Stephen Frears

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Stephen Frears
Stephen Frears em 1989
Nascimento 20 de junho de 1941 (73 anos)
Leicester, Reino Unido
Ocupação Diretor

Stephen Frears (Leicester, 20 de junho de 1941) é um diretor de cinema britânico. É um dos mais respeitáveis diretores da Hollywood atual, e tem em seu currículo realizações diversas e premiadas, como Ligações Perigosas (1988), Os Imorais (1990), O Segredo de Mary Reilly (1996) e A Rainha (2006).

Nascido na Inglaterra e educado na Escola Gresham, Frears seguiu um longo caminho como cineasta local antes de aceitar a direção de produções maiores. Em 1968 dirigiu o curta-metragem The Burning. Até 1984, dirigiu episódios de séries de televisão e programas para a BBC. A partir de The Hit (O Traidor, 1984), no qual trabalhou com John Hurt e Terence Stamp, entre outros, Frears se dedicou a dirigir filmes para a tela grande. Logo em seguida, vieram My Beautiful Laundrette (Minha Adorável Lavanderia, 1985) e Prick Up Your Ears (O Amor Não Tem Sexo, 1987), ambos produções inglesas estreladas por atores como Daniel Day-Lewis e Vanessa Redgrave.

O início em Hollywood aconteceu com o grande sucesso de público e crítica Dangerous Liaisons (Ligações Perigosas, 1988), que acabou ganhando três Oscar e definindo a linha de elenco com a qual Frears iria trabalhar nos filmes seguintes. John Malkovich e Glenn Close já trabalharam mais de uma vez com ele. A consagração se deu com The Grifters (Os Imorais, 1990), que lhe rendeu a primeira indicação à estatueta na categoria de melhor direção. O ritmo de trabalho não diminuiu, com produções como Hero (Herói por Acidente, 1992), e Mary Reilly (O Segredo de Mary Reilly, 1996), com Julia Roberts como protagonista.

Depois deste ciclo de trabalhos nos Estados Unidos, Frears se voltou novamente para produções inglesas, como A Van, de 1996; Terra de Paixões, de 1998; Alta Fidelidade, de 2000; Coisas Belas e Sujas, de 2003, e, finalmente, Mrs. Henderson Presents (Sra. Henderson Apresenta, 2005), no qual dirige a dama do cinema britânico Judi Dench.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Foi indicado ao BAFTA na categoria de melhor diretor em 1990 por Dangerous Liaisons, e em 2007 por The Queen.
  • Ganhou o Prémio Bodil de melhor filme não-americano em 1990 por Dangerous Liaisons, e foi indicado em 2007 por The Queen.
  • Recebeu o Prêmio César de melhor filme estrangeiro em 1990 por Dangerous Liaisons. Foi indicado na mesma categoria em 1994 por The Snapper, e em 2007 por The Queen .
  • Foi indicado ao Globo de Ouro na categoria de melhor diretor de cinema em 2007 por The Queen.
  • Recebeu o Prêmio Goya na categoria de melhor filme europeu em 2007 por The Queen.
  • Foi indicado ao Leão de Ouro do Festival de Veneza em 2000 por Liam, em 2002 por Dirty Pretty Things, e em 2006 por The Queen. Recebeu o Prémio OCIC em 2000 por Liam, o Prêmio Sergio Trasatti em 2002 por Dirty Pretty Things, e o Prêmio FIPRESCI em 2006 por The Queen.
  • Recebeu uma nomeação ao Framboesa de Ouro em 1997, na categoria de pior realizador, por Mary Reilly.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]