Marco de Canaveses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco de Canaveses
Brasão de Marco de Canaveses Bandeira de Marco de Canaveses
Brasão Bandeira
Marco de canavezes, praça do mercado.jpg
Rua em Marco de canavezes. 1904
Localização de Marco de Canaveses
Gentílico marcoense[1]
Área 201,89 km²
População 53 450 hab. (2011)
Densidade populacional 264,75 hab./km²
N.º de freguesias 16
Presidente da
Câmara Municipal
Manuel Moreira (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1852
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Tâmega [1]
Distrito Porto
Antiga província Douro Litoral
Orago Nossa Senhora do Castelinho
Feriado municipal 8 de Setembro (Natividade de Maria - Nª Srª do Castelinho)
Código postal 4630
Sítio oficial http://www.cm-marco-canaveses.pt/
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

O Marco de Canaveses[2] é uma cidade portuguesa no Distrito do Porto, região Norte e sub-região do Tâmega, com cerca de 9 000 habitantes[3] . É sede de um concelho desde 1852 que engloba no seu perímetro a cidade de Marco de Canaveses e a vila de Alpendorada.

O município tem 201,89 km² de área[4] e 53 450 habitantes (2011[5] ), estando subdividido em 16 freguesias.[6] É limitado a norte pelo município de Amarante, a leste por Baião, a sul por Cinfães, a sudoeste por Castelo de Paiva e a oeste por Penafiel.

Por esta terra diz-se "Entre o Douro e o Tâmega onde começa o Marão".

Nascida num relevo instável a cidade tem a seus pés e como porta principal o Rio Tâmega. É servida de bons acessos Rodoviários, através da A4. Tem também ligações Ferroviárias, esperando por obras de electrificação da Linha que liga ao Porto.

O Marco de Canaveses é berço de figuras ilustres, que projectaram além-fronteiras o nome desta terra, destacando-se no panorama artístico a figura de Carmem Miranda, no ramo empresarial Belmiro de Azevedo e no mundo da ciência, o historiador Aníbal Barreira.

Cidade desde 1993, de meia altitude (217 metros), de face voltada para o Norte, para a Serra da Aboboreira.

História[editar | editar código-fonte]

O topónimo principal "Marco de Canaveses" é composto por dois elementos, sendo que o segundo será certamente uma alusão à cultura do cânhamo, outrora abundante nesta região. O primeiro elemento do topónimo, "Marco" derivaria de uma marca de pedra, divisória das freguesias de Fornos, S. Nicolau e Tuias. Uma outra explicação para o topónimo tem origem numa lenda. Conta-se, que a rainha D. Mafalda teria passado pelas obras da ponte que mandara construir, e cheia de sede, pediu água aos pedreiros. Como o acesso ao rio era muito difícil, um deles ofereceu uma cana para que a rainha bebesse directamente do rio. A rainha, ao devolve-la terá dito "Guardai-a porque a cana é boa às vezes".

O povoamento do território a que corresponde o actual concelho do Marco de Canaveses remonta a épocas bastante recuadas, tendo sido encontrados importantes vestígios do período neolítico, nomeadamente alguns monumentos funerários. Do tempo da ocupação romana, chegaram até aos nossos dias os vestígios de Tongóbriga, uma povoação romana de que restam as termas, o fórum, zonas habitacionais e uma necrópole.

A história do concelho passa pela história da velha vila de Canaveses. Mendo Gil foi o seu primeiro administrador conhecido. Durante os anos de 1255 a 1384, o senhorio pertenceu a D. Gonçalo Garcia e seus descendentes. Em 1384, D. João I deu-o a João Rodrigues Pereira, parente de Nuno Álvares. Já no reinado de D. João II era posse da coroa, sendo um meirinho nomeado pelo rei que administrava e nomeava os juizes, procuradores e tabeliães. No século XIX, foi integrada no concelho de Soalhães e em meados do mesmo século, no de Marco.

O concelho do Marco de Canaveses foi criado em 1852 por decreto de D. Maria II, por anexação dos concelhos de Benviver, Canaveses, Soalhães, Portocarreiro, parte dos de Gouveia e Santa Cruz de Riba Tâmega. A vila foi elevada a cidade em 1993.

Hoje, o Marco de Canaveses é uma cidade e concelho que, pela sua proximidade ao Grande Porto, serve de residência a muitos que procuram a tranquilidade perto de um grande centro urbano.

