Paul Langevin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paul Langevin
Física
Nacionalidade França Francês
Nascimento 23 de janeiro de 1872
Local Paris
Morte 19 de dezembro de 1946 (74 anos)
Local Paris
Atividade
Campo(s) Física
Instituições Universidade de Cambridge, Collège de France, Universidade de Paris
Alma mater Escola Normal Superior de Paris, Escola Normal Superior de Paris
Orientador(es) Pierre Curie
Orientado(s) Louis de Broglie, Irène Joliot-Curie
Conhecido(a) por Equação de Langevin
Prêmio(s) Medalha Hughes (1915), Guthrie Lecture (1917), Medalha Copley (1940)

Paul Langevin (Paris, 23 de janeiro de 1872 — Paris, 19 de dezembro de 1946) foi um físico francês.[1]

Estudou na Ecole Supérieure de Physique et de Chimie Industrielles de la Ville de Paris,[2] onde foi mais tarde diretor. Teve uma ligação amorosa com sua colega Marie Curie.

Langevin trabalhou com a moderação de nêutrons, iniciando assim uma base para a construção de reatores nucleares.

Pioneiros no desenvolvimento e aplicação de transdutores piezoelétricos para a detecção de submarinos. (a) Paul Langevin, (b) Robert William Boyle, (c) Vista em corte de uma forma de transdutor de quartzo projetado por Boyle em 1917, conforme registrado no documento BIR (Board of Inventions and Research) 38164/17 {Ref: Manbachi A e Cobbold RSC (2011)

Foi o primeiro a utilizar a piezoeletricidade de cristais de quartzo, em 1916, com a construção do primeiro sonar, e desenvolveu para a marinha francesa o primeiro sistema ecolot.

O Instituto Laue-Langevin em Grenoble é assim denominado em sua homenagem.

Participou assiduamente das sete primeiras Conferências de Solvay, sendo presidente das duas últimas, 6ª e 7ª.

Referências


Precedido por
John Sealy Townsend
Medalha Hughes
1915
Sucedido por
Elihu Thomson
Precedido por
Thomas Hunt Morgan
Medalha Copley
1940
Sucedido por
Thomas Lewis


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.