Lightning Returns: Final Fantasy XIII

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lightning Returns: Final Fantasy XIII
Desenvolvedora(s) Square Enix
tri-Ace
Publicadora(s) Square Enix
Diretor(es) Motomu Toriyama
Produtor(es) Yoshinori Kitase
Projetista(s) Yuji Abe
Escritor(es) Daisuke Watanabe
Programador(es) Naoki Hamaguchi
Compositor(es) Naoshi Mizuta
Mitsuto Suzuki
Masashi Hamauzu
Artista(s) Isamu Kamikokuryo
Motor Crystal Tools
Plataforma(s) PlayStation 3
Xbox 360
Série Final Fantasy
Fabula Nova Crystallis
Conversões/
relançamentos
Microsoft Windows
iOS
Android
Data(s) de lançamento PlayStation3 & Xbox 360
  • JP 21 de novembro de 2013
  • AN 11 de fevereiro de 2014
  • AU 13 de fevereiro de 2014
  • EU 14 de fevereiro de 2014
Microsoft Windows
  • WW 10 de dezembro de 2015
iOS & Android
  • JP 17 de fevereiro de 2016
Gênero(s) RPG eletrônico de ação
Modos de jogo Um jogador
Último
Final Fantasy XIII-2
Próximo
Página oficial

Lightning Returns: Final Fantasy XIII (ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII, Raitoningu Ritānzu: Fainaru Fantajī Sātīn?) é um jogo eletrônico RPG de ação desenvolvido e publicado pela Square Enix originalmente para o PlayStation 3 e Xbox 360, posteriormente também para Microsoft Windows, iOS e Android. O jogo faz parte da Fabula Nova Crystallis, uma subsérie dentro da franquia Final Fantasy, sendo uma sequência direta de Final Fantasy XIII-2 que conclui a linha de história iniciada em Final Fantasy XIII. Lightning Returns emprega uma jogabilidade renovada em relação aos dois jogos anteriores, com um sistema de batalha mais orientado para ação e a habilidade de trocar os figurinos da personagem principal.

A história se passa quinhentos anos após o final de XIII-2. Lightning, a protagonista do primeiro jogo e uma personagem importante do segundo, acorda após uma hibernação apenas treze dias antes do fim do mundo, sendo escolhida pelo deus Bhunivelze para salvar a humanidade, incluindo antigos amigos e aliados que desenvolveram enormes fardos emocionais. Ela acaba descobrindo durante suas viagens a verdade sobre o destino do mundo e os verdadeiros objetivos de Bhunivelze.

O desenvolvimento começou em maio de 2012, pouco após o lançamento do último conteúdo para download de XIII-2, sendo anunciado em setembro do mesmo ano durante um evento comemorativo dos 25 anos da franquia Final Fantasy. A maioria dos membros da equipe dos dois jogos anteriores retornaram, com ele sendo desenvolvido pelo Primeiro Departamento de Produção da Square Enix em parceria com a tri-Ace. A equipe tinha a intenção de criar um fim conclusivo para a história de Lightning e do universo XIII, além de abordar as críticas feitas para os títulos anteriores.

Lightning Returns foi lançado em novembro de 2013 no Japão e em fevereiro de 2014 na América do Norte e Europa. Ele foi o 17º jogo mais vendido de 2013 e recebeu críticas mistas: apesar de vários elogios terem sido feitos para o sistema de batalha, as opiniões foram mais divididas sobre os gráficos, limite de tempo e outros aspectos da jogabilidade, enquanto sua história e personagens foram descritos como fracos e mal desenvolvidos.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogador controla diretamente a personagem Lightning através de uma perspectiva em terceira pessoa, podendo interagir com objetos, pessoas e inimigos. A câmera pode ser rotacionada ao redor da personagem permitindo uma visão de 360° dos arredores. O mundo de Lightning Returns, assim como em Final Fantasy XIII e Final Fantasy XIII-2, é renderizado em escala relativa à personagem, que pode navegar pelos cenários a pé ou em algumas áreas montando um chocobo, grandes aves galiformes recorrentes da série Final Fantasy. O jogador pode navegar livremente pelo mundo aberto do jogo, explorar cidades e áreas rurais, e aceitar missões passadas por diversos personagens não jogáveis.[1] Lightning também consegue correr por períodos limitados, além de escalar e pular.[2] Lightning Returns possui três níveis de dificuldade: fácil, normal e difícil,[3] com o último sendo desbloqueado após completar o jogo uma vez. Existe também uma opção Novo Jogo+, em que os jogadores começam a história mantendo todos os seus equipamentos e habilidades adquiridas anteriormente.[4] O relógio interno do jogo funciona continuamente durante a navegação normal, com um dia equivalendo entre duas e três horas no mundo real no modo fácil e uma hora nos modos normal e difícil.[4] [5] O cronômetro começa com sete dias dentro do jogo, porém pode ser aumentado até treze.[4] Ele para durante cutscenes, conversas e batalhas. Lightning também pode parar o tempo através de uma habilidade chamada Chronostasis.[6]

Missões estão ligadas diretamente com o crescimento de Lightning: a medida que ela completa desafios, suas estatísticas melhoram, com as missões principais da história produzindo as maiores melhorias.[4] Muitas missões secundárias só podem ser ativadas em determinados momentos, já que a construção em tempo real do mundo significa que os personagens não jogáveis estão em constante movimento e só aparecem em certos lugares em certas horas.[1] Lightning também pode aceitar desafios colocados na Tela das Orações, um quadro de informações existente em todas as localidades principais.[7] Lightning ganha uma porção de Eradia, uma energia espiritual recuperada quando os fardos de uma pessoa são retirados, ao completar desafios dados por personagens não jogáveis.[8] Às 6h de todos os dias ela é levada de volta para a Arca, um lugar onde o relógio do jogo não anda. Lá, Lightning entrega toda a Eradia recolhida para uma árvore chamada Yggdrasil: o relógio é estendido em um dia se ela conseguiu uma quantidade suficiente. A personagem também pode reabastecer seus suprimentos e adquirir novos equipamentos.[9] [10] Outro aspecto do jogo são os Serviços do Mundo Exterior, em que os jogadores podem tirar fotos e compartilhá-las no Facebook e Twitter.[11] O compartilhamento com o Facebook foi desabilitado em abril de 2015,[12] enquanto todos os outros Serviços do Mundo Exterior restantes foram encerrados em abril do ano seguinte.[13]

Combate[editar | editar código-fonte]

O sistema de batalha de Lightning Returns: Final Fantasy XIII, com a barra ATB, as habilidades disponíveis, a vida de Lightning e os pontos de energia visíveis. Acima do inimigo está sua saúde e o medidor de cambaleamento.

O sistema de batalha de usado é o "Style-Change Active Time Battle",[3] que usa elementos do tradicional "Active Time Battle" da série com sistema Paradigma utilizado em Final Fantasy XIII e Final Fantasy XIII-2, também se assemelhando com o sistema empregado em Final Fantasy X-2.[14] [15] [16] Lightning tem acesso a diversos figurinos customizáveis com diferentes conjuntos de poder. Cada roupa tem sua própria barra ATB e suas ações são mapeadas nos botões do controle, significando que o usual menu de combate não é mais necessário; isso também permite que a personagem se movimente pelo campo de batalha de maneira limitada.[14] A maioria dos figurinos e acessórios podem ser comprados em lojas dentro do jogo ou ganhados ao completar uma missão.[4] Roupas, itens, escudos e armas mais fortes são desbloqueadas no modo difícil, além do acesso a áreas e chefes mais desafiadores.[17] Lightning pode equipar diretamente três conjuntos de poderes, possuindo espaços adicionais para outros que podem ser equipados fora de batalha. Ela pode ser equipada com uma arma de combate corpo a corpo (espada, lança, etc.), um escudo e um acessório cosmético. A cor de cada figurino pode ser customizada; existem opções para modificar porções específicas ou a roupa inteira.[18]