Actualmente os Monumentos mais visitados são a Igreja de Sta. Maria, na Cidade, a cidade Romana de Tongobriga, no Freixo ; o Convento de Alpendurada, em Alpendurada e o Santuário do Menino Jesus de Praga,em Avessadas.


Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Marco de Canaveses.

O concelho de Marco de Canaveses está dividido em 16 freguesias:

Geografia[editar | editar código-fonte]

O Concelho do Marco de Canaveses é fortemente marcado pelo seu relevo, com áreas a altitudes principalmente compreendidas entre 200 e os 600 metros, atingindo valores mais elevados nas Serras da Aboboreira e Montedeiras. O ponto mais alto do concelho situa-se a uma altitude de 962 metros, na Serra da Aboboreira, que é partilhada pelos Concelhos do Marco de Canaveses, Amarante e Baião. Na Serra de Montedeiras são atingidos valores de 640 metros. A norte encontra-se a Serra do Marão, no Concelho de Amarante. A região é também percorrida por dois dos mais importantes rios portugueses, o Rio Douro e o Rio Tâmega. O Douro, vindo de regiões transmontanas, com curso de este para oeste, delimita o Concelho a sul, separando-o dos Concelhos de Cinfães e Castelo de Paiva. O Tâmega, com curso de norte para sul, delimita grande parte do Concelho a oeste, separando-o do Concelho de Penafiel. Outro rio que passa ao longo do concelho é o Ovelha, que vem directamente do Concelho de Amarante. A Cidade do Marco de Canaveses está localizada a 56 km do Porto, a 18 km de Amarante, a 19 km de Penafiel, a 23 km de Baião e a 30 km de Cinfães.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho de Marco de Canaveses (1864 – 2011)
1864 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
23 820 28 188 32 354 39 270 46 131 48 133 52 419 53 450

Clima[editar | editar código-fonte]

Devido ao seu relevo, o Marco de Canaveses tem um clima instável e marcadamente de extremos, com Invernos frios e rigorosos e com Verões quentes. A estação mais fria do ano é normalmente prolongada, descendo as temperaturas muitas vezes abaixo de 0°C. Nesta época, as temperaturas diurnas raramente ultrapassam os 13°C, e a precipitação que dá origem à verdura do Concelho, pode ser uma constante. O nevoeiro é também presença constante. O frio é mais evidente, nas zonas a norte, bem como nas Serras da Aboboreira e Montedeiras, nas quais é comum nevar, registando-se por vezes temperaturas negativas na ordem dos -8°C. Com ventos dominantes dos quadrantes oeste e sudoeste, são normalmente proporcionadas fortes precipitações nas áreas mais altas e que diminuem à medida que as vertentes baixam para os vales. Durante os meses mais secos de Verão, poderão ser registadas temperaturas acima dos 30°C, podendo por vezes chegarem a valores perto de 40°C. No entanto, agradáveis dias de Verão poderão ser interrompidos por dias constantes de nebulosidade e alguma chuva. Independentemente da estação do ano, a nebulosidade é frequente, sendo esta mais notória nos dias de Inverno. A humidade relativa é bastante elevada, situando-se entre os 75% e os 80%. Os dias intermédios são raros, sendo as diferenças de temperatura bastante bruscas.

Ensino[editar | editar código-fonte]

  • Cerca de 60 Jardins de Infância
  • Cerca de 50 Escolas Primárias
  • 4 Escolas de 2ª e 3ª Ciclo
  • 2 Escolas Secundárias
  • Escola Profissional de Arqueologia
  • Escola Profissional da Pedra
  • Escola Profissional de Agricultura
  • Cesae
  • Multiformativa
  • Artâmega - Academia das Artes do Marco de Canaveses

Economia[editar | editar código-fonte]

No Concelho do Marco de Canaveses predomina actualmente o sector dos Serviços. Contudo a Indústria e Agricultura desempenham também um importante papel no desenvolvimento económico concelhio. A indústria têxtil e a exploração da pedra são dois exemplos. A agricultura, embora marcadamente para consumo próprio, marca também a paisagem concelhia.

