Amarante (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amarante
Brasão de Amarante Bandeira de Amarante
Brasão Bandeira
Amarante-Ponte sobre o Tâmega (1).jpg
Amarante e rio Tâmega
Localização de Amarante
Gentílico Amarantino
Área 301,33 km²
População 56 264 hab. (2011[1] )
Densidade populacional 186,72 hab./km²
N.º de freguesias 26
Presidente da
Câmara Municipal
José Luís Gaspar (PSD/CDS)
Região (NUTS II) Norte
Sub-região (NUTS III) Tâmega
Distrito Porto
Antiga província Douro Litoral
Orago São Gonçalo de Amarante
Feriado municipal 8 de julho
Código postal 4600 Amarante
Sítio oficial www.cm-amarante.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Amarante Cv TE é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito do Porto, região Norte e sub-região do Tâmega, com cerca de 11 261 habitantes[2] .

É sede de um município com 301,33 km²[3] de área e 56 264 habitantes (2011)[1] , subdividido em 26 freguesias.[4] O município é limitado a norte pelo município de Celorico de Basto, a nordeste por Mondim de Basto, a leste por Vila Real e por Santa Marta de Penaguião, a sul por Baião, Marco de Canaveses e Penafiel, a oeste por Lousada e a noroeste por Felgueiras.

No contexto de políticas sub-regionais de desenvolvimento e de mobilidade, é membro da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa, constituída por 12 municípios, que no seu total contabilizam cerca de 528 000 habitantes.

O comércio e o serviços centram-se principalmente na cidade de Amarante e em Vila Meã, que constituem os dois principais núcleos urbanos do concelho. O actual presidente da Câmara Municipal de Amarante é José Luís Gaspar, do Partido Social-Democrata.

História[editar | editar código-fonte]

Centro histórico.

Amarante teve provavelmente a sua origem nos povos primitivos que habitaram a serra da Aboboreira (habitada desde a Idade da Pedra), embora se desconheça exactamente o nome dos seus fundadores. Contudo, só começou a adquirir importância e visibilidade após a chegada de São Gonçalo (1187-1259), nascido em Tagilde, Guimarães, que aqui se fixou depois de peregrinar por Roma e Jerusalém. A este santo se atribui a construção da velha ponte sobre o Rio Tâmega.

Amarante torna-se alvo de peregrinações e a povoação foi crescendo. Já no Século XVI, D. João III ordena a construção do Mosteiro de São Gonçalo sobre a capela junto à ponte sobre o Rio Tâmega, onde segundo a tradição São Gonçalo terá vivido e foi sepultado.

Em 1763, ocorre a derrocada da velha Ponte de São Gonçalo devido às cheias do Rio Tâmega. Nos anos seguintes foi reconstruída com o aspecto que ainda hoje apresenta.

Solar dos Magalhães, incendiado pelas tropas francesas.

No início do Século XIX, Napoleão Bonaparte tenta invadir Portugal e sobre Amarante passaram também estas invasões francesas, sendo palco do heróico episódio da Defesa da Ponte de Amarante que valeu ao General Silveira o título de Conde de Amarante e a própria vila de Amarante teve a honra de ser agraciada com o colar da Ordem Militar da Torre e Espada que reflecte no seu brasão municipal. Após este episódio criam-se planos para a reconstrução da vila, pois os franceses tinham incendiado quase a totalidade das casas.

As reformas liberais do século XIX reorganizaram administrativamente o território e em 1855 extinguiram-se os municípios de Gouveia, Gestaço e Santa Cruz de Ribatâmega, tendo o de Amarante recebido a maioria das suas freguesias e ainda algumas de Celorico de Basto.

O apogeu cultural dá-se nos inícios do Século XX, graças a amarantinos como Teixeira de Pascoaes nas letras e Amadeo de Souza-Cardoso na pintura.

Amarante adquiriu estatuto de cidade a 8 de Julho de 1985, sendo esta também a data do seu feriado municipal.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O concelho de Amarante é fortemente marcado pelo seu relevo. Além disso, é também o maior concelho do Distrito do Porto, tendo cerca de 30 000 hectares de superfície (301,3 km²). Atravessado pelo rio Tâmega, cerca de 80% da superfície do concelho encontra-se abaixo dos 600 metros de altitude. No entanto, tal situação não impede de nele estar inserida uma das mais altas serras do país, o Marão, que tem cumes que atingem os 1415 metros, e a serra da Aboboreira. Outros rios que passam ao longo do concelho são o Ovelha, o Olo e o Odres.

O solo é maioritariamente formado por granito, com predomínio da biotite. Há também algumas zonas de xisto dispersas pelo concelho.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho de Amarante (1801 – 2011)
1801 1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
1 416 15 918 32 931 37 796 47 823 54 159 56 092 59 638 56 264

A população tem realizado um significativo crescimento nos dois últimos séculos, passando de 1 416 habitantes em 1801 para 56 264 em 2011. No entanto, nas últimas décadas, a taxa de crescimento tem decrescido. Entre 1960 e 2004, verificou-se um aumento de somente 27,6%. Tal justifica-se principalmente pelo elevado surto de emigração verificado nas décadas de 60 e 70, das freguesias periféricas dos centros urbanos de Amarante e Vila Meã, para países europeus como a Alemanha, França ou Suíça.