Como em Final Fantasy XIII, os inimigos aparecem no campo aberto e podem ser enfrentados ou evitados. O número de inimigos aumenta durante a noite, com sua capacidade de infligir maior dano também aumentando conforme os dias de jogo passam.[4] [8] Após matar as versões "normais" dos oponentes, uma versão final aparece como chefe. Derrotá-lo gera uma grande recompensa e faz com que esse tipo de inimigo seja extinto na determinada área do jogo.[19] A batalha começa quando Lightning ataca um oponente ou é atacada. O monstro e Lightning perdem uma pequena porção de vida se forem atingidos por algum ataque.[14] A barra ATB da personagem é drenada após ela realizar um ataque, forçando a mudança do tipo de ação para a investida seguinte; a barra se recarrega automaticamente quando não está sendo usada. Lightning usa suas várias espadas para ataques corpo a corpo e magia para ataques de longa distância. Ela pode bloquear investidas inimigas com seu escudo e também tem a opção de se desviar.[20] [21] Todo inimigo possui um medidor de cambaleamento, representado por uma linha atrás de sua barra de vida. Esse medidor oscila a medida que Lightning inflige certos tipos de ataques mágicos ou físicos. O inimigo eventualmente fica cambaleante, deixando-o vulnerável para ataques de grandes danos.[22] A personagem também pode gastar Pontos de Energia para realizar movimentos especiais ou ativar habilidades, como Overclock (que diminui a velocidade do tempo para os oponentes e permite que ela ataque mais vezes) e Army of One, o movimento principal de Lightning.[14] [23] A personagem ganha gil, a moeda do jogo, ao vencer batalhas e recupera um pouco de sua barra de Pontos de Energia.[24] Nos modos normal e difícil, uma hora do relógio do jogo é perdida se Lightning foge ou é derrotada em combate.[5] [25] O jogador não recupera automaticamente seus Pontos de Vida depois de uma batalha, como nos dois jogos anteriores, mas sim precisa de remédios comprados em mercados e lojas. Também não existe nenhum modo de auto-combate, com Lightning precisando ser controlada manualmente o tempo todo. A personagem regenera sua vida no modo fácil se ficar parada.[17] [21] [26]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Mundo[editar | editar código-fonte]

Lightning Returns se passa após os eventos de Final Fantasy XIII e Final Fantasy XIII-2. Lightning foi um das seis pessoas que em XIII foram escolhidas por um semi-deus fal'Cie para serem transformadas em l'Cie,[27] [28] servos dos fal'Cie agraciados com poderes mágicos e um Foco – uma tarefa que precisa ser completada dentro de um limite de tempo; aqueles que são bem sucedidos em seu Foco entram em estase de cristal, enquanto os que falham se transformam em monstros chamados Cie'th.[29] O Foco dos seis era fazer com que o grande mundo flutuante artificial de Cocoon caísse no planeta Gran Pulse, matando todos os humanos morando no primeiro. No final do jogo, duas das l'Cie se transformaram em um enorme pilar de cristal para apoiar Cocoon, impedindo a catástrofe. Os outros l'Cie voltam para a forma humana por ação de Etro, a divindade responsável por manter o equilíbrio entre o mundo mortal e o Reino Invisível.[27] É revelado em XIII-2 que a interferência de Etro permitiu que uma parte do caos, uma energia aprisionada no Reino Invisível, escapasse e distorcesse a linha do tempo após a queda de Cocoon. Lightning foi levada para o Valhalla, a capital da deusa, decidindo ficar para protegê-la. Sua irmã Serah Farron parte três anos depois para corrigir as distorções e encontrar Lightning, enquanto as pessoas vivendo em Gran Pulse constroem uma nova Cocoon já que a antiga está destinada a cair. Os protagonistas acabam sem querer causando a morte de Etro,[27] permitindo que o caos entrasse no mundo mortal e trazendo o fim do tempo.[30] Serah morre e Lightning perde a vontade de viver. O espírito de sua irmã aparece e ela entra em estase de cristal a fim de preservar a esperança.[27]

Os eventos de Lightning Returns acontecem quinhentos anos depois do final de XIII-2 e durante os treze últimos dias da existência do mundo. O mundo de Gran Pulse foi consumido pela liberação do caos, com a exceção de algumas ilhas chamadas Nova Chrysalia.[31] A nova Cocoon, chamada de Bhunivelze em homenagem ao deus do universo, atua como satélite do planeta. O caos congelou o envelhecimento humano e nenhuma criança nasceu devido a morte de Etro, fazendo com que a população humana estagnasse e diminuísse.[32] [33] Duas religiões rivais surgiram ao longo dos séculos e dominam a vida do povo de Nova Chrysalia: a Ordem da Salvação, que idolatra Bhunivelze;[34] e os Filhos de Etro, um culto rebelde que idolatra a deusa da morte.[35] O mundo em si é dividido em quatro regiões, cada uma dominada por um humor e ambiente específico.[36] A cidade de Luxerion é a capital daqueles fiéis à Ordem. A capital do prazer Yusnaan é uma cidade em que as pessoas vivem em constante estado de celebração. As Dunas Mortas são um deserto dominado por ruínas. E as Terras Selvagens é uma área onde ficava a antiga cidade de Academia, também abrigando os restos de Valhalla. Dentro de Bhunivelze, a nova Cocoon, está a Arca, uma zona em que o tempo está congelado.[2] [37] [38]

Personagens[editar | editar código-fonte]

Os personagens principais de Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Do topo da esquerda para a direta: Yeul, Caius, Fang, Vanille, Noel, Snow, Serah, Mog, Sazh, Lumina, Lightning e Hope.

Lightning, uma personagem central de XIII e XIII-2, é a protagonista do jogo, a única personagem jogável e sua narradora. Outros personagens importantes dos títulos anteriores também aparecerem: Hope Estheim ajuda Lightning através de um comunicador;[39] Snow Villiers, devastado pela morte de sua noiva Serah Farron, torna-se o líder de Yusnaan e o último l'Cie do mundo; Oerba Dia Vanille e Oerba Yun Fang, libertadas de suas estases de cristal, seguem caminhos separados, com Fang se tornando líder de um grupo de bandidos nas Dunas Mortas e Vanille ganhando o poder de ouvir as vozes dos mortos, sendo considerada uma santa e ficando sob a proteção da Ordem da Salvação. Noel Kreiss vira um vigilante em Luxerion por sentir-se culpado por seu papel nas mortes de Etro e Serah e na atual situação do mundo. Sazh Katzroy e seu filho Dajh vivem nas Terras Selvagens. A região também tornar-se a casa de Mog, o companheiro moogle de Serah e Noel em XIII-2;[40] Caius Ballad, o antigo adversário de Lightning e o responsável por libertar o caos;[41] e Paddra Nsu-Yeul, uma antiga vidente cujo ciclo de morte e reincarnação foi a motivação das ações de Caius.[42] Personagens novos incluem Lumina, uma misteriosa doppelgänger de Serah que ajuda e atrapalha Lightning durante suas missões;[43] e Bhunivelze, a principal divindade do universo que escolhe Lightning como a salvadora do mundo.[44]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Lightning é acordada de sua estase de cristal pelo deus Bhunivelze após dormir por quinhentos anos. O mundo irá acabar em treze dias e ela é feita a salvadora da humanidade, uma figura que irá libertar as almas das pessoas dos fardos de seus corações e guiá-las para o novo mundo que Bhunivelze criará ao final dos treze dias.[45] Lightning aceita a tarefa para salvar e garantir o renascimento do espírito de sua irmã Serah Farron.[46] Hope Estheim atua como seu guia a partir da Arca, que abriga as almas salvas da humanidade; foi o deus que o escolheu para essa função e o fez retornar para sua forma física de catorze anos de idade.[47] Durante sua jornada realizando sua missão, ela encontra seus antigos aliados e adversários, muitos dos quais agora carregam pesados fardos emocionais. Ela também é seguida por Lumina, que lhe aconselha e a provoca em intervalos regulares.[40]

Lightning investiga uma série de assassinatos em Luxerion onde todas as vítimas combinam com sua própria descrição. Ela também é seguida durante suas viagens por Noel Kreiss, que ficou obcecado com uma profecia que ele precisa matar Lightning a fim de garantir um mundo melhor e a volta de Paddra Nsu-Yeul. Os dois brevemente se aliam para derrotar os Filhos de Etro, responsáveis pelos assassinatos, e em seguida se enfrentam. Lightning usa a raiva de Noel para que ele perceba e aceite seus erros, removendo seu fardo emocional. Depois disso ela se encontra com Oerba Dia Vanille na catedral da Ordem da Salvação. Vanille lhe mostra um lugar onde foram reunidas as almas dos mortos.[40] Ela está sendo preparada para um ritual que acontecerá no último dia do mundo e aparentemente vai purificar as almas. Vanille espera se redimir de suas ações passadas dessa maneira.[48] Lightning encontra Oerba Yun Fang nas Dunas Mortas e lhe segue em uma jornada através dos calabouços da região à procura de uma relíquia chamada Clavis Sagrada. Fang revela ao encontrar o artefato que ele tem o poder de reunir as almas dos mortos e que o ritual em Luxerion irá matar Vanille.[49] Ela tenta destruir a relíquia, porém forças da Ordem chegam e a tomam. As almas dos mortos falam com Lightning no décimo primeiro dia através do aspecto de Cid Raines, um homem que ela havia encontrado em Final Fantasy XIII.[50] Ele conta que a Ordem enganou Vanille e planeja sacrificá-la para destruir os mortos, para que os vivos esqueçam de suas existências e sejam "purificados" no renascer do novo mundo. Lightning decide parar o ritual, porém Cid avisa que ela estará desafiando a vontade de Bhunivelze.[51]

