São Francisco de Paula (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Francisco de Paula
"São Chico"
Município de São Francisco de Paula

Município de São Francisco de Paula
Bandeira desconhecida
Brasão de São Francisco de Paula
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 21 de maio de 1878 (emancipação definitiva em 7 de janeiro de 1903)
Gentílico serrano ou franciscano
CEP 95400-000
Prefeito(a) Marcos André Aguzzolli (PP)
(2017–2020)
Localização
Localização de São Francisco de Paula
Localização de São Francisco de Paula no Rio Grande do Sul
São Francisco de Paula está localizado em: Brasil
São Francisco de Paula
Localização de São Francisco de Paula no Brasil
29° 26' 52" S 50° 35' 02" O29° 26' 52" S 50° 35' 02" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Nordeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Vacaria IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Monte Alegre dos Campos, Bom Jesus, Jaquirana, Cambará do Sul, Praia Grande, Três Forquilhas, Itati, Maquiné, Riozinho, Rolante, Taquara, Três Coroas, Canela e Caxias do Sul
Distância até a capital 112 km
Características geográficas
Área 3 273,498 km² (BR: 463º)[2]
População 20 540 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 6,27 hab./km²
Altitude 907 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,757 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 273 611,408 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 12 290,51 IBGE/2008[5]
Página oficial

São Francisco de Paula é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

A área onde hoje é o município de São Francisco de Paula foi habitada por índios caáguas, da tribo dos coroados. Com a extinção destes, a região passou a ser caminho dos tropeiros, que iam do Rio Grande do Sul a São Paulo.

O povoamento da cidade começou quando Pedro da Silva Chaves, capitão de ordenanças da região de cima da serra, doou uma área de terra para a fundação do povoado, que virou patrimônio de uma igreja construída no local. A esta igreja, o capitão batizaria de São Francisco de Paula, santo de sua devoção. O primeiro pároco foi o seu filho, o Pe. José da Silva Leal Leme, em 1762.

Em 1809, o povoado de Cima da Serra passou a pertencer ao município de Santo Antônio da Patrulha. Em 1852, o povoado foi elevado a freguesia de Cima da Serra, que virou município (São Francisco de Paula de Cima da Serra) em 1878.

A denominação viria a perder a alcunha Cima da Serra por volta de 1930, ficando apenas São Francisco de Paula. Entretanto, em 1889 o município foi extinto e anexado a Taquara do Mundo Novo (atual Taquara). No mesmo ano, o município foi reconstituído, sendo extinto novamente em 1892, e reanexado a Taquara. Finalmente, em 1903, mais uma emancipação, desta vez definitiva.

Até a década de 1940, o município de São Marcos e as localidades de Fazenda Souza, Vila Seca, Criúva e Vila Oliva pertenciam a São Francisco de Paula. A partir daí, passaram a pertencer a Caxias do Sul. Cambará do Sul, emancipada em 1963, e Jaquirana, emancipada em 1987, também pertenceram a São Chico, como é carinhosamente chamado o município de São Francisco de Paula.

Geografia[editar | editar código-fonte]

É o município mais meridional da região da Serra do Nordeste ou Serra Geral, com latitude sul de 29º 26' 52". Se encontra nos arredores do extremo sul da escarpa do Planalto Meridional, formado pela Serra Geral.

Tem 907 metros de altitude na sede da prefeitura. Ocupa uma área de 3.273,498 km², e possui uma população bruta de 20.161 habitantes.

Tem clima subtropical Cfb, segundo a classificação do clima de köppen, onde os verões são brandos e úmidos e os invernos relativamente úmidos e frios.

A distância até a capital do estado, Porto Alegre, é de 112 km.

O município é o maior produtor de batata do Brasil, além de produzir maçã e hortaliças. Tem ainda grande área com plantio de pinus e eucaliptos além da tradicional criação de gado vacum.

Clima[editar | editar código-fonte]

São Francisco de Paula possui um clima Temperado Marítimo Cfb ou Subtropical tipo Cfb, com verões úmidos e mornos ou frescos e invernos relativamente frios com experiência de neve todos os anos porém com poucos dias de precipitações principalmente entre Julho e Agosto. É o município mais chuvoso do estado do Rio Grande do Sul com precipitações anuais acima de 2 100 mm de chuva por ano.

Dados climatológicos para São Francisco de Paula
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 34,0 33,5 32,4 29,7 27,4 26,0 28,0 30,0 30,7 32,0 32,8 34,0 34,0
Temperatura máxima média (°C) 25,4 24,3 23,4 19,6 18,3 16,8 16,3 17,7 18,0 19,0 22,0 24,2 20,4
Temperatura média (°C) 19,8 18,4 17,6 13,9 12,4 11,3 10,2 11,0 12,3 13,3 15,8 17,5 14,4
Temperatura mínima média (°C) 14,4 14,4 13,3 9,8 8,2 7,3 5,8 6,2 8,1 8,9 10,9 12,2 9,9
Temperatura mínima absoluta (°C) 4,5 5,0 4,0 -2,5 -4,0 -5,5 -6,5 -5,0 -3,5 -1,0 -0,5 2,5 -6,5
Precipitação (mm) 201,9 197,4 191,0 186,5 183,8 206,4 175,7 173,1 212,1 202,8 143,9 177,4 2 252,0
Umidade relativa (%) 82,8 85,2 85,6 86,3 86,2 85,6 83,3 81,6 83,9 83,9 81,8 80,4 83,9
Fonte: INMET. Médias de temperatura da normal 1945-1974 e precipitação e umidade relativa da 1931-1960. Recordes de 1931 a 1974.[6]
Fonte #2: Laboratório de Agrometeorologia.[6]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

O Poder Legislativo é constituído pela Câmara, composta por 9 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição) e está atualmente composta da seguinte forma:

Agostinho André Arnhold (PTB)

Alexandre Gilceano Bossle Camelo (PSB)

Assis Tadeu Barbosa Velho (PSDB)

Claudio Alves Ponte (PP)

Homero Costa da Silva (PMDB)

Itamar Rosa de Leon (PDT)

José Luiz Ferreira de Souza (PSC)

Viviane de Barros (PSDB)

Roberto Mônaco Lopes (PP)

Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo.

Distritos[editar | editar código-fonte]

Principais acessos[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

São Francisco de Paula 
São Francisco de Paula 
São Francisco de Paula 

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. a b «Normais Climatológicas do Brasil (1931-1960)»  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]