Inner Circle (black metal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Inner Circle é o nome de uma gravadora e um grupo de pessoas que supostamente formaram uma organização anticristã na Noruega e que faziam parte vários músicos da cena Black Metal local. Mais conhecido como Inner Circle, o grupo ainda era chamado de Black Circle e Svarte Sirkel (ambos significam círculo negro, respectivamente em inglês e em norueguês), enquanto alguns jornalistas usaram o nome de Black Metal Mafia para identificar o grupo. O Inner Circle é conhecido por numerosos crimes e danos a instituições cristãs, intimidação com outros grupos musicais e alguns homicídios no início dos anos noventa. Os ideais do grupo se baseavam em referências a satanismo, isolacionismo, paganismo nórdico e superioridade racial. A componente satânica, que era a ideologia predominante, não era inspirada naquela de Anton LaVey, mas um Satanismo Teísta, ou tradicional.

As origens[editar | editar código-fonte]

As origens do Inner Circle começam quando Euronymous (Øystein Aarseth), guitarrista do Mayhem, abriu uma loja de discos chamada Helvete (Inferno em norueguês), no início dos anos noventa em Oslo. O local foi muitas vezes utilizado como ponto de encontro e sede de festas, fazendo com que seus frequentadores se definissem como pertencentes a um Inner Circle. Além de Euronymous, que era conhecido como um grande orador, o grupo em pouco tempo ganhou vários frequentadores, com muitos deles pertencentes a outras bandas de Black Metal, como Emperor, Dissection e Darkthrone. Bård Faust, Samoth do Emperor, Jørn do Hades e Varg Vikernes do Burzum estavam entre os membros mais importantes.

O suicídio de Dead[editar | editar código-fonte]

Em 8 de Abril de 1991, Dead (Per Yngve Ohlin), vocalista do Mayhem, se suicidou com um tiro na casa que a banda dividia. Dead era descrito como uma pessoa estranha e introspectiva. Ele era conhecido por suas infâmes performances, que incluíam se cortar, levar um corvo morto pelo palco e vestir roupas que tinham sido enterradas semanas antes dos shows.

Ele foi encontrado por Euronymous que desfrutou da oportunidade para se promover e levantas as suspeitas que seria ele o assassino. Dead deixou um bilhete apenas se desculpando pelo sangue jorrado. Antes de chamar a polícia, Euronymous foi até uma loja e comprou uma câmera fotográfica. Uma das fotos tiradas foi usada na capa do disco Dawn of the Black Hearts.

Ainda circularam boatos que Euronymous tinha retirado partes do crânio para fazer um colar e comido cérebro do morto. A banda desmentiu imediatamente os rumores, mas algum tempo depois os boatos retornaram.

Incêndios a igrejas[editar | editar código-fonte]

Até 1992, 52 igrejas foram queimadas, mais de 15000 tumbas foram profanadas e pixadas com símbolos satanistas. Alguns objetos sacros foram levados como troféus para decorar a Helvete.

Entre as estruturas religiosas destruídas, uma das mais conhecidas era a Igreja de madeira de Fantoft, que foi consumida pelas chamas em 6 de junho de 1992 por Varg Vikernes. Uma foto da igreja completamente destruída foi usada na capa de Aske, EP do Burzum. Um outro alvo famoso foi a capela de Holmenkollen, a igreja da realeza da Noruega.

Alguns incêndios também ocorreram na vizinha Suécia, nos quais o principal suspeito era It, do Abruptum, mas as acusações não foram provadas.

Lista parcial das igrejas que foram atacadas

1992

1993

1994

1995

Confrontos com outros grupos[editar | editar código-fonte]

Os alvos do Inner Circle eram até grupos de Heavy Metal considerados incoerêntes e que seguiam determinadas modas musicais. Em Julho de 1992, Maria, uma integrante do grupo, atacou a casa de Christofer Johnsson, o líder do Therion. A casa de Johnsson foi incendiada e Maria ainda cravou uma faca na porta com uma mensagem "O Conde esteve aqui e voltará".

Johnsson e sua família conseguiram se salvar da casa em chamas e as investigações logo levaram a prisão de Maria, que foi conduzida a um hospital psiquiátrico. Em seu diário, Varg Vikernes vem descrito como o "Conde" (naquela época ele usava o pseudonimo de Count Grishnackh). Quatro dias após o incêndio, Johansson recebeu uma carta de Vikerness.

"Olá vítima! É o Count Grishnackh do Burzum. Acabo de voltar de uma pequena viagem a Suécia, mais precisamente em um lugar a noroeste de Estolcolmo e acho que perdi um isqueiro e um disco do Burzum, ha ha! Voltarei muito cedo e talvez, desta vez, não os acordarei no meio da noite. Darei uma lição de medo. Somos realmente muito loucos, os nossos métodos são a morte e a tortura. As nossas vítimas morrerão lentamente, devem morrer lentamente."

Outra ameaças ocorreram a grupos como Paradise Lost e Deicide. No caso do primeiro, o resultado foi a destruição do ônibus durante um tour do grupo a Oslo. No caso da segunda banda, durante um show em Estocolmo, uma bomba explodiu durante a apresentação do Therion, mas descobriu-se que o alvo era o Deicide.