Lightning salva um chocobo branco chamado "Anjo do Valhalla" de um ataque de monstros nas Terras Selvagens, cuidando dele até recuperar sua saúde.[40] O chocobo é revelado como sendo Odin, o Eidolon que agia como seu aliado em XIII.[52] Ela encontra Sazh Katzroy, cujo filho Dajh entrou em coma e se recusou a acordar devido ao estado atual do pai.[53] Lightning recupera fragmentos da alma de Dajh, tirando o fardo emocional de Sazh e acordando seu filho.[40] Ela viaja para as ruínas de Valhalla e encontra Caius Ballad e várias versões de Yeul. Lightning luta contra Caius e descobre que ficou preso à vida por causa das Yeuls, dessa forma não podendo ser salvo.[54] Ela também descobre que foi o renascimento perpétuo de Yeul que fez com que o caos vazasse para o mundo mortal e iniciasse os eventos de XIII-2.[55] Lightning em seguida encontra Mog, que é o líder de uma vila moogle, e o ajuda a afastar os monstros que estavam atacando o lugar.[40] Ela se infiltra no palácio de Snow Villiers em Yusnaan e encontra ele se preparando para entrar em uma concentração de caos contida dentro do edifício. Snow planeja absorver o caos, se transformar em um Cie'th e matar Lightning. Ele realiza a transformação e os dois lutam, porém Lightning consegue renovar a esperança de Snow de rever Serah, revertar sua transformação e libertá-lo de seu fardo.[56] Hope revela durante o último dia de Nova Chrysalia que Bhunivelze o usou para vigiar Lightning e que o deus irá se livrar dele assim que a tarefa for completada.[57]

Hope desaparece e Lightning é transportada para Luxerion, entrando na catedral onde ela, Noel, Snow e Fang lutam contra a Ordem para salvarem Vanille. Lightning consegue convencê-la a libertar a alma dos mortos.[58] Esse ato permite que eles encontrem a alma de Serah, mantida dentro de Lumina como proteção, porém Bhunivelze aparece usando Hope como seu hospedeiro e captura todos com a exceção de Lightning.[59] Ela se transporta para um reino transcendental, encontrando Bhunivelze em pessoa e descobrindo que ele esteve condicionando Lightning para ser a substituta de Etro.[60] Lightning consegue ferir o deus na batalha e libertar Hope, se preparando para tornar-se a nova deusa e proteger o novo mundo ao se prender no Reino Invisível junto com Bhunivelze.[61] Uma ilusão de Serah aparece para confrontar Lightning, revelando que Lumina era a manifestação física de suas vulnerabilidades suprimidas.[62] Ela aceita Lumina como parte de si e pede ajuda: Hope, Snow, Noel, Fang, Vanille e os Eidolons respondem seu chamado, cortando o domínio de Bhunivelze sobre as almas da humanidade, incluindo Sazh, Dajh, Mog e a revivida Serah. As almas se unem e derrotam o deus.[40] Depois disso, Caius e as várias versões de Yeul decidem permanecer no Reino Invisível e proteger o equilíbrio entre os mundos no lugar de Etro.[63] A última incarnação de Yeul, que sozinha deseja por uma nova vida, recebe a permissão de acompanhar Lightning e seus amigos.[64] Os Eidolons e Mog partem para o Reino Invisível enquanto Lightning, seus aliados e as almas da humanidade viajam para um novo mundo ondem podem decidir seu próprio destino. Em uma cena pós-créditos, Lightning é vista usando roupas normais e chegando em uma cidade rural, indo se encontrar com um de seus amigos.[40] [65] [66] [67]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O diretor Motomu Toriyama.

O conceito de Lightning Returns: Final Fantasy XIII se originou durante o desenvolvimento de Final Fantasy XIII-2 enquanto a equipe estava debatendo ideias para possíveis continuações da história e do universo dos jogos, mesmo que naquele momento nenhuma decisão concreta sobre uma segunda continuação de Final Fantasy XIII tivesse sido tomada.[68] O desenvolvimento do jogo começou em maio de 2012, logo depois do lançamento do último conteúdo para download de XIII-2, Requiem of the Goddess. De acordo com o diretor Motomu Toriyama, ele queria contar mais histórias sobre Lightning e o conteúdo para download não foi um final satisfatório para ela. O jogo foi projetado em um período mais curto que outros jogos da série Final Fantasy; o produtor Yoshinori Kitase explicou que isso se deu porque a equipe não queria que os jogadores se esquecessem das histórias dos dois jogos anteriores, com eles precisando trabalhar muito mais como resultado. Outra razão foi que a equipe queria encerrar a série XIII antes do lançamento da nova geração de consoles.[69] [70] O título foi escolhido para ser o último Final Fantasy original lançado nos consoles da sétima geração,[71] [72] com versões para a geração seguinte nunca tendo sido consideradas.[73] A desenvolvedora tri-Ace, que anteriormente já havia trabalhado com a Square Enix em XIII-2, retornou para ajudar a equipe na parte gráfica do jogo.[74]

Um das principais conceitos do jogo era o "renascimento" de Lightning como personagem; essa foi a principal razão citada porque o jogo foi chamado de Lightning Returns e não Final Fantasy XIII-3, além do desejo da equipe de atrair novos jogadores para a série.[69] [75] A personagem também foi deixada mais sombria e vulnerável, principalmente porque Kitase achou que as representações estoicas anteriores dela acabaram por alienar os jogadores.[69] [73] [76] O roteiro principal foi escrito por Daisuke Watanabe, o principal roteirista dos dois jogos anteriores. Toriyama, Watanabe e outros membros da equipe debateram ideias durante o processo de conceituação sobre cenas importantes e os eventos que levariam até elas. O processo de roteirização foi lento, criando dificuldades para o resto da equipe. Por causa disso, Watanabe trabalhou ainda mais a fim de criar um final apropriado para os personagens e a história.[65]

O jogo foi projetado para ser o último título da série XIII (geralmente chamada de a "Saga de Lightning" pela equipe de produção),[77] [78] porém também tinha a intenção de ser independente em relação a franquia Final Fantasy como um todo.[75] Um exemplo dessa quebra das normas da série é o logotipo do jogo, que não foi desenhado pelo artista regular da série Yoshitaka Amano[79] e que foi um de vários criados durante o início do desenvolvimento.[80] O conceito da progressão da história foi chamado de "ditado pelo mundo", em que o mundo que o jogador interage se movimenta independentemente de suas ações: por exemplo, personagens não jogáveis aparecem em locais diferentes dependendo da hora do dia. Esse conceito parcialmente deu origem ao limite de tempo do jogo, que foi sugerido pelo projetista de batalha Yuji Abe após ler sobre o Relógio do Juízo Final.[69] [75] Outra inspiração para o ritmo da história e o limite de tempo foi o filme In Time.[81] O aspecto mundo aberto de Lightning Returns foi muito inspirado no jogo The Elder Scrolls V: Skyrim,[68] enquanto algumas ideias de jogabilidade foram tiradas de Dark Souls.[82] A maioria dos elementos mais pesados da jogabilidade acabaram sendo aparados a fim de deixar o título mais acessível a novatos.[83]

A equipe reutilizou poucos objetos e modelos dos dois títulos anteriores, escolhendo construir uma grande parte do jogo a partir do zero, especialmente na questão do desenho do mundo e comportamento dos personagens não jogáveis.[73] O motor Crystal Tools, empregado nos dois jogos anteriores, precisou de uma grande revisão já que ele não tinha sido projetado para jogos de mundo aberto.[84] Diferentemente dos predecessores, várias das cutscenes de Lightning Returns foram criadas enquanto ele ainda estava em desenvolvimento, significando que muitos objetos e modelos temporários tiveram que ser usados até que as versões finais ficassem prontas. A equipe também precisou checar minunciosamente as várias roupas e armas de Lightning a fim de garantir que não haveria erros nas cutscenes, como por exemplo armas atravessando objetos e cenários, e que a roupa íntima da personagem não aparecesse durante as batalhas mesmo em seus figurinos mais reveladores. Os vários continentes demoraram mais para serem criados do que os ambientes de XIII-2 já que a equipe estava utilizando na maior parte modelos novos, com cenas algumas vezes precisando serem refeitas já que o enredo geral do jogo ainda não tinha sido finalizado quando o desenvolvimento começou. Os dubladores gravaram suas falas bem depois das cutscenes terem sido criadas, diferentemente do procedimento normal de realizar as gravações antes para que elas pudessem ser usadas na animação das expressões dos personagens.[85]