Equipamentos e Associações Culturais e Desportivas[editar | editar código-fonte]

  • Grupo Desportivo de Tabuado
  • Associação Desportiva do Marco 09
  • CERCIMARCO - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas, C.R.L.
  • Biblioteca Municipal Poeta Joaquim Monteiro
  • Museu Municipal Carmén Miranda
  • Auditório Municipal Profª Emília Monteiro
  • Associação Recreativa e Cultural de Alpendorada (A.R.C.A.)
  • Associação de Amadores de Pesca Desportiva de Alpendorada
  • Associação de Pesca e Desportos Náuticos
  • Associação Juvenil Palcodinovacao (PIEJ - Projeto de Inovação e Empreendedorismo da Juventude)
  • Alphatones - Academia Artística e Associação Cultural
  • Clube Independente de Atletismo de Alpendorada
  • Fanfarra Juvenil de Alpendorada e Matos
  • Ginásio Clube de Alpendorada
  • Clube de Caçadores de Alpendorada e Matos
  • Futebol Clube de Alpendorada
  • Rancho Folclórico de São João de Alpendorada
  • Grupo Desportivo da Feira Nova
  • Associação Cultural e Desportiva de Avessadas
  • Associação Desportiva de Santa Cruz de Banho
  • Associação Desportiva de Carvalhosa
  • Rancho Infantil da E.P. Carvalhosa (Associação de Pais)
  • Associação Recreativa e Cultural do Outeiro
  • Associação Desportiva de Constance
  • Associação Cultural e Desportiva da Folhada
  • Centro Desportivo de Favões
  • Associação de Budo do Marco
  • Casa do Povo de Fornos
  • Descu - Desporto e Cultura dos Bombeiros Voluntarios do Marco de Canaveses
  • Clube de Caçadores do Marco
  • Hóquei Clube do Marco
  • Motor Clube do Marco
  • Viet Vo Dao do Marco de Canaveses
  • Associação Cultural e Desportiva do Freixo
  • Grupo Desportivo de Magrelos
  • Grupo Desportivo de Manhuncelos
  • Rancho Folclórico de Santa Maria de Maureles
  • Associação Cultural e Recreativa de Paços de Gaiolo (Fanfarra)
  • Futebol Clube de Paços de Gaiolo
  • Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Paredes de Viadores
  • Associação Cultural e Recreativa de Piares
  • Associação Cultural e Recreativa de Penhalonga
  • Grupo Desportivo de Penhalonga
  • Desporto e Cultura Estação - Rio de Galinhas
  • Grupo Columbófilo do Marco
  • Rancho Infantil da E.P. Rio de Galinhas
  • Associação Desportiva, Recreativa e Cultural de Sande
  • Centro Cultural, Recreativo e Folclórico de Santo Isidoro
  • Moj - Movimento Da Juventude Santo Isidoro
  • Associação Cultural e Recreativa de S. Lourenço do Douro
  • Centro de Cultura e Desporto da Casa do Povo de Soalhães
  • Grupo de Danças e Cantares de Soalhães
  • Rancho Folclórico de Ribeira e Quinta
  • Grupo Desportivo e Recreativo de Ramalhais
  • Associação Cultural e Recreativa de Tabuado
  • Grupo Desportivo do Torrão / Foz do Tâmega
  • Sociedade Columbófila Foz do Tâmega
  • Associação Cultural da Casa do Povo de Livração
  • Grupo Desportivo da Livração
  • ssociação Recreativa de Tuias
  • Amadores de Pesca do Marco
  • Associação Desportiva e Cultural de Várzea do Douro
  • Clube Náutico de Várzea do Douro
  • Futebol Clube da Légua
  • Futebol Clube de Aliviada
  • Grupo Cultural e Desportivo de Gouveia
  • Associação Cultural e Desportiva da Casa do Povo de Vila Boa do Bispo
  • Festada - Danças e Cantares de Santa Maria de Vila Boa do Bispo
  • Associação Cultural Artística e Desportiva de Vila Boa de Quires (Banda de Música)
  • Associação Cultural e Recreativa de Stº André de Vila Boa de Quires
  • Núcleo Desportivo Recreativo Vilabonense
  • Clube de Caça e Pesca de Vila Boa de Quires
  • Estádio Municipal de Marco de Canaveses
  • Pavilhão Bernardino Coutinho
  • Piscinas Municipais do Marco
  • Piscinas Municipais de Alpendurada
  • Parque Radical
  • Estádio de Alpendurada
  • Vários Campos de Jogos
  • Vários Polidesportivos
  • Campos de Tiro
  • Pavilhões Desportivos
  • Associação de Moradores da Urbanização Vilacetinho

