1º Batalhão de Infantaria Motorizado (Escola)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
1º Batalhão de Infantaria Motorizada (Escola)
1bimtz.png
País  Brasil
Estado  Rio de Janeiro
Subordinação Grupamento de Unidades-Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada
Denominação 1º Batalhão de Infantaria Motorizada (Escola)
Sigla 1º B I Mtz (Es)
Criação 1567
Patrono Antônio de Sampaio
Lema Somos Soldados! Temos uma Missão!
Grito de Guerra Leões de Guerra, Sampaio!
História
Guerras/batalhas Reconquista de Angola
Guerra Guaranítica
Guerra da Tríplice Aliança
Segunda Guerra Mundial
Comando
Ten Cel Marcos Antonio 12/12/14
Sede
Guarnição Rio de Janeiro
Endereço Avenida Duque de Caxias, 1672

O 1º Batalhão de Infantaria Motorizada (Escola) (1º B I Mtz (Es)), também conhecido como Regimento Sampaio, denominação essa recebida em 1940,é uma unidade do Exército Brasileiro, localizada no Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro e vinculada ao Grupamento de Unidades-Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada, sediado na mesma cidade. Seu nome histórico evoca ao Brigadeiro Antônio de Sampaio, patrono da arma de infantaria no Brasil, pois o regimento fez parte da Divisão Encouraçada durante a Guerra da Tríplice Aliança, do qual Sampaio era comandante.

História[editar | editar código-fonte]

Brasil Colônia[editar | editar código-fonte]

Suas origens estão vinculadas à fundação do Rio de Janeiro, por Estácio de Sá, quando o governador-geral do Brasil na época, Mem de Sá, instituiu o Terço do Rio de Janeiro, em 1567, para combater os franceses na região da Baía da Guanabara.

Durante o período colonial, o regimento serviu na Reconquista de Angola contra os holandeses, em 1648. No fim de 1749, por ordem de D. João V para "que se arregimentem tropas de infantaria pagas do Brasil" do Terço Velho surgiu o "Regimento do Rio de Janeiro, o Velho". Entre 1751 e 1759, o regimento fez parte da expedição ao Sul do Brasil, integrando o Exército Demarcador do Tratado de Madri. Nesse período, participou dos combates da Guerra Guaranítica. Ainda no Sul, ajudou na reconquista da cidade de Rio Grande, em 1774, que estava sob o domínio dos espanhóis, região pacificada somente após a assinatura do Tratado de Santo Ildefonso, em 1777. No seu retorno ao Rio de Janeiro, o regimento passou a ser denominado popularmente como Terço Velho.

Em 1767, chega ao Rio de Janeiro o Regimento de Bragança e, em 1793, ocorre a fusão destes corpos de tropa para a formação do 1º Regimento de Infantaria do Rio de Janeiro, que teve como seu primeiro comandante o Coronel Francisco de Lima e Silva. Mais tarde, serviria neste regimento o alferes e porta-estandarte Luís Alves de Lima e Silva, futuro Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro, engajado ao 5 anos de idade.

Brasil Império[editar | editar código-fonte]

Com o Brasil independente, fez parte das forças militares que lutaram da Guerra da Tríplice Aliança. Juntou-se ao efetivo do navio Jequitinhonha, participando da Batalha do Riachuelo, quando perdeu onze praças. Integrando a Divisão Encouraçada, sob comando do Brigadeiro Antônio de Sampaio, participou da Batalha de Tuiuti, tida como a maior da história da América do Sul. Participou também dos combates de Ita-Ibaté, Pekisiry, Itororó, Peribebuy e Campo Grande.

Em 1889, deu suporte à Proclamação da República pelo Marechal Deodoro da Fonseca.

Brasil República[editar | editar código-fonte]

Com a implantação da República, participou da Revolução de 1930 e ao lado dos legalistas da Revolução Constitucionalista de 1932, lutando também contra a Intentona Comunista.

O Regimento Sampaio viria a participar dos combates da Segunda Guerra Mundial, entre 1944 e 1945, participando das batalhas de Monte Castello e Fornovo di Taro.

Mais recentemente, em 1996, participou da Terceira Missão de Verificação das Nações Unidas em Angola. Em 2005 e 2010, compôs a força brasileira da Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti. Nos anos de 2011 e 2012 integrou a Força de Pacificação do Exército e ocupou os Complexos do Alemão e da Penha sob o comando do Cel Fernando de Galvão e Albuquerque Montenegro.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 1940, o 1.º Regimento de Infantaria do Exército Brasileiro, herdeiro das tradições do Terço Velho de Mem de Sá, recebeu o nome de Regimento Sampaio, em sua homenagem.

Estandarte do Regimento Sampaio

Emprego[editar | editar código-fonte]

Atualmente, está vinculado ao Grupamento de Unidades-Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada, servindo como batalhão preparatório de Infantaria e como unidade de pronto-emprego.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]