TV Ponta Negra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
TV Ponta Negra
TV Ponta Negra Ltda.
Natal, Rio Grande do Norte
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 36 UHF
Virtual: 13 PSIP
Outros canais 20 (Cabo Natal)
13 (NET)
ver mais
Analógico:
13 VHF (1987-2018)
Sede Bandeira de Natal.svg Natal, RN
Slogan Presente na vida da gente
Rede SBT
Fundador Carlos Alberto de Sousa
Pertence a Sistema Opinião de Comunicação
Proprietário Cândido Pinheiro Júnior
Antigo proprietário Carlos Alberto de Sousa (1987-1998)
Micarla de Sousa (1998-2014)
Fundação 15 de março de 1987 (32 anos)
Prefixo ZYB 561
Emissoras irmãs 95 Mais FM
Cobertura 88% do estado do Rio Grande do Norte
Coord. do transmissor 5° 47' 48.8" S 35° 11' 46.6" O
Potência 4 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial tvpontanegra.op9.com.br

TV Ponta Negra é uma emissora de televisão brasileira sediada em Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte. Opera no canal 13 (36 UHF digital), e é afiliada ao SBT, sendo pertencente ao Sistema Opinião de Comunicação. Seus estúdios estão localizados no bairro do Alecrim, e a sua antena de transmissão está no Parque das Dunas, no Tirol.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em 1986, o então senador Carlos Alberto de Sousa, recebeu do Governo Federal a concessão do canal 13 de Natal. Ali foi dado o primeiro passo para a implantação da TV Ponta Negra. Após isso, Carlos Alberto começou a construir a futura sede da emissora, que inicialmente funcionava em um pequeno prédio embaixo de sua torre de transmissão, no Parque das Dunas.

Após isso, Carlos Alberto procurou uma rede de televisão para sua emissora. Ele escolheu o SBT, diante da grande amizade que ele tinha com o proprietário da emissora, Silvio Santos. A amizade entre os dois era tanta, que Silvio chegou a emprestar equipamentos usados pela TVS Brasília e pela TVS Rio de Janeiro para que a emissora entrasse no ar. Estes equipamentos foram devolvidos seis meses após a inauguração da emissora.

1987 a 1999[editar | editar código-fonte]

A TV Ponta Negra entrou no ar em 15 de março de 1987, com a transmissão ao vivo da posse do então governador Geraldo Melo. Após o término da posse, a emissora passou a transmitir a programação do SBT, no qual está afiliada até hoje.[1]

No dia seguinte, a emissora transmitiu os seus primeiros programas: O telejornal Notícias da Cidade, o programa de auditório Programa Carlos Alberto (apresentado pelo proprietário da emissora, Carlos Alberto de Sousa), e a versão local do jornalístico O Povo na TV. No início de suas atividades, a emissora contava apenas com 20 funcionários.[2] Em abril de 1989, a emissora passou a funcionar em uma nova sede no bairro do Alecrim, onde está até hoje.

Em 1990, a filha de Carlos Alberto de Sousa, Micarla de Sousa, passou a atuar na área jornalística da emissora, como repórter e editora dos telejornais da emissora. No mesmo ano o Notícias da Cidade deu lugar ao TJ RN. No ano seguinte estreou o Patrulha Policial e a edição local do Aqui Agora. Já em 1995, Micarla assumiu a superintendência do Sistema Ponta Negra de Comunicação, empresa composta pela TV Ponta Negra, rádio 95 FM e a produtora de vídeo Imagem Produções.

Em 20 de junho de 1997, a emissora lançou o site www.tvpontanegra.com.br, sendo uma das primeiras emissoras de TV a terem website no país.[3]

Em 22 de dezembro de 1998, o proprietário e fundador da emissora, Carlos Alberto de Sousa, morreu em decorrência de uma leucemia. A sua esposa, Miriam de Sousa, juntamente com suas filhas Micarla e Priscila de Sousa, assumem o controle da emissora e do Sistema Ponta Negra de Comunicação. Em 1999, estreou o Jornal do Dia, telejornal que vai ao ar nas tardes da emissora.

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

Em 2000, o Aqui Agora deu lugar ao jornalístico 60 Minutos. Na mesma época, estreou o programa de entretenimento Mais. Em 2006, o Patrulha Policial muda o nome para Patrulha da Cidade.

No mês de outubro de 2007, o programa policial Patrulha da Cidade tornou-se o programa mais assistido fora da Rede Globo em Natal, de acordo com o Top 30 da InterTV Cabugi.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Segundo uma pesquisa feita pelo Ibope em setembro de 2011, entre o horário das 12h-14h, a TV Ponta Negra passou a liderar a audiência na Grande Natal. No decorrer do dia, a emissora chega a bater por várias vezes a InterTV Cabugi, afiliada da Rede Globo no estado.