O conceito do sistema de batalha de Lightning Returns originou-se enquanto ideias estavam sendo discutidas para o sistema de Final Fantasy XIII, porém limitações técnicas e problemas de implementação em combates de grupos impediu que fossem utilizadas.[16] Essas ideias ressurgiram quando parte da equipe quis que Lightning mudasse de aparência durante a luta, com a redução para uma única personagem jogável criando espaço de memória para que tal sistema fosse empregado.[86] Ao fazer o sistema girar em torno de uma personagem, os desenvolvedores acabaram removendo a oportunidade de cenas de história entre membros do grupo, algo que Abe citou como sua maior falha.[16] Além de compartilhar elementos de projeto com os dois títulos XIII anteriores, o sistema de batalha também possui similaridades com o de Final Fantasy XV, apesar dos desenvolvedores afirmarem que não foram influenciados diretamente.[16] [87] Quando o conceito do limite de tempo foi anunciado, houve pessoas que acharam que era algo novo demais já que limites de tempo eram vistos como tabus em RPGs eletrônicos.[88] A mecânica originalmente não foi bem recebida por jogadores teste, que não conseguiram completar o jogo em tempo. Em resposta a equipe realizou ajustes para que os jogadores recebessem uma quantidade mais confortável de tempo.[5]

Os vários figurinos de Lightning foram desenhados pelo diretor de arte Isamu Kamikokuryo, o projetista de arte chefe Toshitaka Matsuda e pelo desenhista Toshiyuki Itahana, que anteriormente já havia trabalhado em Final Fantasy XI e na subsérie Final Fantasy Crystal Chronicles. Os três se inspiraram em desenhos de personagens feitos por Amano e as atmosferas dos diferentes locais do jogo.[89] Matsuda e Itahana ficaram responsáveis, respectivamente, pelos desenhos de Bhunivelze e Lumina.[75] [90] Tetsuya Nomura voltou para desenhar os novos visuais de Lightning e Snow Villiers.[91] Kamikokuryo utilizou o tema do jogo de um mundo morrendo para criar Nova Chrysalia, além de incorporar influências culturais e arquiteturais do Oriente Médio, Ásia e Londres durante a Revolução Industrial.[79] Nova Chrysalia foi originalmente concebida como uma única ilha, porém o mundo cresceu no decorrer do processo de desenvolvimento até sua configuração final de quatro ilhas.[92] O projeto em si do mundo aberto foi inspirado em MMORPGs como Final Fantasy XI, descrito por Abe como um "estilo guia turístico".[93] Cada ilha foi projetada para ter um tema e clima bem definido, enquanto suas construções foram realizadas por pequenas equipes, com cada uma controlando seus próprios conteúdos e qualidade.[70] [92] [94] A equipe de arte se inspirou em vários lugares do mundo real: Luxerion e Yusnaan foram inspiradas respectivamente por Paris e Las Vegas, enquanto as Dunas Mortas e as Terras Selvagens foram influenciadas pelo Cairo e Costa Rica.[95] O cenário para a última cena do jogo foi inspirado no sul da Europa.[96]

Música[editar | editar código-fonte]

O compositor Masashi Hamauzu.

A música de Lightning Returns foi composta por Masashi Hamauzu, Naoshi Mizuta e Mitsuto Suzuki, os mesmos compositores que tinham trabalhado na trilha de Final Fantasy XIII-2.[97] A banda japonesa Language foi contratada por Suzuki para ajudar nas gravações e remixagem.[98] O processo de gravação ocorreu nos estúdios Mixer's Lab em Tóquio.[99] A Video Game Orchestra foi contratada por Hamauzu para tocar, gravar e mixar a trilha orquestral em seu estúdio em Boston, Estados Unidos. De acordo com o compositor, eles foram a primeira e única escolha para o trabalho.[100] [101] A orquestra recebeu a trilha final em abril de 2013 e Hamauzu esteve regularmente presente nos estúdios para ajudar nas gravações.[101] De acordo com Shota Nakama, o fundador da Video Game Orchestra, o compositor lhe deu permissão para fazer o que quisesse a menos que fosse algo "realmente maluco", com Hamauzu confiando em Nakama e os dois interagindo e trabalhando nas faixas se alguém não gostasse de algum aspecto delas.[102]

A trilha foi criada com uma percussão muito maior que títulos anteriores da série, possuindo como tema principal a música "Senkō", um tema recorrente nos jogos XIII relacionado com Lightning. O tema tinha a intenção de enfatizar o foco na personagem, com várias das faixas relacionando-se diretamente com ela. Elementos musicais étnicos não especificados também foram incorporados na trilha.[92] [103] Cada compositor trabalhou em uma das quatro principais localidades do jogo. Músicas diferentes foram compostas para os períodos da manhã, tarde, anoitecer e noite por causa do ciclo de dia e noite do jogo.[103] Hamauzu escreveu enquanto estava na Suíça a faixa "Kurimuzon Burittsu", a primeira peça de toda a trilha e um dos temas de combate.[97] O tema da última batalha tem treze minutos de duração e tinha a intenção de fazer referência ao numeral do jogo.[104] Diferentemente de vários outros títulos da franquia Final Fantasy, Lightning Returns não possui uma canção tema já que se achou que uma iria diminuir o impacto emocional do final. Ao invés disso os compositores criaram uma peça totalmente orquestral.[105] O tema final, "Epirōgu", foi composto por Hamauzu e Nakama e foi baseado no conceito dos jogos XIII chegando ao fim, tendo também a intenção de transmitir os temas e a atmosfera de toda a trilha sonora. Nakama criou várias versões da composição e as enviou para Hamauzu, que fez alterações e escolheu a versão final.[102] A música do jogo também faz várias referências a temas de títulos anteriores da série Final Fantasy.[106]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Rumores sobre a existência de uma segunda sequência começaram antes mesmo do lançamento de XIII-2 quando um domínio na internet foi registrado com o nome de Final Fantasy XIII-3, porém essa marca foi registrada pelo ramo ocidental da Square Enix sem conhecimento da companhia principal, alegando também que isso fora apenas uma medida de "precaução".[107] Quando ficou de conhecimento público que XIII-2 terminava com um "Continua", os criadores do jogo divulgaram uma declaração dizendo que esse final tinha a intenção de preparar os jogadores para os pacotes de conteúdos para download que expandiriam a história principal.[108] Entretanto, após o lançamento do último DLC do jogo, executivos da empresa anunciaram que lançariam novos conteúdos relacionados com Final Fantasy XIII no futuro.[109] Em agosto de 2012, durante a preparação para um evento especial de comemoração dos 25 anos da franquia Final Fantasy, foi lançado um site especial chamado "A Storm Gathers" que prometia novos desenvolvimentos para a série XIII e para sua protagonista Lightning.[77] Lightning Returns foi finalmente revelado no evento de celebração, com Toriyama, Kamikokuryo, Abe e Kitase explicando os principais conceitos do título.[110] O lançamento ocidental do jogo foi adiado em dois meses em relação ao japonês devido a grande variedade de diálogos causada pelo ciclo de dia e noite, significando que o processo de tradução, dublagem e sincronização demorou muito mais que o normal.[111] A equipe de desenvolvimento repensou sua estratégia na hora de divulgar e promover o título. Eles trabalharam bem perto de Yohei Murakami, o agente de publicidade e marketing para muitos dos jogos da Square Enix. Lightning Returns apareceu em diversos eventos da indústria de jogos eletrônicos ao longo de 2013.[112] Como parte da campanha, Lightning e vários monstros do universo XIII apareceram em uma série de eventos especiais em Final Fantasy XIV: A Realm Reborn.[113]

Conteúdo extra[editar | editar código-fonte]