Ambiente[editar | editar código-fonte]

  • Parque da Cidade
  • Jardim Municipal
  • Parque fluvial do Tamega
  • Parque de Montedeiras
  • Varios outros parques espalhados pelo concelho
  • Praias Fluviais
  • Várias ETAR's

Comércio[editar | editar código-fonte]

  • Comércio Tradicional
  • Centro Comercial Praça da Cidade
  • Centro Comercial Marco Shopping e Edifício Sonae
  • Vários Super e Hiper Mercados
  • Grafinorte - Artes Gráficas

Transportes[editar | editar código-fonte]

  • A4 - Porto - Amarante -» Saída Marco de Canaveses
  • CP - Linha Urbana - Porto - Caíde - Marco e transporte regional para o Alto Douro.
  • Autocarros

Património[editar | editar código-fonte]

O concelho do Marco de Canaveses tem um destino e uma vocação marcados por dois dos mais belos rios com que a Natureza nos brindou: o Douro e o Tâmega. As albufeiras artificiais de Carrapatelo, no Douro, e do Torrão, no Tâmega, possuem condições extraordinárias para os desportos e passatempos náuticos, como a pesca desportiva, a vela, o windsurf ou a canoagem…

Para além disso, pelo Douro passam anualmente milhares de turistas, que certamente jamais esquecerão a perfeita simbiose entre o rio e a montanha. É, aliás, esmagadora a grandiosidade proporcionada pelas serras da Aboboreira e de Montedeiras, que fazem desta região um dos locais mais sublimes de Portugal do ponto de vista paisagístico.

Mas falar da serra da Aboboreira é, também, falar da riqueza arqueológica do Marco de Canaveses, com os seus importantes vestígios pré-históricos, nomeadamente antas e mamoas.

A arqueologia constitui, precisamente, um elemento fundamental do ponto de vista do património do concelho, sobretudo graças a Tongobriga, uma importante Cidade romana, de que restam as termas, o fórum, zonas habitacionais e uma necrópole.

A edificação religiosa é outra das mais-valias deste concelho, sendo obrigatório falar-se dos circuitos do românico e do barroco, presentes em grande força nas inúmeras igrejas existentes e, sobretudo, nas casas solarengas.

Ainda no plano patrimonial, a cidade do Marco de Canaveses ganhou projecção internacional com a grandiosa obra arquitectónica que é a Igreja de Santa Maria, desenhada pelo arquitecto Siza Vieira, sendo também de destacar o Convento de Alpendurada e as Obras do Fidalgo.

Artesanato e Gastronomia[editar | editar código-fonte]

O artesanato e a gastronomia são outros tesouros desta terra, que integra a Rota dos Vinhos Verdes e onde o Anho Assado com Arroz do Forno ( prato original deste concelho ), as cavacas e fatias do Freixo, e os biscoitos de Soalhães constituem tentações irresistíveis.

Festividades[editar | editar código-fonte]

As festas da Cidade do Marco, em honra a Sta. Marinha, realizam-se no mês de Julho. Ao longo do concelho há lugar a outras festas e romarias que atraem cada vez mais pessoas ao Marco de Canaveses.

A 8 de Setembro celebra-se a Senhora do Castelinho, padroeira do Concelho. É também já habitual a realização do Festival de Rock de Montedeiras, no início de Setembro, ano após ano.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referência[editar | editar código-fonte]

  1. Dicionário de Gentílicos e Topónimos. Portal da Língua Portuguesa. Página visitada em 23 de junho de 2010.
  2. Antes da reforma ortográfica de 1945 escrevia-se Marco de Canavezes
  3. UMA POPULAÇÃO QUE SE URBANIZA, Uma avaliação recente - Cidades, 2004 Nuno Pires Soares, Instituto Geográfico Português
  4. Instituto Geográfico Português, Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 (ficheiro Excel zipado). Acedido a 28/11/2013.
  5. INE (2012) – "Censos 2011 (Dados Definitivos)", "Quadros de apuramento por freguesia" (tabelas anexas ao documento: separador "Q101_NORTE"). Acedido a 27/07/2013.
  6. Diário da República, Reorganização administrativa do território das freguesias, Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro, Anexo I. Acedido a 19/07/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Marco de Canaveses