Teoria matemática da comunicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Teoria da informação.
Editor, considere adicionar mês e ano na marcação. Isso pode ser feito automaticamente, com {{Fusão com|....|{{subst:DATA}}}}.

(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).

Teoria matemática da comunicação ou Teoria da informação é a primeira teoria da comunicação que começa a germinar no pós-guerra, no âmbito da Matemática e da engenharia elétrica, e ao nível das telecomunicações.

Em julho e outubro de 1948, o matemático estadunidense Claude Shannon (1916-2001), considerado o pai da teoria da informação, publica o artigo científico intitulado Teoria Matemática da Comunicação ("A Mathematical Theory of Communication"), no Bell System Technical Journal.

Em 1949, Shannon com o também matemático estadunidense Warren Weaver (1894-1978) publicam juntos o livro Teoria Matemática da Comunicação (The Mathematical Theory of Communication),[1] contendo reimpressões do artigo científico anterior de forma acessível também a não-especialistas - isto popularizou os conceitos

Nestas publicações é apresentado um modelo linear de comunicação, simples mas extraordinariamente eficiente na detecção e resolução dos problemas técnicos da comunicação. A teoria matemática da comunicação visava a precisão e a eficácia do fluxo informativo, procurando não se cingir apenas à área da engenharia, mas servir de referência a qualquer âmbito da comunicação. Pretendia, assim, ser adaptável a qualquer processo de comunicação, independentemente das características dos seus componentes.

                         Sinal Sinal (recebido)
                         |       |
 Fonte de Informaçao --> Transmissor → Canal → Receptor → Destinatario
                               ^
                               |
                         Fonte de ruido

Esta teoria expandiu-se em 3 níveis:

- Técnico: condições/características técnicas dos dispositivos para uma boa transmissão da informação.

- Semântico: não é um nível importante, pois não interessa o significado da mensagem, mas sim que o que é transmitido é aquilo que é recebido.

- Eficácia: transmissão clara, sem ruído, com que a mensagem é recebida.

Estes são 3 níveis a considerar em qualquer teoria da comunicação, mas, no caso da Teoria Matemática da Comunicação, o nível técnico é o mais importante e o mais desenvolvido. Norbert Wiener também contribuiu para esta teoria, pois foi o “pai” da cibernética, a ciência do controle da comunicação. A sua principal contribuição foi no nível da aplicação de um conceito de “ruído” não só físico, mas englobando também tudo aquilo que impossibilita a correcta recepção da informação. A cibernética desenvolveu-se querendo figurar em todas as áreas da comunicação, pois afirma que os princípios da regulação e retroacção dos sistemas são universais, sendo aplicados com êxito a inúmeras áreas de conhecimento.

Referências

  1. Shannon, Claude E.; Weaver, Warren. The Mathematical Theory of Communication (em inglês). Illinois: Illini Books, 1949. 117 pp. Library of Congress Catalog Card nº 49-11922