Apesar de Final Fantasy XIII-2 ter recebido uma grande quantidade de conteúdos para download na forma de figurinos extras, episódios de história e novas batalhas, a recepção deles foi mista. Os fãs gostaram das roupas, apesar de algumas reclamações de que eram simplesmente cosméticas, porém a presença de DLCs de história fez com que muitos criticassem o jogo original como incompleto. Em resposta, os desenvolvedores de Lightning Returns decidiram que a história completa do título estaria na versão normal do jogo.[114] Todavia, eles criaram muitos conteúdos para download na forma de figurinos que Lightning poderia usar em combate.[115] Um deles continha as roupas e armas de Cloud Strife, protagonista de Final Fantasy VII, disponível como um bônus de pré-venda limitado,[116] enquanto outro tinha uma coleção de roupas inspiradas nos samurais.[115] Além disso, como parte da campanha promocional envolvendo muitos de seus jogos,[117] a Square Enix do Japão também disponibilizou a roupa de Yuna, uma das protagonistas de Final Fantasy X, como uma das armaduras de Lightning para todos que tivessem comprado uma cópia de Final Fantasy X/X-2 HD Remaster no PlayStation 3 ou PlayStation Vita.[118] O figurino foi posteriormente disponibilizado como um exclusivo de pré-compra na Amazon.com.[119] Novos conjuntos de conteúdos para download foram lançados após a estreia do jogo. No lançamento ocidental, um DLC foi disponibilizado que permitia que os jogadores jogassem com as vozes japonesas. Esse pacote ficou gratuito por duas semanas e então virou pago.[120]

Merchandise[editar | editar código-fonte]

Lightning Returns: Final Fantasy XIII foi lançado em 21 de novembro de 2013 no Japão e em 11, 13 e 14 de fevereiro de 2014 respectivamente na América do Norte, Austrália e Europa.[121] [122] Além da edição padrão do jogo, uma versão especial chamada "Lightning Ultimate Box" também foi lançada. Ela incluía os três jogos da série XIII, uma estátua de Lightning, uma seleção de música dos jogos, uma caixa especial e um livro com ilustrações.[123] Uma edição limitada de um PlayStation 3 contendo um controle tematizado foi lançado na Ásia.[124] Uma edição de colecionador exclusiva para a América do Norte foi lançada através da loja online da Square Enix. Ela continha uma cópia do jogo, um livro de artes, um relógio de bolso com o logotipo do jogo e códigos de conteúdos para download.[125] Lightning Returns recebeu uma conversão para Microsoft Windows em dezembro de 2015 através da Steam, contendo todos os DLCs de roupas.[126] Um lançamento para iOS e Android ocorreu em fevereiro de 2016.[127]

Como parte da divulgação do jogo no Japão, a Square Enix fez uma parceria com a companhia confeiteira Ezaki Glico para comercializar doces Pocky com uma embalagem de Lightning Returns.[128] Um livro guia Ultimania foi publicado após o lançamento do jogo, contendo artes conceituais, entrevistas com os desenvolvedores e guias para os inimigos, continentes e eventos do jogo.[129] Originalmente estava agendado a publicação de um romance chamado Chronicle of Chaotic Era, que se passaria entre os eventos de XIII-2 e Lightning Returns, porém o livro foi cancelado já que seu autor Benny Matsuyama acabou adoecendo.[130] Uma novela em três partes intitulada Final Fantasy XIII Reminiscence: tracer of memories foi publicada através da revista Famitsu após o lançamento do jogo.[131] Ela foi escrita por Watanabe e se passa depois dos eventos finais do jogo, assumindo a forma de uma série de entrevistas com os personagens principais.[65]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Vendas[editar | editar código-fonte]

A versão para PlayStation 3 de Lightning Returns alcançou o topo dos vinte mais vendidos no Japão durante sua primeira semana de lançamento, vendendo pouco mais de 277 mil unidades e superando Super Mario 3D World.[132] A versão de Xbox 360 vendeu apenas quatro mil unidades no mesmo período, menos da metade das vendas iniciais de XIII-2 na mesma plataforma.[133] A versão de PlayStation 3 ficou na 17ª posição dos mais vendidos de 2013 no Japão, alcançando 404.147 unidades.[134] Lightning Returns estrou na terceira posição dos mais vendidos no Reino Unido,[135] enquanto nos Estados Unidos ele ficou na oitava posição entre os dez mais vendidos do mês de fevereiro.[136] O jogo já havia vendido mais de oitocentas mil cópias mundialmente por volta de novembro de 2014.[137]

Crítica[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Destructoid 7,5/10[138]
Edge 6/10[139]
Eurogamer 8/10[25]
Famitsu 37/40[140]
Game Informer 7/10[141]
GamesRadar 2.5 de 5 estrelas.[142]
GameSpot 5/10[143]
IGN 7/10[144]
PlayStation Official Magazine 6/10[145]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic PS3: 66/100[146]
X360: 69/100[147]
PC: 68/100[148]

Lightning Returns: Final Fantasy XIII foi recebido de forma mista pela crítica. O jogo teve uma nota 37/40 na revista japonesa Famitsu, com os quatro editores dando notas de 10, 10, 9 e 8 para ambas as versões de console.[140] A publicação posteriormente lhe concedeu um prêmio de "Excelência" durante sua premiação anual de melhores do ano.[149] O site agregador de notas Metacritic deu à versão de PlayStation 3 uma nota de 66/100,[146] enquanto a versão de Xbox 360 ficou com uma aprovação de 69/100.[147]

O sistema de batalha foi o elemento que ganhou mais elogios. Matt Elliot da PlayStation Official Magazine disse que ele era divertido e pareceu "um Final Fantasy: uma aproximação moderna e energética de um combate que antes era em rodadas".[145] Marty Sliva da IGN gostou muito das lutas, afirmando que "Lightning Returns fez um grande trabalho de me empoderar para criar [um trio de conjuntos de poder] que pareceu único e pessoal".[144] Joe Juba da Game Informer também gostou do combate, que ele considerou ser uma melhora sobre os dois jogos XIII anteriores, dizendo que a troca de conjuntos de poder gerou "um sistema acelerado e de alta tensão que deixas as lutas excitantes".[141] Para a Eurogamer, Simon Parkin o chamou de "talvez a melhor e certamente a mais flexível versão já feita" quando comparada aos dois predecessores,[25] enquanto Kevin VanOrd da GameSpot afirmou que ele "talvez pudesse encontrar um lugar entre os melhores sistemas de batalha de Final Fantasy" se não fossem algumas falhas como o bloqueio.[143] A Famitsu disse que os combates eram "excelentes", também destacando a customização dos figurinos.[150]

A jogabilidade das missões não foi tão bem recebida, com Sliva dizendo que ela lhe fez sentir como estivesse "preso nas primeiras horas de um MMO",[144] enquanto Juba chamou as tarefas de "chatas".[141] Parkin afirmou que as missões "podem parecer triviais sob os olhos de um relógio apocalíptico".[25] VanOrd comentou que apesar de várias tarefas serem "absorvedores por conta própria", ele admirou a capacidade delas de colocar o jogador para explorar o mundo.[143] Dale North da Destructoid sentiu que o limite de tempo fez das missões "um desperdício do preciso tempo disponível".[138] O limite de tempo em si foi recebido de forma mista. Sliva achou que ele criou "um sentimento de urgência ... que eu realmente gostei",[144] enquanto VanOrd afirmou que ele trabalhou contra o jogador e "colidiu com quase todos os outros aspectos do jogo".[143] Juba gostou de planejar seus dias, porém por outro lado sentiu que o limite de tempo impediu a exploração do mundo e que ele "[limitou] severamente sua habilidade de mergulhar completamente em alguns sistemas".[141] Elliot escreveu que se sentiu pressionado demais pelo limite, algo que ficou desagradável quando juntado com a penalidade de tempo por fugir de batalhas.[145] Já os críticos da Famitsu acharam que esse elemento da jogabilidade não era um fator muito estressante.[150]

Os gráficos também tiveram uma recepção mista. Sliva descreveu os lugares como "visualmente interessantes e variados",[144] ao mesmo tempo que VanOrd afirmou que o jogador "não pode deixar de ficar de boca aberta para o lindo espetáculo diante [dele]".[143] Juba gostou do visual geral e desenho dos personagens principais e do ambiente, entretanto criticou as texturas e os personagens não jogáveis.[141] Elliot elogiou as cutscenes, porém disse que "as ruas paralelas fatigadas e quadradonas pareceram incompletas". Todavia, ele também disse que a natureza expansiva dos ambientes equilibrou essa questão.[145] Os ambientes foram elogiados pela Famitsu, que afirmou que os grandes locais e a falta de dicas sobre onde encontrar missões poderiam fazer com que um jogadores novatos demorassem para se acostumarem. De forma geral a publicação descreveu o jogo como "muito bom".[150]