O assassinato de Euronymous[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 1993, Varg Vikernes concedeu uma entrevista para um jornalista do Bergens Tidende a fim de divulgar a cena Black Metal e a loja Helvete de Euronymous. A entrevista resultou em uma investigação policial que levou Varg a ser preso por algumas semanas e forçou Euronymous a fechar a sua loja.

Em 10 de Agosto de 1993, Varg Vikernes e Snorre W. Ruch viajaram de Bergen até o apartamento de Euronymous em Oslo. Após uma briga, Varg esfaqueou Euronymous. O corpo foi encontrado na parte de trás do apartamento com 23 facadas, duas na cabeça, cinco no pescoço e dezesseis nas costas. As suspeitas eram de que o assassinato foi cometido após uma briga por dinheiro do álbum do Burzum e Varg declarou que tinha sido atacado primeiro pro Euronymous.

Varg foi condenado a 21 anos de prisão por homicídio em primeiro grau, posse ilegal de armas e explosivos e por ter colocado fogo em três igrejas. Em um julgamento tumultuado, Varg recebeu o veredito rindo e a foto do momento foi estampada em vários jornais. Durante o inquérito, a polícia interrogou todos os membros do Inner Circle, obtendo informações de crimes cometidos no passado, condenando ainda Bård Faust por homicídio, Snorre W. Ruch por cumplicidade no homicídio de Euronymous e Samoth por incêndio. Mesmo com toda pressão da polícia, no dia da sentença duas igrejas foram queimadas e um mês depois outra também foi incendiada.

Em Maio de 1994, o Mayhem finalmente lançou seu álbum De Mysteriis Dom Sathanas, com Euronymous nas guitarras e Varg Vikernes no baixo.

Lista de bandas[editar | editar código-fonte]

Banda Fundação Cidade
Ancient 1992 Eidsvåg, Nesset
Arcturus 1987 Oslo
Burzum 1991 Bergen, Hordaland
Carpathian Forest 1990 Sandnes, Rogaland
Darkthrone 1987 Kolbotn, Oppegård
Dimmu Borgir 1993 Oslo
Emperor 1991 Notodden, Telemark
Enslaved 1991 Haugesund, Rogaland
Fimbulwinter 1992 Oslo
Gorgoroth 1992 Bergen, Hordaland
Hades/Hades Almighty 1992 Bergen, Hordaland
Ildjarn 1992 , Telemark
Immortal 1989 Bergen, Hordaland
Mayhem 1984 Oslo
Satyricon 1991 Oslo
Thorns 1990 Trondheim, Sør-Trøndelag
Ulver 1993 Oslo

Lista de álbuns lançados[editar | editar código-fonte]

Ano/Mês Banda Título
1987-08 Mayhem Deathcrush
1989-12 Stigma Diabolicum Luna De Nocturnus
1990-03 Stigma Diabolicum Lacus De Luna
1990-11 Mayhem Live in Leipzig
1991
1991-?? Mayhem "Freezing Moon" and "Carnage"
1991-05 Burzum Burzum Demo I
1991-06 Thorns Grymyrk
1991-07 Thou Shalt Suffer Open the Mysteries of Your Creation
1991-07 Enthrone Black Wings
1991-07 Arcturus My Angel
1991-08 Darkthrone A Blaze in the Northern Sky
1991-09 Burzum Burzum Demo II
1991-10 Immortal Immortal
1991-10 Thou Shalt Suffer Into the Woods of Belial
1991-12 Enslaved Nema
1992
1992-02 Ildjarn Unknown Truths
1992-03 Burzum Burzum
1992-04 Burzum Det Som Engang Var
1992-06 Satyricon All Evil
1992-06 Enslaved Yggdrasill
1992-06 Darkthrone Under a Funeral Moon
1992-07 Immortal Diabolical Fullmoon Mysticism
1992-07 Emperor Wrath of the Tyrant
1992-08 Burzum Aske
1992-09 Carpathian Forest Bloodlust and Perversion
1992-09 Burzum Hvis Lyset Tar Oss
1992-12 Fimbilwinter Fimbulwinter Demo
1992-?? Thorns Trøndertun
1993
1993-01 Ildjarn Ildjarn Demo
1993-03 Burzum Filosofem
1993-03 Satyricon The Forest Is My Throne
1993-04 Gorgoroth A Sorcery Written in Blood
1993-05 Ildjarn Norse
1993-06 Hades Almighty Alone Walkyng
1993-08 Ancient Eerily Howling Winds
1993-10 Emperor Emperor
1993-10 Enslaved Hordanes Land
1993-11 Immortal Pure Holocaust
1993-11 Ulver Vargnatt
1993-?? Carpathian Forest Journey through the Cold Moors of Svarttjern
1993-?? Dimmu Borgir Inn I Evighetens Mørke

Documentários[editar | editar código-fonte]

  • Det Svarte Alvor (1994)
  • Satan rir Media|Satan Rides the Media (1998)
  • Norsk Black Metal (2003)
  • Murder Music: A History of Black Metal (2007)
  • Once Upon a Time in Norway (2008)
  • Pure Fucking Mayhem (2008)
  • Until The Light Takes Us (2009)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Baddeley, Gavin (1999). Lucifer Rising: Sin, Devil Worship and Rock and Roll
  • Moynihan, Micheal and Didrik Soderlind (1998). Lords of Chaos: The Bloody Rise of the Satanic Metal Underground