Organização administrativa[editar | editar código-fonte]

Administração municipal[editar | editar código-fonte]

O município de Amarante é administrado por uma Câmara Municipal, composta pelo Presidente e oito vereadores. Existe uma Assembleia Municipal, que é o órgão deliberativo do município, constituída por 53 deputados, dos quais 26 são Presidentes de cada uma das freguesias do concelho.

Depois das eleições autárquicas de 2013, um presidente e três vereadores são da coligação Afirmar Amarante (PSD/CDS-PP), quatro do Partido Socialista (PS) e um do movimento independente Amarante Somos Todos. O actual Presidente da Câmara de Amarante é José Luís Gaspar, pela coligação PSD/CDS, que foi eleito pela primeira vez para o cargo com cerca de 39% dos votos. A maioria das cadeiras da assembleia municipal e das juntas de freguesias são dominadas pelo PS.

Desde as primeiras eleições livres, após o fim do período do Estado Novo, que houve três fases distintas nas inclinações partidárias do município. A câmara foi governada pelo PSD entre 1976 e 1985. No entanto, de 1989 a 2013, o PS venceu todas as autárquicas, primeiro com Francisco Assis entre 1989 e 1995, e depois com Armindo Abreu, de 1995 a 2013. De realçar que em 1993 e em 1997, o PS garantiu as únicas maiorias absolutas em autárquicas neste concelho, com 58,8% e 58,48% dos votos, respectivamente. Em 2013, o PSD, em coligação com o CDS-PP, volta a ganhar a presidência da autarquia com José Luís Gaspar, embora sem maioria absoluta e com o PS a curta distância, a continuar a manter a presidência da assembleia municipal e a maioria das juntas de freguesia do concelho.

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Amarante após a reorganização administrativa de 2013.

Desde a reorganização administrativa de 2012/2013,[4] o concelho de Amarante está dividido em 26 freguesias:

Geminações[editar | editar código-fonte]

O concelho de Amarante é geminado com as seguintes cidades:[5]

Economia[editar | editar código-fonte]

As principais actividades económicas do concelho são a agricultura, presente em todas as freguesias, da qual se destaca a produção de vinhos verdes. Outros sectores importantes são a construção civil, a transformação de madeiras, o pequeno comércio e a indústria.

A pecuária, a silvicultura, a hotelaria e a metalomecânica, juntamente com os serviços, completam o tecido económico das várias freguesias que compõem o concelho. O turismo é um sector com fortes potencialidades, dadas as características ambientais e patrimoniais do concelho.

No passado, o sector secundário foi uma das principais marcas de progresso do concelho. No entanto, tal como em várias outras regiões do país, nos últimos anos assistiu-se ao encerramento de importantes fábricas de mobiliário e metalomecânica, que afectaram a economia local.

Comunicação social No concelho existem vários jornais e rádios a trabalhar activamente. Entre as muitas edições semanais ou mensais concelhias, destacam-se o «Jornal de Amarante», o «Repórter do Marão», e o «Notícias de Figueiró».

A nível de rádio, existem duas: a «Rádio Clube de Amarante» e a «Emissora Regional de Amarante». Ambas emitem em FM, sendo que a Radio Clube de Amarante foi adquirida por uma cadeia nacional de rádios, a NFM, fazendo apenas a retransmissão das emissões desta ultima.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Monumentos e locais a visitar[editar | editar código-fonte]

Varanda dos Reis na fachada da Igreja de S. Gonçalo

Na cidade:

No concelho:

Festas[editar | editar código-fonte]

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

  • Doçaria conventual de Amarante (Papos de anjo, Lérias, Bolos de S. Gonçalo, Foguetes, Brisas do Tâmega)
  • Vinho verde
  • Cabrito assado no forno, Vitela maronesa

Figuras ilustres[editar | editar código-fonte]

Teixeira de Pascoaes

Anabela Borges (escritora)

Maria D' Abreu (pintora)

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amarante (Portugal)

Instituições[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Geral
Câmara Municipal de Amarante, Portal das Freguesias
Desporto e lazer
Campo de Golf de Amarante, Amarante FC, Clube de Aeoromodelismo Vooraso, Terríveis Clube Aventura, Nucleo de PaintBall de Amarante
Cultura
Orquestra do Norte, Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, Biblioteca Municipal Albano Sardoeira
Comunicação social
Repórter do Marão, Notícias de Figueiró, Tâmega Online / Tâmega Jornal,
Saúde
Farmácias de Amarante
Turismo
Fotografias de Amarante, Mapa do concelho de Amarante, Comércio Tradicional de Amarante On-line, Região de Turismo do Marão
Outros
Amarante na internet (História, Cultura e Natureza)