Já a história foi bem criticada pela maioria dos críticos. Sliva escreveu que a narrativa "se focou em caminhos desinteressantes que não me deram motivos para me importar com esses personagens com quem eu já passei mais de 100 horas".[144] Juba descreveu a história como "uma piada", dizendo que houve pouquíssimo desenvolvimento para Lightning como personagem e que a narrativa "matou qualquer resquício de investimento que eu tinha no universo".[141] VanOrd achou a grande quantidade de diálogos um recurso perturbador e discordante,[143] enquanto Parkin afirmou que a narrativa não conseguiu resolver questões presentes nos dois jogos anteriores, apesar de algumas missões secundárias e diálogos terem conseguido suavizar Lightning um pouco.[25]

Resposta[editar | editar código-fonte]

Tanto Toriyama quanto Kitase responderam às críticas e notas mistas que Lightning Returns recebeu. O diretor disse que grande parte da negatividade vinha do limite de tempo e que as "opiniões sobre o jogo ficaram mais positivas após algum tempo desde o lançamento inicial de Lightning Returns [após os jogadores terem se acostumado com as nuances]".[67] Já o produtor comentou que "não fiquei realmente chocado. Existem críticas negativas e críticas positivas, é uma verdadeira mistura. Quando eu comecei a fazer este jogo eu aceitei desafios novos, então de certa forma eu antecipei que existiriam opiniões mistas, então isso é mais ou menos aquilo que eu tinha previsto".[151]