Recentemente, a emissora investiu na transmissão via satélite e vem ampliando a abrangência de seu sinal, está presente em quase todos os municípios do Rio Grande do Norte, atingindo cerca de 2.458.689 de telespectadores.

No dia 27 de janeiro de 2014, o grupo cearense Hapvida comprou 51% das ações da TV Ponta Negra. O negócio foi estimado em R$ 20 milhões. De acordo com sites especializados, o SBT também entra no negócio comprando 15% das ações, enquanto Fernando Eugênio (ex-superintendente da emissora) ficaria com 5%.[4][5]

A compra das ações ocorreu para que houvesse a modernização de vários dos equipamentos, bem como a implantação do sinal digital da emissora, que era um dos únicos grandes canais de TV da cidade de Natal que ainda não disponibilizava sinal digital. As primeiras mudanças começaram ainda em 2014, com a aquisição de mochilinks para que fosse possível a realização de externas ao vivo, e com o lançamento do sinal digital em 25 de junho.

Em outubro de 2017, a TV Ponta Negra anuncia novamente a liderança em audiência na faixa 12h-14h no Rio Grande do Norte. Com isso, veio acompanhado uma serie de mudanças na emissora, incluindo o retorno de Priscila de Sousa para o Tudo de Bom e a troca de todos os cenários dos programas, pacotes gráficos e vinhetas. Em novembro, é anunciada a contratação de Vanessa Florêncio, ex-TV Manaíra, para o reforço no jornalismo esportivo do canal.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
13.1 36 UHF 1080i Programação principal da TV Ponta Negra / SBT

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 25 de junho de 2014, através do canal 36 UHF para Natal e áreas próximas. Em 26 de março de 2018, a emissora passou a transmitir sua programação em alta definição.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Ponta Negra, bem como as outras emissoras de Natal, cessou suas transmissões pelo canal 13 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[6] O sinal foi cortado às 23h59, durante o Programa do Ratinho, e foi substituído pelo aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional do SBT, a TV Ponta Negra produz os seguintes programas:

  • Notícias da Manhã RN: Telejornal, com Analysson Miqueias;
  • Tudo de Bom: Programa de variedades, com Priscila de Sousa;
  • Arena: Jornalístico esportivo, com Andreia Freitas e Marcos Lopes;
  • Patrulha da Cidade: Jornalístico policial, com Cyro Robson;
  • Jornal do Dia: Telejornal, com Margot Ferreira;
  • Jornal do Estado: Telejornal, com Geórgia Nery;
  • Expedição Nordeste: Programa de viagens, com Cauã Cordel e Tauã Cordel;[nota 1]
  • Versátil: Programa de variedades, com Toinho Silveira;
  • Mais: com Diego Negrellos;
  • Desafio dos Confeiteiros: Reality Show, com Priscila de Sousa;

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uma das características marcantes da emissora é a de ser berço para os políticos do estado. Alguns comunicadores, como o seu próprio fundador, utilizaram os programas da emissora para se projetarem (por vezes promovendo-se e atacando seus adversários) e consolidarem suas carreiras políticas, como Luiz Almir, Miguel Weber, Gilson Moura, Aquino Neto, Paulo Wagner, entre outros. Uma delas é a jornalista Micarla de Sousa, ex-prefeita de Natal, que teve sua incrível história de ascensão na vida política, a princípio, calçada na super exposição como apresentadora na sua emissora de TV.

Notas e referências

Notas

  1. Exibido em conjunto com as afiliadas do SBT no Nordeste

Referências

  1. «TV Ponta Negra». 1 páginas. Consultado em 15 de junho de 2013. Arquivado do original em 2 de fevereiro de 2003. Empresa  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  2. «TV Ponta Negra». TV Ponta Negra. 1 páginas. Consultado em 15 de junho de 2013. Arquivado do original em 1 de dezembro de 1998. TV Ponta Negra - Há dez anos a primeira  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  3. «TV Ponta Negra». TV Ponta Negra. 1998. Consultado em 3 de abril de 2013. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 1999 
  4. http://natelinha.ne10.uol.com.br/noticias/2013/12/26/tv-ponta-negrasbt-tem-acoes-compradas-por-grupo-particular-de-saude-69414.php
  5. http://tribunadonorte.com.br/noticia/novos-socios-vao-assumir-controle-da-tv-ponta-negra/272944
  6. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 25 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]