cobertura Cobertura da InterTV Cabugi.svg
Coord. do transmissor 5° 47' 48.9" S 35° 11' 46.4" O
Potência 5 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial redeglobo.globo.com/rn/intertvrn

InterTV Cabugi é uma emissora de televisão brasileira sediada em Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte. Opera no canal 11 (34 UHF digital) e é afiliada a TV Globo. A emissora pertence ao empresário e político Henrique Eduardo Alves, que controla metade das ações com a Rede InterTV, do empresário Fernando Aboudib Camargo, assim como a InterTV Costa Branca de Mossoró. Seus estúdios ficam localizados no bairro Lagoa Nova, e sua antena de transmissão está no Parque das Dunas, no Tirol.

História[editar | editar código-fonte]

A concessão do canal 11 VHF de Natal foi outorgada em 17 de dezembro de 1986, para o político Aluízio Alves, então ministro da administração federal no governo do presidente José Sarney.[1] Após quase um ano de preparativos, a TV Cabugi foi inaugurada em 1.º de setembro de 1987, sendo a segunda de três emissoras a entrarem no ar naquele ano no município (juntamente com a TV Ponta Negra, inaugurada em 15 de março, e a TV Tropical, em 31 de outubro), e a terceira emissora do estado. Última afiliada da Rede Globo a entrar no ar em um estado brasileiro, operou em seus primeiros dias através do canal 3 VHF, onde funcionava uma retransmissora da TV Globo Nordeste (que servia Natal desde 1977), até assumir seu canal definitivo.[2]

A primeira sede da emissora era um pequeno prédio localizado no bairro Lagoa Nova, onde quinze anos mais tarde, seria construída ao lado sua sede atual, com amplas instalações, totalmente adaptada a uma emissora de TV. Os primeiros programas produzidos pelo canal foram o Bom Dia RN e o RNTV, este último em 3 edições diárias. Também produziu diversos outros programas ao longo de suas história, como Cabugi Verão, Cabugi Cidade, Meio Dia RN e Valeu o Boi. Entretanto, na maior parte do tempo se limitou a preencher a programação local obrigatória da Rede Globo. Na programação nacional, a emissora sempre esteve em primeiro lugar nos índices de audiência, mas seus telejornais locais sempre sofreram com os programas policiais exibidos pelas concorrentes, que não raramente atingem picos de liderança.[3]

Alguns anos após a inauguração, iniciou a interiorização do seu sinal com retransmissoras em vários municípios, algumas delas compartilhadas com outros canais, como a TV Universitária. Em Mossoró, segunda maior cidade do estado, substituiu o sinal antes retransmitido da TV Verdes Mares de Fortaleza, Ceará pelo canal 13 VHF. A cidade também ganhou um escritório comercial e de jornalismo, responsável pela cobertura do interior, que enviava seu material via malote (ônibus) para veiculação em Natal. Em 1998, inaugurou seu portal na internet, o Cabugi.com, tornando-se uma das primeiras emissora do estado a manter seu conteúdo na web. Manteve também, direta ou indiretamente, outros negócios paralelos, como a FM 102,9, a Cabuginet, Cabugitec e a Cabugisat.

Ao longo de sua história, também foi acusada de favorecer o grupo político a qual está ligada em sua programação, chegando a ter o seu sinal retirado do ar por decisão da Justiça Eleitoral em 2006.[4] Em agosto de 2005, em meio a rumores que davam conta da má situação financeira do grupo controlador, a emissora teve metade das sua ações vendidas para a Rede InterTV, controlada pelo empresário Fernando Aboudib Camargo. A emissora foi incorporada a rede em setembro do ano seguinte, tornando-se InterTV Cabugi.[5] Imediatamente houve uma demissão em massa, atingindo especialmente os funcionários mais antigos, marcando o início da reestruturação da emissora, o que incluiu também a extinção do portal Cabugi.com e sua substituição pelo in360.

Em 2009, substituiu os antigos enlaces de micro-ondas para o interior pela transmissão via satélite. Em 27 de março de 2015, após a InterTV Costa Branca ser inaugurada em Mossoró, boa parte de sua cobertura no interior potiguar foi incorporada pela nova emissora, e a InterTV Cabugi passou a atender apenas 44 municípios na porção leste do estado.[6]

Em dezembro de 2019, a InterTV Cabugi promoveu demissões. 8 cinegrafistas e 5 repórteres cinematográficos foram desligados da equipe da empresa.[3] Em 13 de julho de 2020, a emissora encerra a produção do jornalístico esportivo Globo Esporte RN e demite toda a sua equipe, como o apresentador e editor Thiago Cesar e os videorrepórteres Luiz Gustavo Ribeiro e Douglas Lemos.[7]

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
11.1 34 UHF 1080i Programação principal da InterTV Cabugi / Globo

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 22 de março de 2010, pelo canal 34 UHF. A cerimônia do lançamento do sinal digital aconteceu na sede da emissora. Em 2 de dezembro de 2013, seus telejornais locais passaram a ser exibidos em alta definição.[8]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a InterTV Cabugi, bem como as outras emissoras de Natal, cessou suas transmissões pelo canal 11 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[9] O sinal foi cortado às 23h59, durante o Profissão Repórter, e foi substituído pelo aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional da Globo, atualmente a emissora produz e exibe os seguintes programas:

  • Bom Dia RN: Telejornal, com Sara Cardoso e Paulo Martin;
  • RNTV 1.ª edição: Telejornal, com Murilo Meirelles e Ana Paula Davim;
  • RNTV 2.ª edição: Telejornal, com Emmily Virgílio;
  • Resenhas do RN: Programa de variedades, com Kelly Vieira;
  • Rota InterTV: Programa turístico, com Klênyo Galvão;
  • InterTV Rural: Jornalístico sobre agronegócio, com Sara Cardoso;
  • InterTV Notícia: Boletim informativo, exibido durante a programação

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Decreto nº 93.794, de 17 de dezembro de 1986». Planalto. Consultado em 18 de março de 2022 
  2. Cortez, Lucas (28 de agosto de 2017). «Séries especiais nos telejornais marcam os 30 anos da Inter TV Cabugi». InterTV Cabugi. Consultado em 18 de março de 2022 
  3. a b Feltrin, Ricardo (8 de dezembro de 2019). «Afiliada da Globo no RN faz demissão em massa de cinegrafistas». UOL. Consultado em 13 de julho de 2020 
  4. «TRE-RN tira TV Cabugi do ar por 24 horas». G1. 28 de outubro de 2006. Consultado em 18 de março de 2022 
  5. Moura, Renata (27 de setembro de 2009). «Dirceu Simabucuru: "Crescer está no DNA da InterTV"». Tribuna do Norte. Consultado em 18 de março de 2022 
  6. «Inter TV Costa Branca estreia programação no RN». InterTV Cabugi. 27 de março de 2015. Consultado em 18 de março de 2022 
  7. Xavier, Ribamar (15 de julho de 2021). «Afiliada Globo no RN demite equipe da edição local do 'Globo Esporte'». Esporte e Mídia. Consultado em 18 de março de 2022 
  8. «Jornalismo da Globo passa a ser exibido em alta definição». Jornal Nacional. 12 de março de 2013. Consultado em 25 de julho de 2016 
  9. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 25 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão no Brasil é um esboço relacionado ao projeto entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.