Referências

  1. a b «Lightning Returns: Final Fantasy XIII – Square Enix switches tack». Edge. 7 de março de 2013. Arquivado desde o original em 31 de março de 2013. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  2. a b A Guided Tour - LIGHTNING RETURNS: FINAL FANTASY XIII. (5 de março de 2014). Square Enix.
  3. a b «『ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII』スタートから1時間でわかった自由度と歯応え【プレイリポート】». Famitsu. 1 de agosto de 2013. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  4. a b c d e f «Lightning Returns: Interview mit Yuji Abe auf der gamescom 2013». InGame. 25 de agosto de 2013. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  5. a b c Smieja, Adam (7 de novembro de 2013). «Interview mit Motomu Toriyama und Yuji Abe – Lightning Returns: Final Fantasy XIII». SpieleTester.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  6. Yip, Spencer (29 de agosto de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Lets Players Freeze Time During Missions». Siliconera. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  7. Goldfarb, Andrew (14 de outubro de 2013). «Exploring the Beautiful World of Lightning Returns: Final Fantasy XIII». IGN. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  8. a b Yip, Spencer (19 de novembro de 2013). «Lightning Gets Stronger By Saving Souls In Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Siliconera. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  9. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Won’t Let You Use MP To Heal». Siliconera. 22 de julho de 2013. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  10. Yip, Spencer (26 de dezembro de 2012). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Can Be Extended Beyond 13 Days». Siliconera. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  11. Sahdev, Ishaan (23 de julho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Has Twitter And Facebook Sharing». Siliconera. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  12. Seto, Dan (20 de fevereiro de 2015). «Changes to the Outerworld Services in Lightning Returns Final Fantasy XIII». Square Enix Blog. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  13. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII’s Outerworld Services To Shut Down On April 26, 2016». Siliconera. 21 de abril de 2016. Consultado em 21 de janeiro de 2016. 
  14. a b c d Yip, Spencer (6 de junho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII’s Battle System Is All About Switching Schema». Siliconera. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  15. Sliva, Marty (10 de junho de 2013). «The Fantastic Combat of Lightning Returns: Final Fantasy 13». IGN. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  16. a b c d Kermali, Luke (30 de janeiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Devs Answer Your Questions». IGN. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  17. a b Juba, Joe (15 de janeiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Game Informer. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  18. Eisenbeis, Richard (10 de dezembro de 2013). «The Costume Editor Is My Favorite Time-Waster in Lightning Returns». Kotaku. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  19. Sahdev, Ishaan (28 de outubro de 2013). «You Can Eradicate Entire Monster Species In Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Siliconera. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  20. VanOrd, Kevin (14 de outubro de 2013). «Lightning Returns: You Can Go Home Again». GameSpot. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  21. a b «ライトニングの門限直前に現れる時報モンスターとは? 『ライトニング リターンズ FFXIII』開発スタッフインタビューのバトル編をお届け». Dengeki Online. 31 de julho de 2013. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  22. Totilo, Stephen (6 de junho de 2013). «I Have Staggered Monsters In Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Kotaku. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  23. Romano, Sal (14 de outubro de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII ‘Wildlands’ gameplay». Gematsu. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  24. Romano, Sal (27 de julho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII: Vanille confirmed, fourth continent revealed, more». Gematsu. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  25. a b c d e Parkin, Simon (11 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy 13 review». Eurogamer. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  26. Yip, Spencer (9 de julho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Makes Money Easier To Get And Other Details». Siliconera. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  27. a b c d Bradford, Matt (10 de fevereiro de 2014). «Final Fantasy XIII - The story so far». GamesRadar. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  28. Cquote1.png Datalog – On gods and fal'Cie: Etro was a goddess without any powers of her own. In contrast, both Pulse and Lindzei were granted limitless power, and they built the fal'Cie, servants that possess supernatural powers. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  29. Cquote1.png Datalog – The l'Cie: The l'Cie are humans who have been cursed by the fal'Cie. They are given great powers and magic, but they are forced to obey the gods' will to achieve their Focus, or mission. If they fail, the l'Cie turn into mindless monsters called Cie'th. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  30. Cquote1.png Datalog – The destruction of the old world: The goddess Etro, who maintained the equilibrium between the world of the living and the world of the dead, was gone. And with her went the barrier that help the power of the Chaos at bay, allowing it to flood into the human world." Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  31. Cquote1.png Datalog – Nova Chrysalia's past: The history of Nova Chrysalia began 500 years ago, when the walls between this world and the next broke, allowing Chaos to flood the dimension in which humanity lives. The influx of Chaos slowly covered the lands, leaving only small tracts still inhabitable by man. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  32. Cquote1.png Hope: The Chaos brought destruction—and a kind of immortality, too. Suddenly, everyone just stopped growing. It was like we'd lost our time. But if that was a gift, it was a poisoned one. We could not age—and neither could new life be born. There were no more children. But although we were ageless, we were not immune to death. Sickness, accidents, and violence could still kill us. Life remained as fragile as it had always been. And so humanity began a new chapter in its history. The population slowly shrinking, the survivors falling into a kind of ennui born of lives that last too long. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  33. Cquote1.png Lightning: The life force that exists in all of us. The goddess took the souls of the dead and made them be reborn. She breathed life into each new generation. / Hope/Bhunivelze: Yes, but when she was destroyed, that cycle was broken. After that, the world was doomed. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  34. Cquote1.png Datalog – The Order of Salvation: The Order now governs much of human society from its seat of power in the grand cathedral in Luxerion. Believe in the coming of the new world, entrust yourself and all you are to God on high—this is the teaching that has won over the majority of humanity. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  35. Cquote1.png Datalog – The Children of Etro: The Children of Etro is a religious group pledged to the goddess of death. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  36. North, Dale (17 de janeiro de 2013). «13 new things about Lighting Returns: Final Fantasy XIII». Destructoid. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  37. «Take A Tour Of Lightning Returns: Final Fantasy XIII’s Four Continents». Siliconera. 12 de setembro de 2013. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  38. McWhertor, Michael (6 de junho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy 13 hands-on: Gears of wardrobe». Polygon. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  39. Gantayat, Anoop (5 de setembro de 2012). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Details». Andriasang. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  40. a b c d e f g h «Lightning Returns: Final Fantasy XIII – Plot». Giant Bomb. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  41. «Caius Ballad». Giant Bomb. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  42. «Yeul». Giant Bomb. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  43. «Lumina». Giant Bomb. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  44. «Bhunivelze». Giant Bomb. Consultado em 21 de fevereiro de 2016. 
  45. Cquote1.png Datalog – Creating a new world: Almighty Bhunivelze has decided to bring this world to an end and make a new one. There is no way to save Nova Chrysalia from the chaos in which it is sinking. ... Bhunivelze will use the souls of the saved to populate his new world. For that purpose, he has selected a savior to gather the souls and prepare them for the new world. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  46. Cquote1.png Datalog – God's Plan: God made a promise. He told Lightning that he would bring Serah back to her, if she became his servant and acted as his savior. She agreed at once. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  47. Cquote1.png Lightning: Hope Estheim. Once, long ago, we fought side by side, bound by a common destiny. ... When I woke, the Hope who I'd seen become a man was a boy again. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  48. Cquote1.png Datalog – The Winds of Chaos: Vanille herself says that she wants to use this power to bring the peace to the dead. It is a wish born of the remorse that she still feels for all the deaths for which she believes she was responsible. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  49. Cquote1.png Lightning: Fang. What are you doing!? This is what you've been looking for! / Fang: I'm not letting anyone else have it! If Vanille uses this damn thing, she'll die. ... Yeah, "purity" the dead, put them to their eternal rest - all it'll take is the life of a saint! Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  50. Cquote1.png Lightning: Cid Raines. / Cid: That was once a man's name, but now it means nothing. His soul has dissolved into the swirl of Chaos. ... I am the voice of the many, of the countless multitude who call Chaos home. I am the speaker for the dead. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  51. Cquote1.png Lightning: She can do what I can't. Vanille can bring salvation to the dead. / Cid: Yes. But she doesn't know what she is capable of. The Order has kept the truth from her. ... The Soulsong will destroy us and make you forget we ever existed. Murder on a grand scale. / Lightning: You want me to stop her, right? / Cid: Yes. And then you must tell her what her real power is, so she can lead us to salvation. / Lightning: Is this what you all want? / Cid: It is. But it is not God's will. If you answer our prayer, it will mean defying Bhunivelze. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  52. Cquote1.png Datalog – Odin: Odin, the silver eidolon, is Lightning's sworn ally. ... Lightning never knew what happened to Odin after she was defeated in Valhalla, but he was in fact reborn as the Angel of Valhalla. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  53. Cquote1.png Lumina: Sazh was desperate to save his son - but that desperation nearly drove him mad. Dajh saw what was happening and got scared. So he hid his heart away. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  54. Cquote1.png Caius: You are the hunter of souls. But you cannot claim mine. Behold! [Caius se impala e então se recupera a partir do caos] Even if one Yeul desires my salvation, another demands my rebirth. ... / Lightning: So Yeul ... is never gonna let you go. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  55. Cquote1.png Lumina: You can see it now, right? Why time was distorted, why the world fell apart? Why you got dragged into Valhalla? It was all because of the power of the unseen Chaos. And the Chaos came from that girl, reborn and splintered, generation after generation. From Yeul. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  56. Cquote1.png Datalog – Mission 2-3: A Solitary Patron: Snow has been using his l'Cie powers to absorb the Chaos, fighting a solitary battle against the rising tide. In a last desperate act, Snow allows himself to be transformed into a Cie'th and attacks Lightning. But she cries out one last appeal: Don't let your love for Serah disappear into the Chaos! Somehow, Snow hears her - and returns to human form. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  57. Cquote1.png Hope: It's too late for me now. I had a job. I was God's eyes and ears, made to watch over everything you did. But now the last day is here, and God doesn't need me anymore. I'll just ... disappear. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  58. Cquote1.png Datalog – The Saint's Decision: Noel. Fang. Snow. Lightning's friends and allies from the past all came together to stop the Soulsong. ... The Soulsong was a lie, meant to destroy the souls of the dead and keep the new world for the chosen few. When Vanille realized this, she stopped the ceremony and instead worked together with Fang to summon the dead to her. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  59. Cquote1.png Datalog – Judgment: Lightning turned her back on God and put a stop to the Soulsong—and Serah's soul appeared before her, as if she had been waiting for Lightning to make the correct choice. ... Yet their reunion was fleeting. The bells that marked the end of the world began tolling, and Bhunivelze awoke. The almighty god descended upon the world in Hope's body and snatched away the souls of Serah and Lightning's friends. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  60. Cquote1.png Datalog – The Final Battle: In God's plan, Lightning is to take the place of the fallen Etro and watch over the souls of the dead, ensuring that they are reborn and that the cycle of life continues. Without such a goddess, the new world will suffer the same fate as the old one has. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  61. Cquote1.png Lightning: I have to stay. Someone has to control the Chaos. I have to keep it safe. The new world ... and you ... and all of humanity. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  62. Cquote1.png Serah: Do you remember? What you tried to do? You tried to kill me. [Lumina aparece diante de Lightning.] / Lightning: You! You're me. Young ... weak ... / Serah: I'm Claire Farron. Her selfishness, her loneliness, her fear. That little bit of your soul that you couldn't accept. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  63. Cquote1.png Lightning: We don't need God anymore. / Caius: The living don't need a god, but the dead do. A god to protect them. A god of salvation. / Yeuls: We shall become that god. We will rule over the Unseen Realm, and from there, we will look over the cycle of death and rebirth. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  64. Cquote1.png Caius: If it is your wish - you will die in her place. / Noel: Go ahead. Do your worst. / Caius: Then swear on your life ... Keep [Yeul] safe. / Yeuls: She is the last of us. Only she can be free. Caius has released her from the fate of the seeress. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  65. a b c «『ファイナルファンタジーXIII REMINISCENCE -tracer of memories-』著者、渡辺大祐氏にインタビュー». Famitsu. 11 de julho de 2014. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  66. Cquote1.png Lightning: This journey is over now. I wonder when the next will begin. I only know ... that soon, we'll be together. Cquote2.png // Lightning Returns: Final Fantasy XIII. Square Enix, tri-Ace. (Square Enix). PlayStation 3, Xbox 360. (2013)
  67. a b Kai, Cheng (14 de fevereiro de 2014). «Lightning’s Story Is Truly Over, But She May Be A Guest In A Future Final Fantasy». Siliconera. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  68. a b Van Duine, Erren (21 de março de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Interview with Motomu Toriyama and Yoshinori Kitase». Nova Crystallis. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  69. a b c d Lightning Returns: Final Fantasy XIII Ultimania (Tóquio: Studio Bentstuff). 2013. pp. 736–737. ISBN 4-7575-4158-9. 
  70. a b Cook, Dave (22 de fevereiro de 2013). «Lightning Returns FFXIII: closing the loop». VG24/7. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  71. Sahdev, Ishaan (11 de junho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII To Be Last FF On Current Gen Systems». Siliconera. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  72. Cook, Dave (3 de outubro de 2012). «Final Fantasy anniversary interview: Toriyama speaks». VG24/7. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  73. a b c Goldfarb, Andrew (23 de agosto de 2013). «Gamescom: Saying Goodbye to Lightning in Final Fantasy XIII». IGN. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  74. Yip, Spencer (13 de novembro de 2013). «NORA Won’t Return For Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Siliconera. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  75. a b c d «『ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII』は“ヒラリズム”に注目!? 開発スタッフインタビュー【完全版】». Famitsu. 29 de dezembro de 2012. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  76. Corriea, Alexa Ray (21 de agosto de 2013). «Lightning Returns: a more vulnerable heroine running out of time». Polygon. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  77. a b «A Storm Gathers». Square Enix. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  78. Goldfarb, Andrew (6 de setembro de 2012). «Lightning Returns Will Be the Last Final Fantasy XIII». IGN. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  79. a b Ashcraft, Brian (11 de outubro de 2012). «Square Enix On Bringing Lightning Returns To Life». Kotaku. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  80. Ashcraft, Brian (4 de novembro de 2013). «Check Out the Rejected Lightning Returns Logos». Kotaku. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  81. «Interview avec les créateurs de Final Fantasy X/X-2 HD Remaster et Lightning Returns: Final Fantasy XIII». PlayStation Europe. Sony. 11 de julho de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  82. Nakamura, Toshi (20 de junho de 2013). «Lightning Returns Producer Compares the Game to Dark Souls». Kotaku. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  83. Karmali, Luke (28 de outubro de 2013). «How Final Fantasy Plans to Survive». IGN. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  84. «Final Fantasy’s Key Developers Talk About Their Progress And Struggles Of Late». Siliconera. 20 de junho de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  85. «ライトニングのテーマは“燃え”と“萌え”! 『ライトニング リターンズ FFXIII』開発スタッフインタビュー第6回(イベント編)». Dengeki Online. 18 de novembro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  86. Yip, Spencer (15 de setembro de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII: How Snow And Other FFXIII Heroes Changed». Siliconera. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  87. «Notre interview vidéo exclusive de Julien Merceron». Final Fantasy Dream. 14 de julho de 2012. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  88. «The Final Fantasy XIII Project Was Originally Called “Colors World”». Siliconera. 4 de novembro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  89. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Has A Costume Based On Final Fantasy VI». Siliconera. 19 de novembro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  90. Lightning Returns: Final Fantasy XIII: The Complete Official Guide Collector's Edition Piggyback Interactive [S.l.] 2012. p. 345. ISBN 978-1-908172-11-2. 
  91. Yip, Spencer (10 de outubro de 2012). «Nomura’s Lightning Returns Work Finished, Versus XIII Still In Development». Siliconera. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  92. a b c "Inside The Square": Director's Cut -- LIGHTNING RETURNS: FINAL FANTASY XIII. (4 de fevereiro de 2014). Square Enix.
  93. «「LIGHTNING RETURNS:FINAL FANTASY XIII」は,同じFFシリーズであってもコンセプトが違う作品。中核スタッフ特別インタビュー». 4Gamer.net. 3 de dezembro de 2012. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  94. Donato, Joe (20 de outubro de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII redefines itself once again». GameZone. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  95. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Featured in Gamestop's Power Up Rewards Epic Rewards Giveaway». Gamasutra. 3 de fevereiro de 2014. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  96. Lightning Returns: Final Fantasy XIII Ultimania (Tóquio: Studio Bentstuff). 2013. pp. 742–743. ISBN 4-7575-4158-9. 
  97. a b «Lightning Returns Q&A: Music of the Final Fantasy XIII Trilogy». 1UP.com. 11 de abril de 2013. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  98. Suzuki, Mitsuto (10 de maio de 2013). «鈴木週報 LIGHTNING RETURNS FINAL FANTASY XIII Rec風景». Square Enix Blog. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  99. Suzuki, Mitsuto (21 de fevereiro de 2013). «鈴木週報 LIGHTNING RETURNS FINAL FANTASY XIII Rec風景». Square Enix Blog. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  100. Gonzalez, Dan (19 de dezembro de 2013). «Mixing Music For Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Cakewalk. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  101. a b Sorlie, Audun (12 de junho de 2013). «Hamauzu and VGO dicuss FF: Lightning Returns soundtrack». Destructoid. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  102. a b Kulikowski, Patrick (29 de setembro de 2014). «Shota Nakama Interview: Recording Lightning Returns and Kingdom Hearts». Video Game Music Online. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  103. a b Kermarrec, Jérémie (12 de dezembro de 2013). «Interview - Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Final Fantasy World. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  104. Schweitzer, Ben (4 de abril de 2014). «Lightning Returns -Final Fantasy XIII- Original Soundtrack». Video Game Music Online. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  105. «Lightning room». Twitter. 7 de novembro de 2013. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  106. Eisenbeis, Richard (3 de dezembro de 2013). «Lightning Returns Has a Lot of Fun Playing Around with Music». Kotaku. Consultado em 22 de fevereiro de 2016. 
  107. Jackson, Mike (4 de dezembro de 2011). «Final Fantasy XIII-3 domain is 'just in case'». Computer and Video Games. Arquivado desde o original em 21 de abril de 2012. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  108. Yin-Poole, Wesley (6 de fevereiro de 2012). «Final Fantasy 13-2 "to be continued" ending explained». Eurogamer. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  109. Honea, Keri (5 de julho de 2012). «Square Enix Teases Final Fantasy XIII-3 And Announces Final Fantasy X HD Delay». Game Revolution. Consultado em 20 de fevereiro de 2016. 
  110. «ライトニングシリーズ最終章『ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII』が2013年に発売決定!【FF展リポート】». Famitsu. 1 de setembro de 2012. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  111. Parish, Jeremy (19 de junho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Full E3 Interview». USGamer. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  112. «『ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII』開発者・宣伝担当インタビュー». Famitsu. 28 de dezembro de 2013. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  113. Schulenberg, Thomas (16 de novembro de 2013). «Final Fantasy 14: A Realm Reborn plays host to Lightning». Joystiq. Engadget. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  114. Reynolds, Matthew (25 de janeiro de 2013). «'Lightning Returns: Final Fantasy XIII' won't feature story DLC». Digital Spy. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  115. a b Karmali, Luke (2 de julho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Pre-Order DLC Announced». IGN. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  116. Elliot, Phil (2 de julho de 2013). «Pre-order goodies for Lightning Returns! Cloud Strife gear, Samurai awesomeness!». Square Enix Blog. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  117. Romano, Sal (18 de julho de 2013). «Square Enix announces ‘Final Fantasy Go There’ campaign». Gematsu. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  118. McWhertor, Michael (21 de setembro de 2013). «Lightning Returns lets you cosplay as Final Fantasy 10's Yuna». Polygon. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  119. North, Dale (21 de janeiro de 2014). «Lightning Returns pre-orders at Amazon get Yuna DLC». Destructoid. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  120. Suszek, Mike (25 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns with Japanese voice overs and Moogle costume DLC». Joystiq. Engadget. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  121. Kubba, Sinan (6 de junho de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII hits NA Feb 11 2014, EU Feb 14». Joystiq. Engadget. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  122. Te, Zorine (9 de fevereiro de 2014). «AU New Releases February 10-16: Lightning Returns: Final Fantasy XIII». GameSpot. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  123. Yip, Spencer (6 de junho de 2013). «Japan’s Lightning Ultimate Box Has All Three Final Fantasy XIII Games». Siliconera. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  124. «PlayStation®3 Asia Exclusive Limited Edition “DUALSHOCK®3 LIGHTNING RETURNS: FINAL FANTASY XIII EDITION” & “DUALSHOCK®3 LIGHTNING RETURNS: FINAL FANTASY XIII EDITION Bundle Pack” To Hit Stores on 21st November, 2013.». PlayStation Asia. 28 de setembro de 2013. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  125. Kishimoto, Mat (11 de dezembro de 2013). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Collector’s Edition Revealed». PlayStation Blog. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  126. Romano, Sal (19 de novembro de 2015). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII for PC launches via Steam on December 10». Gematsu. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  127. Makuzawa, Red (17 de fevereiro de 2016). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII now out on mobile devices in Japan». Nova Crystallis. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  128. Yip, Spencer (19 de novembro de 2013). «Lightning Returns… To Be On A Pocky Box». Siliconera. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  129. «ライトニング リターンズ ファイナルファンタジーXIII アルティマニア». Square Enix Game Books Online. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  130. «「小説 ライトニングリターンズ FFXIII」が発売中止に ─ 著者が病気のためとの発表». Inside Games. 27 de novembro de 2013. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  131. «【先出し週刊ファミ通】『ファイナルファンタジーVII Gバイク』でスマホにクラウドが! SQEX北瀬氏・間氏×CC2松山洋氏のインタビューは必見! さらに次号も『FF』新作をスクープ!?(2014年6月12日発売号)». Famitsu. 11 de junho de 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  132. Ivan, Tom (27 de novembro de 2013). «Japan: Lightning Returns beats Super Mario 3D World to chart No.1». Computer and Video Games. Arquivado desde o original em 21 de dezembro de 2014. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  133. Sahdev, Ishaan (29 de novembro de 2013). «Square Enix Shipped Far Fewer Copies Of Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Siliconera. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  134. «2013年テレビゲームソフト売り上げランキング(ファミ通版)». Geimin. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  135. Cook, Dave (17 de fevereiro de 2014). «UK game chart: LEGO Movie enters at top, Lightning Returns in at third». VG24/7. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  136. Sahdev, Ishaan (13 de março de 2014). «Both Lightning Returns And Bravely Default Were Among Last Month’s Best-Sellers». Siliconera. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  137. Parish, Jeremy (26 de novembro de 2014). «Where Final Fantasy Went Wrong, and How Square Enix is Putting It Right». USGamer. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  138. a b North, Dale (11 de fevereiro de 2014). «Review: Lightning Returns: Final Fantasy». Destructoid. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  139. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII review». Edge. 20 de fevereiro de 2014. Arquivado desde o original em 1 de março de 2014. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  140. a b Romano, Sal (12 de novembro de 2013). «Famitsu Review Scores: Issue 1302». Gematsu. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  141. a b c d e f Juba, Joe (11 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII». Game Infomer. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  142. Taljonick, Ryan (11 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Review». GamesRadar. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  143. a b c d e f VanOrd, Kevin (11 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Review». GameSpot. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  144. a b c d e f Sliva, Marty (19 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Review». IGN. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  145. a b c d Elliot, Matt (11 de fevereiro de 2014). «Lightning Returns: Final Fantasy 13 review». PlayStation Official Magazine. Arquivado desde o original em 25 de fevereiro de 2014. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  146. a b «Lightning Returns: Final Fantasy XIII PlayStation 3». Metacritic. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  147. a b «Lightning Returns: Final Fantasy XIII Xbox 360». Metacritic. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  148. «Lightning Returns: Final Fantasy XIII PC». Metacritic. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  149. «ファミ通アワード2013授賞式が開催 ゲーム・オブ・ザ・イヤーは『モンスターハンター4』». Famitsu. 23 de abril de 2014. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  150. a b c «Die Famitsu gibt Lightning Returns 37 von 40 Punkten». JPGames.net. 13 de novembro de 2013. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 
  151. Kubba, Sinan (17 de fevereiro de 2014). «Square Enix producer Kitase on Lightning Returns reviews, HD remasters, and that FF7 tech demo». Joystiq. Engadget. Consultado em 24 de fevereiro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]